Relatório do Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae destaca novos negócios para empreendedores no mercado que movimenta R$ 19,2 bi por ano no Brasil

Quando se fala em mercado pet, o Brasil desponta com grandes números: o país tem a segunda maior população de animais e o terceiro maior faturamento global. São 52 milhões de cachorros, 37,9 milhões de aves e 22,1 milhões de gatos, entre outras espécies, que movimentam o mercado de animais de estimação no país. Em 2016, o faturamento do setor foi de R$ 19,2 bilhões, superando em 6,7% o resultado do ano anterior. Para mostrar aos empreendedores do comércio pet as oportunidades geradas por este crescimento do mercado, o Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae/SC elaborou um relatório com as principais informações e dados do setor.


O consumidor de produtos para pets está cada vez mais exigente: pesquisa com 600 entrevistados revelou que 46% deles preferem comprar em lojas especializadas no ramo e que cerca de 15% adquiriram seus animais em Petshops e agropecuárias. Mais da metade das pessoas que responderam a pesquisa afirma não se importar em gastar grandes quantidades de dinheiro com veterinários, caso necessário. Para 63% dos entrevistados, os animais de estimação são considerados membros da família, companheiros e amigos.


O Instituto Pet Brasil divulgou um levantamento sobre o varejo pet no Brasil que mostra que a grande maioria das 28.883 lojas do ramo no Brasil é de pequeno porte e fatura até R$ 100 mil por mês. Para se diferenciar da concorrência, os empreendedores devem buscar diferenciais, como por exemplo, uma franquia de pet móvel. Outras oportunidades estão relacionadas à moda pet, segmento que também cresce ano a ano. Os eventos de moda como o New York Pet Fashion Show e o Pet Fashion Week SP mostram o quanto as roupas para os animais de estimação caíram no gosto dos consumidores.

Oportunidades para clínicas - Os consumidores, por tratarem os animais como membros da família, estão procurando serviços especializados para seus pets, como massagistas e fisioterapeutas, por exemplo. O gasto médio anual com veterinários no Brasil é de cerca de R$ 400 (US$ 129). Com a grande quantidade de profissionais - são 105 mil em atuação no país e clínicas do segmento veterinário, é comum que o consumidor não enxergue diferencial entre os concorrentes. Por isso, recomenda-se adotar uma estratégia de comunicação clara, bem como práticas de gestão sustentáveis.

Confira algumas:

· Gerenciar o estoque de produtos perecíveis, controlando a qualidade e validade dos mesmos;
· Implantar células de aquecimento solar, que têm seu investimento compensado pela diminuição do valor das contas de luz;
· Utilizar produtos ambientalmente corretos, fabricados com matéria-prima orgânica e que não agridem o meio ambiente;
· Atentar-se para o uso consciente de água e de produtos químicos

Outra oportunidade está na comida caseira para pets. Veterinários e especialistas passaram a indicar o uso da alimentação saudável para vários tipos de problemas, como alergias e disfunções no intestino. Para o empreendedor que pretende investir neste nicho de mercado, fique atento a empresas que já estão atuando com destaque, como a Cãolinária, a 4 Patas na Cozinha e o Bistrot Pet.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: