Dados foram apresentados em entrevista coletiva da FCDL-RS

A economia gaúcha teve saldo positivo em 2014 na comparação com o restante do país, conforme o Relatório Econômico do balanço de 2014 da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS). Os dados foram apresentados pelo presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, em entrevista coletiva na terça-feira (16/12). A estimativa para o ano de 2014 no índice de volume de vendas do comércio varejista do Rio Grande do Sul é de crescimento de 2,5% na comparação com o ano passado. O período mais crítico no comércio gaúcho foi entre junho e agosto, em função da Copa do Mundo.

A avaliação com o cenário nacional também é positiva. Enquanto o comércio no Estado cresceu 2,5%, nacionalmente o setor teve queda de 1,12%. Já os serviços tiveram alta de 1,9%, contra 0,4% na média brasileira. Apenas a indústria apresentou retração de 3,9%, sendo que no Brasil o índice foi de - 1,62%.

Os artigos de uso pessoal e doméstico, que incluem itens como brinquedos, joias e acessórios para o lar, foram os que mais cresceram em volume de vendas no Estado, com alta de 8,33%, entre janeiro e setembro deste ano. Os combustíveis e lubrificantes ficam na segunda posição, com crescimento de 6,44%, seguidos por artigos farmacêuticos e médicos (+ 6,19%). Já a maior queda em volume de vendas foi no setor de equipamentos e materiais para escritórios, de informática e comunicação (-17,49%), seguido de livros, jornais, revistas e papelaria (-2,96%) e veículos e motocicletas (-1%).

Segundo o levantamento da FCDL-RS, com base em índices da Capital, os preços no Rio Grande do Sul subiram no decorrer de 2014. A maior alta foi nas despesas pessoais, como lazer, tratamentos estéticos, serviços bancários e empregados domésticos, com 9,65% de aumento. Em segundo lugar, educação (8,77%) e, em terceiro, alimentação (8,73%). Esses três itens também ficam acima da alta de preços da média nacional.

Inadimplência

Em novembro de 2014, o número de dívidas regularizadas no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) aumentou 0,79% em relação a outubro do mesmo ano. A FCDL-RS atribui a melhoria principalmente às campanhas de recuperação de crédito e à injeção de capital extra na economia com o 13º salário.

Nesta época do ano é que a maior parte das dívidas é feita. O número médio de parcelas para as compras de Natal é 4,9, o que significa que a maioria dos presentes estará paga após maio de 2015.

Projeções para 2015

O cenário brasileiro favorecerá o comércio em 2015 em diversos fatores e o baixo desemprego é um deles. A FCDL-RS acredita que esse índice deve seguir em patamares reduzidos. A entidade projeta o crescimento do PIB entre 0,8% e 2% e um crescimento do consumo entre 1,5% e 2,8% das vendas no varejo.

A desvalorização do real é analisada sob um aspecto otimista, já que resulta no aumento da competitividade da exportação no país. Com a moeda brasileira valendo menos, encarecem os produtos importados e a produção nacional é privilegiada.

O que pode prejudicar as estimativas do ano que vem é a inflação, que tende a permanecer acima do centro da meta do Banco Central (mais do que 4,5% ao ano). A inadimplência também segue maior que o razoável e traz dificuldades de crédito para as pessoas físicas.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: