ULTIMOS POSTS

sexta-feira, 27 de março de 2015

Em 10 anos, reajuste de medicamentos fica 21,75% abaixo da inflação


O reajuste anual dos medicamentos comercializados no Brasil deve ser fixado em 5,95%, índice abaixo da inflação registrada no período, de 7,70%. Nos últimos 10 anos, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) aponta 70,91% de inflação acumulada, enquanto a correção sobre o preço dos medicamentos foi de apenas 49,16%.

Na verdade, a diferença é ainda maior porque os medicamentos acabam sempre comercializados com descontos. Nas compras públicas, por exemplo, há o desconto oficial de pelo menos 18%, sendo que as negociações geralmente resultam em outros abatimentos. Nas farmácias, a concorrência de mercado também gera descontos significativos.

Neste momento de dificuldades orçamentárias, essa decisão contribui para os programas de aquisição de medicamentos pelos governos Federal, estaduais e municipais.

Para os consumidores, o reajuste abaixo da inflação igualmente contribui para o acesso a medicamentos, que no Brasil é dificultado pela alta carga tributária e pelo fato de 75% das compras serem custeadas integralmente pelo cidadão. Esse cenário é bem diferente na maioria dos países, onde existem programas mais abrangentes de complementação ou reembolso para a aquisição de medicamentos. Os tributos também são bem menores que os nossos 34%, ou até inexistentes.

Esse cenário se tornará mais grave se o Governo mantiver a intenção de aumentar a carga tributária sobre medicamentos com a elevação do PIS e do COFINS, cobrado sobre importações.

Sobre a Interfarma

Fundada em 1990, a Interfarma possui atualmente 54 empresas associadas. Hoje, esses laboratórios são responsáveis pela venda, no canal farmácia, de 80% dos medicamentos de referência do mercado e também por 33% dos genéricos produzidos por empresas que passaram a ser controladas pelos laboratórios associados. Além disso, as empresas associadas respondem por 46% da produção dos medicamentos isentos de prescrição (MIPs) do mercado brasileiro e por 52% dos medicamentos tarjados (50% do total do mercado de varejo).

Compartilhe nas redes sociais:
 
Copyright © 2008-2017 Falando de Varejo.