Os aplicativos invadiram o dia a dia das pessoas e se tornaram ferramentas essenciais. Basta olhar para os lados, que é possível enxergar alguém de cabeça baixa teclando em tablets ou em smartphones. Estão conversando com amigos, respondendo um email ou organizando uma agenda. Não importa a atividade, há sempre algum ícone ao alcance para atender a necessidade do momento. Até na rotina dos empresários os apps têm se tornado peças fundamentais. No setor do varejo, por exemplo, logo se percebeu que os aplicativos eram uma boa maneira para mudar a administração e as vendas das lojas.

Há 36 anos no comando de uma empresa do ramo de lingeries, Vivian Fermanian procurou um novo recurso que pudesse ajudá-la a enxergar maneiras de melhorar os resultados de suas vendas. E, nos últimos seis meses, ela acrescentou à rotina de sua loja o aplicativo Meu Atendimento, que funciona tanto no celular como no computador e ajuda os assinantes a entenderem melhor o seu público e aumentar o faturamento.

“Quando me apresentaram o programa, fiquei apaixonada, pois era tudo o que eu queria. A gente que trabalha nessa área sabe a importância de ver dados para orientar a equipe. Tendo na palma da mão todas as informações, tomo decisões mais rápidas e fico sabendo o motivo pelo qual estou perdendo vendas. Se é pela forma de pagamento, pela falta de treinamento da equipe ou, até mesmo, se pela necessidade de ter outro produto”, conta.

Diego Lira:“O aplicativo busca facilitar a vida de quem tem que gerenciar lojas, vendedores e clientes.”

Estou apenas olhando

A ideia de criar o programa Meu Atendimento surgiu depois que Diego Lira passou a acompanhar de perto a rotina das fábricas e lojas de sua família, voltadas para o varejo infantil. Durante essa experiência, ele percebeu que uma informação fundamental para a sobrevivência dos negócios era coletada de forma precária: os motivos pelos quais os clientes deixavam de comprar. “Nossa equipe fazia essa análise por meio da Lista da Vez que nada mais é do que um papel onde os vendedores anotavam se venderam ou não e, algumas vezes, completavam a informação. Com isso, encontrávamos problemas como informações imprecisas, perda de dados e análise inconsistente”, destaca Diego.

Após essa análise, sua ideia inicial foi buscar algum software que melhorasse o processo. “Não encontrei nada que atendesse a minha ideia e resolvi desenvolver o meu programa. E como sabia que a prática da Lista da Vez era comum entre os lojistas, vi na oportunidade uma forma de poder ajudar outras pessoas a entenderem melhor os seus clientes ”, completa.

Com o aplicativo Meu Atendimento é possível saber, por exemplo, quantas vendas por falta de produto foram perdidas em um determinado dia. “Até mesmo aqueles clientes que entram e dizem ‘estou apenas olhando’ são contabilizados e acabam ajudando a revelar qual o produto que mais chama atenção em uma loja”, completa Diego.

O aplicativo busca facilitar a vida de quem tem que gerenciar lojas, vendedores e clientes, além de permiti r a criação de relatórios de simples leitura. Os planos do Meu Atendimento custam, em média, R$ 100,00 por mês para lojas com até 10 vendedores. Também é possível acessar o serviço on-line, gratuitamente, por 15 dias.

Fonte: Varejo S.A.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: