Buscar

Classes A e B compram mais produtos piratas que D e E

Desde que a pesquisa da Fecomércio-RJ e da Ipsos começou a ser realizada em 2006, esta é a primeira edição em que mais da metade - 52% - dos consumidores brasileiros assumiu ter comprado produtos piratas em 2011. Em números absolutos, isso representa cerca de 74,3 milhões de pessoas.

Em relação a 2010, quando 68,4 milhões de brasileiros compraram produtos falsos (o que representa 48%), houve um aumento de 6 milhões de brasileiros que passaram a consumir produtos piratas.

Outro dado alarmante do levantamento mostra que houve um aumento expressivo na adesão dos consumidores das classes A e B. Enquanto em 2010, essa camada social representava 47% dos consumidores da pirataria, neste ano esse percentual pulou para 57%.

Outra faixa de renda que elevou o número de consumidores que adquirem mercadorias piratas foi das classes D e E, passando de 39%, em 2010, para 44%, em 2011. Em compensação, a classe C reduziu seu percentual de 53% para 52%, na mesma base comparativa.

Preço continua sendo o principal motivo

A principal justificativa apresentada para a compra dos produtos falsificados continua sendo o preço mais em conta. Já o fato de os produtos serem mais fáceis de se encontrar e de estarem disponíveis antes do original vêm logo em seguida.

Justificativas para o consumo de pirataria em 2011
MotivosTotalClasse ABClasse CClasse DE
Preços mais em conta96969795
Mais fácil de se encontrar1481619
Está disponível antes do original98107
Alguns produtos podem ser descartáveis71057
Para alcançar um "status" que o produto original traz2423
Não sabe / Não respondeu0--01
Fonte: Fecomercio-RJ/Ipsos


Justificativas para o consumo de pirataria em 2011

Apesar de ter consciência sobre a ilegalidade e os prejuízos da pirataria, os brasileiros não mudam sua atitudes. Para se ter uma ideia, 82% dos consumidores das classes A e B acreditam que a pirataria alimenta a sonegação de impostos.

Para esses consumidores, os produtos falsificados também oferecem prejuízo ao fabricante ou artista (80%) e prejudica o faturamento do comércio (75%). No entanto, etses consumidores acreditam cada vez menos que esses produtos causam desemprego e alimentem o crime organizado.

Produtos piratas mais adquiridos

Entre os produtos piratas mais escolhidos pelos brasileiros, o destaque continua sendo CD/DVD, seguido por brinquedos, artigos de moda (roupa, óculos, relógio, calçado e bolsa), programas de computador e equipamentos eletrônicos. Confira na tabela abaixo:

Fonte: UOL ECONOMIA

Postar um comentário

0 Comentários