segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cetesb afirma que Shopping Center Norte corre risco de explodir

Com registros de vazamento de gás metano, o Shopping Center Norte corre o risco de explodir, segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). O empreendimento de 110 mil m² na zona norte da capital paulista, construído no início dos anos 1980 sobre um antigo lixão, entrou, assim, para a lista de "áreas contaminadas críticas" do Estado. Lugares sem ventilação, os como depósitos de lojas, seriam os pontos mais perigosos. Pelo complexo Cidade Center Norte, que inclui o Shopping Lar Center, o centro de exposições Expo Center Norte e o hotel Novotel, passam cerca de 800 mil pessoas durante os fins de semana. A Cetesb informou que há riscos detectados apenas no shopping, onde foi constatado gás metano em concentração acima de 5% da composição do ar em vários dias no mês de julho. O órgão pediu então medidas ao shopping, como a ventilação dos espaços fechados, como as galerias de telefonia e de esgoto e os depósitos das lojas. A Cetesb disse que no fim de agosto o shopping apresentou um plano que não atenderia às necessidades.

O Shopping Center Norte respondeu informando que monitora constantemente a concentração de metano no subsolo do empreendimento, que está diretamente relacionada ao uso do local antes da construção do shopping, e não às atividades atuais. Além disso, o metano não é um gás tóxico e, assim, não oferece risco à saúde de lojistas e clientes. Disse também que não foi constatado risco iminente de explosão e que, nos 27 anos de vida do shopping, nenhum incidente foi registrado. Todas as lojas do centro de compras foram inspecionadas e em nenhuma, segundo a administração do Center Norte, foi registrada a presença do gás. O shopping informou também que neste ano o Auto de Verificação de Segurança (AVS) e o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) foram renovados.

A administração do shopping, atendendo a determinações da Cetesb, contratou um time de especialistas que está aprofundando os estudos ambientais da área e implementando um sistema de extração do metano do subsolo.

Fonte: Mercado & Consumo

Post Anterior
Próximo Post

0 comentários:


Não deixe de participar!
Qual sua opinião sobre o conteúdo acima?