Vendas terão crescimento de 7% em relação a 2014, mas ainda é abaixo do esperado

As vendas dos supermercados paulistas para este Natal terão um crescimento nominal de 7% em relação ao ano passado. Apesar do aumento, o número é considerado pela APAS – Associação Paulista de Supermercados - insatisfatório, uma vez que o setor sempre apresentou crescimento expressivo nos últimos anos. “Embora o cenário seja de desaceleração, entre as demais atividades econômicas o desempenho tenderá a ser superior, até mesmo quando comparado com o desempenho do PIB brasileiro para 2015, que está projetado para uma queda de -2% a -3%”, explica o gerente departamento de Economia e Pesquisa da APAS, Rodrigo Mariano.

Nos nove primeiros meses de 2014, os supermercados tiveram crescimento nominal nas vendas de 6,22%, valor inferior à inflação do período, que pelo IPCA aponta alta de 9,9% e pelo IPS (Índice de Preços dos Supermercados), de 7,15% até outubro.

Para a Associação, os dados demonstram que as crises política e econômica, somadas à desarticulada atuação da política econômica do Governo Federal, têm impactado o varejo brasileiro.

Rodrigo acredita que o desempenho para os meses de novembro e dezembro deverá ser moderado. “Levando em consideração que até setembro o setor apontou crescimento nominal de 6,22% e crescimento real de -1,61% no acumulado de janeiro a setembro (deflacionado pelo IPS), o desempenho geral do setor em 2015 terá o crescimento real de -1% a -1,5% em relação a 2014”.

Cesta de Natal deve ficar 10% mais cara

Os itens mais comprados paras as festas de final de ano deverão ficar 10% mais caros. O preço dos panificados, de modo geral, teve variação de 8% no acumulado de janeiro a outubro de 2015 e de 7% em 12 meses.

Apesar disso, há uma projeção de aumento nas vendas de panetone para este ano de 10% em relação a 2014. Para a APAS, a diversificação de sabores, bem como as ações no ponto de venda, são os fatores que impactarão positivamente nas vendas. “O panetone tem vendas expressivas nesta época do ano. E neste não será diferente. Mesmo com aumento médio esperado entre 7% e 10% nos preços do produto, as vendas se manterão aquecidas”

Chocotone: No caso específico de chocotone, o aumento registrado em relação a 2014 está entre 7% a 10% e as vendas devem ter alta de 10% este ano.
Peru: O preço do peru teve alta de 4,29% em outubro, comparado ao mês anterior, indicando o início do aumento dos preços devido às proximidades das festas de fim de ano. O reajuste deve chegar a 7%.

Chester: Durante 2014, os preços se mantiveram estáveis e, para este ano, a expectativa é de alta entre 7% e 10%.

Castanhas e nozes: Alta dos preços será em torno de 7%.

Frutas secas: A estimativa é de aumento de 10%.

Espumantes: Em 2014, os espumantes registram alta de 7% de janeiro a outubro. A expectativa para o fim de ano é de alta nos preços de 10%.

Azeite e outros condimentos: O preço do azeite caiu 13,4% de janeiro a outubro. Nos meses de novembro e dezembro deve ocorrer alta, em torno de 15%, principalmente em função da alta do dólar.

Sobre a APAS – A Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade tem 1.328 associados, que somam mais de 2.830 lojas.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: