terça-feira, 18 de junho de 2019

Primeira rede de franquias fast food robotizada do mundo

Bionicook é a primeira rede de alimentação rápida no mundo com atendimento realizado por um robô, sem intervenção humana

Quando um investidor pensa em franquia, logo procura um modelo seguro, lucrativo e que não demande altas cargas horárias de trabalho. Além disso, uma constante preocupação está em manter o padrão de atendimento e qualidade de produtos, ainda mais no ramo de alimentação.


Levando tudo isso em conta, o empresário gaúcho Fabio Rezler lançou o primeiro fastfood do Brasil totalmente automatizado, no qual o atendimento e preparação são feitos por um robô da KUKA, uma das líderes mundiais na fabricação de robôs industriais. “Nós começamos com atendimento tradicional, como todos os fastfoods, mas no decorrer do tempo percebemos que deveríamos fazer algo surpreendente e trazer alguma novidade para o setor. Neste momento conheci a robótica”, conta Fabio.

Por intermédio da fabricante de robôs, Fábio foi apresentado a Auttom, que desenvolve, também, soluções em células robotizadas para a indústria e é um dos System Partners da KUKA no Rio Grande do Sul.

A empresa gaúcha iniciou o projeto desenvolvendouma célula com robô KUKA, para fazer o atendimento ao consumidor. “A Auttom conseguiu desenvolver todos os detalhes que envolvem o mercado de alimentação, exigências sanitárias e de instalação, transformando isso em uma aplicação robótica que atendesse o anseio do projeto”, revela o executivo.

O consumidor e a máquina

De maneira bem simples, o consumidor faz seu pedido por meio de um totem de auto atendimento e o robô executa a solicitação. “É um fastfood de pastéis e empanados, com porções já preestabelecidas que vêm congeladas e embaladas de fábrica. O robô inicia o processo de fritura e atendimento após o pedido e pagamento realizados pelo consumidor. Como o processo de fritura leva entre dois e três minutos, um dos mais rápidos do mundo, colocamos o equipamento para interagir com as pessoas por meio de mídia eletrônica em tablet manipulado pelo robô, além de merchandising e comunicados”, diz o empresário.

O CEO do Bionicook esclarece que muito ao contrário do que se imagina, este novo modelo de negócio vai gerar ainda mais empregos, já que serão necessárias inúmeras funções complementares de retaguarda. “Os robôs vêm para agilizar e fazer os trabalhos mais repetitivos. A célula robotizada no fastfood, tem um novo conceito e que, na outra ponta, vai gerar outras tarefas que serão executadas por pessoas, como a fabricação e preparação dos produtos, engenharia, monitoramento remoto, logística e gestão dos franqueados. Além disso, abrirá novas demandas de cargos administrativos e técnicos para a manutenção das células e dos robôs, por exemplo”, finaliza.

Franquia

O modelo de negócio permite ao franqueado um gerenciamento mais focado no negócio em si sem a necessidade de sua presença física no local o dia todo. Remotamente é possível gerenciar estoques, faturamento, DRE, pagamentos, e até mesmo o monitoramento de temperaturas dos freezers e unidades de preparo dos alimentos, restando ao franqueado tarefas específicas apenas como rotinas de higienização, reabastecimento e manutenção preventiva. O investimento inicial é de R$490 mil, já com taxa de franquia e estoque inicial.

Para saber mais acesse: http://bit.ly/2XyUl6y
Veja o vídeo: https://youtu.be/6N1NlbTR5J4

35ª Edição da Fispal Food Service Bate Recorde de Público Qualificado

Em quatro dias, a feira atraiu mais 57.000 mil visitantes, volume 10% maior na comparação com o ano anterior

Tendências e novidades para o setor de alimentação fora do lar foram alguns dos principais fatores que atraíram um público visitante de 57.000 pessoas na 35ª edição da Fispal Food Service, maior feira para este setor da América Latina. O evento, que ocorreu entre os dias 11 e 14 de junho, no Expo Center Norte (SP), contou com 470 expositores que representam 1.800 marcas. “Somente no primeiro dia o volume do público foi quase 60% superior ao registrado no ano passado”, comenta Clélia Iwaki, diretora da Fispal Food Service.


O bom desempenho do evento mostra que os efeitos da crise econômica no setor de alimentação fora do lar estão ficando para trás. Segundo pesquisa “Conjuntura Econômica do Setor de Alimentação Fora do Lar” realizada pela Associação Brasileira de Restaurantes e Bares – ABRASEL com 991 empresários de todas as regiões do País, houve evolução no faturamento dos estabelecimentos em 2018 com relação ao ano anterior e a expectativa é que haja ainda mais crescimento em 2019.

De acordo com o estudo, os empresários do setor de alimentação fora do lar que participaram da pesquisa estão confiantes: 72% esperam crescimento em suas receitas. “Além deste clima de otimismo, podemos afirmar que o sucesso de público está muito relacionado ao fato de a Fispal ter se tornado nestes 35 anos de existência uma grande referência do setor”, comenta Clélia. Para a executiva, este reconhecimento ocorre porque existe um esforço constante de entender o consumidor e, assim, orientar os expositores e ajudá-los a se fortalecerem no mercado.

Com 15 anos de participação na Fispal Food Service, a empresa Laticínio Scala, da região da Serra da Canastra, em Minas Gerais, enxerga a feira como um evento estratégico para o setor. “Temos clientes de 40 anos que frequentam esse importante evento e, por isso, sempre conquistamos bons resultados”, avalia Marco Antonio Barbosa, gerente de Marketing e Vendas da Scala. Nesta edição, a empresa fomentou muitas parcerias e prospectou um número considerável de prospecção de novos clientes.

Nesta edição, a feira contou mais uma vez com o espaço de alimentos e bebidas com a exposição de produtos veganos e regionais. Foram 131 empresas de alimentos e bebidas, ingredientes e insumos que representaram 28% do total de expositores. O volume deste ano representa crescimento de 30% na comparação com 2018.

Conteúdo de Qualidade

As atrações da feira foram desenvolvidas com objetivo de orientar donos de restaurantes, padarias, bares e afins acerca de tendências e mudanças do mercado e das preferências do consumidor.

Um dos principais destaques foi o Fispal Innovation, um espaço criado para apresentar inovações que chegam para ajudar a ampliar a competitividade de empresas deste setor. Quem passou por lá pôde conferir desde um robô que auxilia restaurantes no atendimento ao cliente até um aparelho que permite cozimento de alimentos até quatro vezes mais rápido do que os convencionais. Um dos expositores do espaço, a Pluginbot trouxe a solução de plataforma de gestão de inteligência artificial, IoT e robôs.

Segundo Sergio Ricardo, representante da empresa, a maioria dos visitantes não conhecia as funcionalidades destas plataformas e como podem ser úteis para o mercado de alimentação fora do lar. “A nossa exposição foi de extrema importância para levar o entendimento sobre estas ferramentas a este setor”, explica.

Outra atração que ganhou destaque foi o Brew Pub da Escola Superior de Cerveja e Malte, cujo objetivo foi ajudar gratuitamente os estabelecimentos a implantarem ou transformarem seus negócios em brew pubs para ampliar o mix de produtos para os seus clientes. Segundo seus consultores, houve atendimento de mais de 150 pessoas por dia. Dos visitantes, 50% têm um bar e gostaria de investir na fabricação da bebida e os outros 50% já fabricam artesanalmente e possuem o desejo de abrir um bar.

Também chamou atenção o Comida Invisível, consultoria gratuita com duração de 15 minutos em que especialistas auxiliaram estabelecimentos acerca dos processos que podem ser utilizados para diminuir o desperdício em seus estabelecimentos, com esclarecimentos sobre mitos e verdades da doação de alimentos. Por dia, mais de 400 pessoas passaram pelo espaço e segundo os organizadores, a maior parte não conhecia esta iniciativa. Muitos dos visitantes também não tinham entendimento sobre a lei de responsabilidade que rege à doação de alimentos.

Vale destacar também a Arena Food & Beverage for Hotels by Accor, que ocorreu de 12 a 14 de junho com objetivo de mostrar oportunidades e desafios de alimentos e bebidas dentro do segmento de hotelaria. A atração foi oferecida pela Fispal Food Service em parceria com o Grupo Accor – líder em hospitalidade aumentada que oferece experiências únicas e significativas em 4.800 hotéis, resorts e residências em 100 países.

A Trilha de Ultracongelados – espaço criado para apresentar todos os passos do processo do ultracongelado e de porcionamento de alimentos – ofereceu por dia seis palestras com capacidade para 40 pessoas o que resultou em um atendimento de 240 visitantes por dia. Após a palestra, os participantes tiveram a oportunidade de degustar os alimentos e conferir que a qualidade e o sabor permanecem intactos.

Fórum Sobre Gestão

A Fispal Food Service contou ainda com a terceira edição do Fórum Gestão à Mesa, que é realizado em parceria com a Abrasel e recebeu 500 pessoas. Neste ano, o evento foi realizado em um formato inovador, que permitiu aos congressistas escolher entre três painéis diferentes. As palestras destacaram a gestão dos estabelecimentos e estratégias de negócios; marketing e digital, além de tendências e inovações.

O público presente pôde acompanhar cases de sucessos de grandes restaurantes, como o Madero. O vice-presidente de operações, Rafael Mello, contou sobre as estratégias adotadas para expandir a rede, que hoje conta com mais de 160 unidades. Também chamou a atenção as palestras sobre as novas tendências do food service, como veganisno e o conceito grab and go.

Sobre a Fispal

A marca Fispal, que começou como um encontro de engenheiros chamado Feira de Insumos para Alimentos, no Palácio de Convenções do Anhembi, hoje representa o maior encontro do setor na América Latina. Em 2001, com o objetivo de atender a indústria de alimentos e bebidas e o setor de alimentação fora do lar, a Fispal se segmentou em duas feiras: Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para as indústrias de alimentos e Bebidas e a Fispal Food Service: Feira internacional de produtos e serviços para alimentação fora do lar. A marca ainda agregou a Fispal Sorvetes – Feira de Tecnologia para a Indústria de Sorveteria Profissional e a Fispal Café: Feira de negócios par ao setor Cafeeiro.

As feiras, que hoje acompanham as mudanças e a evolução do mercado no Brasil e no mundo, são marcadas pelo lançamento de novas tecnologias, produtos, profissionalização de mão de obra e pela expansão para novos mercados. Atualmente, a marca Fispal é composta de feiras que atendem toda a cadeia de alimentos e bebidas, desde a matéria-prima, passando por máquinas, equipamentos e processos, chegando até o setor de alimentação fora do lar.

Saiba mais em: www.fispal.com.br

Bauducco lança Choco Biscuit

A chegada do produto ao mercado inaugura a presença da marca na gôndola de chocolates

Unindo o delicioso sabor da barra de chocolate com a crocância do biscoito, a Bauducco, maior indústria de forneados do Brasil, traz mais uma inovação de dar água na boca.


A marca que mais entende de família reuniu os melhores ingredientes e desenvolveu o Choco Biscuit, uma receita exclusiva que já está conquistando o paladar dos consumidores brasileiros.

Nas versões Ao Leite e Meio Amargo, o Choco Biscuit marca a expansão do portfólio da Bauducco para o universo de chocolates. “Para nós, o consumidor está sempre em 1º lugar e essa novidade irá surpreendê-lo, por ser diferenciada, de alta qualidade e ainda assim, acessível”, comenta Vivian Ramirez de Andrade, gerente de marketing da Bauducco. “Acreditamos tanto nesse lançamento que já viemos com uma Campanha integrada, com materiais de PDV, degustação em loja e comunicação nos abrigos de ônibus de SP”, complementa Vivian.

O delicioso lançamento já está chegando a todo território nacional, em embalagem com 9 unidades, ideal para compartilhar, nos sabores meio amargo e ao leite a um preço sugerido de R$4,99.

Sobre a Bauducco

Uma das empresas alimentícias mais tradicionais do Brasil, a Bauducco foi fundada em 1952 e é hoje líder em diversas categorias como torradas, wafers, cookies, além disso, é a maior produtora de Panettones do mundo. Moderna e industrializada, possui sete centros de distribuição, atendendo a mais de 140 mil pontos de vendas no Brasil e exporta seus produtos para mais de 50 países. Informações para consumidores: https://www.bauducco.com.br | SAC: 0800 701 1599.

Espaços "instagramáveis" utilizam design para atrair público

Shopping de Curitiba segue tendência e cria cenários interativos, ideais para as redes sociais

Utilizado por mais de 1 bilhão de pessoas, o Instagram é a rede social que mais cresce no mundo. De acordo com estudos do Jefferies Group, a plataforma deve crescer mais de 60% em 2019, gerando um incremento de US$ 5 bilhões nas receitas do conglomerado de Mark Zuckerberg.


No Instagram, “publicar, curtir e seguir” são os verbos de ordem que conduzem o canal, e divulgar fotos que gerem interação é um objetivo comum entre quase todos os usuários. Empresas perceberam a importância desta plataforma, capaz de atrair consumidores e gerar engajamento online. Por outro lado, o visual merchandising é uma prática muito eficiente e que depende de um espaço físico. Unir estas duas estratégias e criar experiências divertidas e interativas são iniciativas vistas pelo mundo afora. A criação de cenários feitos para tirar fotos para as redes sociais virou febre nos Estados Unidos, com exposições “instagramáveis”, como o Ice Cream Museum e o The Color Factory.

Para seguir essa tendência e proporcionar experiências, o Palladium Shopping Center de Curitiba, em comemoração aos 11 anos do shopping, resolveu facilitar a vida de quem gosta das redes sociais. O empreendimento desenvolveu quatro espaços para os clientes compartilharem momentos, com cenários espalhados pelos corredores do shopping. Segundo a gerente de marketing do empreendimento, Cida Oliveira, “todos foram criados para serem interativos e divertidos. Queremos fazer alterações nos cenários regularmente, para que os clientes renovem as fotos e para que seja um local lembrado pela beleza e por proporcionar momentos inesquecíveis”, explica.

Os espaços elaborados, que tem temas como “vivendo nas nuvens”, “arte com tintas”, “patinho na piscina” e “monocromático”, conquistam os clientes, que vêem oportunidades para registrar fotos, gerar likes e, consequentemente, levar uma boa experiência e recordação do estabelecimento. Para criar um cenário “instagramável” é preciso saber sobre as tendências de consumo do seu público e superar as suas expectativas, oferecendo uma vivência única e com engajamento no universo online.



Sobre o Palladium Shopping Center

Um dos empreendimentos do Grupo Tacla Shopping, o Palladium Curitiba foi inaugurado em 2008 na capital paranaense. Destaca-se pela área construída de 154 mil m² distribuídos em três pisos, sendo o centro de compras com maior mix do sul do país. O shopping possui 350 lojas, entre âncoras e satélites, praça de alimentação com mais de 30 opções de fast-food, Boulevard com 10 restaurantes, além de oito salas multiplex de cinema UCI e sala IMAX – que também faz parte do Grupo Tacla e possui a maior tela do Brasil. Sua estrutura foi planejada para garantir o conforto dos mais de 1,5 milhão de clientes que passam pelo empreendimento todo mês. Mais informações em: https://palladiumcuritiba.com.br

Sobre o Grupo Tacla Shopping

Conglomerado com mais de 70 anos de tradição, experiência no varejo e referência no setor em todo país, o Grupo Tacla possui oito empreendimentos nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, sendo eles: Catuaí Palladium Foz do Iguaçu (PR), Jockey Plaza Curitiba (PR), Palladium Curitiba (PR), Palladium Ponta Grossa (PR), Ventura Shopping Curitiba (PR), Itajaí Shopping (SC), Porto Belo Outlet Premium (SC) e Shopping Cidade Sorocaba (SP). Outras duas operações estão em fase de construção no Paraná: City Center Outlet, em Campo Largo e Palladium Umuarama. Mais informações em: http://www.taclashopping.com.br

Cartão de débito é usado em apenas 12% das transações de pagamentos

O dinheiro em espécie ainda é o meio mais usado no Brasil. Em seguida, cheques, cartão de crédito e, por último, o débito

O Brazil Digital Report, pesquisa da consultoria americana McKinsey sobre a economia brasileira, apontou que dinheiro ainda é o meio preferido dos brasileiros na hora de efetuar pagamentos, 47% no total das transações. O cheque aparece em segundo lugar, com 22% das transações; seguido por cartão de crédito, com 18% e, por último, de débito, com 12%. No micro e pequeno varejo a tendência é a mesma: ano passado, cerca de 33% das transações foram realizadas em débito ou crédito e 50% do valor movimentado foi em dinheiro, segundo levantamento da Hiper, empresa da Linx que desenvolve soluções para o pequeno comércio.

Nos últimos anos é possível observar uma evolução desse resultado. Segundo o relatório, em 2011, 38% das transações eram realizadas através do cheque, e apenas 41% por dinheiro. Conforme a queda do cheque, o dinheiro passou a crescer, chegando nos atuais 47%, a maior porcentagem dos últimos sete anos. Cresceu também o número de transações realizadas através do cartão. Em 2011, apenas 7% dos pagamentos eram provenientes do débito e 14% do crédito.

“Com o aumento da tecnologia, como os dispositivos móveis que substituem o cartão físico, ou a popularização das maquininhas, cada vez mais as transações serão realizadas exclusivamente por crédito ou débito. Essa mudança de comportamento é positiva para todos. O lojista passa a ter mais segurança no caixa, e não precisa mais se preocupar com troco. O cliente pode realizar o pagamento mais rápido, sem se preocupar com quanto tem na carteira. Hoje em dia, aceitar cartão não é mais um diferencial do comércio, é uma necessidade para garantir a sustentabilidade dos negócios”, comenta Tiago vailati, CEO da Hiper.


A Hiper é a empresa da Linx especializada em soluções de gestão e vendas para micro e pequenos varejistas. Por meio do Hiper Gestão, seu principal produto, o comerciante pode monitorar desde o estoque até a venda final, personalizando o software com os aplicativos da loja digital. A empresa também desenvolve o Hiper Mini, para quem está começando seu negócio como microempreendedor individual. O sistema está habilitado para atender o comércio como um todo, incluindo lojas de roupa, alimentos e variedades até estabelecimentos mais específicos e prestadores de serviço. A Hiper conta com mais de 15 mil clientes na carteira, conquistando em média 500 novos por mês.