terça-feira, 23 de novembro de 2010

Feiras e eventos comerciais agitam o turismo de negócios no Brasil neste fim de ano

Shoppings de diferentes localidades usam seus centros de convenções para receber eventos corporativos, atraindo um fluxo ainda maior de consumidores

Com a estabilidade da economia mundial, o Brasil vêm recebendo nos últimos tempos, e neste fim de ano a frequência aumenta, uma demanda cada vez maior de empresas dispostas a aquecer o turismo de negócios no País, expondo seus produtos e estreitando as relações comerciais entre os diversos segmentos da indústria e varejo, pois estas feiras e congressos realizados nos mais variados centros de convenções brasileiros, tendem a concentrar organizadores, empresas e varejistas, todos com o mesmo interesse. E é inegável afirmarmos que estes eventos representam uma boa fatia do mercado global.

O setor de turismo deve fechar o ano de 2010 com um crescimento de 10% a 12% em comparação a 2009. O percentual deve superar o do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo o Ministério do Turismo (MTur), que aponta também que a entrada de passageiros vindos do exterior já atingiu recorde no Brasil. Somente no mês de agosto, 722 mil pessoas vieram ao País: aumento de 32%. Os oito primeiros meses do ano superam a marca de 5 milhões de desembarques internacionais, um número histórico de acordo com o órgão federal.

Os shoppings têm papel importante no desempenho crescente deste mercado, como o Shopping Center Norte, em São Paulo, que desde 1993 conta com o Expo Center Norte integrado ao centro de compras. O local já sediou mais de 1,1 mil eventos, recebeu cerca de 150 mil empresas expositoras, e foi visitado por mais de 28 milhões de pessoas.

Nabil Sahyoun
Em Minas Gerais, dois empreendimentos oferecem seus centros de convenções para alavancar o turismo de negócios local e o seu fluxo de consumidores. Em Uberlândia, o Center Shopping dispõe do Center Convention Uberlândia, um pavimento de mais de 21 mil m² para a realização de feiras, exposições e outros eventos ao ar livre. Já no município de Ipatinga, o Shopping do Vale do Aço oferece, desde 1998, o Centro Cultural Usiminas, composto por um teatro, com capacidade para 724 espectadores; uma galeria de arte, uma sala multimídia, biblioteca, e por um jardim japonês, funcionando como um verdadeiro pólo de convivência cultural.

E o turismo de negócios no País tende a continuar caminhando a passos largos, paralelo ao incentivo feito pelos shoppings, pois até 2013 haverá um grande trabalho de qualificação envolvendo sinalização artística, aeroportos e rodovias, treinamento de pessoal, entre outras atividades pertinentes à recepção de alta demanda de turistas, gerada especialmente com a proximidade da Copa do Mundo de Futebol.

“Esta movimentação é extremamente salutar, pois gera riqueza para o nosso país, além de tornar o mercado de shoppings ainda mais estratégico, pois muitas empresas utilizam os serviços oferecidos pelos empreendimentos como critério na escolha do local para exposição de seus produtos nos centros de convenções. Bom para quem expõe, para quem fecha negócios, e para os lojistas, que recebem uma demanda ainda maior de freqüentadores”, comenta o presidente da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), Nabil Sahyoun.
Post Anterior
Próximo Post

0 comentários:


Não deixe de participar!
Qual sua opinião sobre o conteúdo acima?