Implantação da estratégia de crescimento, como ampliação de canais de venda, novas marcas e entrada em categorias de produtos não cosméticos, busca enfrentar contexto econômico mais desafiador no Brasil

A Natura, multinacional brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza, registrou receita líquida de R$ 1,802 bilhão no segundo trimestre de 2014. Entre abril e junho deste ano, a empresa também apresentou lucro líquido de R$ 175,8 milhões e EBITDA (sigla em Inglês para lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 352,3 milhões.

Se comparados com o mesmo período do ano passado, os resultados apresentam crescimento de 5,1% da receita com redução do lucro e EBITDA. O desempenho foi especialmente impactado por fatores localizados, principalmente por um trimestre com 10% menos dias úteis do que o mesmo período do ano passado. A queda de lucratividade foi impactada pelo descompasso da recomposição de preços e aumento de custos, além de uma piora na inadimplência.

As Operações Internacionais (OI´s) já representam 18,1% da receita líquida da Natura e mantiveram patamares elevados de crescimento e expansão de lucratividade. Mesmo com a desvalorização de 54% da moeda argentina, a receita líquida das OI´s cresceu 22,9% no segundo semestre.

A AESOP, empresa australiana de cosméticos adquirida pela Natura em 2013, também contribuiu para os resultados positivos das Operações Internacionais.

Diante do atual cenário econômico em desaceleração no Brasil, a Natura mantém a confiança em suas estratégias de médio prazo. : em julho a “Rede Natura”, plataforma digital na qual cada consultora possui a própria página para comercialização de produtos, foi implementada no Estado de São Paulo, primeira etapa para a expansão em todo o Brasil. Em Maio a Natura iniciou o piloto da venda de outras categorias fora do mercado de HPPC, o projeto Natura+, que oferta artigos de decoração e acessórios de moda, também agora disponível para todo o Estado de São Paulo.

Para apoiar essa evolução, a Natura mantém a estimativa de investir R$ 500 milhões em CAPEX (sigla em Inglês para investimentos em bens de capital) durante 2014. No primeiro semestre, além de investimentos em tecnologia, foram concluídos um novo centro de distribuição em SP e duas unidades fabris, o Ecoparque, unidade industrial localizada em Benevides (PA), e de nova fábrica de Cajamar (SP).

“Apesar de um segundo trimestre que ficou abaixo de nossas expectativas, tenho confiança que nossas ações em curso, associadas a um calendário mais equilibrado de dias úteis no Brasil, nos permitirão recuperar o crescimento e equilibrar a rentabilidade da Natura no segundo semestre. Seguimos convictos na execução de nossa estratégia, ao mesmo tempo em que estamos atentos a um cenário de curto prazo mais desafiador, que aumenta nosso foco em inovação, execução, ganhos de produtividade e evolução do modelo atual, ” afirma Roberto Pedote, vice-presidente de Finanças e Relações Institucionais da Natura.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: