Rápido e prático, o ato de fazer compras pela internet é cada vez mais corriqueiro. As lojas físicas, no entanto, podem lançar mão de estímulos de compra – e do bom e velho contato pessoal – que ainda deixam o mundo virtual em larga desvantagem

Apesar das facilidades em se comprar pela internet, segundo dados de pesquisa feita pela americana WD Partners, 79% da população ainda faz suas compras em lojas físicas. O número, no entanto, poderia ser ainda maior se as lojas utilizassem de melhores atrativos para conquistar o seu consumidor. De acordo ainda com essa pesquisa, os clientes se dizem insatisfeitos com o formato tradicional das lojas comerciais e procuram por inovação e modernidade para não terem que mudar de hábitos e recorrerem ao e-commerce.

O cliente sai de casa para ir às compras já sabendo o que quer. Por conta disto, é necessário que a loja faça com que o consumidor viva uma experiência na hora de comprar o produto. Este deve ser o foco do empreendedor.

De acordo com a designer de interiores Melina Mundim, a loja precisa se preocupar com esta experiência a ser vivida pelo cliente para que ele possa transmitir aos amigos e, assim, aumentar a clientela do local. “A loja precisa ser, no mínimo, interessante. Ter um visual que remeta ao seu produto, que cause impacto, que permita que o cliente ‘utilize’ a loja. Só assim as pessoas terão mais interesse em entrar nas lojas e desfrutar das mesmas”, explica.

É importante que o comerciante compreenda a sua marca e como ela deve ser posicionada no mercado, sabendo qual o seu público e como ele pode ser atraído. Criar um projeto arquitetônico compatível com a identidade visual da marca ajuda a melhorar a visibilidade do local e atiçar o interesse dos consumidores.

De acordo com a arquiteta Estela Netto, o uso de móveis, iluminação, cores, materiais, texturas, equipamentos eletrônicos e displayers deve ser projetado exaustivamente. “Não há uma proposta coringa que se encaixe em todos os casos, por isso vai depender do consumidor, do tipo de nicho do mercado. Muita ou pouca cor, cores frias ou quentes, madeira, inox, tudo vai depender do público a ser atingido.

São muitas questões que podem compor o projeto”, ressalta.
O layout da loja ajuda a atrair o cliente. Ele pode facilitar a circulação do consumidor dentro do ambiente e, dependendo do material que será utilizado no projeto, cria impacto e pode até mesmo valorizar o produto que está sendo vendido.

A loja, em princípio, deve estar organizada e setorizada. Vários fatores podem influenciar na composição do projeto para estimular os clientes. Uma dica da designer de interiores Melina Mundim, por exemplo, é apostar na iluminação amarela, pois as lâmpadas brancas deixam o ambiente cansativo. O principal destaque deve ser a vitrine, pois atrai os olhares das pessoas para o interior da loja. Às vezes, somente uma mudança na cor do ambiente pode fazer bastante diferença.

A arquiteta Estela Netto também aposta na iluminação, e ressalta que a indústria desse segmento obteve muitos avanços tecnológicos e o comerciante pode utilizar lâmpadas mais potentes, leds e até mesmo especificar a temperatura da lâmpada.

A tecnologia sempre atrai. E por mais que o ambiente seja simples, o contemporâneo chama a atenção. Utilizar recursos para valorizar o espaço, fidelizando os clientes e inovar para conquistar ainda mais consumidores deve ser o foco dos empreendedores para não perder o seu público para a internet.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: