Regiões Norte e Nordeste puxaram as quedas tanto em fevereiro quanto no acumulado do primeiro bimestre

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que buscou crédito em fevereiro de 2016 caiu 2,2% em relação a janeiro/16. Na comparação com o mesmo mês do ano passado (fev/15), por fevereiro deste ano (2016) ter tido um dia a mais (ano bissexto), houve alta de 6,7% da procura dos consumidores por crédito. Assim, no acumulado do primeiro bimestre do ano, a demanda do consumidor por crédito foi 1,7% maior que a registrada no primeiro bimestre de 2015.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o aprofundamento da recessão econômica, o nível elevado das taxas de juros e o patamar deprimido dos níveis de confiança do consumidor continuam impedindo um desempenho mais favorável da procura dos consumidores por crédito no país.

Análise por classe de renda pessoal mensal

Na comparação com janeiro/16, todas as faixas de renda acusaram retração em suas demandas por crédito: consumidores que ganham até R$ 500 por mês (-2,3%); consumidores que recebem entre R$ 500 por mês e R$ 1.000 mensais (-2,7%); consumidores que ganham entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês (-1,9%); consumidores que recebem entre R$ 2.000 e R$ 5.000 mensais (-1,4%); consumidores que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês (-1,1%); consumidores cuja renda mensal supera R$ 10.000 (-0,8%).

No acumulado do primeiro bimestre de 2016, com exceção da faixa de menor renda (com queda de 2,8%), a busca do consumidor por crédito subiu em todas as demais faixas de renda em relação ao primeiro bimestre de 2015: consumidores com renda mensal entre R$ 500 e R$ 1.000 (1,5%); renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000 (2,6%); renda mensal entre R$ 2.000 e R$ 5.000 (3,0%); renda mensal entre R$ 5.000 e R$ 10.000 (2,9%) e renda mensal maior que R$ 10.000 (2,1%).

Análise por região

Em fevereiro de 2016, quando comparado com janeiro de 2016, exceto na Região Sul (alta de 0,4%), a demanda do consumidor por crédito recuou em todas as demais regiões geográficas do país. No Norte e no Nordeste os recuos mensais foram de 5,4% e de 5,3%, respectivamente. No Centro-Oeste a queda foi de 2,2% e no Sudeste o recuo foi de 1,6%.

No acumulado do primeiro bimestre de 2016, a demanda dos consumidores por crédito avançaram 5,0% na Região Sul e 4,2% no Sudeste. No Centro-Oeste houve retração de 1,7% e no Norte queda de 2,5%. O maior recuo na demanda dos consumidores por crédito ocorreu no Nordeste: baixa de 4,9% no primeiro bimestre de 2016 perante mesmo período do ano passado.

A série histórica deste indicador está disponível em
http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/demanda_pf_credito.htm

Metodologia do indicador

O Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito é construído a partir de uma amostra significativa de CPFs, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CPFs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre os consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O indicador é segmentado por região geográfica e por classe de rendimento mensal.

Você também lê esta notícia em: http://noticias.serasaexperian.com.br/
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: