segunda-feira, 2 de março de 2009

Entrevista: Eduardo Borel - Sensorbrasil

Ola a todos.

Sempre que o tema "auto-serviço" é colocado nas palestras e reuniões, muitos varejistas ainda temem a questão do aumento de risco nas perdas da loja, principalmente na questão dos pequenos furtos.

Na imagem de muitos, os custos para se equipar a loja de maneira segura são muito altos.

Outra pergunta que sempre passa na cabeça do varejista é: O que fazer quando suspeito de algum cliente ?

Por isso, o FALANDO DE VAREJO hoje traz EDUARDO BOREL, gerente de vendas da Sensormatic, para responder algumas perguntas e falar um pouco da empresa:

FALANDO DE VAREJO: Temos ainda no país uma cultura muito forte de "atender no balcão". Existe um receio que amedronta todo varejista, que ao tornar a loja um "auto-serviço", muitas de suas mercadorias seriam roubadas. Na sua opinião, esse medo procede ?

Eduardo Borel: O temor é pertinente, tendo em vista que quanto maior for a exposição
do produto ,maior é a probabilidade de furtos. Existe também o outro lado da
moeda que é quanto maior for o confinamento do produto menor é a venda,
esse é o motivo da exitência da Plastrom Sensormatic, protejemos as
mercadorias para que os varejistas possam ter o melhor desempenho de suas
operações, reduzindo as perdas e maximizando os resultados.

FV: Existem estudos que mostram que os maiores "roubos" ou perdas, não
são causados por clientes, e sim, até mesmo pelos próprios funcionários.
Este fato é verdadeiro ? Como agir com os funcionários sem fragilizar a
confiança na equipe ?

EDUARDO BOREL: Na verdade o que ocorre é que os furtos internos representam 50% do
índice Brasileiro e os externos os outros 50% , atualmente no varejo se perde em torno de 2 a 4 % do faturamento, onde podemos dividir da seguinte forma:

Furtos internos: São furtos com uma representatividade enorme no varejo, pois, os funcionários acabam furtando as mercadorias nobres de cada segmento ,geralmente as mais caras ou com maior atratividade para revenda no "mercado negro" ( Informal).

Furtos externos: São furtos ocasionados por falsos clientes que frequentam as lojas , divididos em duas categorias, os ladrões profissionais (gangues especializadas em furtos) e os ladrões que furtam pelos mais variados motivos.

A melhor forma de agir com os funcionários é a instalação dos equipamentos de segurança com as etiquetas protegendo as mercadorias, pois, o varejista ao se "proteger" com esse tipo de tecnologia inibe as duas frentes de prejuízos com furtos, simplificando , podemos assegurar que ao instalarmos os equipamentos de prevenção a perdas na loja o furto interno reduz pois os funcionários não podem mais culpar os clientes de terem furtado as mercadorias e olhando para o furto externo os falsos clientes acabam não arriscando o furto na loja e são inibidos pela presença das etiquetas eletrônicas, CFTV etc, preferindo assim agir em outro estabelecimento aonde possam furtar sem ser notados ou com a possibilidade de risco muito baixo. Para os funcionários que não furtam internamente o ambiente fica produtivo, pois, ao invés deles vigiarem as mercadorias passam a exercer de fato a venda aos clientes quando adentram nas lojas, essa prática de instalar vigilância eletrônica de mercadorias só traz benefícios para empregador e funcionários, pois os falsos funcionários e os falsos clientes acabam sumindo das lojas que utilizam nossos produtos.

FV: Quais são as opções de equipamentos de segurança à disposição no mercado ? Quais as grande novidades ?

Eduardo Borel: Temos como mais utilizados:

V.E.M = Vigilância eletrônica de mercadorias , antenas detectoras nas portas dos estabelecimentos e etiquetas eletrônicas nas mercadorias que são detectadas em caso de furto ao atravessar pelas antenas .
C.F.T.V = Circuito fechado de televisão, utilizando câmeras móveis com giro de 360 graus, cameras fixas e gravadores digitais.
Controle de acesso, com catracas e crachás.
Novidade de produto de nossa empresa é a solução remota para a linha de CFTV, com equipamentos IP´s que controlam a imagem de qualquer ponto do planeta,se o lojista estiver no Japão e quiser ver a sua loja no Brasil através das imagens oferecidas por nossos produtos poderá fazer isso de onde bem entender, basta ter acesso a um computador ,também estamos operando com a nova solução denominada video analytics, onde o equipamento permite analisar o comportamento dos clientes seja para proteção para o furto ou para estímulo das ações de vendas , marketing etc.
Temos também um excelente produto denominado Virtual Gate que consegue determinar com 100% de acertividade a taxa de conversão e contagem de fluxo das lojas, bem como mostrar ao lojista todo o tipo de ferramenta necessária para melhoria das vendas e investimento no ponto de venda, através desse produto o varejista consegue enxergar de fato a sua operação de forma detalhada permitindo assim tomar decisões com a clareza da informação e não por "achismos".
Outra novidade é que nossa empresa dispõe também de produtos para o segmento fire-security, onde temos todos os equipamentos de detecção de incêndio.
Estamos também entrando no segmento de telecomunicação,com soluções de segurança de dados (IP fixo), alta disponibilidade (99.974%), redundância de operadoras, bandas EDGE e 3G, cobertura nacional, ativação imediata (SIM cards) e custos até 50% menores que linhas físicas .
E por fim oferecemos nossa solução turn key para "digital signage", ou seja, media dinâmica que utiliza telas de tamanhos variados para apresentar conteúdo no ponto de venda,distribuindo o conteúdo via Web,com gerenciamento e operação remota dos equipamentos.

FV: Muitos varejistas consideram caros os investimentos na área de segurança. Existe algum produto "especial" para pequenos e médios formatos de lojas ?

Eduardo Borel: Nossa empresa é líder mundial em prevenção de perdas, dispõe de soluções adequadas para qualquer tipo de varejo. Nossas soluções atendem desde um enorme varejista ou uma simples video locadora de bairro. Temos também diversas formas de comercialização que facilitam a aquisição de nossas soluções, inclusive locamos toda nossa linha de produtos como mais uma opção para quem quer se proteger .

FV: Existe alguma relação entre investimento e prevenção de perdas ?
Quanto se economiza quando se decide investir em segurança ?

Eduardo Borel: Claro que existe, esse é um dos nossos argumentos de vendas, o que posso afirmar é que as perdas caem no mínimo pela metade inicialmente e após o gerenciamento das perdas em diversos segmentos chegam próximo de zero, com relação ao investimento, depende do tamanho dele, mais o ROI pode ocorrer no instante em que instalamos os equipamentos no caso de locação e no pior cenário em seis meses no caso de compra.

FV: No caso de suspeitar de algum cliente, ainda no ponto de venda, qual
a maneira correta de proceder ? Abordar diretamente ?

Eduardo Borel: Existem diversos tipos de abordagens, na maioria das vezes todas elas são diretas, como exemplo posso citar a seguinte: após ser identificada a pessoa em atitude suspeita , sempre algum funcionário treinado aborda o cliente oferecendo ajuda a ele, com algumas perguntas simples como " posso ajudá-lo? , procurando por algum produto e não esta encontrando? " o cliente que esta tentando furtar automaticamente entende que esta sendo acompanhado pelo lojista e desiste do furto, em muitos casos acabam comprando o produto, é uma forma bem educada de abordagem e que tem resultados satisfatórios.

Nossa empresa oferece treinamento para o lojista com profissionais treinados para melhor entender o negócio do cliente e em conjunto com ele determinar qual a melhor abordagem a ser aplicada para equipe da loja.
O mais importante é: melhor que abordar é prevenir, por isso o investimento em segurança eletrônica é altamente eficaz no combate as perdas, maior produtividade , melhor ambiente da loja e é claro maiores lucros.

Hoje investir nesse tipo de solução é fator determinante na lucratividade das empresas e também já é visto como diferencial competitivo, pois, quem perde menos, lucra mais e lucrando mais a probabilidade de se manter no mercado altamente competivivo é bem maior, ainda mais em tempos de cenário econômico mundial nem um pouco otimista.
aa
FV: E para quem deseja contatar a Sensorbrasil para maiores dúvidas ?
aaa
Eduardo Borel: Pode entrar em contato pelo telefone (11) 4166-4400, ou através do site http://www.sensorbrasil.com.br/
aa
Eduardo Borel é formado em Administração de Empresas e pós-graduado em Gestão Empresarial na FGV. Trabalha na Sensormatic e no segmento de prevenção de perdas há mais de 14 anos, onde atuou com as principais redes varejistas de diversos segmentos no Brasil. Responsável pelo segmento de confecções no Brasil e também pela conta de empresas como o Magazine Luiza.