Buscar

Manutenção do IPI leva euforia a varejo de móveis e de construção

Depois de as revendas de veículos comemorarem a isenção nas alíquotas do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) até 2010, anunciada pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, que liberou o tributo aos carros flex, comerciantes de móveis, como as redes Marabraz, Cybelar, Lojas Cem, além da Casas Bahia e de supermercados como Walmart, Carrefour e Extra - que comercializam esse tipo de produto -, estão eufóricos com a medida do governo de manter a isenção nas alíquotas do IPI até 31 de março.

De acordo com representantes do setor, a medida deve reduzir os preços em 20%, o que poderá contribuir para o setor com uma recuperação de 25% nas vendas. Para Ubirajara Pasquoto, diretor da Cybelar, a medida é positiva porque dá forças ao segmento, que teve uma recuperação mais lenta no período de pós-crise.

"O governo entendeu o as necessidades do varejo e da indústria pela redução dos impostos. Assim é mais fácil para a economia crescer."

Construção

Também beneficiados pela onda de reduções e isenções de impostos a venda de material de construção terá a alíquota do IPI reduzida até junho do próximo ano. Desta forma, lojas como Leroy Merlin, Casa e Construção (C&C) e Dicico e Telhanorte comemoram a decisão do governo.

Com a chegada da primeira parcela do 13º, a rede Dicico, por exemplo, arregaça as mangas e lança a ação "Só se for agora", que dará descontos em algumas áreas, como o setor de iluminação, que deve ter uma baixa de preços de até 40%.

Depois de revendas de veículos comemorarem a isenção das alíquotas do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) até 2010, nos carros flex, comerciantes do varejo de construção e do setor de móveis, como Marabraz, Cybelar, Lojas Cem, Casas Bahia e supermercados como Walmart, Carrefour e Extra, que comercializam esse tipo de produto, estão eufóricos com a medida do governo de manter a isenção das alíquotas do IPI até 31 de março.

"O governo entendeu as necessidades do varejo e da indústria de redução dos impostos", diz Ubirajara Pasquoto, diretor da rede Cybelar, com 71 lojas. A medida deve reduzir os preços em 20% e recuperar em 25% das vendas.Segundo o presidente da Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimovel), José Luiz Diaz Fernandez, a desoneração significará um crescimento de vendas de 5% ao mês no setor, até março. "Lutávamos por isso havia oito meses", afirmou.

Fonte: DCI

Postar um comentário

0 Comentários