segunda-feira, 31 de maio de 2010

Em homenagem a seleção, Extra lança bolas temáticas colecionáveis

Em parceria com a Gillette, seis modelos representam os anos e locais da vitória do Brasil no maior campeonato de futebol do mundo

Faltando menos de 15 dias para a Copa, o Extra, patrocinador oficial da seleção brasileira, lança a campanha “Bolas Campeãs” e leva as lojas seis versões diferentes para colecionadores: cinco alusivas aos países onde o Brasil já venceu o campeonato e uma com “Força Extra” para torcer pela vitória na África do Sul, neste ano.

As bolas foram desenvolvidas em parceria com a Gillette, marca que também patrocina a seleção brasileira, e podem ser encontradas nos supermercados e hipermercados do Extra por R$ 7,90. Na compra de qualquer produto Gillette, os clientes ganham um desconto especial e o presente sai por R$ 5,90. Os produtos chegam às lojas em junho. Enquanto se preparam para a chegada do Mundial e dos itens colecionáveis, as lojas já se enfeitam com displays especiais para destacar a Campanha durante a Copa do Mundo.

ACSP promove Palestra de Sustentabilidade

ACSP promove Palestra de Sustentabilidade
A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) promove, na quarta-feira (09/06), em sua sede na Rua Boa Vista, 51, Centro - São Paulo-SP, um evento especial de sustentabilidade com o especialista em estratégias empresariais, Dr. Bruce LaRue.

O executivo norte-americano é presidente da consultoria Applied Development Services, Inc, faz parte do Conselho Consultivo do Instituto Internacional de Management (IIM), além de atuar como professor e consultor empresarial, sendo autor de diversos livros sobre estratégia organizacional.

“É uma grande honra receber esse conceituado especialista internacional na ACSP para repercutir, com o nosso público, esse tema tão desafiador para as organizações, que é a sustentabilidade”, declara a superintendente de Produtos e Serviços, Roseli Garcia.

Confira abaixo a programação:

| 08h30 - Welcome coffee e credenciamento

| 9h - Abertura

| 09h15 - Palestra: Sustentabilidade – Dr. Bruce LaRue

| 10h15 - Intervalo para network e coffee break

| 10h30 – Palestra - continuação: Sustentabilidade - Dr. Bruce LaRue

| 11h30 - Perguntas e considerações finais

| 12h - Encerramento

Sobre a ACSP e o SCPC:
A Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em seus mais de 115 anos de história, atua diretamente na defesa da livre iniciativa e, ao longo de sua trajetória, tem estado sempre ao lado do pequeno, médio e grande empresário, contribuindo para o desenvolvimento do comércio, da indústria e da prestação de serviços no país. No ambiente de negócios, a ACSP administra o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), que dispõe do mais moderno e completo banco de dados de informações comerciais, com dados de pessoas e empresas e cobertura nacional. O SCPC oferece soluções inteligentes para a tomada de decisão na gestão de crédito e, com o apoio da alta tecnologia, está preparado para atender às novas demandas decorrentes da implantação do Cadastro Positivo, com modelos estatísticos desenvolvidos com exclusividade para cada tipo de negócio. www.acsp.com.br

Oportunidade para jovens que buscam primeiro emprego

Oportunidade para jovens que buscam primeiro emprego
Programa Educação e Trabalho da Fundação CDL faz seleção na próxima segunda-feira, 7 de junho, de 9 às 16 horas

O Programa Educação e Trabalho (PET) da Fundação CDL Pró-Criança da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) está com inscrições abertas para jovens que buscam o primeiro emprego. O processo seletivo será na próxima segunda-feira, dia 07 de junho, de 9 às 16 horas na sede da Fatec Comércio (Av. João Pinheiro, 515 – bairro Funcionários).
O PET, que somente este ano já encaminhou 250 jovens para o mercado de trabalho, é um programa que alia teoria e prática, em que os jovens aprendem cursos de qualificação profissional como auxiliar administrativo, telemarketing, comércio e serviços e logística. Ao todo, são 84 horas de aprendizagem alternadas entre a sala de aula e o ambiente profissional. Para se inscrever no programa, os candidatos devem observar as seguintes orientações:

 ter entre 16 anos e 20 anos (completos);
 estar cursando no mínimo o primeiro ano do Ensino Médio;
 morar na região metropolitana de Belo Horizonte;
 ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 255)

Após o término do curso, se aprovado, o candidato pode ser encaminhado para uma das empresas parceiras. O programa é uma boa oportunidade para jovens que buscam o primeiro emprego, pois tem grandes chances de efetivação. É o caso de Mariana Parreira Santana, 17 anos. Em 2008 ela se inscreveu no PET e foi encaminhada para a empresa CMT Serviços Educacionais, permaneceu durante um ano como aprendiz e este ano foi efetivada pela empresa. Atualmente Mariana é orientadora de outros aprendizes e trabalha no Departamento Pessoal da empresa.

Ao final do projeto, caso não sejam efetivados na própria empresa parceira, os ex-aprendizes são encaminhados para o Banco de Oportunidades e SINE CDL/BH, para viabilizar a sua inserção no mercado de trabalho.

ABF Franchising Expo 2010

ABF Franchising Expo 2010
EXPOSITORES

A Animafest participa pela primeira vez da ABF Franchising Expo. Seguindo as tendências do mercado de festas e eventos que tem crescido muito, as lojas comercializam artigos para animar todos os tipos de festas: óculos coloridos, chapéus, neons, piscas, balões, perucas, fantasias, máscaras, kits para festas havaianas, carnaval, festa junina, e muitos outros. O investimento inicial gira em torno de R$ 200 mil, e a taxa de franquia é de R$ 20 mil reais.

A Germânia - empresa pioneira no sistema de chopp delivery no País – participará pela primeira vez da feira e anuncia ao mercado sua entrada no segmento de franchising com o lançamento oficial do Sistema de Franquia Kiosque do Chopp. A composição do sistema é formada por seis tipos de lojas de chopp: duas opções para ruas de grande movimentação; um formato para shopping centers; dois estilos de quiosque para ruas e um modelo de quiosque móvel, importado da Alemanha.

Pela primeira vez, a Marisol - gestora de marcas e canais de distribuição no segmento do vestuário - participa da ABF Franchising Expo. A divisão de franchising do grupo - detentor das redes Babysol, Pakalolo, Lilica & Tigor e One Store – pretende dar continuidade a sua estratégia de atuação na busca por novos franqueados. A rede está investindo em ações que visam apresentar, com mais ênfase, as diversas possibilidades e vantagens do sistema de franchising da empresa.

A rede de lavanderias Lavasecco participa pela primeira vez da feira e já mostra sua preocupação com a sustentabilidade. A rede é a primeira do País a utilizar cabides ecológicos, reciclados e recicláveis, substituindo, assim, os cabides de arame/plástico - que não são produzidos a partir de matérias-primas recicladas. Uma ação inovadora e pioneira, que envolve as 11 lojas da rede, contribuindo para a sustentabilidade do planeta, ao mesmo tempo em que dá um passo à frente da concorrência.

A Brasil Cacau participa pela segunda vez da feira e apresenta aos investidores seus planos de expansão, além de novos produtos com forte inspiração de brasilidade, receitas e sabores brasileiros. Para complementar o mix de produtos, a marca lança seis novos itens: Trufa de Quindim, Trufa de Paçoquinha, Dragê do Sítio, Bombons de Cereja e Bombons Sortidos em embalagem acrílica no formato de cacau.

A Casa de Sorvetes Jundiá foca na expansão e pretende abrir de 80 a 100 novas unidades.

A rede CNA pretende mostrar aos investidores presentes na feira que eventos esportivos como a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 podem ser boas oportunidades para a abertura de franquias de idiomas, pois as pessoas que residem nas cidades-sede da Copa 2014 precisarão se qualificar e falar inglês para receber os turistas e conseguir uma oportunidade de trabalho durante os jogos. Um dos grandes diferenciais do CNA, em relação às outras redes, é a oferta do Risco Zero, modelo de negócios que permite a devolução ao franqueado de todo o investimento inicial na franquia, caso não obtenha retorno em até dois anos. E para quem deseja optar por um investimento mais baixo e seguro, a rede oferece o projeto Franquia-Escola, que consiste na abertura de uma escola da rede dentro de colégios particulares.

A D´Pil levará seu método de depilação para a feira, além de apresentar seu plano de expansão nacional e internacional para os investidores. Com o investimento inicial, de R$ 75 mil, o franqueado recebe todo o material necessário para iniciar sua operação, incluindo o equipamento de fotodepilação e fototerapias, acessórios, mobiliário padrão e material publicitário para a inauguração. A D'pil ainda disponibiliza uma assessoria médica responsável pela capacitação dos franqueados e seus funcionários.

A Empada Brasil tem como uma das estratégias de crescimento a captação de empreendedores através de dois modelos de negócio: a loja de rua e o quiosque, versão para shoppings, hipermercados e centros comerciais.

O visitante poderá conhecer um quiosque nos mesmos moldes dos que a empresa já mantém em seus pontos-de-venda.

A Franquia Imóveis - pioneira no segmento de franquias imobiliárias - apresenta como principais diferenciais a expertise no mercado imobiliário e de franquias, a confiabilidade da marca pelo mercado nacional, além do respaldo incomum ao franqueado. Além de receber assistência personalizada desde a compra da franquia, a escolha do ponto comercial e até a implantação, o franqueado ainda conta com uma central de franquias, que o auxilia em questões cotidianas, centralizando departamentos e facilitando sua adaptação ao varejo.

A Frutiquello - Novidades para essa temporada: agora as lojas poderão implantar opções para o inverno: a Casa do Pão de Queijo Express e a Bombuello Café e Chocolates Finos. Essas parcerias proporcionam ao franqueado uma enorme gama de produtos: salgados, chocolates quentes, cafés especiais, taças de sorvetes com café, bebidas quentes de café com chocolate e muito mais.

Para o empreendedor interessado em investir no segmento de óculos escuros, mercado cada vez mais em expansão, a LupaLupa rede de acessórios apresentará novo conceito da loja e um modelo diferenciado de quiosque. Os produtos serão expostos de forma a permitir ao investidor atestar a qualidade e conforto dos produtos da grife. A rede vai apresentar 120 modelos com diversas variações de cores e acessórios, criações que constantemente se renovam acompanhando a tendência mundial.

A MegaMatte também apresenta seu conceito sustentável durante a feira. O diferencial da rede é o mate 100% natural, sendo a única neste segmento que não usa xarope na composição do seu principal produto. Sua erva mate é orgânica. No cardápio, opções como salada de frutas, açaí, pastel integral, sanduíche natural, entre outros itens saudáveis. Neste ano, a companhia investiu no seu primeiro modelo de loja sustentável. A unidade está localizada em São Paulo, no bairro do Itaim Bibi. O empreendimento foi construído de forma a utilizar os recursos da natureza e preservar o meio ambiente, com madeira certificada, tinta à base de água, baixo nível de COV, temporizadores de água, coleta seletiva, aproveitamento de água da chuva, entre outros. Além disso, a rede pretende adaptar as antigas lojas para este modelo.

A Vivenda do Camarão pretende apresentar seu plano de internacionalização. A rede está com aberturas programadas para a América Central no próximo semestre. A idéia é atingir 12 lojas na região em cinco anos e depois investir nos Estados Unidos. A Europa também está nos planos da empresa: a Vivenda, que já teve franquias em Portugal há alguns anos, se prepara para retornar ao país, assim como em outros locais do continente. Além de crescer e se consolidar no exterior, a Vivenda do Camarão tem metas de expansão voltadas para o mercado interno, especialmente nas regiões Norte e Nordeste do País. Cidades como Salvador, Teresina e Rio Branco estão na mira da rede.

A rede de cosméticos Antídoto leva algumas novidades para o evento como o novo formato de negócio, a Franquia Virtual Antídoto Store; plano de expansão nacional e portfólio completo com mais de 800 produtos. A Antídoto Store é um modelo inédito de negócio no mercado de franchising. Com baixo investimento e fácil administração, toda a estrutura fica disponível pela internet. O investimento inicial é de cerca de R$19 mil e parte desse valor é revertido em produtos, e-commerce, suporte de marketing virtual, além de suporte de treinamentos em gestões para o próprio franqueado.

A Eurodata - Comemorando 15 anos de atuação no mercado de educação, a rede leva para o evento uma novidade: a Eurodata Interativa, a terceira bandeira do Grupo. A nova bandeira representa uma oportunidade de negócio com baixo investimento e rápido retorno para os empreendedores. Com investimento a partir de R$70 mil já é possível abrir uma unidade dessa marca.

A FOM, fabricante de acessórios de conforto e bem-estar, vai apresentar o formato de franquia de quiosques de 9m² e lojas de 25 a 50 m², com foco para instalação em shopping centers que atinjam um público-alvo de consumidores A/B.

A rede Na Pressão Choperia lança modelo de franquia na ABF Franchising Expo 2010. Batizado de Express, o novo formato, que se destina a praças de alimentação, possui vantagens em relação aos outros três modelos já desenvolvidos pela choperia: além de ser mais barato - custa metade do preço de uma loja de pequeno porte -, o Express possui menor número de funcionários (em torno de 10) e maior rotatividade de clientes. A capacidade de atendimento do formato Express é estimada em 420 clientes por dia nos fins de semana e de 140 de segunda a quinta. Com área mínima de 40m², a franquia requer um investimento inicial de R$ 208 mil (fora o ponto comercial), o retorno do investimento é de 27 meses. A expectativa é de que a rede abra oito franquias express até o final de 2011.

A Nina Fiori apresentará o novo design de suas lojas que promete realçar ainda mais a beleza de suas peças.
A Livraria Nobel, rede de livrarias, já é presença tradicional na ABF Franchising Expo. A rede apresenta, como principais diferenciais, a expertise no mercado livreiro, editorial e de franquias, o empreendedorismo ousado que resultou na abertura da primeira livraria dentro de um estádio de futebol (Morumbi).
A Premiatto apresentará novidades no layout de seus restaurantes e cardápio, o que proporciona funcionalidade e atendimento mais ágil e organizado ao cliente, facilitando as atividades da equipe e consequentemente promovendo maior rentabilidade aos restaurantes de Norte a Sul do País.

A Risotto Mix Gastronomia leva algumas novidades, como uma mídia digital, que permite a interação com o cliente no próprio ponto-de-venda. Pioneira no segmento - já que foi a primeira rede de fast food a implementar o sistema, a marca inova agora no conteúdo. Outro destaque é a segmentação do cardápio da rede, com opções para o público A e B e C e D em algumas regiões. A empresa estudou sua área de atuação e optou por dividir seus cardápios. A ideia da franqueadora é ampliar a rentabilidade destas franquias, com incremento de, no mínimo, 5%.

A Sapataria do Futuro, juntamente com as demais bandeiras de serviços Costura do Futuro e Lavanderia do Futuro, apresentará aos seus clientes o novo serviço da rede, intitulado Chaves do Futuro. Realizando o conserto e produção de chaves, a Chaves do Futuro oferecerá serviços para todos os usuários, abrangendo os modelos presentes no mercado.

A Soft Tacos, rede de alimentação, também aposta no formato Express. O modelo tem como principal atrativo o baixo investimento, já que não é necessário ter uma cozinha industrial, além de reduzir pela metade o número de funcionários utilizados no modelo convencional. O custo inicial do negócio, que inclui instalação e taxa de franquia, será de aproximadamente R$ 120 mil. O prazo de retorno é estimado entre 12 e 18 meses. A unidade no formato express pode ser montada em uma área de apenas 20m², reduzindo também os gastos com o ponto comercial.

A Touch Watches dará aos clientes que fecharem negócios em seu estande um relógio personalizado da Linha Personnalité, que será lançado durante a feira. A rede apresentará ainda mais dois novos produtos: o Touch Heart Monitor, relógio de pulso com monitor de frequência cardíaca que foi desenvolvido para atletas, e os relógios com pulseira de silicone anatômica, desenvolvidos para quem gosta de esporte. O diferencial é a troca vitalícia da bateria do relógio, podendo ser substituída em qualquer loja da Touch no Brasil. Entre os formatos pode-se optar por lojas ou quiosques dentro de shoppings. A projeção de retorno é de 16 meses e faturamento médio de R$ 50 mil. As lojas devem ter no mínimo 20m², enquanto os quiosques 6 m², com cerca de quatro funcionários por ponto.

A Bittencourt Consultoria, especializada na expansão de redes franquias, apresentará para potenciais investidores algumas marcas que estão em processo de expansão com franquias no Brasil. São elas: Rede Morar, maior rede imobiliária do Brasil; Extratos da Terra, especializada em produtos nas linhas capilar, corporal, de higiene e facial; Procura-se a Empadinha, franquia no setor de alimentação; UZ Games, voltada para jogos eletrônicos e entretenimento; Weeze, lojas de cosméticos ecologicamente corretos, e Stroke, marca voltada para o vestuário feminino. Além de uma gama de novos produtos e serviços para as redes de franquias e negócios que atuam no Brasil.

O estande da Cia de Franchising (empresa de consultoria e assessoria na implantação e expansão de redes de franquias) abrigará dez empresas franqueadoras: Parmeggio (Franquia de fast food - pratos, lanches, shakes, massas, porções), Lessô (Franquia de grife de calçados, bolsas e acessórios femininos), Eco Office (Franquia de recarga de cartuchos, ecossustentável, com soluções em tecnologia, escritórios para locação, com ambiente wireless, além de conveniência com diversos serviços como para impressão (outsourcing)), Só Lixeiras (Franquia ecossustentável de coletores (coleta seletiva) e lixeiras (casa, escritório, hospitais, indústrias, empresas, rua)), Bella Capri (pizzarias), Estivanelli (grife de moda masculina), Martelinho de Ouro (Franquia de oficinas de técnica brasileira de desamassamento de veículos artesanal), Spremutto (Fast food saudável - sucos, vitaminas, sanduíches, crepes e saladas), Casa & Coisa (Franquia de lojas de utilidades domésticas, presentes, reparos e novidades), Visual Print (Franquia de Comunicação Visual - impressões, adesivos, faixas, painéis, cartões, etc). Profissionais especialistas no mercado estarão, durante toda a feira, desenvolvendo reuniões exclusivas com os interessados.

A Vecchi Ancona, consultoria especializada em elaborar e executar projetos estratégicos de formatação e expansão de redes de negócios para indústrias e varejistas, irá participar da ABF Franchising Expo 2010 com um estande de 234 m², disponíveis para acomodar marcas novas e outras que já participaram da feira com estandes próprios e optaram esse ano por buscar destaque junto à consultoria no evento. A consultoria levará marcas já consolidadas como a rede de calçados Empório Naka e a Multicoisas, de materiais para construção. A americana RE/MAX - maior rede de imobiliárias do mundo - irá ocupar quase metade do estande levando novidades e oportunidades de negócios para os investidores interessados neste segmento que vem se destacando no âmbito do franchising. Pela primeira vez na feira a rede de cafeterias Blenz Café, os salões de beleza Magic Story, o Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac), de educação e treinamento, e a American Colors, rede especializada em tintas e revestimentos, participam por meio do estande da Vecchi & Ancona.

Estarão coexpondo com a NetplaN Consultoria as redes Auto Park Estacionamentos e Maria Dolores Design Art Conceptt. Diversas outras empresas, dentre as 160 redes formatadas ou atendidas pela consultoria, estarão expondo no evento.

A consultoria Global Franchising chega à feira trazendo diversas marcas internacionais, Villa Pizza (Itália), Aussie Pet Mobile (Austrália), Vivafit (Portugal), Attirance (Estônia), Glamour Secrets (Canadá), Ticket.com (França), Five Star Painting (USA), Re-Bath (USA), Careminders (USA), Harcourts (Austrália), Ingram (Itália), It’s Just For Lunch (USA), Office 1 (USA), Wine Styles (USA), Nexcen Group, detentora das marcas Atlete’s Foot, Great American Cookie, Marble Slab, Maggie Mooz e Shoe Box N.York também (USA).


Serviço:
19ª ABF Franchising Expo
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Vermelho
Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo – SP
Horário de Funcionamento: De 09 a 12 de junho das 13h às 21h (sábado, das 12h às 18h)
Preço do Ingresso: R$ 40, 00 (Válido para os 4 dias de evento)

Caxias Shopping promove evento que vai debater questões do meio ambiente

Caxias Shopping promove evento que vai debater questões do meio ambiente
Que mundo você gostaria de deixar para seus filhos? É com essa pergunta que o Caxias Shopping promove, de 7 a 20 de junho, o " Caxias Mais Verde, um grande evento em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente. O objetivo é lançar uma luz sobre aspectos como o destino do lixo, a utilização dos recursos naturais e a preservação da biodiversidade. “Queremos discutir o meio ambiente com adultos e crianças, indústrias e entidades de preservação, empresas e escolas, enfim, com toda a sociedade. Afinal, todos nós somos responsáveis pelo nosso planeta de hoje e pelo que vamos deixar para as futuras gerações”, avalia Marcelo Arruda, Superintendente do Caxias Shopping.

O evento começa no dia 7 de junho com uma sessão fechada do documentário vencedor do Oscar 2007, “Uma Verdade Inconveniente”, do diretor Davis Guggenheim. O filme mostra imagens de palestras de Al Gore sobre a questão do meio ambiente, além de vídeos e depoimentos do dia-a-dia do ex-vice-presidente dos Estados Unidos. Após o filme, será realiza uma mesa de debates com representantes de indústrias, da sociedade civil e de entidades ligadas ao meio ambiente.

Ainda durante esse primeiro debate, o Caxias Shopping irá apresentar seu projeto de reciclagem, que busca o reaproveitamento de 100% do lixo produzido pelo empreendimento. Hoje, o Caxias Shopping já recicla água, lixo seco e até o lixo orgânico, que é transformado em adubo. “Todos os resíduos que produzimos são reciclados. Estamos chegando ao patamar de “lixo zero”, comemora Arruda.

Em seguida, será inaugurada a exposição “Caxias Mais Verde”. A mostra contará com fotos e mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, como Ipê Amarelo, Pau Brasil, Ipê Rosa, Castanheira do Maranhão, Sibipiruna e Pau Formiga, entre outras. A exposição fica em cartaz de 7 a 20 de junho.

Nos dias 8, 9 e 10 de junho, o Shopping exibirá o filme “Avatar” para cerca de mil alunos da rede municipal de Duque de Caxias. Após cada sessão, as crianças participarão de debates. As escolas serão selecionadas pela Secretaria de Educação e Meio Ambiente de Duque de Caxias.

Durante todo o evento, serão distribuídas mudas de plantas e saquinhos de adubo produzidos pela empresa Ambiental Lixo Zero com a reciclagem do lixo orgânico do Caxias Shopping, recolhido pela empresa Atual, de Duque de Caxias.

O evento é uma parceria com a Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento de Duque de Caxias. Vale conferir. O Evento do Meio Ambiente “Caxias mais Verde” é gratuito e acontece de 7 a 20 de junho no Caxias Shopping - Rodovia Washington Luiz, 2895 - Duque de Caxias – RJ - Telefone: 2784-2000.

domingo, 30 de maio de 2010

Pesquisa avalia confiança dos consumidores nas marcas do varejo

Pesquisa avalia confiança dos consumidores nas marcas do varejo
A GS&MD - Gouvêa de Souza colocou no mercado o estudo inédito Trust 2010, uma avaliação do grau de confiança que 34 marcas de varejo transmitem aos seus consumidores. Essas empresas foram escolhidas segundo seu tamanho, crescimento, penetração de mercado e posicionamento. Foram analisados atributos vitais para a operação, como confiança na marca, comprometimento com o cliente, percepção de honestidade, profissionalismo, atendimento qualificado e política de preços justa.

“O estudo é uma valiosa ferramenta de apoio as diversas ações de melhoria à serem aplicadas pelas redes, proporcionando um aumento da satisfação e, consequentemente, da fidelização desses clientes“, afirma Luiz Goes, sócio-sênior e diretor da GS&MD - Gouvêa de Souza.

Para mais informações sobre a pesquisa, contate Newton Guimarães, no telefone (11) 3405-6601 ou pelo e-mail newton.guimaraes@gsmd.com.br.

