ULTIMOS POSTS

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Inadimplência na capital mineira cresceu 3,95% em dezembro

Apesar do aumento, o índice é menor que o registrado em 2015

A diminuição da renda devido ao desemprego tem dificultado o pagamento das dívidas por boa parte dos consumidores da capital. Exemplo disso é que o número de pessoas inadimplentes apresentou alta de 3,95% em dezembro frente ao mesmo período do ano anterior. Em 2015, esse índice ficou em
4,69%. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH).



Para o vice-presidente da CDL/BH, Marco Antônio Gaspar, o crescimento da inadimplência está relacionado ao atual cenário econômico negativo. “A combinação de juros elevados, inflação em alta e queda na renda real das famílias têm levado ao aumento da inadimplência. Com isso, o consumidor tem menos condições de quitar os débitos”, explica.

Comparativo mensal - O número de inadimplentes junto ao SPC da CDL/BH teve aumento de 0,31% em dezembro, na comparação com o mês anterior (Dez.16/Nov.16). Gaspar explica que além do cenário econômico desfavorável, outro fator que pode ter contribuído para o aumento da inadimplência foi o atraso no pagamento do décimo terceiro salário por parte do governo de Minas Gerais.



Perfil - No mês de dezembro, na comparação com o mesmo período de 2015, o maior número de dívidas em atraso (51,55%) foi registrado por consumidores com idade acima de 50 anos. Segundo o vice-presidente da CDL/BH, os dados demostram uma tendência que já vem sendo observada desde o início do ano de 2016. “Esse público tem mais dificuldade em conciliar suas despesas, pois são responsáveis financeiramente por suas famílias e estão sendo impactadas pelo aumento do custo de
vida e pelo desaquecimento do mercado de trabalho”, explica.


Na análise por gênero, os homens são os responsáveis pela maior faixa da inadimplência em atraso em Belo Horizonte (4,08%). Já as mulheres responderam por um aumento de 3,47% na inadimplência da capital, segundo o SPC da CDL/BH.


Dívidas em atraso - Os dados de dezembro do SPC da CDL/BH registraram alta de 2,90% no número de dívidas em atraso, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em 2015, esse índice ficou em 5,45%. Quando comparado com o mês imediatamente anterior, o índice de dívidas em atraso apesentou queda de 0,15%.


Segundo Gaspar, o planejamento financeiro é essencial para o consumidor manter as contas equilibradas. “Temos percebido que muitas famílias não têm planejado suas despesas. E como a renda das famílias está sendo pressionada pela inflação, quem não planeja suas despesas acaba tendo mais dificuldades em honrá-las”, finaliza.

Metodologia - Os indicadores de inadimplência apresentados nesse material contêm todas as informações disponíveis nas bases de dados a que o SPC Brasil e a CDL/BH tem acesso. O indicador de pessoas físicas inadimplentes mostra a variação mês a mês no número de pessoas registradas na base do SPC Brasil. Cada pessoa física inadimplente é contada apenas uma vez, independente do número de dívidas que tenha em atraso. Já o número de dívidas em atraso mostra a quantidade média de dívidas em atraso de cada pessoa física.

Compartilhe nas redes sociais:
 
Copyright © 2008-2017 Falando de Varejo.