quinta-feira, 25 de abril de 2019

Sodiê Doces comemora 312 lojas abertas em todo o Brasil

Brasília inaugura nesta sexta-feira e unidade de Orlando (EUA) em junho

Há 22 anos a Sodiê Doces nascia em um imóvel de 20 m² em Salto, interior de São Paulo. Até então, a fundadora da marca, Cleusa Maria da Silvia, tinha trabalhado como cortadora de cana e depois como empregada doméstica.

Atualmente a empresária comanda a maior franquia de bolos artesanais do País e comemora a marca de 312 lojas em funcionamento nos 13 estados do Brasil, mais Distrito Federal, que inaugura a segunda unidade da rede na Asa Norte. A abertura acontece nesta sexta-feira, dia 26, com degustação gratuita para o público das 12h às 14h.

Até junho a marca inicia a sua primeira operação fora do País: “Ver meus bolos nos Estados Unidos é muito mais do que eu havia sonhado. Será um grande desafio conquistar o paladar deles tão acostumados com a pasta americana. Mas eu tenho certeza que eles vão se encantar com a novidade e se render ao sabor único das receitas”, comemora Cleusa Maria.

Para os próximos dois meses, a Sodiê Salgados também pretende ampliar a sua atuação, comercializando seus salgados a supermercados, padarias e postos de gasolina.

Sobre a Sodiê Doces

A Sodiê Doces maior franquia de bolo do país, possui atualmente mais de 312 lojas abertas e está presente em 13 estados do País, mais Distrito Federal: São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo, Goiás, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Ceará.

Com um cardápio com mais de 100 variedades de sabores e uma linha Zero Açúcar especial, os bolos são elaborados à base de pão de ló, matéria-prima de primeiríssima qualidade e frutas frescas. Capazes de conquistar todos os paladares, eles ainda têm um preço muito acessível e mensalmente a marca traz o ‘Bolo do Mês, são dois sabores que ganham desconto especial em todas as unidades da rede.

Em 2017, a marca inaugurou a fábrica de salgados com sede em Boituva. O espaço tem 1,3 mil m2 e produz cerca de 80 mil salgados por dia. Os salgados podem ser encontrados em todas as lojas da Sodiê Doces. Este ano, os salgados também serão comercializados no setor de alimentação fora do lar: supermercados, padarias e lojas de conveniência.

Neste primeiro semestre de 2019, a marca inaugura a sua primeira operação fora do País, na cidade de Orlando, nos EUA.

Lojas em shoppings atraem investimentos e registram público cada vez mais fiel

Diversos fatores podem fazer a diferença na hora de um empresário escolher em qual tipo de local ele deseja instalar sua loja física. De acordo com o Censo Abrasce 2018, o fluxo mensal de visitantes cresceu 5,8%, comparado ao ano anterior, saltando para 490 milhões de visitantes por mês. Além disso, o número de lojas aumentou 2,6% comparado ao ano anterior, saltando de 102.300 para 104.928 lojas, sendo em média 179 lojas por empreendimento. “Os shopping centers apresentam um movimento consolidado, oferecem segurança, serviços que geram comodidade, como estacionamento e bancos, e um ambiente confortável e climatizado, proporcionando assim uma experiência diferenciada, e que muitas vezes é decisiva na escolha do consumidor”, conta Julio Macedo, diretor de Gestão e Marketing da Partage Shopping.

O estudo da Abrasce mostra, ainda, que além de uma boa localidade, os shopping centers estão se tornando grandes complexos integrados para atender as necessidades dos visitantes que procuram “resolver a vida” em um único lugar. Entre os empreendimentos interligados aos shoppings estão: condomínio empresarial (63%), hotel (36%), centro médico e/ou ambulatório (29%), condomínio residencial (18%), faculdades/universidades (27%) e outros (34%).

No Partage Shopping Mossoró, loja Carmen Steffens recebeu recentemente o prêmio de melhor loja da marca no Brasil. A empresária Sânzia Fernandes, proprietária da operação, atribui a premiação ao atendimento especial, que visa fidelizar as clientes, assim como o bom relacionamento da marca com o empreendimento. “Este reconhecimento é fruto de um trabalho árduo que vem sendo construído há 13 anos, sendo 9 aqui no Shopping, que sempre nos apoiou e se mostrou nosso parceiro na realização dos nossos eventos e lançamentos de coleções”, conta a empreendedora.

Para Maria Luiza Varoni, franqueada da loja O Boticário do Partage Shopping Betim, o relacionamento com o empreendimento faz toda a diferença. “Os shoppings em geral apresentam maior conforto e comodidade, gerando um público mais qualificado e fiel aos nossos produtos. Um outro aspecto interessante é que, dentro de um shopping, a divulgação da nossa marca é muito maior do que em lojas de rua e temos a possibilidade de realizar parceria em grandes campanhas, como o Dia das Mães, que vamos participar neste ano”, conta a empresária.

O Partage Shopping São Gonçalo promove encontros mensais com os lojistas, nos quais são apresentados os eventos previstos no mês e dados sobre o mercado, crescimento de fluxo e vendas, assim como o anúncio de novas operações. Além disso, o empreendimento também realiza parcerias. “O feedback do nosso lojista é muito importante para nosso planejamento, e por isso investimos constantemente na realização de encontros que possibilitam a troca de ideias e experiências. Desta forma, conseguimos atingir resultados positivos e contribuímos para o crescimento dos negócios locais”, conta Julio Macedo.

Carrefour é a 1ª varejista no brasil a utilizar Blockchain para rastrear alimentos da fazenda até a gôndola

Consumidor terá acesso a detalhes sobre a procedência da linha de Suínos Sabor & Qualidade por meio de QR Code

O Carrefour avança no uso de tecnologia para rastreamento dos produtos comercializados em suas lojas e lança sua primeira linha de produtos com blockchain. A partir desta semana, a linha de Suíno Sabor & Qualidade, disponíveis em 18 cortes, chega a todas as lojas da rede no Estado de São Paulo. Com a tecnologia, inédita no varejo brasileiro, os clientes da rede poderão acessar informações detalhadas de todas as etapas de produção e distribuição, desde a fazenda até a chegada em loja. Até o fim desse ano, a expectativa é incluir mais quatro produtos nesse rastreamento. Trata-se do primeiro passo da rede para ter, até 2022, 100% dos produtos Sabor & Qualidade utilizando a tecnologia de rastreio. A iniciativa conta com parceria da empresa Safe Trace.

Com o objetivo de armazenar e transmitir a informação, a plataforma blockchain permite rastrear todo o histórico de um produto, atingindo os níveis máximos de segurança alimentar e transparência. Por meio da leitura de uma etiqueta com QR Code, o consumidor poderá conhecer informações específicas de cada lote, como o modo de criação, nome do criador, localização da fazenda, alimentação dos animais, cuidados veterinários, condições de transporte até os frigoríficos e dados sobre bem-estar do animal até chegar às gôndolas das lojas do Carrefour.

Segundo Paulo Pianez, diretor de Sustentabilidade do Grupo Carrefour Brasil, o lançamento da tecnologia blockchain para a cadeia alimentar brasileira marca um passo importante na implantação do plano de transformação Carrefour 2022. “Esta primeira cadeia de rastreamento deverá ser seguida de outras, cobrindo todos os produtos Sabor & Qualidade até 2022. Com isso, atenderemos uma prioridade absoluta: garantir aos consumidores total transparência na rastreabilidade de nossos produtos”, destaca o executivo.

A plataforma blockchain também traz vantagens importantes para toda a cadeia produtiva. Para o Carrefour, a tecnologia proporciona total controle e eficiência em casos de bloqueio e recall, além de assegurar que os rigorosos padrões de segurança alimentar exigidos pela rede são atendidos. Já para os fornecedores, permite uma visão 360º sobre todo o processo de distribuição e valorização da qualidade do produto.

A colaboração entre o Carrefour e a Safe Trace, líder na rastreabilidade da cadeia produtiva de alimentos e pioneira no Brasil na aplicação da tecnologia blockchain, permitiu apoiar tecnicamente os parceiros para mapear seus processos e interligar seus sistemas de informações ao blockchain, além de permitir o uso das etiquetas com QR Code nas bandejas de suínos Sabor & Qualidade.

A aplicação pioneira do blockchain no varejo alimentar no Brasil é mais uma iniciativa importante que faz parte do Act For Food – movimento global lançado pelo Grupo Carrefour em 2018 com o objetivo de estimular uma mudança positiva nos hábitos alimentares, ampliando o acesso do consumidor a alimentos saudáveis com maior qualidade, seguros, produzidos com responsabilidade socioambiental e a preços justos.

Sobre o Grupo Carrefour Brasil

Há mais de 40 anos no país, o Grupo Carrefour Brasil é líder de mercado de distribuição de alimentos. A partir de uma plataforma omnicanal e multiformato, reúne operações de varejo e cash&carry, além do Banco Carrefour e sua divisão imobiliária, o Carrefour Property. Atualmente, conta com os formatos Carrefour (hipermercado), Carrefour Bairro e Carrefour Market (supermercado), Carrefour Express (varejo de proximidade), Carrefour.com (e-commerce), Atacadão (atacado e atacado de autosserviço) e Supeco (atacado de autosserviço de proximidade), além de postos de combustíveis e drogarias. Presente em todos os Estados e Distrito Federal, sua operação já abrange mais de 660 pontos de vendas. Com faturamento de R$ 56,3 bilhões em 2018 e mais de 84 mil colaboradores no Brasil, a empresa é a segunda maior operação dentre os países nos quais o Grupo Carrefour opera. A companhia se destaca ainda por ser um dos maiores empregadores privados do país, a maior distribuidora de alimentos, o maior varejista de capital aberto e umas das 20 maiores empresas listadas na bolsa brasileira (B3). No mundo, o Grupo Carrefour atua em mais de 30 países e, nos próximos cinco anos, implementa estratégia prevista no plano Carrefour 2022, por meio da qual lidera intenso movimento de omnicanalidade, transformação digital e transição alimentar para que seus clientes consumam ainda melhor em qualquer lugar. Com mais de 300 mil colaboradores e 12 mil lojas espalhadas pela Europa, Ásia e América Latina, está presente na vida de mais de 100 milhões de clientes. Em 2018, as vendas globais da companhia totalizaram € 84,9 bilhões.
www.grupocarrefourbrasil.com.br

Shopping Pátio Paulista cria horta a partir de resíduos da praça de alimentação

O projeto teve início em março deste ano

Localizado no coração da cidade de São Paulo, na Avenida Paulista, em meio a grande movimentação de carros, pessoas, metrôs, o Shopping Pátio Paulista criou, com o apoio de seus funcionários, a sua própria horta e a inaugurou no último dia 28 de março.

Na ocasião, foi feito o plantio de 174 mudas de temperos, hortaliças e vegetais, utilizando, para isso, 180 kg de composto orgânico produzido a partir de resíduos da praça de alimentação.

“Esse foi um evento marcante, pois trata-se do pontapé inicial para que o centro de compras trilhe um caminho sustentável em sua história. Foi um momento incrível de interação da nossa equipe com a natureza e será ainda melhor no próximo mês, quando fizermos a primeira colheita”, explica Claudia Lima, gerente de Marketing do Shopping Pátio Paulista.

Sobre o Shopping Pátio Paulista

No coração de São Paulo e próximo à Avenida Paulista, o Shopping Pátio Paulista é um dos principais centros de compras do Estado e ponto de encontro de mais de 1,2 milhão de pessoas por mês.

Com 41 mil m² de ABL (Área Bruta Locável), o centro de compras é administrado pela Ancar Ivanhoe, uma das cinco maiores empreendedoras de shopping do Brasil, e atualmente, é composto por aproximadamente 270 lojas distribuídas em sete pavimentos, sendo um ocupado pela loja Renner e outro pela academia BodyTech. Oferecendo ao público diversas opções de lazer, desde grandes restaurantes, como Outback, Andiamo, Pecorino e Frutaria São Paulo, além de duas redes de cinema, sendo sete salas da rede Cinemark e duas salas Splendor, da rede PlayArte, o Pátio Paulista conta ainda cinco pisos de estacionamento.

Sobre a Ancar Ivanhoe

Pioneira no setor de shopping centers, a Ancar Ivanhoe é uma das líderes do mercado, com mais de 40 anos de atuação. Sua história teve início na década de 70, quando ingressou na indústria como uma das responsáveis pelo desenvolvimento do segundo shopping construído no Brasil: o Conjunto Nacional Brasília. Em 2006, associou-se à canadense Ivanhoe Cambridge, líder global de serviços imobiliários, e continuou sua trajetória em constante expansão. Após 10 anos dessa parceria de sucesso, a Ancar Ivanhoe tornou-se uma das cinco maiores empreendedoras e administradoras de shopping center do Brasil, presente nas cinco regiões do país, com 23 empreendimentos em seu portfólio, entre shoppings em operação e em desenvolvimento. Para mais informações, acessewww.ancarivanhoe.com.br.

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Casino reforça sua estratégia omnichannel com nova parceria com Amazon


O grupo francês Casino, controlador do GPA no Brasil (redes Pão de Açúcar e Extra) anunciou hoje que expandiu e fortaleceu sua parceria com a Amazon, o que incluirá a instalação do serviço de entrega de autoatendimento da Amazon - conhecido como Amazon Locker - em 1.000 lojas do grupo na França. Adicionalmente, passam a ser oferecidos pelo aplicativo da Amazon e pelo Amazon.Fr milhares de produtos do grupo sob as marcas Casino (itens básicos), Casino Délices (produtos premium e frescos), Casino Bio (orgânicos) e Club des Sommeliers (vinhos). Ao conquistar mais este canal de distribuição de suas marcas próprias, o grupo francês segue firme em sua estratégia de transformação digital.

“Com essa nova parceria, poderemos oferecer a um maior número de clientes os melhores produtos e serviços quando e onde quiserem. Este anúncio representa um novo passo no fortalecimento da estratégia omnichannel do Casino”, disse Jean-Charles Naouri, CEO do Group Casino.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Sensormatic apresenta soluções com foco na jornada do varejista e na experiência de compra do consumidor

Geladeira do Futuro, máquina etiquetadora e sistemas de Self-Checkout estão entre os destaques

Imagine uma geladeira que possui sensores inteligentes que fornecem dados estatísticos - como quantas vezes ela foi aberta e quantas vezes cada produto foi selecionado pelo consumidor -, além de reconhecer o tipo de público (gênero e faixa etária) e horário em que um item foi escolhido - ou não. Com essas informações, o varejista avalia as vendas e melhora a exposição de produtos e a experiência do consumidor, sem rupturas. Essa é a Geladeira do Futuro, que a Sensormatic Solutions, empresa global que capacita varejistas no engajamento de consumidores de forma inteligente e conectada, apresentará no Apas Show, maior evento supermercadista do mundo, entre os dias 6 e 9 de maio.



A partir da proposta de melhorar a jornada do varejista e promover a boa experiência do consumidor, a Sensormatic Solutions irá expor soluções com foco em segurança e monitoramento, performance de loja e prevenção de perdas. “O consumidor moderno não quer mais uma loja comum, ele espera uma experiência de compra diferenciada”, explica Sérgio Thomé, diretor Comercial da empresa. “Para atender a essa demanda, apresentaremos soluções que oferecem benefícios não apenas aos varejistas, mas aos consumidores e ao meio ambiente”, pontua.

Os destaques do estande da Sensormatic Solutions incluirão:

Metasys: o sistema de automação predial pode economizar até 30% de energia e integra sistemas de HVAC, iluminação, segurança e proteção. “Apresentaremos uma versão personalizada e com menor custo para o varejo, que ajuda no controle e economia dos sistemas”, afirma Thomé.

Sistema sem fio contra incêndio: a solução detecta e protege um estabelecimento contra incêndios, promovendo facilidade na instalação e menor custo com infraestrutura. A comunicação é realizada por sinal de rádio. Ao detectar um incidente, o detector envia o sinal para a central, que aciona a sirene.

CFTV integrado: a solução facilita o monitoramento de sistemas de segurança do local. Por meio do uso de reconhecimento facial, será possível identificar o público que visita o estande. No varejo, a solução cria um banco de dados que elabora listas, monitora a entrada de suspeitos e gera alertas de quantas vezes uma pessoa entrou em um ambiente.

Máquina etiquetadora: a utilização desta máquina aplicadora de etiquetas antifurto descartáveis AM (label AM) reduz, em média, 70% do tempo de operação na aplicação manual, podendo etiquetar cerca de 400 produtos por minuto, dentro do processo de fabricação ou embalagem de um produto destinado ao varejo. “Queremos mostrar os benefícios da proteção na origem e revelar como ela pode gerar economia para o varejista”, explica Thomé. Entre as vantagens estão aumento de rentabilidade com as vendas e redução de rupturas e perdas.

Click Retail: lançado recentemente, o sistema consolida dados do varejista provenientes de várias fontes com o objetivo de dar apoio e orientação em análises e tomadas de decisões diárias. Com foco em aumento de rentabilidade, produtividade, margem, melhor venda e redução de perdas, as informações são alinhadas à estratégia da empresa de forma rápida, simples e objetiva.

Self-Checkout com desativadores para etiqueta label integrados: o sistema permite ao próprio consumidor realizar o pagamento e empacotamento das mercadorias. A novidade está no desativador integrado ao leitor de códigos de barras: durante a utilização do Self-Checkout, após a leitura do código de barras do item para registro do preço, o leitor emite um sinal para o desativador que identifica uma etiqueta AM descartável anti-furto (label AM), e realiza o processo de desativação. Após o pagamento e emissão da nota fiscal, o cliente pode sair da loja sem necessitar do apoio de um colaborador para desativar as etiquetas de segurança descartáveis dos produtos adquiridos.

Etiquetas Infusion: a solução, única no mercado e feita em uma única peça, que integra o pino à etiqueta, garante maior agilidade no processo de aplicação e remoção de etiquetas em mercadorias de vestuário, e evita que roupas delicadas sejam prejudicadas. Disponível nas tecnologias AM e RF, pode ser utilizada em operações de Self-Checkout e aplicação automatizada. Com a Infusion, o varejista adquire maior praticidade na aplicação e remoção e o consumidor encontra mais agilidade no caixa.

Para Thomé, o intuito da Sensormatic Solutions é revelar aos varejistas, e também aos consumidores, as tecnologias e novidades que pretendem revolucionar o setor. “A partir do uso dessas soluções, é possível melhorar a performance de cada supermercado, elaborar novas estratégias e proporcionar ao cliente uma experiência de compra simples e mais conveniente”, finaliza.

Sobre a Sensormatic Solutions

A Sensormatic Solutions é líder global em capacitar varejistas no engajamento de consumidores de forma inteligente e conectada. Combinando insights críticos sobre a acurácia de estoques, análise de fluxo de clientes e a prevenção de perdas, a Sensormatic Solutions potencializa a excelência operacional em escala e ajuda a criar experiências únicas de compra. As soluções oferecem visibilidade em tempo real e análise preditiva para tomadas de decisões precisas em toda a empresa. Com mais de 1,5 milhão de dispositivos de coleta de dados no mercado varejista, captamos 40 bilhões de visitas de clientes e rastreamos e protegemos bilhões de itens a cada ano. Nosso portfólio apresenta as marcas Sensormatic®, ShopperTrak® e TrueVUE ™. Para informações adicionais, por favor, visite SensormaticSolutions.com ou siga-nos no LinkedIn, Twitter e nosso canal no YouTube.

Sobre a Johnson Controls

A Johnson Controls é a líder global em múltiplas indústrias e diversificadas tecnologias que atende a uma ampla gama de clientes em mais de 150 países. Nossos 120.000 funcionários criam prédios inteligentes, soluções eficientes de energia, infraestrutura integrada e sistemas de transporte de última geração que funcionam perfeitamente ajustados para cumprir a promessa de comunidades e cidades inteligentes. Nosso compromisso com a sustentabilidade remonta às nossas origens em 1885, com a invenção do primeiro termostato de sala elétrica. Estamos comprometidos com os bons resultados dos nossos clientes e criamos valor para todos os nossos stakeholders por meio do foco estratégico em edifícios e plataformas de otimização de energia. Para informações adicionais, por favor, visite http://www.johnsoncontrols.com

PagSeguro terá opção de recebimento das vendas na hora para clientes

Vendedores que utilizam as maquininhas do PagSeguro poderão receber o dinheiro de suas vendas tanto em débito quanto em crédito na mesma hora, inclusive nos finais de semana e feriados;

O PagSeguro, empresa do grupo UOL que oferece soluções completas para pagamentos online e presencial, anuncia uma nova opção de plano de recebimento para seus clientes: a partir do dia 01/05/2019, os vendedores que utilizam as maquininhas do PagSeguro poderão receber o dinheiro de suas vendas na mesma hora. A empresa é a única do setor a disponibilizar a opção.

O novo plano de recebimento faz parte da estratégia do PagSeguro de facilitar ainda mais o acesso aos serviços financeiros para os pequenos e médios empreendedores no Brasil. Por isso, ao vender pela maquininha PagSeguro, o vendedor terá o dinheiro em sua conta PagSeguro na hora e poderá fazer compras ou sacar em qualquer caixa eletrônico (Banco24 Horas) utilizando o cartão pré-pago internacional Mastercard.



Em geral, outras credenciadoras pagam as vendas na modalidade débito em 1 dia e no crédito em 2 dias ou 30 dias. O PagSeguro já pagava todas as vendas, independentemente da modalidade, em 1 dia, mas agora, pagará na hora, mesmo nos finais de semana e feriados.

Desde seu lançamento em 2006, o PagSeguro tem a missão de democratizar o acesso aos meios de pagamentos eletrônicos, e foi pioneiro ao oferecer a aquisição da maquininha de cartão, ao invés de cobrar aluguel. Com isto, atraiu milhões de vendedores, muitos desbancarizados e que antes não eram atendidos pelas credenciadoras tradicionais. Atualmente, o PagSeguro é a empresa credenciadora do país com a maior quantidade de clientes. São mais de 4,1 milhões de vendedores ativos.1

O DNA do PagSeguro é focado em tecnologia e segurança, oferecendo aos vendedores e consumidores um completo ecossistema digital que é simples, mobile-first, seguro e acessível.

O PagSeguro também aceita todas as modalidades de pagamento: cartões de crédito, débito e refeição, transferências bancárias, boleto e saldo em conta, entre outros. Todos os clientes do PagSeguro possuem uma conta digital grátis que permite pagar contas, recarregar celular, fazer e receber transferências de qualquer banco e até pedir empréstimo.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Novo presidente da Abiesv fala sobre os rumos do varejo

Marcos Andrade, 52 anos, retorna à presidência da Abiesv – Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo, após 12 anos. Andrade foi o primeiro presidente da entidade, logo em sua fundação (2004/2007), e, neste intervalo, ocupou outros cargos: Diretor do Comitê Internacional, Conselheiro e, mais recentemente, Vice-presidente (2017/2018). Para o empresário, CEO da Expor Manequim, o associativismo é fundamental, “tem muitas coisas que uma empresa sozinha não consegue fazer, já várias empresas juntas vão longe”.


Andrade sabe bem o que fala, pois o varejo está em sua vida desde pequeno: “costumo brincar que, ainda criança, tomava manequim de café da manhã”, conta. Sua empresa é familiar, fundada por seu pai, Vilemondes de Andrade, há 50 anos, e hoje exporta para México, Colômbia, entre outros países.

O especialista gosta de compartilhar as suas experiências, como diz ‘as boas e as ruins’, por isso concede palestras nacionais e internacionais sobre temas que permeiam sua ampla vivência no varejo: Manequins, Moda, Empreendedorismo, Franchising, Serviços e Industrial.

Na entrevista, o executivo fala sobre as novidades da Abiesv, entre elas a criação de duas novas diretorias, a de Inovação e Startups, que visa levar mais informação, sobretudo tecnológica, ao varejista e, também, oferecer possibilidades de novas parcerias; e a Diretoria de Educação, que permitirá à Abiesv promover cursos de grande valor aos varejistas. O Presidente ressalta, ainda, a importância do lojista, independentemente do tamanho, ampliar, cada vez mais, seu Network e investir em ferramentas eficazes que atraiam os clientes, como o Visual Merchandising.

1. Quais são as novidades da Abiesv diante do atual cenário do varejo no Brasil?

A Abiesv produz informação de qualidade e relevante para o mercado varejista. Como a entidade é composta de fornecedores de varejo bastante atuantes e com grandes projetos, tem o papel de comunicar os varejistas sobre a atualidade no mundo, o que é viável se fazer no Brasil, de forma sustentável, e com quais investimentos. Recentemente percebemos oportunidades, como as novas tecnologias aplicadas no varejo, sobretudo por meio de parcerias com startups. Por isso, vamos trazer essas startups, já fornecedoras do varejo ou as que ainda serão, para a Abiesv. Criamos a Diretoria de Inovação e Startups e vamos criar a categoria de associados desta área. Assim pretendemos fazer uma interação com o varejo para futuros negócios e troca de informações. Formalizamos, também, a Diretoria de Educação, com o objetivo de auxiliar os varejistas em melhores qualificações. A Abiesv promoverá uma série de cursos em diferentes formatos, destinados a varejistas e associados. Para isso, estão sendo envolvidas outras entidades e instituições acadêmicas. Essas são algumas novidades.

2. O próximo Backstage do Varejo, evento promovido pela Abiesv, abordará temas como Visual Merchandising e Store Design. Qual a importância para o varejista de estar atualizado nestas áreas?

O Visual Merchandising e o Store Design são ferramentas essenciais para aumentar a percepção de valor dos produtos. Os varejistas têm que criar experiências de compra em suas lojas, e o VM é um excelente instrumento, constrói o cenário para conectar o cliente com a marca e é acessível a todo tamanho de varejista, do pequeno ao gigante. A loja, hoje, perdeu a importância para a transação, não é mais necessário ir à loja para comprar, pode-se adquirir um produto pelo celular, computador. E exatamente por este motivo a loja física se tornou mais importante ao varejista, pois perdeu na transação, mas ganhou na relação, no engajamento emocional. Mais do que nunca a loja tem que ser envolvente, criar um bom ambiente. O caminho para o bolso do cliente passa pelo seu coração. E as emoções são despertadas dentro da loja, não no online. Nisso entra o VM e não é um trabalho fácil, por isso damos orientações aos varejistas. Lembrando que, conforme pesquisas, a vitrine representa até 85% das vendas da loja e 50% das pessoas compram por impulso. No varejo da moda, 42% das pessoas são influenciadas pelo manequim, que é o segundo fator mais importante da venda da moda. O manequim tem que se conectar com o cliente. A indústria já está capacitada para fazer produtos especiais, depende de se querer usar ou não na loja.

3. E aquele pequeno varejista que não pode investir muito em VM?

Quanto menor o varejista maior a importância do Visual Merchandising, que inclusive pode ser a diferença entre uma loja estar aberta ou fechada. Se usar as ferramentas corretas, é possível fazer uma vitrine tão boa quanto a de uma grande rede de varejo. Não é uma questão de dinheiro, e sim de criatividade, e de conhecer o lifestyle e os valores de seu cliente. No momento em que existe menos gente comprando, a sua loja tem que ser melhor para atrair quem quer comprar. Como o varejo sofreu muito nestes últimos anos, com 200 mil lojas fechadas, temos que pensar em como aproveitar este momento. A tendência é melhorar, os projetos tendem a sair das gavetas e as empresas devem fazer investimentos para renovar suas lojas e abrir novas. Não estamos, ainda, no momento perfeito, mas já é possível obter mais resultados.

4. Fale sobre o intenso Network que o associado da Abiesv tem possibilidade de fazer?

Os grandes escritórios de arquitetura de varejo, os melhores consultores de Visual Merchandising, quer dizer, bons empresários dos mais diversos ramos do varejo estão na Abiesv e, agora, teremos, ainda, as startups. Trabalhamos em muitos projetos de mãos dadas. E, muitas vezes, indicamos um ao outro em várias oportunidades de trabalho, quando clientes requerem especialistas em varejo. As grandes vantagens da Abiesv ao associado é exatamente o Network e a Geração de Negócio. Possibilita ao associado criar e fazer crescer a sua reputação profissional.