Fonte: GS&MD

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Hortifruti lança salada que pode ser criada pelo cliente na loja

A combinação de praticidade e alimentação saudável tem sido um dos pilares de atuação da Hortifruti. Seguindo nessa linha, a empresa acaba de lançar em sua unidade na Barra da Tijuca, a “Salata Express”. O produto é preparado na própria loja, em um espaço especialmente criado para esse serviço. Lá, o cliente escolhe uma opção de base de folhas, cinco ingredientes fresquinhos e dois molhos. Depois de pronta, a salada pode ser consumida na loja ou levada para casa ou trabalho, por exemplo. Quem estiver sem ideia do que colocar em sua salada, poderá optar por um dos seis combos criados pela empresa com sugestões de combinações saudáveis e saborosas.

“Temos investido na criação de uma linha de produtos saudáveis, prontos para o consumo, para quem busca praticidade e qualidade. Já lançamos uma série de sucos naturais; uma salada pronta em embalagem com prato, talheres e molhos; uma squezze de água-de-coco e, agora, uma salada que pode ser criada pelo cliente com os ingredientes que mais gosta. Ninguém mais poderá dar a desculpa de que não tem tempo para preparar uma alimentação saudável”, brinca Fábio Hertel, Diretor de Comunicação e Novos Negócios da Hortifruti. A projeto na loja da Barra da Tijuca servirá de piloto para futura implantação da Salata Express em outras lojas da rede.

Além da praticidade, o projeto tem como objetivo inserir o cliente na criação do produto. “Alimentação saudável é uma questão de costume. Quando a pessoa tem contato com a preparação do que vai consumir, cria um vínculo e se interessa mais por aquele tipo de alimento. Esse contato gera um hábito saudável”, avalia Fábio Hertel. Na loja o cliente poderá personalizar sua salada escolhendo uma base, entre alface americana, mix de alfaces (lisa, crespa e roxa) ou mix de folhas (alface crespa, chicória, agrião e rúcula); 40 opções de ingredientes entre beterraba, cenoura, brócolis, champignon, palmito, frango, peito de peru, tomate seco, frutas secas, queijos, kani, atum, rosbife e temperos; e dois molhos entre os 14 oferecidos, como caesar, french, limão, iogurte, maracujá, queijo, mel com mostarda e teriyaki.

Crescem intenções de compras de celulares para o Dia dos Namorados

Crescem intenções de compras de celulares para o Dia dos Namorados
Os aparelhos celulares serão os itens mais desejados pelos consumidores segundo Pesquisa sobre consumo de eletroeletrônicos – PCE realizada em abril pelo Simerj - Sindicato do Comercio Varejista de Material Elétrico, Eletrônicos e Eletrodomésticos do Município do Rio de Janeiro em parceria com a Fecomércio. Segundo o levantamento, que ouviu 2.865 pessoas entre os dias 12 e 20 de abril, ¬daquelas com intenção de comprar celulares, 27,27% deverão efetuar a compra em junho.

Segundo o presidente do Simerj, Antônio Florêncio de Queiroz Junior, a previsão é de que as vendas para a data mantenham o balanço positivo como ocorreu no Dia das Mães. Segundo pesquisa realizada pela Fecomércio junto aos empresários do setor de eletroeletrônicos, o faturamento da maioria dos comerciantes superou o de 2009, com aumento de 14,3%. Cerca de 40% dos filhos compraram presentes na faixa entre R$300 e R$500, enquanto 15% gastaram acima deste valor. O valor médio gasto com os presentes no Dia das Mães foi de R$317,04.

Spoleto lança modelo de negócio sustentável

Spoleto lança modelo de negócio sustentável
Maior rede de culinária italiana do país, o Spoleto inova mais uma vez e lança na ABF Franchising Expo 2010 um modelo de negócio sustentável. O Spoleto 21 é um projeto desenvolvido para se adaptar e atender às questões econômicas, sociais e ecológicas exigidas para o novo século. O principal objetivo é reduzir custos e otimizar os processos (tornando-os mais eficientes), diminuir o investimento e aumentar a rentabilidade dos franqueados.

Na prática, o novo modelo sustentável contempla:

• redução de 30 a 40% de água com novo sistema de lavagem dos utensílios;
• exclusão do consumo de gás, com implantação de fogão elétrico;
• diminuição do quadro de funcionários por loja e maior remuneração salarial da equipe;
• lojas a partir de 25m2, com 20% de redução nos custos da obra.

"O Spoleto 21 é totalmente focado na sustentabilidade e reúne os três pilares: social, econômico e ecológico. Consideramos um projeto revolucionário com o qual vamos ganhar eficiência, aumentar resultados e diminuir custos. Também valorizaremos ainda mais nossos funcionários. Até 2013 queremos estar entre as 50 melhores empresas do país para trabalhar e continuar crescendo dois dígitos por ano" – declara Renata Rouchou, diretora de expansão do sistema Umbria, detentor das marcas Spoleto, Domino’s Pizza e Koni Store.

O primeiro modelo sustentável será inaugurado neste mês em Joinville, Santa Catarina. Ainda em 2010 a rede estima implantar 15 novos projetos em todo o país. Os próximos serão no Rio de Janeiro (o restaurante do Shopping Via Parque será a primeira unidade já existente a ser remodelada para abrigar o projeto), Campina Grande (Paraíba), Palmas (Tocantins), Anápolis (GO), Gama e Valparaiso (DF) e Mauá (SP). O investimento mínimo no Spoleto 21 é R$ 290 mil.

Diversificar

Uma das estratégias para expansão é diversificar as áreas de atuação. Mais do que lançar o conceito sustentável de negócio, o Spoleto pretende expandir para diferentes segmentos. Hoje também está presente em supermercados, faculdades, rodoviárias e aeroportos.

Há ainda um modelo exclusivo voltado para postos de gasolina e lojas de conveniência. Chamado de compacto e lançado em 2008, ele segue os mesmos padrões do restaurante tradicional, mas é formado somente por forno e pista fria de ingredientes. (vide raio X abaixo de todos os modelos de negócios Spoleto).

Crescimento América Latina

Presente no México desde 2005, o Spoleto já conta com 23 lojas no país. A previsão para este ano é chegar a 40 unidades e alcançar novos mercados na América Latina como Argentina, Chile, Peru, Costa Rica e Equador. As negociações com alguns desses países já andam bastante avançadas com grupos locais interessados na Máster Franquia.

Investimento em nova fábrica

Outra grande novidade do Spoleto para 2010 é o investimento de R$ 10 milhões na nova fábrica da rede em Volta Redonda, cidade escolhida estrategicamente por ficar entre o Rio de Janeiro e São Paulo, estados que concentram o maior número de restaurantes da rede (135). A unidade fabril, com 25 mil m2, será inaugurada no segundo semestre e vai abastecer todas as lojas da rede espalhadas em 23 estados e no Distrito Federal.

Selo ABF / Prêmios Alshop e AMF

Pelo nono ano consecutivo, o Spoleto ganhou o Selo de Excelência em Franchising 2010, concedido pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Também constam no currículo três prêmios consecutivos Alshop Lojista, para o qual a rede concorre neste ano à premiação hour concours como melhor franquia na categoria culinária rápida, e o da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) como melhor lojista de culinária rápida nos shoppings do país. Em 2008, a empresa conquistou a premiação concedida pela Associação Mexicana de Franchising (AMF) de Melhor Franquia de Alimentos e Bebidas do México, país pelo qual começou sua expansão internacional em 2005.

Para a diretora de franquias do Spoleto, Tânia Nahuys, a conquista dos prêmios é o reconhecimento de um bom relacionamento com os franqueados e da admiração dos consumidores. "A cada ano aumenta o nosso gosto de vitória, pois os prêmios são a prova da satisfação e do bom relacionamento que temos com os franqueados e os clientes. É o reconhecimento do investimento que fazemos na franquia e mais um motivo para refletirmos em que aspectos podemos melhorar”, afirma.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Rio de Janeiro não precisa cumprir norma da Anvisa

Agora é lei: farmácias e drogarias do Rio podem manter MIP ao alcance do consumidor

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, sancionou, quarta-feira (19), a Lei Estadual nº. 5.726, que autoriza farmácias e drogarias do Estado a manterem analgésicos, antitérmicos, complementos vitamínicos e antiácidos expostos no auto serviço e ao alcance direto do consumidor. Todos são medicamentos isentos de prescrição médica.

A lei é de autoria do deputado estadual Edson Albertassi, que há alguns anos vem apoiando os interesses do comércio varejista farmacêutico, e da deputada Cidinha Campos. Vale lembrar outra lei criada por ele: a 4.663, de dezembro de 2005, que ampliou o mix de produtos dos estabelecimentos farmacêuticos.

Na prática, a Lei Estadual 5.726 anula os efeitos da Instrução Normativa 10, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que entrou em vigor em fevereiro deste ano, junto com a Instrução Normativa 9 e com a Resolução RDC 44. A IN 10 determina que farmácias e drogarias de todo o país mantenham os medicamentos isentos de prescrição longe do alcance do consumidor, de preferência do lado de dentro do balcão, obrigando o consumidor a solicitar o produto para o atendente.

Antes da lei estadual, associados à Ascoferj estavam liberados de cumprir a IN 10 em função de uma liminar que o Departamento Jurídico da entidade obteve na Justiça. Como liminares estão sujeitas à cassação, a Associação buscou apoio no deputado, que conseguiu convencer seus aliados a aprovarem o projeto de lei.

Para Albertassi, manter os MIP’s ao alcance do cliente não estimula a automedicação. “Esse raciocínio deprecia nossos consumidores. No mundo inteiro é possível ter acesso a esses medicamentos sem ter que ir ao balcão. Agilidade é o que os consumidores desejam, por isso nos empenhamos a favor desta lei”, declara o deputado. Albertassi acrescenta ainda que o segmento varejista farmacêutico é uma importante área para a economia brasileira, pois gera mais de 20 mil empregos só no Estado do Rio.

“A IN 10 foi criada sob a justificativa de redução da automedicação. Entretanto, a automedicação ocorre por falta de acesso ao médico e não porque o medicamento está ao alcance do consumidor”, defende o presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins.

A Lei Estadual 5.726 já está em vigor e é aplicável em todo o Estado do Rio de Janeiro. Ela foi publicada no Diário Oficial do dia 20 de maio.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

250.000 visitas !

250.000 visitas !
Ola a todos

Hoje o blog atingiu ultrapassou 250.000 visitas desde sua criação, em Julho de 2008.
Além disso, já conseguimos atingir quase 1500 seguidores no Facebook, quase 3400 seguidores no Twitter (@falandodevarejo), mais de 500 membros no LinkedIn entre outros.
Obrigado a todos que fizeram ou fazem parte dessa história e que colaboram para a criação de um canal forte de comunicação, informação e educação para o varejo e seus profissionais.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Falando de Varejo
www.falandodevarejo.com.br

Copa e Dia dos Namorados elevarão vendas em shoppings, prevê Alshop

Copa e Dia dos Namorados elevarão vendas em shoppings, prevê Alshop
Empreendimentos e lojistas já planejam inúmeras ações para as duas datas, comemoradas no mesmo mês, quando espera-se grande fluxo de consumidores

Ao contrário dos anos anteriores, o mês de junho será totalmente diferenciado para o varejo de shoppings, devido às comemorações quase que simultâneas da Copa do Mundo de Futebol e do Dia dos Namorados. E as datas prometem dar um verdadeiro salto nas vendas do setor, com os segmentos varejistas esperando resultados específicos.

Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), a Copa do Mundo deve estimular em 13% o consumo em redes de fast food e restaurantes, inclusive com algumas empresas já planejando ações para manter os consumidores em seus pontos de venda durante os jogos, a partir da instalação de tevês de LCD; rodadas gratuitas de bebidas e porções a cada gol do Brasil; comercialização de pratos temáticos, fazendo referência à Seleção; entre outras iniciativas.

Ainda segundo dados coletados pela entidade, o segmento de artigos esportivos, por ser um setor diretamente ligado à Copa, espera um fluxo de vendas semelhante ao período de Natal, prevendo crescer aproximadamente 35%, concentrando suas vendas em bonés; camisas, incluindo as oficiais da Seleção; acessórios e tênis. E os demais nichos do varejo, como o de vestuário, calçados, entre outros, têm expectativa de 8% de aumento nas vendas.

Os empreendimentos também já buscam entrar no clima verde-amarelo, a partir de campanhas específicas, como exposições fotográficas onde relatam a trajetória da Seleção Brasileira desde a era Pelé até os dias atuais; curiosidades sobre a história das Copas; ponto para o encontro de colecionadores de figurinhas do evento esportivo; sorteio de brindes e promoções diversas.

