Pesquisa ABAD/FIA mostra alta em todas as bases de comparação. Os dados deflacionados ainda sofrem o impacto da inflação acumulada em 2016. A queda gradual do indicador nos próximos meses, contudo, já é factível, tornando possível para o setor encerrar o ano com crescimento de 1%

A pesquisa mensal da ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados), apurada pela FIA (Fundação Instituto de Administração), mostrou crescimento do faturamento do setor atacadista distribuidor em termos nominais. A alta foi de 9,18% em agosto na comparação com o mesmo mês de 2015. No acumulado até agosto, ante o mesmo período do ano passado, a expansão atingiu 8,37%. Já em relação ao mês de julho, o crescimento foi de 2,36% em agosto. O levantamento leva em consideração o faturamento de um conjunto representativo de empresas que fornece números preliminares sobre o setor.

Em termos reais (deflacionados), o faturamento ainda sofre o impacto da inflação acumulada em 2016. Houve crescimento de 0, 19% em agosto na comparação com o mesmo mês de 2015 e de 1,91%, em relação ao mês de julho. Mas, no acumulado do ano, de janeiro a agosto, o faturamento apresentou queda de -0,97% em relação ao mesmo período do ano passado.

“A proximidade das festas de fim de ano e o arrefecimento da inflação vão contribuir para que o faturamento real do setor volte a ser positivo em 2016, ainda que seja um pequeno crescimento de 1%. A expectativa é de que a nova condução da política econômica, com debates sobre reformas estruturais importantes, tragam de volta o cenário estável, preparando o país para voltar a crescer de forma sustentável”, José do Egito Frota Lopes Filho, presidente da ABAD.

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), índice oficial do país, fechou setembro com alta de 0,08%, ante uma variação de 0,44% em agosto, segundo informou o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, nesta sexta-feira, dia 7. E o menor índice para o mês de setembro desde 1998. A taxa acumulada no ano foi de 5,51%. Em 12 meses, o índice ficou em 8,48%.

De acordo com Termômetro de Vendas da ABAD, também apurado pela FIA, que oferece uma projeção para o mês recém-terminado (setembro), no acumulado do ano, o faturamento mantém o ritmo de crescimento. A variação nominal apresenta alta de 8,16% de janeiro a setembro em relação ao mesmo período de 2015.

Sobre a ABAD

Criada em 1981, a ABAD representa nacionalmente o segmento e reúne mais de quatro mil empresas de todo o Brasil. De acordo com os resultados da pesquisa do Ranking ABAD/Nielsen, em 2015 o segmento atacadista distribuidor apresentou queda de -6,8% em termos reais e crescimento de 3,1% em termos nominais, atingindo faturamento de R$ 218,4 bilhões, a preço de varejo. Com isso, os agentes de distribuição respondem por uma fatia de 50,6%% do mercado mercearil nacional, que foi de R$ R$ 431,3 bilhões no ano passado. É o décimo-primeiro ano consecutivo em que a participação do segmento nesse mercado permanece superior a 50%.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: