domingo, 30 de novembro de 2008

Loja Conceito Panasonic

Olá a todos !

Eu fui conhecer a nova loja conceito da Panasonic, inaugurada no começo do mês, no Morumbi Shopping em São Paulo-SP.

Tal como outras lojas como a Sony Style ou a Samsung Experience, a Panasonic traz ao Brasil uma serie de novidades e produtos muito interessantes. É uma loja de produtos conceito, nada se encontra à venda, e em alguns casos, ainda não existe nem previsões de comercialização para alguns produtos.

De longe, a grande sensação da loja, é a Panasonic Digital Wall, uma tela de touch-screen de 150 polegadas ( ! ), com recursos de entretenimento e lazer para toda a família.

Só existem apenas tres dessas no mundo e o recurso é fascinante, ao passo que o unico defeito, em minha opinião, é que a tecnologia de touch-screen já trabalha em dimensões tão fascinantes, mas permite o reconhecimento de apenas um toque por vez.

Enquanto a demonstradora apresentava os recursos do equipamento, várias crianças tentavam "clicar" na tela ao mesmo tempo com ela, principalmente numa tela feita para crianças, que simula uma sala de diversão, com lousa, brinquedos, e até mesmo um pianinho para a criançada se divertir.

Imagine se o touch-screen, num futuro próximo, permitir varios toques de uma vez só...ja imaginou tocar um piano, como de verdade na tela de sua sala ?

Além disso, existem outras áreas interessantes, como um excelente home theather e um aparelho que simula uma equinoterapia (passeio de cavalo), criado para fortalecer a musculatura do abdômen e das costas (!)

Vale a pena conhecer !

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo

http://falandodevarejo.blogspot.com/

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Outros Blogs: Soluções Alta Performance

Há alguns dias atrás, coloquei aqui no blog um post sobre o blog "Vendedor do Futuro", do meu amigo Flávio Soares.

Nessa semana, o Flávio está migrando o conteúdo de seu blog para seu novo site, o Alta Performance, com dias e soluções para vendas.

O endereço do novo site é www.solucoesap.com.br

Veja so que interessante este texto:

Ver vendo…

De tanto ver a gente banaliza o olhar. Vê não - vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.

Você sai todo o dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que você viu no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.

Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser que também ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos.

Uma criança vê o que um adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de tão visto, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.

Comentários:
Ø O entusiasmo é tudo em vendas. O entusiasmo talvez seja mais importante do que conhecer os produtos ou as técnicas de vendas. Onde não há entusiasmo não há negócio.
Ø O cliente quando entra em sua loja ou recebe sua visita, espera encontrar uma pessoa alegre, positiva e inspiradora.
Ø Espera encontrar pessoas verdadeiramente felizes por atendê-lo...Tenha certeza que isso é por vezes mais importante que o próprio produto que você vende.

Proponha-se no dia de hoje, olhar para os seus clientes e sua vida profissional de maneira diferente, com muito mais entusiasmo.
Pense em ações que irá executar durante o dia que possam entusiasmar os clientes a comprar e fazê-los enxergar você e seu produto como algo especial e insubstituível.

Boas vendas....

(texto de autoria de Flavio Soares, retirado do site www.solucoesap.com)



É isso aí !

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Nova Logomarca ! ou Logotipo ? E agora ?

Olá a todos !

Estou hoje com duas boas novidades.
Perto de chegarmos aos 5000 leitores, estou lançando nosso novo símbolo, bem como estou regularizando nosso endereço virtual, em breve, o FALANDO DE VAREJO também poderá ser acessado pelo endereço http://www.falandodevarejo.com.br/

Agora voce leu o nome aí em cima: logomarca ou logotipo ?

Esse é um conceito bem interessante, e ainda tem muita gente que se confunde por aí.
Para deixar bem claro:

Logotipos: São marcas criadas utilizando apenas fontes estilizadas, como as da Coca-Cola, IBM, Microsoft, etc.

Símbolos: São a combinação de elementos e desenhos, com palavras, como os do Banco Itaú, LG, Shell, etc.

Logomarca: É aí que mora o perigo. Do latim logo=marca e marca=marca, sendo assim temos "marca-marca". Parece bonito e correto ao se falar, mas está totalmente errado.

Da proxima vez, nao confunda: se for apenas letras, logotipo, se tiver desenhos ou mais elementos, símbolo, ou marca apenas, ok ?


Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/ (por enquanto)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Duvidas de leitores: Materiais de merchandising ou pdv

Pergunta enviada por Cristiane Nogueira

Olá, Caio!

Em primeiro lugar, quero parabenizá-lo pelo blog e agradecê-lo pordisponibilizar seus conhecimentos e experiências no segmento de material de construção.
Em segundo lugar, gostaria de saber quais são as ações de merchandising e os materiais de ponto-de-venda mais eficazes para influenciar na decisão de compra do consumidor no varejo de materialde construção

Obrigada,
Cristiane

Olá Cristiane !

Esse tema é bem abrangente, e daria nao somente uma resposta, mas praticamente um livro inteiro (em breve, devo lançar o meu).
Falando superficialmente, acredito que temos duas caracteristicas chave:

Potência
Precificação

Para chamar a atenção, voce deve explorar sua potencia de exposição, com pontas de gondolas fartas, ilhas cheias, cestos derramando produtos. Essa sensação de fartura, de potencia, é essencial para passar uma boa imagem ao seu consumidor, principalmente os de perfil mais popular.

Precificação é mais do que importante e complementa o item de cima. Nao adianta de nada expor bem um produto se voce nao o precifica de maneira correta. Aí para isso, vale todo o arsenal de merchandising à sua disposição: splashes, banners, etiquetas, cartazes e por aí vai. O que vai variar é o tipo de produto e exposição necessária. Mas a unica coisa que importa é que a oferta seja sempre destacada, de modo a criar a sensação de "oportunidade única" para seu cliente.

Existem outros artigos ja postados aqui no blog, que explicam mais à fundo alguns desses conceitos. Reveja estes e se tiver mais alguma duvida, é so entrar em contato novamente.

Espero ter lhe ajudado.

Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/

Blitz: Timberland

Essa é uma foto antiga, mas uma das minhas favoritas.
Essa é um vitrine de uma loja Timberland, fotografada em um shopping em São Paulo.

Veja como eles foram criativos na utilização dos adesivos, imitando uma chuva torrencial na vitrine !

Excelente idéia.

E você ? Realizou algum trabalho legal em sua loja, ou fotografou alguma vitrine ou exposição interessante ? Mande aqui para nossa blitz de merchandising, no e-mail: caio-camargo@uol.com.br. Não se esqueça de mencionar o local onde a foto foi tirada.


Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Dúvida de leitores: Marketing pessoal para atletas e esportistas - como obter melhor patrocínio ?

Pergunta enviada por Reginaldo Marietti

Boa Noite!

Venho a algum tempo lendo suas matérias no blog e tenho gostado muito, nada a ver com minha área de atuação, mas não me canso de aprender, ter idéias, aprender nunca é perdido, e com isso me despertou um interesse em marketing pessoal, tenho uma amiga que precisa de ajuda, ela é esportista e não consegue patrocínio, sempre que tem campeonatos ou disputas é um sufoco, pingadinho aqui, pingadinho ali ate conseguir o valor para ir nas competições, tem muitas medalhas, campeonatos nacionais, internacionais no seu currículo, mas na hora do patrocínio é a mesma novela é como pedir esmola.

Ai, gostaria que se possível, se tiver uma dica para ajudar esses pobres mortais que não sabem nada do assunto, de como aparecer na mídia e chamar a atenção de patrocinadores, como despertar o interesse ? como atrair algum patrocinador ? o que fazer ? Socorroooooo.

Se puder ajudar, toda ajuda é muito bem vinda.

Grato
Reginaldo



Olá Reginaldo !

Tema muito interessante. Agradeço a oportunidade.

Eu vejo a questão do atleta como uma marca.
Nada nessa vida é gratuito. Poucas empresas se interessam em patrocinar "o esporte" em si, e normalmente preferem ter seu nome ligados à times ou profissionais específicos.

Mesmo assim, mesmo para nomes de peso de alguns esportes, ainda é difícil e complicada a questão do patrocínio.
De acordo com suas palavras, a atleta em questão vem participando e obtendo bons resultados nas competições. O grande passo é esse.
O interessante é realmente participar sempre de eventos e provar ao patrocinador que você sempre aparece, e sempre marca bons resultados.

Sempre aparecendo (participando de provas e competições) e marcando bons resultados, as chances de melhores patrocínios são cada vez maiores.

Até aí, nada de novo.

O interessante também é saber selecionar o patrocinador. Obviamente, todos querem nomes de peso como grandes marcas de equipamentos, ou produtos.
O interessante é buscar, pelo menos nesse inicio de patrocínios, marcas que também procuram se iniciar no mercado, ou que estão buscando ampliar seus resultados.

Busque uma marca nova, como uma nova rede de academias, ou uma indústria que está lançando um novo produto, e suas chances serão melhores.
Nesse caso, não se faz necessário buscar empresas apenas relacionadas ao esporte. Empresas de telefonia celular, veículos, e até mesmo bancos e instituições financeiras tem buscado apoiar atletas e competições diversas.

Obviamente, que a marca ou a empresa em si, deve estar de acordo com o esporte praticado. Nao adianta andar de skate e buscar apoio e patrocínio em uma marca ou produto destinado à um outro público que nao seja os que praticam ou apreciam este esporte.

Patrocínio é uma via de mão dupla, e a troca de benefícios é que gera a longevidade dos acordos. Seja sempre uma via importante de exposição para seu patrocinador e não lhe faltará oportunidades.

Espero ter ajudado.

Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Dúvida de leitores: Problemas de Logística e Layout

Dúvida de leitores: Problemas de Logística e Layout
Caio,boa noite!

Gostei muito do seu blog, parabéns.
Amigo, tenho uma loja do ramo de materiais para construção, tenho 200m2 e a mesma esta sempre desajeitada, ja modificamos varias vezes. Estamos estabelecidos no litoral catarinense. Tenho alguns problemas na entrega dos meu materias pois a demanda eh muito grande.
Gostaria de saber se vc tem alguma estrategia para lojista para entrega de materias e um esquema para uma loja mais bem distribuida.
Por que eu quero realizar o sonho do meu cliente nao destrui-lo.
Muito Obrigado!

Jeferson Medeiros
Tico Tico Materiais de Construção
Realizando Sonhos

Olá Jeferson !

Seja bem vindo ao blog !
Você tocou num ponto muito importante: a logística, ou seja, a entrega de materiais.
Em primeiro lugar: so se promete o que se pode cumprir. Seja honesto na entrega com seus clientes. Se vai demorar 10 dias para entregar uma mercadoria, nao omita, informe, seja honesto. Nao adianta prometer entregar em 24 ou 48 horas se sua estrutura nao permite tal fato. Digo isso pois vemos diariamente clientes se queixando de lojistas que prometem sempre e nao cumprem nunca !
Sobre o que fazer: Se voce está vendendo bem, e a tendencia para você é continuar nesse ritmo (embora a tendencia para os proximos meses seja a de um mercado menos aquecido), sugiro investir. Veja bem, investir nao significa gastar. Investir é poder garantir melhores e mais confiáveis prazos e com isso ganhar a confiança e a preferência do consumidor.
Se a loja está vendendo bem, por que nao investir na estrutura de entrega ? Se nao lhe parece possível trabalhar uma frota própria, invista em serviço terceirizado, mesmo que mais caro, ou mesmo no auto-serviço (com mais mercadorias desse tipo), onde o cliente leva a mercadoria ele mesmo para casa.
Sobre organizar a loja....layout é uma ciência dinâmica e nao há uma formula congelada para o sucesso. O "Feeling" do proprietário é essencial. Lhe aconselho a verificar os artigos sobre layout e merchandising que já postei aqui pelo blog e que voce poderá acessar pela barra lateral, onde há importantes dicas sobre o assunto.

Espero ter lhe ajudado !

Um grande abraço
Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Blitz: Wii Fit

Olha que interessante essa vitrine, criada para divulgar o Wii Fit, um acessório para o videogame de mesmo nome da Nintendo.

A imagem da mulher se exercitando está aplicada diretamente no vidro, dando uma sensação de profundidade espetacular, ao passo que a tv exibe o programa em funcionamento

Excelente idéia.
E você ? Não se esqueça de mandar suas imagens para nossa blitz de merchandising.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Participem da BLITZ.

Olá a todos.
Estou iniciando um novo canal aqui no blog, o BLITZ.

Como funciona:

Se você trabalha com merchandising, ou gosta de varejo, e criou algum trabalho legal, seja uma vitrine, um display, ou uma promoção, mande imagens contendo seu nome, uma descrição do trabalho e o local onde foi aplicado para nosso blog no e-mail:



Os melhores trabalhos serao publicados aqui no blog. Participe e divulgue seus trabalhos.

O mesmo vale para uma vitrine ou ação de merchandising que voce tenha fotografado por aí. Só nao se esqueça de mencionar o nome da loja e o local de onde foi tirada a foto.

O importante é participar.


Um grande abraço e boas vendas


Caio Camargo

Blitz: Vitrine promocional Gears of War 2.

Falando em vitrines, como no último tópico, olha so que interessante este trabalho de uma loja de games em um shopping de São Paulo.

De modo a divulgar o lançamento de um novo game de ação (Gears of War 2), eles montaram esta vitrine, toda ensaguentada, como no jogo, bem violento.

Apesar do gosto, duvidoso para alguns, vale a iniciativa, que com certeza, captou a atenção de muita gente que passou pela loja, principalmente o pessoal fanático por videogames.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/

Dúvida de leitores: Novo começo.

Dúvida de leitores: Novo começo.
Pergunta enviada por Erica Liberatti:

Olá Caio, tudo bem?
Eu estava pesquisando no google a porcentagem que deve ser pagar de comissão para um vendedor de uma loja de pequeno porte e encontrei o seu blog que muito me interessou.
Vou lhe contar um pouquinho a minha história para ver se você pode me indicar pessoas que possam me ajudar:
Eu e minha irmã abrimos uma franquia em um shopping de SP à 1 ano atrás, porem essa franquia é uma roubada e desde maio estamos tentando tirar o nome dessa franquia para poder vender outras coisas, porque?
Primeiro era uma loja de camisetas customizadas, após abrimos a loja o dono da marca mudou toda qualidade do produto e só andava peças de péssima qualidade, ai sem entender nada de varejo e minha sócia começamos a ir em show room compra roupas de marcar do Rio de janeiro, só que o que aconteceu o shopping aprovou essa mudança que ainda não ocorreu pois demora alguns meses, criamos nossa própria marca e é com ela que vamos entrar no mercado.
As roupas que vendíamos antes custavam no máximo R$ 120,00 percebemos que era impossível sobreviver em um shopping com isso, agora vendemos marcar de qualidade, legais mas caras e por isso nosso faturamento caiu, não temos gerente ainda e vamos contrata-lo após a mudança, quais são nossos problemas:
Nossa loja era de camiseta e não tem vitrine, percebemos que sem a vitrine a roupa não é valorizada e vamos reformar a loja para isso;
Só que não sabemos administrar a loja, não sabemos como comprar e nem quanto para o estoque e nem sabemos fazer comissão de vendedor direito. Fiz um curso no SENAC mas foi super fraco, precisava de uma consultoria de varejo, mas não só para atendimento para tudo como comprar? O que fazer com o layout da loja? E principalmente um consultor financeiro, era essa a ajuda que eu precisava vc conhece alguém que possa me indicar???

Desculpa escrever tudo isso, é que eu precisava explicar para vc entender a nossa real situação!

Muito Obrigada,
Erica



Um mudança de 180 graus com certeza !
Vamos lá.
Analisando superficialmente, existem pontos importantes a serem verificados.

1 – Criar uma própria marca, no caso uma loja de multimarcas, conforme você descreve, pode realmente lhe dar um perfil de consumidor e gasto médio mais adequados às suas necessidades, porém é importante ressaltar que como se trata de uma loja nova, e não de uma franqueada, você terá de criar toda a imagem da loja, e tentar passar essa nova identidade ao consumidor. Como se trata de multimarcas, você deve se apoiar no sucesso e no nome dessas, no inicio, para alavancar o seu negócio. Em um passo futuro, bem lá na frente, sugiro como alternativa, idealizar uma marca própria, e aos poucos, tentar substituir suas mercadorias de outras marcas, pelas de marca própria. Entretanto, vale lembrar, suas roupas de marca própria devem no inicio, oferecer um custo/benefício melhor, ou seja, de qualidade igual ou superior, porém, por um preço melhor. Utilize o gancho das grandes marcas, para tentar oferecer seus próprios produtos. Quem sabe um dia você não se torna uma franquia, ao invés de uma franqueada, não ?

2 – Vitrines são sempre importantes, principalmente em shoppings ou ruas de grande movimentação. Temos hoje um perfil diferente de consumidor nesse tipo de varejo. A grande maioria, dependendo do shopping, está apenas “passeando pelos corredores”. O shopping hoje funciona mais como entretenimento, do que destino de compras. Em muitos casos, a compra se dá apenas por impulso ou sensação de oportunidade. Passo por sua vitrine e vejo uma oferta imperdível, logo, compro.

3 - Mais do que layout de loja e exibição de mercadorias, vejo que o que realmente você está precisando, de acordo com suas palavras, é uma assessoria ou orientação para “administrar” o negócio.
Eu lhe aconselho a procurar a unidade do SEBRAE mais próxima de sua região e se informar sobre um curso chamado EMPRETEC.
Rápido e prático, ele lhe fornecerá boa parte das respostas que você tem procurado, até porque dentro desse curso, você trabalhará em exercícios direcionados diretamente à sua empresa. Não tive a experiência de passar por este curso, mas conheço dezenas de pessoas que o fizeram e sempre o recomendam. É excelente para quem se inicia em um novo negócio, como seu caso.

4 – Sobre indicar profissionais, eu acredito que o primeiro caminho está nesse curso que lhe indiquei. Uma vez feito o curso, você terá a real necessidade dos profissionais que você procura. Uma dica experta é ficar antenada nos blogs como o FALANDO DE VAREJO, assim como os blogs que eu indico. Caso haja duvidas sobre vendas, recomendo o blog do meu amigo Flavio Soares, o VENDEDOR DO FUTURO.

Eu espero ter lhe ajudado !
Boa sorte.

Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Índios !

Olha que criativa essa idéia da DuPont.
Para vender seu novo produto, voltado para a blindagem de veículos, eles encheram um carro com flechas de plástico com ventosas.

Genial, barato e da resultado.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Informação x promoção

Olá a todos.
Dê uma olhada nessa faixa. O que está errado nesta informação ?
Esse posto quer "presentear" seus clientes com uma ducha gratis a cada 20 litros.
Até aí, essa é uma promoção rotineira, que muitos postos fazem por aí.
Mas preste atenção à faixa colocada.
Faixas são como iscas, devem ser atrativas aos clientes.
Nessa foto que eu tirei, à distância, mal se lê que abastecendo acima de 20 litros, se ganha uma ducha. A informação dos 20 litros está mais destacada do que a de "ducha grátis".
Deveria se evidenciar em letras garrafais "Ducha grátis" e em tamanho menor, a informação "abastecendo acima de 20 litros".
O benefício deve ser SEMPRE maior do que a justificativa.
Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Dúvida de leitores: Montando uma loja de conveniências

Dúvida de leitores: Montando uma loja de conveniências
Pergunta enviada por Mariane França

Caro Caio,
Recentemente “encontrei” o seu blog e, admito, virei assídua.
Acontece que estou desenvolvendo um planejamento estratégico (como projeto de graduação), de uma rede de lojas de conveniência para postos sem bandeira.
O que você acha que uma loja de conveniência" must have"?



Olá Mariane.
Obrigado pelas visitas ao blog. Prometo buscar sempre um bom conteúdo à todos.
O tema que voce está abordando certamente é muito abrangente.

A grande chave de seu projeto está no próprio nome: Conveniência.
Conveniência, significa estar no local certo, na hora certa, e por consequencia, poder cobrar um preço melhor por isso.
Quanto ao mix de produtos, é muito relativo, mas o principal foco deve ser sempre a compra por impulso, captaneada por produtos alimentícios, principalmente salgadinhos, guloseimas, refrigerantes e cervejas. A partir desse foco, é possivel abrir uma serie de produtos, desde pequenos "presentes" como produtos de decoração e brinquedinhos, até mesmo livros, cd´s e dvd´s.

Quem é o principal cliente ? O motorista, proprietário de um carro, caminhao ou moto ? A chave está em pensar: O que ele pode precisar ? A partir daí, principalmente a localização do posto poderá lhe dar algumas dicas preciosas: Postos de estrada sempre oferecem livros, mapas e outros suplementos para uma viagem. Está em um bairro cercado de escritórios ? Até mesmo gravatas podem ser uma boa idéia !

A chave da conveniência é se antecipar às necessidades de seus clientes.

De olho nesse mercado, redes de supermercado, após trabalharem com a venda de combústiveis, agora pensam em "descolar" os mesmos dos supermercados, e inclusive, investir em bandeiras próprias de conveniência.
Fique de olho, esse é um grande mercado. O mundo é cada vez mais dinâmico, e precisa de serviços e produtos rápidos.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

Dúvida de leitores: Site na internet

Dúvida de leitores: Site na internet
Pergunta enviada por Eduardo Mesquita.

"...Minha história é a mesma de muitos leitores, vim atrás e algumas informações e acabei sendo obrigado a adicionar o blog aos favoritos.
Gostaria de saber a sua opinião quanto à influência de um site sobre as vendas da loja física. De que forma um site pode conduzir seus visitantes a ir à loja.
Acredito que a melhor forma de integrar loja e site é oferecer conteúdo, mais cedo ou mais tarde o cliente opta pela compra e resolve procurar aquele com o qual já tem certa intimidade.
Meu irmão pensa de forma oposta, o site deve servir para apresentar a loja na internet e oferecer produtos e promoções.
Há algo com base cinetífica, algum método ou estudo de caso sobre o assunto?"


Olá Eduardo, obrigado pelos elogios ao blog.

Hum. Pergunta realmente muito interessante.

Existem dois tipos de usuários na hora de buscar uma loja na internet.
As vendas por internet crescem cada vez mais, entretanto, a grande maioria da população, jamais acessou um site ou possui uma conta de e-mail.
E das pessoas que acessam a rede frequentemente, muitas ainda tem receio sobre comprar online.
Uma coisa é sempre deixar bem claro: Na grande maioria das vezes, as falhas por conta de compras online, como clonagens ou falsificações, os maiores medos dos usuários, estão em problemas localizados no próprio computador em que se está usando, e nao no site propriamente dito. Muitos desses problemas vem através de virus e trojans (cavalos de tróia), infectados através de outras formas, como e-mails recebidos ou sites de bate-papo.

Mas voltando o foco para o varejo:

Algumas pessoas buscam resolver seu problema naquele exato momento, buscando o produto e buscando uma alternativa rápida para a compra do produto. Nesse caso, uma venda online facilita muito, mas a presença física da loja é relativa. Em muitos casos, e se a maioria de seus clientes se configura nesse perfil, o que importa é um site de confiança. Buscar trabalhar sua marca na internet, com depoimentos de compradores, links seguros e boas associações tornarão seu site confiável, e consequentemente, rentável.

Entretanto, a grande maioria dos usuários utiliza a internet como uma grande "lista telefonica". Se desejam comprar algo inusitado ou difícil de encontrar, buscam na internet uma soluçao. Se sua loja se encontra numa situação dessas, de oferecer algo diferenciado, estar na internet é essencial. Esteja pronto para atender clientes em outros estados, ou se desejar, até mesmo em outro país.

Agora, muito se debate sobre grandes redes entrarem no mercado online. Redes como wal-mart e carrefour ainda nao iniciaram seus serviços por exemplo, e mesmo no varejo de construção, encontram-se poucos corajosos de verdade. Algumas redes como C&C e Telhanorte ja se encontram no mercado, mas a grande maioria ainda utiliza a internet apenas para demonstrar endereços de lojas e serviços oferecidos, mais ou menos como estar naquela linha de "anuncio de lista telefonica".

Internet é importante e já é um mundo consolidado do varejo. Nao é mais risco. Agora, se é importante ou não à sua loja, e se é necessário investir leve ou pesado nesse mercado, é uma questão inerente aos tipos de cliente que voce possui e ao tipo de produto que voce comercializa. Se voce comercializa produtos que sao facilmente comprados na internet, entao vale a pena investir em ferramentas online, do contrário, nao vejo como um caminho a nao se seguir, mas é necessário ter ciência que deverá criar uma cultura de necessidade antes de colher bons resultados, principalmente oferecendo vantagens e boas condições ao se comprar online.

Espero ter ajudado.

Um grande abraço e boas vendas
(obs: a resposta sera publicada no blog, ok ?)

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Dúvida de leitores: Casa do Notebook - como vender mais ?

Dúvida de leitores: Casa do Notebook - como vender mais ?
Pergunta enviada por Paulo Castanho, da Casa do Notebook.

"Parabéns pelo Blog.
Entrei pela primeira vez hoje procurando dicas de varejo, e não conseguí sair sem ler todos os artigos.
Tive a satisfação, inclusive, de ver uma menção ao meu amigo Edson Zogbi e seu Blog.
Embora esteja na área técnica, trabalhando em Informática desde 1967 (!!), sempre tive um pé no comercio, vendendo reoupas aos meus colegas, montando uma pequena loja, participando como sócio de meus irmãos em bares, cantinas e até um grande Snooker no Tatuapé.
Estou cuidando exclusivamente de minha empresa - que fundei em 1988 – desde 1990.
Ela começou como uma pequena consultoria e cursos de informática, chamada Alphaville Informática, na Av. Brig. Faria Lima. Depois virou uma lojinha, ampliada em 1991, e a partir de 1992 começamos a explorar o nome Casa do Notebook e a focar nos portáteis.
Hoje temos quatro lojas próprias, e dez lojas licenciadas pelo país.
Apesar do sucesso e do crescimento, temos todos os problemas diários de qualquer empresário ou pequeno comerciante.
Hoje, minha maior preocupação é o atendimento ao cliente e a fidelização.
Com o aumento da concorrência, sinto que só com um atendimento excelente e personalizado conseguiremos manter nossos clientes e nosso faturamento.
Neste momento, tenho dúvidas sobre como comissionar os atendentes/vendedores de forma a motivá-los, e a fazer com que melhorem o atendimento, levantem a cabeça quando um cliente entrar na loja, sejam atenciosos no trato com o cliente e que ofereçam novos produtos a um cliente que está carente, com seu notebook precisando de cuidados, e querendo alguma coisa que preencha a falta de seu brinquedinho.
Apesar de sermos bastante conhecidos no mercado, e termos muitas visitas, estamos com dificuldades, e acredito que sejam devido a problemas clássicos de varejo como exposição em loja, atendimento e vendas.
Se tiver alguma dica a respeito de comissionamento, eu agradeço.
Nossos atendentes ficam sentados em mesas e recebem os clientes que, em sua maioria, trazem suas máquinas para conserto. É uma grande oportunidade para oferecer outros produtos, mais memória, troca do HD, mochilas, um HD externo, pen-drives, etc.
Mas, eu sinto que o atendimento é automático, não olham para o cliente quando entra, não oferecem outros produtos, parece que até fogem do cliente.
Como fazer para motivá-los e para melhorar as vendas e o faturamento das lojas ?


Obs: Veja nosso Blog, que eu escrevo (quase) diariamente:
http://blog.casadonotebook.com.br/

Obrigado, parabéns e um grande abraço.

Paulo Castanho
www.casadonotebook.com.br "

----------------------------------------------------

Olá Paulo.
Muito obrigado pelos elogios feitos ao blog.
Tenho me esforçado para manter a qualidade do conteúdo do blog.
Agradeço à todos que me mandam dúvidas e e-mails com críticas.

Vamos lá:

Antes de mais nada, vou recomendar um blog de um colega meu, o Flávio Soares, com excelentes assuntos relacionados à técnica e aprimoramento do atendimento, o "Vendedor do Futuro" (link na barra de links aí do lado). Tenho certeza que o Flávio podera lhe passar algumas dicas muito interessantes.

Eu acredito que voce tocou no ponto chave de seu sucesso: a qualidade de seu atendimento.
Principalmente quando falamos de serviços, como a assistencia que voce presta à seus clientes, a qualidade e agilidade de seus serviços é essencial para fidelizar e conquistas novos clientes, principalmente através da indicação de clientes satisfeitos.

Entretanto, esse é um processo lento de crescimento.

Nao sei o tamanho de suas lojas, ou se possuem algum espaço destinado à venda de mercadorias, como num auto-serviço, entretanto, essa questão de vendedores sentados, estáticos, à espera de clientes, me preocupa um pouco.
Eu atacaria um pouco nesse ponto, talvez com um pequeno atendimento de serviços em um ponto do estabelecimento, mas exploraria mais a situação de ponto de venda, expondo melhores mercadorias, e principalmente apostando, nao nos "upgrades" das máquinas, mas sim nos complementos, nos acessórios, que eu acredito caracterizarem mais a venda por impulso.

Venda de capas, cabos, acessorios, suportes e todo tipo de parafernália que um proprietário de notebook poderia se interessar.
Apostaria nesse tipo de acessório principalmente expostos em uma vitrine, caso seu espaço de venda seja reduzido.

Se possível buscaria um produto comum nao somente aos donos de notebooks, mas tambem aos donos de desktops, para buscar mais clientes, e principalmente começar a atacar em um mercado maior.

Daí, uma boa idéia seria apostar em mais tipos de periféricos, sempre buscando uma associação com o produto "core-business" de sua empresa, ou seja, o notebook em si. Poderia apostar em impressoras, mesas digitalizadoras, scanners, etc.

Quanto à comissionamento, tal como escrevi no artigo sobre GUELTA (na seção atendimento do blog), existem prós e contras comissionar sua equipe de vendas. Eu acredito que voce deva incentivar nao no atendimento geral, mas buscar uma comissão mais vantajosa principalmente em produtos ou categorias que você nao tem trabalhado bem, talvez como os acessórios.

Espero que possa ter lhe ajudado.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/

3000 leitores !

É com muito orgulho que informo que chegamos hoje aos 3000 leitores !!!!

Ja tenho uma média de 50 leitores por dia, o que para mim, ainda mais que os leitores caem aqui exclusivamente em busca de informações sobre merchandising e varejo, é uma grande alegria !!!

Muito obrigado à todos que estão me ajudando a tornar este um blog cada vez melhor !

E não se esqueçam: Mandem suas dúvidas por comentário ou e-mail: caio-camargo@uol.com.br
O blog foi feito para voces, que amam varejo como eu !

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Dicas de como abastecer e repor mercadorias no ponto de venda

Dicas de como abastecer e repor mercadorias no ponto de venda
Hoje vamos falar sobre abastecimento.e sobre como abastecer a loja da maneira correta, segundo o tipo de equipamento escolhido.
Para cada tipo de produto, existe um tipo de equipamento, e para cada tipo de equipamento, deve se considerar alguns pontos na hora de abastecer ou repor mercadorias.

Gôndolas
Antes de expor um produto em gôndola, é necessário saber se este será exposto em cesto, gancho ou bandeja (ver mais adiante).
Regras básicas para a exposição de produtos em gôndola.
- Começar SEMPRE pela parte inferior
- Os produtos, por ordem de tamanho e peso, no sentido horizontal, devem ser expostos da esquerda para a direita.
- Os produtos, por ordem de tamanho e peso, no sentido vertical, devem ser expostos de baixo para cima.

Ponta de Gôndola

Para a ponta de gôndola, a montagem varia de acordo com o sistema de exposição utilizado (bandeja, cesto ou gancho).
Ao se expor produtos em pontas de gôndola deve se tomar os seguintes cuidados:
A Ponta de Gôndola deve possuir SOMENTE um tipo de produto, podendo variar somente em cores. (Modelos e Tamanhos não serão permitidos pois na maioria dos casos, apresentam valores diferentes).
A exposição de mais de um tipo de produto na mesma ponta será permitida somente na utilização de um produto complementar ao produto principal exposto.

Bandejas
Deve-se SEMPRE começar a instalação pela parte inferior da gôndola.
Caso haja cores diferentes à serem expostas, deve-se verticalizar a cor, de modo a facilitar a escolha do cliente.
Caso o produto a ser exposto possua data de validade, deve-se respeitar as regras de validade do produto, ou seja; produtos com validade mais próxima devem estar com "pega" mais fácil do que os de validade mais extensa, expondo os produtos com validade mais próxima à frente dos produtos com validade maior.

Ganchos
Colocar um cesto ou caixas fechadas na parte inferior.
Iniciar a montagem dos ganchos pela parte inferior.
Os produtos dos ganchos devem estar próximos de modo a não mostrar o fundo da gôndola.
Caso haja cores diferentes a serem expostas, deve-se verticalizar a cor, de modo a facilitar a escolha do cliente.
Caso o produto a ser exposto possua data de validade, deve-se respeitar as regras de validade do produto, ou seja; produtos com validade mais próxima devem estar com "pega" mais fácil do que os de validade mais extensa, expondo os produtos com validade mais próxima à frente dos produtos com validade maior.

Cestos

A partir da parte inferior, colocar até cinco cestos a uma altura máxima de 1,60m.
Colocar uma bandeja sobre o último cesto.
Colocar caixas fechadas sobre a bandeja.
Caso haja cores diferentes à serem expostas, deve-se verticalizar a cor, de modo a facilitar a escolha do cliente.
Caso o produto a ser exposto possua data de validade, deve-se respeitar as regras de validade do produto, ou seja; produtos com validade mais próxima devem estar com "pega" mais fácil do que os de validade mais extensa, expondo os produtos com validade mais próxima à frente dos produtos com validade maior.

Pallets

Pallets só são utilizados para produtos em caixa, ou que possam ser empilhados.
A altura dos produtos empilhados nesse equipamento não deve ultrapassar 1,20m.
É interessante a colocação de cartazes de preço nas faces do pallet ou ainda utilizando placa ou suporte adequado
As caixas do produto devem ser sobrepostas.

Obs: Uma boa dica é sempre deixar uma amostra do produto exposto ao cliente, assim, se houver uma pilha de ventiladores, um deles deve estar fora da caixa para facilitar a escolha do cliente.

Imagine um ventilador ou blocos de vidro, por exemplo. Isso me lembra a caixa de uns quebra-cabeças. Por mais que venha escrito na caixa qual são suas dimensões, somente quando o vemos montado é temos a real noção de seu tamanho.

Cestos de Corredor

Só utilizados para a exposição de produtos vendidos a granel, e que não podem ser empilhados.
Cartazes de preço devem estar afixados nas 4 faces da ilha a uma altura de 0,70m.
As caixas do produto devem ser sobrepostas.
Caso não haja estoque suficiente para preencher o cesto, uma boa idéia, é usar como "recheio" do cesto algumas caixas vazias (podendo até mesmo ser as próprias caixas do produto), e em volta deste, colocar, como "cobertura", o produto.

Obs: Os produtos, dentro de cestos, devem apenas ser jogados, não devendo ser arrumados.



Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Falando de Varejo: Layout de loja ideal

Ola a todos.

Neste post, vamos falar sobre alguns conceitos básicos para um bom layout, o que eu considero, um layout padrão para uma loja.

Esse layout padrão pode ser aplicado em praticamente qualquer tipo de varejo, ou qualquer tipo de canal, pois não leva em consideração o produto em si, e sim o comportamento do consumidor e como este reage ao espaço físico da loja.

Sendo assim, vamos tomar como base a imagem abaixo, dividindo-a como mostra a figura abaixo, em quatro partes (ou setores, como preferir):



Primeira parte (azul): Vitrines e respiros

Esse é o primeiro contato do cliente com a loja, é seu cartão de visitas.

Principalmente para lojas de rua, de perfil tradicional, é nessa primeira parte da loja, que colocamos as vitrines da loja, ou seja, os chamarizes, as iscas para atrair os clientes ficam nesta parte da loja.Para lojas de perfil popular, é interessante utilizar essa parte da loja, como se fosse uma extensão da rua, de modo o mais convidativo possível, para que o cliente “entre sem perceber” pela loja.

Em alguns casos, alguns lojistas inclusive jogam os produtos o mais próximo possível da calçada para criar este efeito, o de “extensão da rua”.Para lojas mais recuadas da rua, como as que possuem estacionamento, deve se ter cuidado com as mercadorias expostas, dado que o cliente irá entrar na loja, muitas vezes, sem perceber estas mercadorias.

Segunda parte (amarelo): Produtos de compra por impulso.

Essa é a parte da loja na qual meu cliente já se encontra “dentro” da loja.Entretanto, nessa parte, meu cliente ainda não “percebeu” a loja.

Nessa parte colocamos normalmente os produtos de venda por impulso, ou algumas ofertas. É nessa parte também que oferecemos aos clientes produtos novos, ou departamentos novos.

Colocamos ofertas e produtos novos, pois no primeiro contato, procuramos “orientar” o cliente a também comprar nossos novos produtos e se interessar por nossas novidades.Nessa zona, é comum também encontrarmos os caixas de pagamento e saída (check-outs) da loja, por isso, procuramos colocar produtos de venda por impulso nesse setor, pois é no momento de saída que compramos este tipo de produto (sabe aquelas balinhas que ficam no caixa do supermercado ?)

Terceira parte (laranja): Zona de cognição

Essa é a parte da loja que seu cliente "realmente está" em sua loja.
É nesse setor que você deve colocar os principais produtos de sua loja, principalmente aqueles na qual o cliente demora um tempo maior para escolha, o que chamamos de produtos de cognição.
Nesse setor ficarão também os principais serviços que sua loja oferece, principalmente serviços que permitam um atendimento mais confortável e um momento mais agradável, como lanchonetes, cafés, mesas de atendimento, financeira, etc.

Quarta parte (vermelha): Produtos categorias destino

Na ultima parte colocaremos os produtos de destino da loja. Mas o que são produtos de destino?
São exatamente aqueles produtos "essenciais" de sua loja. Aqueles produtos o qual seu cliente sai de casa em busca deste em sua loja.
É como a velha historia do pãozinho colocado no fundo de um supermercado, que muitos já conhecem. Essa tática faz com que seu cliente percorra por toda sua loja, até chegar ao produto que ele busca.
Assim, no meio do caminho, há a possibilidade de você oferecer outros produtos e possibilitar a venda de alguns os quais ele não tinha uma intenção inicial de compra, como os produtos de compra por impulso.
Para alguns tipos de varejo, os produtos de destino costumam a necessitar de uma melhor logística e por conseqüência, uma melhor localização na loja, dada sua alta rotatividade. Nesse caso, o melhor a fazer é também localizá-los próximo à entrada do depósito, quando houver.

Utilizando esse layout padrão, é possível criar soluções para diversos tipos de formatos.
O layout é algo que deve ser estudado e analisado à exaustão, de modo que não reste dúvidas quanto à localização de mercadorias, entretanto, este não somente pode, como deve, ser constantemente revisto e se necessário alterado, de modo a criar uma loja sempre dinâmica.
Espero ter ajudado.

Ainda resta alguma dúvida? Envie sua pergunta para duvidas@falandodevarejo.com.br, ou acompanhe-nos no Twitter ou ainda no Facebook.

Para seguir algumas dicas sobre como ter um ponto-de-venda realmente vendedor, acompanhe nosso MANUAL DE MERCHANDISING (Clique aqui)

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
@falandodevarejo
http://www.falandodevarejo.com.br/

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Visa Troco Fácil: Taí uma boa idéia.


A Visa está oferecendo à estabelecimentos um novo tipo de serviço, que ao meu ver, dado à facilidade e criatividade, em pouco tempo, será padrão de mercado para todo mundo. Por hora, será diferencial, depois, essencial. E como funciona ?

Nas compras a partir de R$ 20,00, nos estabelecimentos credenciados, o consumidor poderá sacar como troco o valor de R$ 100,00, desde que haja saldo disponível em conta.

Rápido, seguro e prático, o serviço é ótimo para quem nao tem tempo ou não gosta de passar em um banco eletronico à toda hora.

Quer saber mais ? Acesse: http://www.visa.com.br/


Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
http://falandodevarejo.blogspot.com/