Em meio às festividades esportivas, o varejo de centros de compras também demanda uma atenção especial ao Dia dos Namorados, especialmente junto aos segmentos que não têm a Copa como grande apelo comercial, tendo em vista o setor de moda feminina; perfumaria e cosméticos; lazer e entretenimento; entre outros. Para esta data, a Alshop projeta um incremento de 12% nas vendas, sendo roupas, sapatos, acessórios, CDs, DVDs e chocolates, os itens mais procurados.


Sobre a Alshop

Prestes a completar 16 anos de existência, a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) firma-se cada vez mais como principal entidade representativa do varejo do setor, tornando-se um verdadeiro elo entre lojistas, empreendedores, poder público e demais segmentos da economia, visando o fortalecimento e a capacitação do mercado de centros de compras.

Criada em novembro de 1994 e presidida desde então pelo administrador de empresas Nabil Sahyoun, a entidade é membro da Federação Nacional de Varejo norte-americana (NRF), conta com 17 mil associados no Brasil, e representa hoje cerca de 95 mil empresários nos 711 shoppings instalados no País.

Por meio da Alshop, os associados contam com uma rede de benefícios que inclui assessoria jurídica; acesso a informações dirigidas, fornecedores e prestadores de serviços homologados à entidade, envio de exemplares da associação, além de concessão de descontos em eventos promovidos pela Alshop, tudo visando um maior desenvolvimento e integração entre os profissionais varejistas.

A entidade dispõe ainda de efetivos canais de comunicação impressos e eletrônicos, como a tradicional Revista Alshop; o Portal Alshop (www.alshop.com.br), interativo, dinâmico, com informações diárias e atualizadas sobre todos os acontecimentos de destaque do varejo, contando ainda com a participação de empresários e executivos do setor em geral, encabeçando discussões de interesse do segmento; além da presença da entidade nas principais mídias sociais existentes na internet.

Sobe a intenção de consumo dos paulistas

Sobe a intenção de consumo dos paulistas
Pesquisa da Fecomercio constata que famílias estão otimistas e pretendem manter o bom ritmo de consumo registrado no primeiro trimestre

Melhora na massa salarial real, aumento do nível de emprego e facilidades para adquirir crédito motivam elevação do otimismo das famílias paulistas e impulsionam o consumo. É o que revela a pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio). Em maio, o indicador apresentou variação de 3%, saltando dos 131,4 pontos, registrados em abril, para 135,4 pontos.

Segundo Guilherme Dietze, assessor econômico da Fecomercio, a alta do índice se deve, principalmente, a perceptível melhora das condições financeiras das famílias, ponto fundamental para ampliar o consumo. “Além da renda, a oferta de crédito e a redução no número de desocupados foram determinantes para o crescimento ‘chinês’ que o comércio apresentou no primeiro trimestre de 2010”, destaca. “A expansão no faturamento do comércio paulistano, de 11% no período em relação a 2009, certamente é um reflexo do otimismo das famílias.”

Em maio, os sete itens que compõem o ICF apresentaram alta e, mais importante, todos marcaram mais de 100 pontos em uma escala que vária de 0 a 200, denotando satisfação dos consumidores. Entre eles, o destaque foi o quesito Renda Atual, que saltou 5,7% em relação ao mês anterior, atingindo 155,2 pontos. O item Acesso a Crédito também teve um bom resultado, com alta de 1,1%, marcou 153,3 pontos. “As famílias estão sentindo que seu nível de renda está superior ao do ano passado e que está mais fácil obter financiamento”, aponta Dietze. “Dois bons indicadores para a economia.”

O ICF também revelou que os paulistas estão mais satisfeitos em relação ao Emprego Atual e mais animados com a Perspectiva Profissional. Em relação a abril, esses indicadores tiveram incremento de 2,4% e 1%, chegando aos 141 e 117,1 pontos, respectivamente.
Apesar de o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) já ter voltado a incidir integralmente sobre a maior parte dos bens duráveis, as famílias paulistas ainda consideram o momento propício para a aquisição desse tipo de produtos. Dietze pontua que o comércio desses itens é favorecido pelos financiamentos com prazos mais dilatados e parcelas menores, que encaixam mais facilmente no orçamento das famílias. Em maio, o indicador Momento para Duráveis registrou impulso de 3,3%, em comparação com abril, chegando a 131,3 pontos.

O economista da Fecomercio também destaca que os aumentos da renda, do nível de emprego e da facilidade em obter crédito estimulam o consumo de modo geral. Estímulo que pode ser visto nos indicadores de Nível de Consumo Atual e Perspectivas de Consumo, que foram alavancados em 5% e 2,7%, atingindo 107,6 e 142 pontos, respectivamente. “Estes dados indicam que, nos próximos meses, teremos a continuidade do consumo no elevado patamar que vem sendo registrado ao longo do primeiro trimestre deste ano”, conclui Dietze.

terça-feira, 25 de maio de 2010

LupaLupa investe no conceito de loja fashion-chique

LupaLupa investe no conceito de loja fashion-chique
Lojas possuem alta margem de lucratividade, baixo custo de investimento.

Com baixo investimento e ótimo faturamento, as lojas e os quiosques da LupaLupa, rede de franquias de óculos escuros, chegam às estações de Metrô, shoppings, supermercados e até academias de ginástica, tudo para atender a demanda de consumidores e a vontade dos novos empreendedores. A novidade é o conceito fashion-chique que a grife tem dado às suas unidades como acontece nas franquias de Búzios, na região dos Lagos, e Barra da Tijuca, na região Oeste, ambas no Rio de Janeiro e no estado de São Paulo.

“Estamos trabalhando com um desing mais arrojado e acabamento de alta qualidade para ficar tudo compatível com o novo conceito das lojas fashion-chique. No caso da loja na Barra da Tijuca (BarraShopping), o espelho superior ficou no formato de meio olho em referência a logo da Lupalupa. A iluminação foi projetada para dar maior destaque aos óculos, incluímos também um novo compartimento para exposição dos diversos modelos de relógio, produto exclusivo fabricado pela Lupalupa, que será lançado e implementado nos pontos de venda para o segundo semestre de 2010”, afirma a gerente do expansão da rede, Jurema Gama.

O novo estilo de loja vem sendo agregado a todos as unidades da LupaLupa que, atualmente, possui 50 unidades em funcionamento no Brasil. Deste total, 38 são quiosques e 12 lojas. No Rio de Janeiro, a marca de óculos escuros está presente em 17 quiosques e quatro lojas. Já em São Paulo, são quatro pontos de venda da marca: dois do tipo quiosque e duas lojas.

A rede tem registrado procura por parte de pessoas que desejam fazer baixo investimento e ter grande retorno em faturamento. Em média, abrir um quiosque custa em torno de R$ 84 mil, valor que agrega taxa de franquia, a unidade de 6m², equipamentos e estoque inicial. Para inaugurar uma loja de 20m² o investimento inicial é de R$ 118 mil.

“O tempo de retorno do lucro é de seis a oito meses para quiosque. Para loja varia de seis meses a dois anos. Os diferenciais da marca são os produtos de alta qualidade sempre em linha com a tendência mundial, lentes polarizadas e tratamento anti-reflexo, diversidade de modelos e cores para diferentes perfis de consumidores e nível de exigência, tudo isso por um preço bem acessível”, destaca Jurema.

Outra característica que faz a LupaLupa ser uma franquia com diferencial de mercado está ligada à empresa ser associada a Associação Brasileira de Franchising (ABF) e a Associação Brasileira da Indústria Óptica a (Abióptica), instituição mais importante do segmento óptico brasileiro. A empresa também apóia eventos culturais, sociais e esportivos.

Redes de varejo automotivo planejam triplicar de tamanho

Redes de varejo automotivo planejam triplicar de tamanho
Empresas e redes de franquias ligadas ao setor automotivo aproveitam o contínuo crescimento da venda de veículos no País e a malha rodoviária para ampliar a atuação no Brasil. É o caso da Bridgestone Bandag Tire Solutions (BBTS), braço da Bridgestone, líder mundial na fabricação de pneus, que opera lojas especializadas em produtos e serviços para caminhões e ônibus e deve quase triplicar o seu número de unidades até 2014. Hoje, possui 110 lojas no Brasil, mas quer chegar a 300 unidades e está investindo US$ 3 milhões na sua rede este ano, 15% mais do que investiu em 2009. Segundo Ricardo Drygalla, gerente de Marketing da BBTS, este ano a previsão é abrir 30 lojas, para as quais 18 contratos já estão fechados.

O gerente afirma que a empresa vinha planejando uma expansão mais acelerada. Em 2009 abriu menos unidades, 16 lojas, em função da crise econômica, mas agora está retomando o crescimento e abrindo até mais lojas do que antes da crise, quando inaugurava uma média de 20 franquias por ano. "O crescimento do Brasil a taxas de 6% também nos favorece e é importante, queremos agora atrair novos investidores", disse. No momento, estão conversando com quase 40 candidatos a franqueados e afirma que recebem cada vez mais consultas de interessados. O investimento para abrir uma loja da marca hoje é de R$ 150 a R$ 450 mil, sem incluir o ponto.

O Brasil também é um mercado que se destaca para a marca: é o segundo maior fora dos Estados Unidos, onde a empresa tem cerca de 2 mil lojas. "Com a crise na Europa, que está parecendo mais séria, a atividade industrial lá fora está muito parada, o que coloca o Brasil em uma situação ainda mais privilegiada, a de segundo mercado, tanto para veículos quanto para pneus", afirmou. O gerente de Expansão da rede, Jurandir Machado, completa que o País possui uma extensa malha rodoviária, pela qual caminhões rodam muito, sendo que o objetivo da rede é estar em pontos estratégicos nas rodovias federais e estaduais e com maior concentração de frotas.

Segundo o executivo, fabricantes de pneus como a Bridgestone, detentora da marca Firestone, "perceberam que não é só vender pneus", que para se manter no mercado precisavam oferecer mais serviços, como o de recapagem e manutenção de freios e suspensão, que rendem duas vezes mais que a venda de produtos e elevam o tíquete médio na loja. Com a estratégia de também reforçar esses serviços, a Brigestone adquiriu recentemente a Bandag, multinacional norte-americana que produz materiais e equipamentos para recapagem de pneus, de onde se origina o novo nome, Bridgestone Bandag Tire Solutions.

A companhia, que também estuda outros formatos de redes e franquias para alcançar o segmento de veículos mais leves, hoje faz concessão de sua marca para outras lojas e possui também revendas apenas de pneus.

Dos concorrentes, o grupo DPaschoal, que vende apenas pneus da Goodyear e também oferece produtos e serviços para veículos, é outro que passou por um grande processo de reestruturação nos últimos anos e está preparado para avançar. Hoje, está com 600 pontos-de-venda e faturou R$ 1,5 bilhão em 2009, mas está com a meta de crescer 25% este ano e chegar a 1 mil pontos-de-venda até 2011. Para atingir essa meta, a companhia, que conta com outras bandeiras e modelos de credenciados, e ainda este ano lançará um novo modelo, que acredita que fará com que a rede triplique de tamanho.

De acordo com Nelson Bechara, diretor da rede, "o modelo de credenciamento é mais simples e atrativo que o de franquias", porque não exige pagamento de royalties, por exemplo, e facilita a expansão do grupo em um setor altamente informal e com alta taxa de mortalidade, como é o de borracharias e de oficinas, disse o executivo, depois de participar do fórum de gestão de franquias promovido pelo Grupo Bittencourt mês passado. Os modelos que hoje são as âncoras de crescimento da marca são o Rec Center, para atender linhas de veículos pesados e que já tem 105 credenciados, e o Top Service, para atender os veículos leves de passeio e com 242 credenciados.

O grupo, fundado por Donato Pachoal, ainda possui outras unidades além da rede DPaschoal, como a DPK, distribuidora de autopeças com 17 centros de distribuição, e o AutoZ, portal na internet que vende acessórios.

Outra rede de serviços automotivos que deve crescer é a Oficina Brasil, que tem hoje mais de 100 unidades e usa outra estratégia, com a meta de nos próximos cinco anos conquistar espaços para abrir em estacionamentos de shopping centers. A rede já tem parcerias com diversos hipermercados, como Carrefour, Extra, Walmart, mas quer ser âncora de estacionamentos de malls, o que impulsionará sua expansão.

Fonte: DCI

Varejistas devem abraçar novas tecnologias, mostra pesquisa da IBM

Varejistas devem abraçar novas tecnologias, mostra pesquisa da IBM
A tecnologia impacta a forma como os consumidores interagem, obtêm informações e compram produtos e serviços no varejo. Essa é a principal conclusão do estudo “Indo ao encontro das demandas do consumidor inteligente”, realizado pela divisão de consultoria da IBM. Foram pesquisados cerca de 30 mil consumidores em seis países, três economias maduras e três emergentes, sendo uma delas a do Brasil.

“O estudo mostra que o consumidor está cada vez mais informado, com acesso a diferentes tecnologias (celular, TV digital, quiosque e Internet) e, por isso, cada vez mais exigente”, afirma Alejandro Padron, líder da área de consultoria da IBM Brasil para o segmento de varejo. “O varejista precisa se preparar para esse cenário - em que o consumidor é o protagonista - investindo em múltiplos canais de venda e tecnologias que os consumidores querem usar, especialmente com foco na chamada Geração Y”, completa.

Outra tendência apontada pelo estudo é que os empresários deste setor devem considerar a tecnologia como um caminho para se diferenciar e atender às demandas e preferências dos consumidores, integrando todos os canais numa única experiência de compra. “Os consumidores querem comprar usando múltiplas tecnologias e os brasileiros, em especial, estão mais abertos às novidades. 68% dos entrevistados afirmaram que seguiriam um varejista numa rede social”, exemplifica Padron.

No Brasil a pesquisa contou com cerca de três mil entrevistados, sendo que 71% afirmaram estarem dispostos a recompensar o varejista com fidelidade e até mesmo pagar um pouco mais por serviços personalizados e promoções customizadas. “Os consumidores comunicam-se entre si e sabem o que querem. Para conquistá-los é preciso acessá-los por meio de seus canais preferenciais. Por isso, as tecnologias estão reformatando o setor”, afirma.

Os consumidores vão definir o futuro do varejo, criando oportunidades de inovação para as redes ampliarem seus canais alternativos. O estudo apontou ainda que 96% dos brasileiros acessam a Internet para pesquisar preços, 50% estão dispostos a usar duas ou mais tecnologias para realizar suas compras e mais de 80% têm o desejo de colaborar e co-criar na oferta de serviços e projetos de merchandising.

Outros números da pesquisa:
* 75% dos brasileiros entrevistados fazem compras pela internet;
* 48% estão dispostos a usar quiosques, especialmente para obter mais informações sobre o produto;
* 32% usariam a TV digital, sendo que 80% comprariam efetuando apenas um clique no controle remoto;
* 20% usariam o telefone para realizar compras, principalmente para checar e comparar preços entre lojas concorrentes.

“Os varejistas não podem esquecer que a atitude do consumidor é formatada pela experiência cumulativa de compras numa loja e também pelos hábitos futuros. Investir nos anseios deste público contribui na projeção de novos negócios”, resume Padron.

Fonte: Revista Novarejo

Loja megasustentável é sucesso na MegaMatte

Unidade foi projetada com recursos que preservam o meio ambiente

A rede carioca de lanchonetes MegaMatte inaugurou sua primeira unidade MegaSustentável da marca, em Itaim Bibi, São Paulo. Preocupada em fazer mais pelo planeta a loja foi projetada com os seguintes recursos: madeira certificada, telhas ecológicas, tintas a base de água com baixo nível de COV, economia de água com torneiras com sensores e temporizadores, coleta de água da chuva, energia solar para o aquecimento de água e coleta seletiva.

A unidade, de aproximadamente 100 m², conta ainda com torneiras com sensores e temporizadores para controle de vazão e coleta seletiva de lixo. Sempre com propostas inovadoras a MegaMatte fabrica artesanalmente seu mate com erva-mate orgânica, com um fórmula livre de conservantes ou xaropes.

De acordo com a diretora executiva da rede, Fátima Rocha, o investimento feito pela rede nesta loja foi de aproximadamente R$ 350 mil. A diferença no gasto de construção foi maior por conta do tamanho da unidade (o custo de R$ 250 mil é estimado para lojas de 60 m²), do que pelo investimento nos materiais sustentáveis em si.

A receptividade do público para esta unidade 'verde' tem sido positiva, uma vez que as pessoas estão gostando de saber que comprar alimentos em um local que foi pensado para respeitar o meio ambiente.

“Tivemos um retorno bastante positivo de nossos clientes e parceiros. Esse é um projeto que vai muito ao encontro da nossa filosofia”, ressalta Fátima Rocha.

O melhor, o preço dos produtos vendidos nesta loja é tabelado, ou seja, é o mesmo das demais unidades MegaMatte no estado de São Paulo.

Segundo o Gerente de Marketing da MegaMatte, Rodrigo Abrantes, a loja do Itaim Bibi serve como laboratório e a conversão das demais lojas está nos planos da rede a médio prazo.

“A MegaMatte tem por objetivo reforçar o seu posicionamento na cabeça do consumidor, deixando claro a sua missão e seus valores ligados a sustentabilidade, saúde e bem-estar com o desenvolvimento desse tipo de ação”, finaliza.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Quarta maior em eletrodomésticos, Lojas Cem está na contramão do setor

Quarta maior em eletrodomésticos, Lojas Cem está na contramão do setor
Empresa não quer fazer parte da consolidação, não está na internet, sequer tem empréstimo em banco - e está entre as mais lucrativas

O último ano foi especialmente agitado para o varejo nacional. Primeiro, a rede Pão de Açúcar comprou a carioca Ponto Frio. Depois, se associou à Casas Bahia (até o fechamento dessa edição, o acordo entre as empresas estava sendo rediscutido). Como reação a esses movimentos que colocaram a empresa de Abílio Diniz no topo do setor de eletroeletrônicos, as cadeias Insinuante e Ricardo Eletro anunciaram uma fusão há cerca de dois meses. Terceira colocada na nova configuração do setor, a Magazine Luiza já anunciou que pretende, por sua vez, fazer aquisições, abrir lojas em ritmo agressivo e, eventualmente, ir à bolsa.

No meio de tamanha euforia, é difícil não se surpreender com a postura da Lojas Cem, a quarta maior rede de varejo de eletroeletrônicos do País, com faturamento de R$ 1,6 bilhão. "Qualquer consultor vai dizer que o importante nesse negócio é o faturamento e o número de lojas. Mas, para nós, o importante mesmo é o lucro", diz Natale Dalla Vecchia, 73 anos, fundador e principal executivo da empresa.

Na contramão do setor, a Lojas Cem não quer ser vendida, não aceita propostas de fusão e muito menos analisa alvos para compra. Conforme o Estado apurou, a companhia já foi sondada por vários fundos de participações em empresas com a intenção de se tornar acionistas. Segundo fontes próximas à varejista, há cerca de dois meses, executivos do Itaú BBA visitaram a Lojas Cem para sondar a possibilidade de negócios com o Pão de Açúcar (procurados, o banco não se manifestou e o Grupo Pão de Açúcar informou que não procurou a Lojas Cem). O assédio não é de hoje. Cinco anos atrás, a mexicana Coppel, que tinha a intenção de se instalar no Brasil, se aproximou da rede (a empresa estrangeira acabou abrindo suas primeiras lojas no início do ano, em Curitiba). Repetida como mantra, a resposta para propostas desse tipo é sempre não.

A lógica por trás dessa posição é que, ao se juntar com outra rede, a Lojas Cem tornaria-se menos saudável financeiramente, já que assumiria as ineficiências alheias. De fato, perto de seus concorrentes, a Lojas Cem se destaca pela rentabilidade. A pedido da reportagem, a Felisoni Associados e o professor Claudio Felisoni de Angelo, presidente do conselho do Programa de Administração de Varejo (PROVAR) da FIA, compararam o balanço do ano passado da companhia com o desempenho de Ponto Frio, Magazine Luiza, Colombo e Pernambucanas (as empresas Casas Bahia, Insinuante e Ricardo Eletro não divulgam seus balanços). A conclusão foi que a Lojas Cem é a rede mais lucrativa e a menos endividada.

Números. Segundo o levantamento, a taxa de lucro operacional da companhia é de 8,2%, contra 5,6% do Magazine Luiza e -7,3% do Ponto Frio. A Lojas Cem tem apenas 27% de seu ativo financiado por terceiros, contra 88% do Magazine Luiza e 59% da Colombo, por exemplo. "Os porcentuais indicam que a Lojas Cem opera fundamentalmente com capital próprio, comportamento diferente do observado em outras empresas no mesmo mercado", diz o relatório.

A explicação para esses resultados está no conservadorismo extremo adotado na gestão da companhia. A Lojas Cem não tem nenhum empréstimo em banco. Ao contrário de seus concorrentes, a empresa não fez acordos com bancos para financiar os clientes. Na Lojas Cem, o crédito ao consumidor é concedido pela própria companhia. Não há sequer um setor estruturado de análise do perfil dos clientes, como de costume no varejo. O próprio gerente da loja se encarrega de aprovar ou não os pedidos de parcelamento. O principal critério é o histórico do cliente (80% das vendas são realizadas para consumidores que já compraram na rede no passado). "Como não pagamos juros para os bancos, podemos oferecer taxas mais baixas aos clientes", diz Cícero Della Vecchia, sócio da empresa.

Com sede em Salto, no interior de São Paulo, a Lojas Cem tem seu controle dividido em parte iguais entre quatro ramos da família Della Vecchia: os irmãos Natale, Cícero, Giácomo e o cunhado Roberto Benito (alegando questões de segurança, nenhum dos acionistas aceitou tirar foto para essa matéria). Os quatro ocupam cargos de diretoria - não há presidente na empresa - e dão expediente diariamente. Abaixo desse grupo estão os gerentes que trabalham na sede da companhia, todos com mais de 20 anos de casa. Mesmo os gerentes de loja são forjados sob a cultura da Lojas Cem e passam, obrigatoriamente, pela função de vendedor. "Se o melhor gerente da Casas Bahia quiser trabalhar aqui, terá de ser vendedor primeiro", diz Natale.

A Lojas Cem é a única entre os grandes varejistas que não vende pela internet. "Esse negócio exige uma estrutura própria e o volume de vendas ainda não compensa", diz Cícero. A empresa decidiu ficar de fora, ainda, de outra tendência do setor: a de usar as lojas como canal de vendas para produtos que vão além dos eletrodomésticos, como seguros e a garantia estendida. "Ainda temos lucro com o negócio principal, não precisamos desses serviços."

Às estratégias de negócios peculiares, soma-se o modelo de gestão espartano. Os quatro acionistas da empresa dividem a mesma sala sem secretária. Cada um recebe o salário de R$ 5 mil. Em 2000 - cinquenta anos após a fundação da empresa - decidiu-se começar a distribuir parte do lucro da operação, no caso 6%. No ano passado, esse porcentual resultou em cerca de R$ 1 milhão para cada sócio. Os donos da Lojas Cem recebem algo semelhante aos diretores dos concorrentes. "Esse é um valor compatível com a remuneração de altos executivos de grandes varejistas", diz Leonardo Salgado, da consultoria Hay Group. "Para o nosso estilo de vida, isso é muito", diz Natale. Nenhum dos integrantes da família Dalla Vecchia tem barco, jatinho ou casa em Miami (os clássicos da ascensão ao clube dos ricos).

Desafios. Ao fazer exatamente o oposto de um setor inteiro, a Lojas Cem não escapa, obviamente, de críticas. "Apesar do lucro alto e do endividamento baixo, a empresa não está em uma situação confortável", diz Felisoni. "A pouca alavancagem é um limitador para o crescimento." A Lojas Cem nunca teve a intenção de figurar entre as maiores empresas do setor. Mesmo assim, crescer - a ponto de, pelo menos, acompanhar os concorrentes - não é uma coisa da qual se pode fugir nesse setor.

"É impossível se proteger das consequências da consolidação. Quando as empresas se fundem, passam a ter melhores condições de negociar com os fornecedores e podem praticar preços mais baixos, roubando vendas das empresas menores", diz Renato Prado, analista de varejo da Fator Corretora. "Além disso, empresas fortalecidas podem, propositalmente, traçar estratégias de mercado que asfixiem seus concorrentes."

Os planos de crescimento da Lojas Cem são modestos na comparação com os concorrentes. Hoje, a empresa tem 180 lojas e só atua em um raio de 600 quilômetros desde o centro de distribuição, que fica em Salto. Preferencialmente, as lojas são instaladas em cidades do interior dos Estados do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. O limite desse centro de distribuição, segundo os cálculos dos acionistas, será atingido com 350 lojas. Até que a empresa chegue a esse ponto devem-se passar dez anos, estimam. Um pouco antes disso, em sete anos, o faturamento deve dobrar. A Máquina de Vendas, empresa resultante da fusão entre Insinuante e Ricardo Eletro, por exemplo, espera dobrar sua receita em apenas quatro anos.

Até agora, a Lojas Cem tem conseguido condições comparáveis às de concorrentes maiores nas negociações com fornecedores graças a duas estratégias: o pagamento em prazos curtos e o estilo linha dura. Para conseguir descontos, a empresa usa como arma o pagamento rápido. "Não negociamos prazo como os demais. Pagamos logo e queremos o melhor preço", diz Cícero. Ao mesmo tempo, a empresa faz pesquisas quinzenais para descobrir quais são os preços praticados pelo resto do setor. Se os números demonstrarem condições de compra muito mais favoráveis para os concorrentes, o fornecedor é duramente cobrado.

Um exemplo extremo dessa situação foi a interrupção de três anos no relacionamento com a Electrolux, segunda maior fabricante de eletrodomésticos do País. Segundo executivos próximos, a Lojas Cem só voltou a comprar da empresa europeia no início de 2010, depois que as condições de negociação tornaram-se mais favoráveis. Com o aumento na distância entre a empresa e os concorrentes, porém, a pergunta é por quanto tempo esse tipo de estratégia terá o mesmo efeito. "Acreditamos que a própria indústria não quer ter apenas poucos compradores gigantes", acredita Cícero.

Sucessão. Por fim, a Lojas Cem ainda precisa enfrentar um desafio iminente: a sucessão no controle. Seguindo mais uma vez uma lógica particular, a empresa não pretende profissionalizar a gestão. Um grupo de sete membros da segunda geração da família Dalla Vecchia já trabalha junto com os quatro acionistas. A intenção é que a passagem de bastão do primeiro para o segundo grupo ocorra de forma gradual, sem sobressaltos. "O problema é que não dá para garantir que o modelo que funcionou para uma geração servirá para outra", diz Wagner Teixeira, sócio e diretor-geral da consultoria Höft-Bernhoeft & Teixeira.

Pelo menos por enquanto, a segunda geração não pretende alterar drasticamente os rumos da empresa. "Nossa tarefa será manter o que foi feito até aqui e dar continuidade ao crescimento sustentável", diz Weber Dalla Vecchia, um dos representantes do grupo. Resta saber agora se a estratégia que trouxe a empresa até aqui é a mesma que a fará prosperar daqui para a frente.


A Lojas Cem em números

Com a consolidação do setor, que se acelerou no final do ano passado, a empresa se tornou a quarta maior rede de eletroeletrônicos do País

R$ 1,6 bilhão foi o faturamento da rede no ano passado

80% é a porcentagem de clientes que já fizeram compras na Lojas Cem mais de uma vez

8,2% foi a taxa de lucro operacional registrada pela empresa em 2009

180 é o número de lojas da empresa nos Estados de São Paulo, Minais Gerais, Paraná e Rio de Janeiro

Fonte: O Estado de S. Paulo

Preço no varejo paulistano sobe 0,33% em abril, aponta Fecomercio

Preço no varejo paulistano sobe 0,33% em abril, aponta Fecomercio
 IPV revela ruptura com tendência de desaceleração no ritmo de aumento dos preços no varejo que vinha sendo notada ao longo do primeiro trimestre de 2010

Preço dos combustíveis em queda e dos alimentos em nova alta. É o que revela o Índice de Preços no Varejo (IPV), calculado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio), ao constatar elevação de 0,33% na capital paulista em abril na comparação com o mês anterior. No ano, o indicador acumula alta de 1,46% e, nos últimos 12 meses, a variação foi de 1,86%.

O resultado do IPV, em abril, quebra a tendência de desaceleração no ritmo de aumento dos preços no varejo que vinha sendo notada no primeiro trimestre do ano. Dos 21 grupos analisados pelo indicador, sete registraram queda em seus preços médios: Combustíveis e Lubrificantes, Feiras, Eletroeletrônicos, Móveis e Decorações, Eletrodomésticos, Brinquedos e Material de Construção.

Julia Ximenes, assessora econômica da Fecomercio, destaca a retração de 2,23% no setor de Combustíveis e Lubrificantes, a segunda consecutiva no ano. “O início da safra de cana-de-açúcar e a alteração da composição da gasolina, que voltou a ter 25% de álcool anidro em sua fórmula, foram os fatores a puxar os preços dos combustíveis para baixo em abril”, explica Julia. “Em média, o etanol ficou 11,16% mais barato, e a gasolina, 1, 08%.”

O setor de Feiras também teve uma queda expressiva na comparação com o mês anterior. No primeiro recuo registrado em 2010, o segmento apresentou variação de 2,25%, sendo que os preços de verduras, frutas e legumes ficaram, respectivamente, 8,89%, 2,7% e 0,58% mais baratos. Mesmo com a retração de abril, o setor acumula elevação de 9,12% no ano.

Os equipamentos eletroeletrônicos tiveram a sexta queda consecutiva, apresentando recuo de 0,96% em relação a março. Segundo Julia, o resultado do segmento em abril se deve às liquidações de queima de estoque. Mesmo caso do setor de Móveis e Decorações, que, este mês, registrou recuo de 0,38% em comparação com o anterior.

Os preços dos produtos dos departamentos de Eletrodomésticos, Brinquedos e Material de Construção caíram 0,33%, 0,37% e 0,04%, respectivamente.

Alta nos alimentos

O principal motivo para o resultado do IPV em abril foi, novamente, o incremento registrado nos preços dos alimentos. Em abril, os Supermercados apresentaram impulso de 1,11%, sendo que, no ano, acumula alta de 3,58%. A assessora econômica da Fecomercio explica que o principal fator para a elevação dos preços é a instabilidade climática. “Os destaques desse setor são os tubérculos e os cereais, que tiveram alta de 16,87% e 13,76%, respectivamente”, aponta Julia.

Os medicamentos, que tiveram o reajuste dos preços autorizado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), alavancaram a variação de 1,61% no setor de Drogarias e Perfumarias. Os preços dos produtos de Perfumaria saltaram 0,49% e os de Drogaria, 1,87%; sendo 1,88% em Remédios e 0,45% em Produtos Farmacêuticos.

Os Açougues, motivado pelos bons resultados no mercado externo, registrou alta de 1,63% em relação a março, sendo que o valor das carnes suínas avançou 1,99% e o das carnes bovinas, 1,94%. No mesmo período, os produtos vendidos em Padarias apontaram elevação de 0,67%. “As condições climáticas nas regiões produtoras do leite foram as principais causas do aumento, sendo que os preços de Frios e Laticínios tiveram impulso de 1,77% este mês”, explica a economista.

Julia ainda destaca que, com a chegada de temperaturas mais amenas, o setor alimentício deve manter a tendência e continuar apresentando incrementos nos preços de seus produtos. “Nos próximos meses, os alimentos devem continuar sendo o vilão que alavancará os resultados do IPV”, prevê a economista.

Os setores de Vestuário, Tecidos e Calçados, Veículos, Materiais de Escritório e outros, Autopeças e Acessórios, Relojoarias e Floriculturas ficaram, respectivamente, 0,34%, 0,12%, 1,31%, 0,33%, 0,92% e 3,35% mais caros.

Dia dos Namorados no Grupo Pão de Açúcar

Dia dos Namorados no Grupo Pão de Açúcar
Ponto Frio, Extra e o e-commerce das duas redes também se prepararam para a data com reforço nos estoques e foco nos itens de tecnologia e beleza. Em telefonia, os celulares com duo chip e TV Móvel são a grande aposta para a data e devem crescer 30%. Os notebooks devem ter alta de 50%. E, na linha da emoção, a comercialização de porta retratos deve ser 30% superior ao ano passado. Para as namoradas, as chapinhas e secadores devem vender 20% mais do que 2009.

Para brindar a data, a empresa aposta em vinhos e espumantes. A expectativa é de alta de 20% e e 35%, respectivamente, somente em junho, ante o mesmo mês do ano passado. As bebidas acompanham os fondues e queijos, que também devem ter suas vendas em alta. Impulsionados pelo frio e pela data, as vendas de fondues devem ter elevação de 30%.

Na rede Pão de Açúcar, são 1300 caixas de foundue da linha La Fondue President, 100 mil caixas de Fondue de Queijo Suíço Tigre e 50 mil caixas da linha Fondue Suíço – Emmi Provençale, Emmi Gorgonzola, Emmi, Emmi Chocolate e Emmi Appenzeller. Nos supermercados, também estão disponíveis kits especiais compostos por vinhos + fondue . Em queijos há opções de todas as procedências, com o lançamento do queijo tipo neuschatel em formato de coração. Para facilitar a escolha algumas lojas como Real Parque, Gabriel Monteiro, Ricardo Jafet, Oscar Freire e Vila Clementino já contam com o serviço do especialista em queijos, treinados pelo Maître Fromager Jair Jorge Leandro.

As flores também devem atrair os consumidores para as lojas. A rede acredita que as rosas devem vender 25% a mais esse ano se compararmos com o mesmo período de 2009.

Livro Sugerido: Por que elas compram - Bridget Brennan

Por que elas compram é o estudo mais atual e completo sobre o papel do sexo feminino no ato da compra.

O livro, da Campus-Elsevier, oferece um roteiro altamente legível destinado a ajudar profissionais de marketing e de vendas a entender as crenças, os valores e a sensibilidade feminina.

A obra oferece insights preciosos e incomuns, tanto a respeito da maquiagem psicológica das mulheres consumidoras, quanto dos dados demográficos que qualquer pessoa que trabalhe no mercado precisa saber para ter condições de executar estratégias de marketing nesse desafiador ambiente econômico.

A mulher é responsável pela maioria das compras em uma grande parte do mundo. Justamente no momento em que os executivos conseguiram compreender a tecnologia, descobrem que há ainda outra habilidade de que irão precisar: compreender as mulheres. Isso nem sempre é fácil, como muitos viram no filme “Do que as mulheres gostam”, estrelado por Mel Gibson. O sexo é o determinante mais poderoso de como a pessoa vê o mundo e tudo que ele contém. É mais forte que idade, renda ou raça.

Embora existam montanhas de pesquisas feitas a cada ano para segmentar os consumidores e analisar seu comportamento e compra, é raro encontrar uma que isole a mais importante informação específica, que prevalece sobre todas as demais: o sexo do comprador. É impressionante a psicologia do sexo do consumidor, quando é de conhecimento de todos que homens e mulheres têm visões completamente diferentes do mundo.

“No mundo inteiro, são as mulheres que compram virtualmente tudo o que existe à venda. As mulheres fazem a compra diretamente ou são influenciadoras-chave em cerca de 80% da todas as vendas de bens de consumo efetuadas somente nos EUA. Contudo, quem será que comercializa e vende esses produtos para as mulheres? A resposta: homens, em sua maioria absoluta. Eles ocupam 85% das posições gerenciais das 500 maiores empresas listadas pela revista Fortune, a maioria (quase 70%) dos postos corporativos de diretor de marketing e de gerente executivo de vendas, e mais de 90% dos postos mais altos da diretoria de criação nas maiores agências de propaganda”, afirma a autora Bridget Brennan.

O livro foi concebido para ensinar aquilo que as escolas de negócios não ensinam: como modelar produtos, argumentos de venda e campanhas de marketing que tenham apelo para compradores do sexo feminino. Mulheres são fêmeas em primeiro lugar e consumidoras em segundo. A capacidade de entender sua estrutura cerebral, prioridades, visões de mundo e padrões demográficos poderá dar à empresa uma das mais genuínas vantagens competitivas que jamais poderia obter. E a recompensa por ter apelo para compradores do sexo feminino é que, quando isso for bem feito, os compradores do sexo masculino também ficarão satisfeitos – e eles não perceberão que não faziam parte do público-alvo principal.

sábado, 22 de maio de 2010

Ampliado prazo de adaptação para instalar tarjas em vitrines de estabelecimentos

Ampliado prazo de adaptação para instalar tarjas em vitrines de estabelecimentos
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, aumentou de 30 para 90 dias o prazo para que os varejistas obedeçam a nova medida

A lei número 14.886, datada de 14 de janeiro de 2009, criada pelo ex-jogador de futebol e ex-vereador Ademir da Guia, ganhou um novo capítulo. Entidades que representam o varejo conseguiram, junto ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, a prorrogação do prazo, de 30 para 90 dias, da entrada em vigor da lei que exigia a instalação de tarjas sinalizadoras ao longo de vitrines e estruturas transparentes semelhantes em lojas de rua e shoppings, supermercados, bancos, entre outros estabelecimentos da capital paulista.

A “Lei das Vitrines”, como é chamada por muitos, só precisará ser seguida a partir de 4 de agosto, quando terminará o período de adaptação dos lojistas à nova regra. Após esta data, os infratores serão punidos em R$ 500,00, dobrada em caso de reincidência, com o valor sendo reajustado anualmente pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA.

A alteração na vitrine deverá ter, no mínimo, 50 centímetros, e no máximo, um metro e meio; largura mínima de dois centímetros; além de apresentar cor ou textura que a destaque da vitrine ou material dotado de transparência. O Decreto nº 51.455, publicado em 4 de maio no Diário Oficial do Município de São Paulo, tem como objetivo principal a prevenção de acidentes dos consumidores do varejo de diferentes âmbitos.

Para a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), a medida é totalmente absurda, mas achou positiva a extensão do prazo. “Como entidade que representa estes lojistas, achamos o decreto totalmente inaceitável, pois sequer fomos consultados para debater o assunto, mas pelo menos o bom senso surgiu nesta história, e o prazo para adaptação foi ampliado, pois assim os lojistas poderão sofrer menos com as consequências desta lei”, comenta o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun.

Fecomercio estreia novo portal

Fecomercio estreia novo portal
Site tem design diferenciado, com navegação dinâmica e inteligente

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) inaugurou no último dia 20 seu novo portal, com distribuição dos conteúdos reformulada e integrada aos estudos, pesquisas, eventos e outros acontecimentos relacionados à Federação.

Uma das novidades do portal é o leitor de RSS, durante todo o tempo de navegação o usuário poderá ver as últimas notícias no topo da página. Além disso, a página principal (homepage) do portal tem como novidade o menu expansível para acomodar maior número de informações sem interferir na composição do site.

A página contempla quatro seções principais:

- Estudos: dados, pesquisas e indicadores, produzidos pela Fecomercio, acessíveis para todos os usuários;
- Serviços: área voltada para checagem de serviços e consultorias que a Federação oferece aos empreendedores;
- Eventos: calendário completo com todos os seminários, palestras e debates confirmados;
- Institucional: conheça a história da entidade e todas as informações relativas à sua atuação mais recente.

Cada seção da homepage exibe um destaque principal e dois secundários. Quando um determinado assunto é selecionado, surgem extensões com outros materiais relacionados ao tema, tornando a navegação mais dinâmica.

O usuário também pode aumentar ou diminuir o tamanho do texto de acordo com sua preferência. O novo portal da Fecomercio, assim como o antecessor, possui “Sala de Imprensa” voltada para os profissionais da comunicação. Além dos releases divulgados, agora há um Banco de Imagens com fotos dos eventos realizados.

Para conferir as mudanças, acesse: http://www.fecomercio.com.br/

Sobre a Fecomercio

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Representa empresas e congrega 152 sindicatos patronais, que abrangem mais de 600 mil companhias que respondem por 11% do PIB paulista – cerca de 4% do PIB brasileiro – gerando em torno de cinco milhões de empregos.

Santana Parque Shopping promove corrida

Com o objetivo de engajar o público a participar da primeira corrida Santana Parque Run, que vai percorrer as principais avenidas da Zona Norte, a Promovisão criou peças com chamadas convidativas, cores e ilustrações que remetem à sustentabilidade e incentivam a prática de exercícios ao ar livre. O circuito de 5 quilômetros acontece dia 23 de maio em São Paulo e pretende levar para as ruas mais qualidade de vida e bem-estar.

Para divulgação foram criados cartazes, volantes, spots para rádio interna e comunicação digital. O plano de mídia inclui anúncios em jornais regionais e no Jornal da Tarde. A Promovisão, agência do Santana Parque Shopping, também apoia a corrida.

Serviço:
Santana Parque Run
Data: 23/05/10
Horário: 8h00
Local: Rua Conselheiro Moreira de Barros, 2.780, São Paulo (SP)
Informações: (11) 2238-3034

C&A terá jeans "premium" criado por ex-dono da Zoomp

A rede de lojas C&A contratou o ex-dono da Zoomp, Renato Kherlakian, para criar uma marca de jeans a ser lançada em setembro.
"É um jeans 'premium'. Tive de mudar os fornecedores da C&A, pois não atingiam o meu padrão de qualidade", explica o estilista.
Ao todo, serão cem peças, entre calças, shorts e bermudas, tanto masculinas quanto femininas. Os modelos terão números intermediários, como 37 e 39.
Os preços das calças ficarão em torno dos R$ 150.

A informação é da coluna Mônica Bergamo, publicada na Folha
(link no título)

Shopping Center D inaugura Loja do Pânico

O Shopping Center D, centro de compras da zona norte de São Paulo, inaugurou mais um novo e importante reforço em seu mix de lojas: “Loja do Pânico”.

Instalada no piso 1, a mais nova operação do shopping disponibilizará uma linha completa de produtos licenciados com os personagens do programa Pânico na TV. Entre os artigos disponíveis estarão bonés, camisetas, chinelos, bolsas e sandálias que também trarão frases de efeito e logomarcas da rádio Jovem Pan – detentora da marca. “Além de diversificar o nosso mix de lojas, a loja funciona como mais um atrativo para o público jovem que frequenta o nosso empreendimento”, diz Elizabeth G. Coutinho, gerente de Marketing do shopping.

Parceria

Ao ceder espaço para a instalação da “Loja do Pânico”, o Shopping Center D contará com ampla divulgação na programação da Rádio Jovem Pan FM. Até novembro, a emissora levará ao ar spots institucionais com conteúdo exclusivo sobre o shopping. Além disso, divulgará a marca Shopping Center D por meio de suas vans promocionais e em duas chamadas diárias nos próprios anúncios da “Loja do Pânico” que estará funcionando no shopping.

Fonte: AdNews

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Brastemp promove experiências com consumidores no PDV

A Brastemp aposta em uma estratégia promocional diferenciada no ponto de venda para divulgar com visibilidade a nova linha de fogões Brastemp Ative! Timer. As ações, criadas e operacionalizadas pela NewStyle, acontecem em lojas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre.

O objetivo é ressaltar as vantagens do Timer Digital Sonoro, que avisa quando o prato está pronto, permitindo que os consumidores façam outras tarefas sem precisar ficar vigiando o fogão.

Para que o público entenda melhor esse principal diferencial do produto - a facilidade do Timer - a agência desenvolveu uma ativação experiencial no PDV, que vai impactar os consumidores ao participarem de uma experiência que poderiam viver em casa se não tivessem que ficar em frente ao fogão.

Numa estação portátil (display) com promotoras, cronômetro e computador, o participante escolhe um ícone interativo na tela que sugira uma situação que poderia viver no seu tempo livre. Essa experiência permite que o consumidor conheça, na prática, como seria dispor do tempo em que estaria acompanhando um preparo. Acionado o cronômetro, ele será fotografado e o software aplicará sua foto na cena escolhida.

Para reforçar a divulgação da nova campanha, foram criados também materiais de comunicação e uma ação de Compre e Ganhe. Os consumidores que comprarem um fogão da nova linha Brastemp Ative! Timer levam grátis uma bolsa exclusiva da marca.

Inscrições abertas para o processo seletivo da Faculdade da CDL/BH

Inscrições abertas para o processo seletivo da Faculdade da CDL/BH
A Fatec Comércio, faculdade da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) está com inscrições abertas para o processo seletivo dos cursos superiores de Tecnologia em Marketing, Gestão Financeira, Gestão de Recursos Humanos e Logística. As inscrições podem ser feitas pelo site (www.fateccomercio.edu.br) ou na Central de Atendimento da Fatec Comércio (Av. João Pinheiro, 515, bairro Funcionários). As aulas terão início em agosto de 2010.

Os cursos superiores são realizados na metade do tempo dos cursos comuns, em dois anos, porém com o dobro de conhecimento. A Fatec Comércio oferece, ainda, os cursos de pós-graduação nas áreas de Gestão de Negócios, Gestão Estratégica de Varejo e Gestão de Recursos Humanos, em apenas seis meses. Uma grande vantagem é que 20% da carga horária das disciplinas são realizadas a distância.

A Fatec Comércio tem inúmeros diferenciais, como reposição de aulas através de gravação de áudio, salas climatizadas com equipamentos multimídia, biblioteca virtual e rede de internet sem fio. O aluno ainda tem convivência com os maiores empresários do varejo.

Informações e inscrições no telefone (31) 3249-1660

Sucesso de venda, celulares que captam sinal de TV são a nova mania para a Copa do Mundo

Sucesso de venda, celulares que captam sinal de TV são a nova mania para a Copa do Mundo
As vendas de TVs nesse cinco primeiros meses de 2010 surpreenderam e cresceram mais de 100% nas lojas do Ponto Frio e Extra se comparado com o mesmo período do ano anterior. Mas nem todo mundo vai conseguir parar em casa para assistir aos jogos da seleção. Uma alternativa que surge e que já é uma realidade de vendas nas lojas do Grupo Pão de Açúcar são os celulares com TV móvel. A tecnologia permite que os consumidores acessem toda a programação aberta que assistem normalmente em suas TVs em casa ou no trabalho.

A expectativa do Grupo Pão de Açúcar é que as vendas desses aparelhos em maio e junho sejam 3 vezes maiores do que os mesmos meses de 2009. Para isso, as redes reforçaram o estoque e disponibilizam 5 modelos diferentes com a funcionalidade. Um dos aparelhos mais procurados foi o recém lançado ZTE N280, celular Touch Screen GSM que incorpora a solução Telegent para a captura de imagens de TV aberta. O lançamento praticamente sumiu das prateleiras do Ponto Frio em menos de um mês de comercialização, mas os estoques já foram reabastecidos e o produto voltou a ser comercializado nas lojas de todo o país.

“O Grupo Pão de Açúcar se antecipou aos concorrentes oferecendo o que o mercado tem de mais atual em tecnologia e design. Já iniciamos a reposição dos nossos estoques para atender ao aumento da demanda decorrente da proximidade da Copa do Mundo. Esse produto deve vender 3 vezes mais em maio e junho do que o mesmo período de 2009“, afirma Claudia Flores, gerente de compras do Grupo.

Em 2009, segundo a consultoria Forward Concepts, os chips da Telegent representaram mais da metade das soluções para TV vendidas no mundo.

“Varejistas lideres de Mercado, como é o caso do Ponto Frio desempenham um papel relevante na difusão de novas tecnologias usando a TV para os consumidores. Celulares com TV permitem que o consumidor tenha mais opções sobre como receber o conteúdo distribuído por televisões”, diz Samuel Sheng, presidente da Telegent.

Copa faz varejo prever venda até 100% maior

Copa faz varejo prever venda até 100% maior
Por conta da Copa do Mundo da África do Sul, algumas empresas do varejo projetam crescimento superior a 100% de venda em comparação à última Copa. Isso porque, o País está com a economia ainda mais aquecida. A pesquisa "Perspectiva Empresarial para a Copa do Mundo", da Serasa Experian, reforça esse cenário. De acordo com o levantamento, 74% das grandes varejistas apostam em ampliação das vendas. Entre as redes médias, 56% esperam faturamento maior, enquanto 48% das pequenas apostam nesse cenário.

Para alavancar as vendas e criar vantagens competitivas, o varejo reforça as promoções, que, de acordo com a pesquisa da Serasa, são apontadas por 66% dos empresários como forma de atrair o consumidor. Os produtos mais procurados na Copa são artigos para torcida, com 53%, televisores aparecem com 22% da preferência, e bebidas e petiscos se situam na pesquisa com 16%. A expectativa de bons resultados está presente em todos os segmentos do varejo.

O McDonald's, maior rede de fast-food do mundo e patrocinador do evento, lançou neste mês sanduíches inspirados em países participantes da Copa. Com isso, esperam aumento de 17% nas vendas. Em 12 dias de promoção, a multinacional já vendeu meio milhão de unidades, segundo Roberto Gnypek, diretor de Planejamento e Marketing da Arcos Dourados, empresa que administra a marca McDonald's na América Latina. Outra aposta da rede para a data é a promoção que promete premiar clientes que acertarem o resultado final da competição esportiva com prêmios de até R$ 2 milhões.

Outro importante ponto de comércio do País, a região da Rua 25 de Março, em São Paulo, prevê aumento de 10% de venda em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a União dos Lojistas da 25 de Março e Adjacências (Univinco). A loja Armarinhos Fernando crê que as vendas aumentarão cerca de 8% em relação à Copa de 2006. "As vendas já estão atendendo as nossas expectativas" afirma Ondamar Ferreira, gerente-geral da loja.

Para isso o estabelecimento reforçou os estoques e negociou um grande lote de chinelos nas cores da seleção brasileira, no valor para venda de R$ 4,90. Ferreira afirma que este item tem sido destaque nas vendas dos produtos alusivos ao evento.

A Semaan, com duas unidades na 25 de Março, tem uma loja só para atender à demanda por produtos alusivos à Copa, que tem mais de 400 itens. Rodrigo Movawad, diretor comercial da loja, que tem mais de 30 mil clientes cadastrados, diz que tem grandes compradores, como a livraria Saraiva e sites da internet. Por essa razão, os produtos para a torcida já representam 20% das vendas totais da loja. "Nossa expectativa é de 100% de crescimento, ou seja, dobrar o valor de vendas das últimas Copas", diz Movawad.

O líder supermercadista Pão de Açúcar, com as bandeiras do Extra e Ponto Frio, projeta crescimento de 110% ante o primeiro semestre de 2009 para o setor de eletro. A rede aposta na linha LED e Full HD como grande destaque de vendas para esta copa. O Grupo antecipou em 60% as compras para o estoque de TVs do ano.

Nas lojas do Pão de Açúcar, o diferencial é uma linha com cervejas dos maiores vencedores de Copas do Mundo - 400 mil unidades foram importadas para os supermercados da rede. A expectativa é um aumento de 40% nas vendas do produto em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, 40 itens de marca própria do grupo, que fazem parte dos petiscos, vêm com a campanha "Hexa Brasil", com o que se espera um aumento de 30% das vendas.

A grande aposta da francesa vice-líder de mercado, Carrefour, para alavancar as vendas é no segmento de eletro, que já apresenta crescimento. "O aumento nas vendas de vídeo, estão beirando os 70%", afirmou Fábio Régis, diretor de eletro da rede. A varejista oferece, até o fim do mês, parcelamento de TVs LED 55 em até 30 vezes sem juros. A novidade é que a rede cobre o limite de crédito oferecido pela concorrência, e ainda amplia em 15% esse limite no cartão. "As TVs de LED fazem parte de sonho de consumo. O que nós fazemos é, além de dar crédito para o cliente comprar, oferecer prazo para o pagamento" explicou Régis.

Outro atrativo do Carrefour é a edição comemorativa do cartão da rede, com novos modelos alusivos à Copa. No setor de têxtil, são mais de 50 itens diferentes relacionados à Copa. O bazar já apresenta aumento de 35% nas vendas de produtos para torcer no Mundial, em relação a 2006. São mais de 200 mil cornetas, 100 mil bandeiras e 300 mil bolas.

A norte-americana Walmart em acordo com a Fifa, é a rede oficial da federação no varejo brasileiro. A rede tem 50 pontos-de-venda espalhados no Brasil com mais de 30 itens exclusivos oficiais da Fifa, entre os quais, mochilas, chinelos, camisetas, bolas de futebol e o Leopardo Zakumi, mascote da Copa. "Nos preparamos para a Copa do Mundo e acreditamos no aumento de vendas de 30% em relação à Copa de 2006", disse Sandra Haddad, diretora comercial do grupo no Brasil.

Para o consumo de bebidas durante os jogos, a rede crê no aumento de 30% na vendas das bebidas frias e um crescimento de 20% nas vendas de salgadinhos diversos. O grupo ainda aposta no consumo de carnes, projetando uma expansão de 12% para o segmento, em comparação com o ano passado. Já no setor de eletrônicos, a varejista espera vender 40% mais televisores este ano. Para isso, negociou com a Samsung preços mais acessíveis. "Nossos estoques foram abastecidos proporcionalmente e esse processo também é gradual, de acordo com as vendas", explicou Sandra.

A Casas Bahia informou que espera grande aumento das vendas e que está abastecendo os estoques para atender a demanda.

O fator Copa do Mundo promete incrementar as vendas do varejo em até três dígitos. Exemplo disso é o Pão de Açúcar, que, com as bandeiras do Extra e Ponto Frio, projeta crescimento de 110% ante o primeiro semestre de 2009 para o setor de eletro. A rede aposta na linha LED e Full HD como grande destaque de vendas para essa Copa.

A Semaan, com duas unidades na 25 de Março, tem uma loja só para atender a demanda por produtos alusivos à Copa, que tem mais de 400 itens. Rodrigo Movawad projeta dobrar as vendas. "Nossa expectativa é de 100% de crescimento, ou seja, dobrar o valor de vendas das últimas Copas", afirma Movawad.

Pesquisa da Serasa Experian reflete esse cenário. Segundo o levantamento, 74% das grandes varejistas apostam em vendas maiores.

Fonte: DCI

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Ponto Frio ativa comitê de crise

Ponto Frio ativa comitê de crise
Depois do incêndio ocorrido em um dos centros de distribuição (CDs) do Ponto Frio, em Guarulhos (SP), na última quarta-feira, o Grupo Pão de Açúcar acionou seu comitê de gerenciamento de crise e afirma não ter tido prejuízos. O comitê conta com cinquenta executivos e formou uma estratégia que realocou 136 funcionários a uma nova sede administrativa do CD. O estoque perdido, avaliado em R$ 50 milhões, foi coberto pelo seguro, assim como o imóvel e os equipamentos.

Fonte: DCI

Setor atacadista vive euforia e prevê novos recordes este ano

Setor atacadista vive euforia e prevê novos recordes este ano
Se o ano de 2009 foi bom para segmento atacadista distribuidor, que teve faturamento de R$ 131,8 bilhões, as projeções para 2010 são ainda mais otimistas, com expectativa de crescimento de até 30% por parte de redes do setor.A Associação Brasileira de Atacadistas e distribuidores de produtos industrializados (Abad) tem projeção de crescimento de 6% para o segmento em 2010.

Em 2009, o setor cresceu, em termos reais, 4,1% em relação ao ano anterior, acima das expectativas da Abad, que projetava avanço de 3%. A cadeia alimentar varejista movimentou R$ 252,7 bilhões, montante em que 52,2% foram de participação dos atacadistas distribuidores.

Com faturamento superior a R$ 860 milhões em 2009, o Grupo Roldão Atacadista se prepara para crescer 30% neste ano, passando de R$ 1 bilhão em receita. Para isso, investirá cerca de R$ 30 milhões ao longo do ano, com abertura de um centro de distribuição que dentro de 5 meses estará em funcionamento, e com inauguração de três lojas, totalizando 15 unidades no estado. "Até 2012, investiremos em lojas no Estado de São Paulo, mas a partir daí, queremos avançar para todas as regiões do País" afirmou Ricardo Roldão, presidente da empresa.

O Roldão ocupa a terceira posição no ranking geral da Abad no Estado de São Paulo e, no cenário nacional, está em sétimo lugar. A empresa pretende avançar com algumas medidas que vão da contratação de executivos de mercado ao ajuste do mix de produtos, segundo o presidente do grupo. "Isso mostra nossa força no setor, mostra nosso posicionamento. Nós esperamos melhorar nossa posição no ranking e crescer investindo em pessoas e em tecnologia" explica.

Um destaque no ranking da Abad foi a Região Nordeste do País, que registrou crescimento de até 100% de algumas redes do setor.

Hoje o mercado nordestino está em segundo lugar em oportunidades ao segmento atacadista, atrás somente do sudeste do País. No nordeste, o crescimento no consumo foi de 4%. A Grande São Paulo, por exemplo, teve aumento de 2,9% de 2008 para 2009. O termômetro desse mercado em expansão é o faturamento das empresas que tinham o sudeste como destino d e suas vendas. A participação da região caiu de 41% para 39,3%, enquanto no nordeste passou de 29,9% para 30,9% entre 2008 e 2009.

Prova dessa mudança, a cearense Sodine Sociedade de Distribuição do Nordeste projeta crescer 30% este ano. A rede, que em 2008 ocupava a 23ª posição no ranking no segmento de atacado de balcão, hoje está em oitavo lugar, ou seja, subiu 15 posições em um ano, com faturamento de mais de R$ 50 milhões em 2009, contra cerca de R$ 18 milhões em 2008.

Carlos Alberto Pontes Filho, gerente de Marketing da Sodine, explica que o bom desempenho da rede é fruto da ousadia nos negócios. "No ano da crise, em que muitas empresas fecharam ou diminuíram seus investimentos, nós vimos a oportunidade para crescer" afirma, enfatizando que a empresa investiu em consultoria de atendimento e em processos de estruturação. Até o fim do ano, a rede pretende abrir mais duas lojas e existe a possibilidade que uma seja fora do estado.

O professor Nelson Barrizelli, da Universidade de São Paulo, explica que os resultados expressivos no nordeste brasileiro se devem a alguns fatores principais, como os programas do governo federal, que são mais concentrados naquela região, o aumento de acesso a crédito e a renda do consumidor, que tem se fortalecido. "A região tem-se destacado de maneira expressiva graças à bolsa família e ao aumento do salário do consumidor" afirma.

Outro aspecto do potencial do nordeste, de acordo com pesquisa realizada pela Nielsen, é que a região concentra o maior números de domicílios do Brasil. Dos 36 milhões de residências distribuídas pelo País, 7,718 milhões de lares estão situados na Região Nordeste, o que representa 21,7% da população domiciliar urbana do Brasil.

Investimentos

O Grupo Pão de Açúcar pretende reforçar sua bandeira também no atacado. Das 100 novas lojas com abertura prevista este ano, 18 serão Assaí, um dos formatos que trazem maior rentabilidade para o grupo. O Carrefour, que investirá R$ 2,5 bilhões este ano, pretende expandir o braço Atacadão da rede, de atacado de autosserviços, também para regiões do nordeste. Outra grande rede que pretende ampliar sua participação no formato atacado é a norte-americana Walmart, que já confirmou que, das 100 unidades que quer abrir este ano, a maioria será de Maxxi Atacado e TodoDia, suas bandeiras mais populares.

No mesmo ritmo do varejo, o comércio atacadista deve registrar faturamento recorde neste ano. Algumas redes projetam crescimento de até 30%. Este é o caso do Grupo Roldão Atacadista, que obteve faturamento superior a R$ 860 milhões em 2009 e espera atingir o primeiro bilhão de receita neste ano. Para isso, investirá cerca de R$ 30 milhões ao longo do ano, com a abertura de um centro de distribuição que dentro de 5 meses estará em funcionamento, e com a inauguração de três lojas, totalizando 15 unidades no estado. "Até 2012, investiremos em lojas no Estado de São Paulo, mas, a partir daí, queremos avançar para todas as regiões do País" afirmou Ricardo Roldão, presidente da empresa.

Em 2009, o setor atacadista faturou R$ 131,8 bilhões, com crescimento real de 4,1%. O valor ficou acima do previsto pela Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad), que esperava avanço de 3%. Em 2010, a entidade projeta expansão de pelo menos 6%.

Foi destaque no ranking da Abad a Região Nordeste do País: enquanto a participação da Região Sudeste caiu de 41% para 39,3%, o nordeste passou de 29,9% para 30,9% entre 2008 e 2009. Exemplo desse cenário, a cearense Sodine Sociedade de Distribuição do Nordeste projeta crescer 30% neste ano. A rede, que em 2008 ocupava a 23ª posição no ranking no segmento de atacado de balcão, está em oitavo lugar.

As gigantes varejistas também estão de olho no segmento. Pão de Açúcar, Carrefour e Walmart concentram investimentos em suas bandeiras de atacado.

Fonte: DCI