Existe, por exemplo, a chance de o associado estar em vários eventos com a entidade – desde o Backstage do Varejo, que promovemos, até Feiras nacionais e internacionais, que participamos todos juntos --, onde é possível fazer uma infinidade de contatos, com parceiros especialistas na mesma área ou em outras. Nós da Abiesv estamos totalmente comprometidos com o sucesso do varejista, queremos que tenha êxito, por isso seguimos compartilhando experiências, até aquelas que não deram certo para que o próximo não repita os mesmos erros. O resultado do varejista para nós é extremamente importante.

5. Por isso a sua atuação na Abiesv por todos estes 16 anos, acredita muito no associativismo?

Sempre participo, acho muito importante estar ligado à entidade. No Brasil o associativismo é fundamental, pois tem muitas coisas que uma empresa sozinha não consegue fazer. Em uma associação, também, se promove o profissionalismo: o acesso ao crédito é facilitado, participar de grandes feiras do setor fica menos custoso em grupo, e assim por diante. Construímos melhor o conhecimento quando tem mais participantes. Trocamos muito entre nós. Por exemplo, a Expor Manequins está há 10 anos no México e cinco anos na Colômbia, passamos a nossa expertise para muitas empresas que buscam internacionalização, e contamos também a parte ruim, pois nem tudo foi maravilhoso, mas aprendemos muito. E a sorte de com quem conversamos é poder trilhar um caminho que não tenha os mesmos erros que nós cometemos. Essa troca de informações é valiosa.

Outra questão é que o varejo brasileiro é de qualidade, porque tem fornecedores de qualidade, ninguém faz um bolo bom com matéria prima ruim. Temos bons exemplos no Brasil, que podem ser exportados para outros países, inclusive de primeiro mundo. Somos criativos, capacitados e fazemos muito com pouco recurso.

6. Fale sobre a sua carreira e sua ligação com varejo

A Epor Manequim, empresa 100% dedicada a manequins, sempre teve como clientes os varejistas de moda. Por ser uma empresa familiar, todos sempre participamos dos acontecimentos, desde crianças. Mas antes de vir para a Expor, fui trainee e trabalhei, por anos, nas Lojas Gloria, de brinquedos e papelaria, e atuei em outras áreas, como a de franchising. Estou na Expor Manequins desde 1992. Também dou palestras sobre as várias áreas do varejo, incluindo manufatura 4.0, área que atuamos na empresa, em função da digitalização, impressão 3D, robotização, internet das coisas. As próximas palestras serão dia 24 de abril, na ACSP – Associação Comercial de São Paulo, no bairro do Tatuapé, sobre Formação Estratégica de Preços para a Internacionalização, junto com a SP Negócios, ACSP e APEX; e no dia 25 de abril, no Expo D. Pedro, em Campinas (SP), no Retail Conference, promovido pela ACIC (Associação Comercial e Industrial de Campinas), com o tema ‘O Novo DNA do Varejo’.

Nova diretoria da Abiesv - tomou posse em 1º/03/2019. Na Vice-presidência, Ivan Rodrigues, Diretor Executivo da Joy Movelaria. Na Diretoria: Financeira, Rosely Kawahara, sócia na Kawahara & Takano Retailing; no Jurídica, Fernando Fernandes, proprietário da Fernando José Fernandes Advogados; no Marketing e Eventos, Thais Moro, Gerente de Marketing da Lemca Iluminação; Visual Merchandising, Sonia Paloshi, Diretora da Purchase Comunicação & Marketing; Educação, Ana Claudia Costa, especializada em Neuromkt e Environmental Design. Além da nova Diretoria de Inovação e Startups.

Coco Bambu abre restaurante no Catuaí

Uma das maiores e mais famosas redes de frutos do mar do País se instala no Shopping londrinense no segundo semestre

Londrina terá um restaurante da rede Coco Bambu, uma das mais famosas no segmento de frutos do mar do País. O restaurante deve ser inaugurado no segundo semestre no Catuaí Shopping, gerando 200 empregos diretos. As obras foram iniciadas e a rede já seleciona mão-de-obra local para a segunda unidade da rede no Paraná.


Com amplo e variado cardápio, comidas e bebidas preparados com ingredientes frescos da mais alta qualidade, a unidade da Coco Bambu em Londrina terá mais de 2 mil metros quadrados com capacidade para 550 lugares, ocupando ampla área em dois pavimentos na entrada principal do Catuaí.

No cardápio poderão ser encontradas mais de 200 opções entre frutos do mar, pratos de carnes, aves, saladas, pescados e opções veganas. De acordo com o sócio-proprietário do restaurante, Ronan Aguiar, a escolha pelo Catuaí Londrina é resultado da parceria que a empresa mantém com o grupo brMalls. “A região de Londrina representa um mercado muito atrativo para a rede e tenho certeza que a sinergia das marcas Coco Bambu e Catuaí será um grande sucesso”, afirma.

Lorraine More, gerente de Marketing do Shopping, vê na chegada da rede cearense ao Catuaí um avanço significativo e um diferencial na alta gastronomia local. “É uma rede especial e de excelência, prestigiada nacionalmente”, observa, acrescentando que o Catuaí consolida sua vocação como centro de lazer e de experiências gastronômicas”.

São marcas registradas da Coco Bambu os pratos bem servidos, para serem compartilhados por três ou quatro pessoas, a preços acessíveis. O cardápio especializado em frutos do mar conta com camarão, lula, lagosta, mexilhão, polvo, etc., além de pratos com carnes, pescados, aves, suínos, hambúrgueres, massas, pratos fit e diversas opções de salada, sobremesa e carta de bebidas diversificada.

Entre os pratos mais pedidos estão Moqueca de Lagosta, Rede de Pescador, Camarão Internacional e a famosa Lagosta à Thermidor. No cardápio de sobremesas estão a deliciosa Cocada ao Forno com sorvete e a Torta de Banana Cremosa.

A rede, hoje com 35 unidades em 14 estados brasileiros, conta com restaurantes amplos, decoração rústica e elegante, oferecendo um ambiente sofisticado e aconchegante. A Coco Bambu de Londrina será a 36ª unidade da rede.

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Amazon Go, acesso e paçoquinhas.

Na semana passada, uma matéria da Business Insider trazia que a Amazon Go, o modelo que hoje é um dos principais benchmarks para as operações autônomas de varejo, e que tem um audacioso projeto de mais de 3000 lojas até 2021, estaria sendo forçada a considerar aceitar dinheiro em espécie para pagamentos, uma vez que processos e denúncias vem acontecendo em diversas cidades e estados norte-americanos, até mesmo com projetos de lei banindo o modelo de negócio adotado.

O motivo alegado é de que lojas como a Amazon Go, que não utilizam dinheiro em transações (cashless stores), impediriam que pessoas não bancarizadas, e, portanto, sem acesso a cartões de crédito, ou a meios de pagamento digitais para também realizar suas compras, pudessem entrar ou consumir nessas lojas.

E se nos EUA, a população não bancarizada representa cerca de 6,7%, segundo dados de 2017, o que dizer da população não bancarizada brasileira, que representa cerca de 40% da população?
Partindo a partir da situação da população não bancarizada no Brasil, vale a pena entender essa situação frente alguns números que uma pesquisa da McKinsey divulgada na semana passada durante um evento no Vale do Silício trouxeram sobre a realidade do consumidor digital brasileiro.

O estudo apontou que 67% da população brasileira hoje se encontra conectada, com acesso a Internet, porém, a representatividade do e-commerce ainda está na casa dos 6%. Porém, nos chama a atenção quando colocamos esses números em comparação com a China, onde se por um lado, apenas 53% da população tem acesso a Internet, o e-commerce já conquistou uma representatividade de mais de 20% sobre o total do varejo.

É fato (e não é novidade para mais ninguém) que os superapps chineses, como Alipay ou WeChat revolucionaram a maneira como o mercado chinês hoje consome, e boa parte de seu sucesso está em ter conseguido se consolidar também nas camadas mais baixas da população, assim como se tornar o principal meio de pagamento até mesmo nas compras mais banais, como comprar algum lanche ou bebida na rua, onde mesmo o dinheiro pequeno, se torna cada vez mais escasso.

O desafio brasileiro não está em buscar mais 1 ou 2% de crescimento na representatividade do digital dentro do que vem feito até hoje. Não se trata de criar cultura ou realizar mais propaganda. Trata-se de buscar alguma alternativa que favoreça o acesso da população que hoje já se encontra no digital e ainda não possui meios para consumir.

E não que o brasileiro não se sinta familiarizado com o ambiente digital. Se tomarmos como parâmetro as redes sociais, o Brasil é sempre um dos principais países em praticamente todas as maiores plataformas. Só no caso do WhatsApp, por exemplo, somos uma base de 120 milhões de usuários, presentes em 91% dos telefones brasileiros, a segunda maior base do mundo.

O que falta hoje é alguma plataforma ou meio de pagamento que empodere essa população não atendida, como consumos de R$ 1,00 ou R$ 2,00, ou empréstimos de R$ 5,00 ou R$ 10,00. Que lidere a transformação digital do pequeno dinheiro que roda nas periferias e rincões brasileiros.

Há cerca de um ano, recebi a informação de que o WhatsApp, por exemplo, já trabalhava em testes na Índia com a troca de dinheiro entre pessoas via o aplicativo, algo que começa agora a ser enunciado como questão de tempo para vir para o Brasil. Imagine começar a jogar no mercado, com uma base de 120 milhões de aplicativos já instalados? Dá para imaginar o tamanho da revolução que isso causaria.

Aí você começa a se perguntar sobre o título desse artigo. Por que paçoquinha?

Tem grandes chances de ganhar o jogo por aqui quem conseguir resolver a banalidade de se comprar uma paçoquinha na banca da esquina usando um meio de pagamento digital.

Vai uma paçoquinha aí?

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor | falandodevarejo.com