Fugir dos gastos desnecessários, do maior comprometimento da renda e contar com o apoio da família são algumas delas

O primeiro bimestre de 2015 já ficou marcado na vida da população brasileira pela série de aumentos e ajustes em produtos, serviços e impostos, que elevaram a inflação e acabaram diminuindo a renda e o poder de compra. Em janeiro, o índice de desemprego subiu e ocupou a pior posição desde 2013. Há ainda os recentes protestos dos caminhoneiros, que prejudicaram o abastecimento de alimentos em diversas cidades do país, e o risco de racionamento de água e energia elétrica.

Com a perspectiva de recessão econômica, a Serasa Experian dá dez dicas para o brasileiro preparar o bolso e evitar maiores prejuízos financeiros em tempos de incerteza.

1ª Planejamento: Faça um bom planejamento, anotando todos os compromissos financeiros existentes no momento. Coloque, inclusive, os pequenos gastos do dia a dia. Eles podem ter uma grande participação no orçamento ao serem somados no fim do mês. Uma planilha de orçamento doméstico pode ajudar: www.serasaconsumidor.com.br/planilhafinanceira ;

2º Família: Tenha uma conversa franca em família e compartilhe com todos da casa a atual situação econômica. O apoio e a conscientização são fundamentais para encarar qualquer tipo de dificuldade que possam encontrar;

3ª Encare o momento: Estabeleça uma sintonia entre a atividade econômica do país e o orçamento doméstico. Recue o quanto puder no consumo de supérfluos;

4ª Corte despesas: Analise o que pode ser cortado neste momento sem que haja grandes prejuízos no dia a dia. Fuja dos gastos desnecessários, centralizando o dinheiro apenas no que for essencial;

5ª Renda: Evite comprometer ainda mais a renda com financiamentos e parcelas longas. Com os juros mais altos, já está difícil de pagar todas as dívidas assumidas e o caminho para a inadimplência pode estar ficando cada vez mais curto;

6ª Cartão de crédito: Controle os gastos com o cartão de crédito. Ao receber a fatura com as despesas já assumidas, faça o pagamento integral, evitando a utilização do crédito rotativo;

7ª Cheque especial: Este deve ser visto como a última alternativa. Evite utiliza-lo como complemento do salário. Se estiver precisando de dinheiro, procure outras possibilidade, como o crédito consignado que, entre as opções de empréstimo pessoal, possui uma das menores taxas de juros;

8ª Alimentos: Com os recentes protestos dos caminhoneiros em todo o país, o abastecimento de alimentos está prejudicado. Tente substituir o que você não encontra para comprar ou que está mais caro por um produto que esteja com melhores condições. Muitos supermercados escolhem um dia da semana para fazer promoções dos produtos de feira. Aproveite;

9º Economize: Economize o quanto puder no dia a dia. Faça comparações e veja se é mais vantajoso fazer refeições dentro ou fora de casa, por exemplo. A mesma economia também deve valer para o consumo de água e luz. A energia elétrica já está mais cara em todo o país. Reaproveite a água para utilizá-la na limpeza da casa. Desligar os aparelhos eletrônicos da tomada quando não estiver usando também ajuda a diminuir os gastos com energia;

10ª Inadimplente: Se já tiver caído na inadimplência, a orientação é renegociar a dívida. Explique ao credor a situação econômica e proponha valores e condições que caibam no bolso. A negociação pode ser feita com comodidade e segurança pela internet no serviço Limpa Nome Online. Basta entrar no site www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online e se cadastrar.

O consumidor pode conferir mais dicas sobre educação financeira, acessando o site: www.serasaconsumidor.com.br
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: