Por meio de seus terminais inteligentes, a startup viabilizará a retirada de produtos comprados pela internet de forma simples e rápida. A novidade beneficiará ainda mais de 11 milhões de pessoas que não têm acesso à comunicação postal convencional

O mercado brasileiro de e-commerce acaba de ganhar um novo aliado que vai revolucionar o setor. A EasyPost, startup brasileira que recebeu um aporte inicial de R$ 18 milhões, desenvolveu um novo jeito de receber e enviar encomendas. Com o objetivo de solucionar gargalos logísticos e agilizar a distribuição de produtos comprados pela internet, a startup se inspirou em modelos europeus e criou terminais inteligentes, com diferentes tamanhos de compartimentos e tecnologias de última geração, onde as pessoas podem retirar suas encomendas digitando apenas o número do celular e um código recebido via SMS.

Inicialmente, serão 22 terminais no Rio de Janeiro e em São Paulo e mais de 300 até o fim do ano. Já nas primeiras instalações será possível processar, no mínimo, 52 encomendas por terminal a cada dia, totalizando 1092 entregas diárias e 32 mil ao mês, o que corresponde a um público impactado de mais de 30 mil pessoas ao final do mês. A empresa espera crescer 500% somente em 2017 e ampliar sua atuação para as praças de Belo Horizonte, Curitiba e Brasília ainda este ano. Até 2020, a meta é chegar a mil terminais espalhados pelo Brasil.

“As pessoas sempre tiveram que se adaptar ao atual sistema de entregas, seja no horário ou no formato, agora estamos trazendo um modelo inovador capaz de se adaptar às necessidades do público consumidor. Será uma forma de desafogar os sistemas de entregas de grandes varejistas e ao mesmo tempo oferecer mais praticidade e comodidade aos clientes”, diz Olegas Orlovas, CEO e fundador da EasyPost.

Orlovas, da EasyPost: Modelo que se adapta às necessidades do consumidor
Além da parceria com as empresas de e-commerce que passarão a oferecer uma opção de entrega diferenciada a seus clientes, pessoas físicas poderão, em breve, usar os terminais para enviar e receber correspondências e pagar pelos serviços, que custarão entre R$9 e R$24 dependendo da opção escolhida, diretamente nos terminais. O pagamento poderá ser feito no débito, crédito e ainda em bitcoins, abrindo assim oportunidades para sites de compra de ingressos e passagens aéreas.

Inclusão de novas pessoas no segmento de e-commerce

Este sistema aparentemente simples, mas que reúne o que há de mais moderno nas áreas de engenharia, automação, logística e segurança, tem as condições ideais para atender uma demanda reprimida de mais de 11 milhões de pessoas, apenas no Rio de Janeiro e São Paulo, que não possuem acesso ao atual sistema postal por morarem em áreas consideradas de risco ou que estão impossibilitadas de receber encomendas em sua casa por algum outro motivo. “Quantas pessoas já deixaram de comprar um produto pela internet porque não têm porteiro no prédio ou porque moram em uma área que não tem CEP? Chegamos para solucionar esta questão e promover a inclusão de milhões de pessoas às facilidades e promoções do setor de e-commerce”, explica Olovas.

No Rio de Janeiro, a primeira comunidade a receber o terminal é a Cidade de Deus, região com mais de 30 mil moradores, que tem acesso restrito ao sistema postal ou por não ter CEP ou porque o local em seu entorno é considerado uma área de risco. A solução beneficia ainda moradores que trabalham com venda de porta a porta que poderão utilizar o serviço para facilitar a logística de distribuição dos produtos.

Funcionalidade dos terminais

Os terminais são feitos de aço, pesam mais de uma tonelada e sua instalação é feita em menos de um dia. Por serem modulares, podem se adaptar facilmente às necessidades de diferentes públicos e locais e contam com infinitas possibilidades de formato. Os tamanhos das portas dos compartimentos do modelo padrão são: 43x45 cm (grande), 43x 29 cm (média) e 43x15 cm (pequena). Para acessar o compartimento com a sua encomenda, o cliente recebe via SMS um código exclusivo. O sistema só destrava a porta com a inserção do código e conta ainda com câmeras de leitura facial instaladas em locais estratégicos do equipamento.

Os processos de troca e devolução de produtos serão significativamente otimizados já que os clientes podem receber um código exclusivo para esta função. Um sistema de laser infravermelho e raio X atesta que o produto foi devolvido no estado como foi comprado. Caso o cliente não possa buscar a encomenda, pode compartilhar seu código para que alguém busque o produto. O cliente é informado sobre o status do envio do material aos terminais e pode programar a retirada no horário que considerar mais conveniente.

As possibilidades não param por aí. A ideia é que os terminais se tornem cada vez mais multisserviços. Através deles, será possível otimizar processos de logística reversa e distribuição de correspondências em condomínios, incentivar o uso de soluções voltadas para economia colaborativa e o desenvolvimento de pequenas e médias empresas, criar pontos de distribuição e serviços de setores do varejo como supermercados, aluguéis de roupas, lavanderia, entre outros.

O terminal apresenta um leque de novas possibilidades para estreitar o relacionamento entre as empresas e seus consumidores, seja por meio de programas de vantagens, distribuição de brindes ou da análise do comportamento dos consumidores para definição de iniciativas mais assertivas. Por conta de seu perfil inovador e das facilidades para os usuários, a EasyPost inicia suas operações com grandes marcas de e-commerce como parceiras como a Decathlon e ainda outros grandes grupos do varejo como supermercados Guanabara, Prezunic, Carrefour e toda a rede Select dos postos Shell onde os terminais serão instalados.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: