Buscar

Lojistas encontram dificuldades para contratar profissionais qualificados

Varejo gaúcho tem vagas de empregos abertas, mas não contrata pela falta de qualidade dos candidatos e resistência a extensa carga horária das ofertas

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados apontam a geração de 25 mil novos empregos formais em Porto Alegre e de aproximadamente 118 mil no Rio Grande do Sul, no período de janeiro a outubro deste ano. Mesmo com o índice positivo, o comércio sente dificuldade em preencher as novas vagas geradas pelo consumo acentuado do final de ano.

O presidente da Federação de Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), Vitor Augusto Koch, considera que o problema é consequência da falta de qualificação profissional dos candidatos. O Programa QComércio, criado pela entidade para incentivar e certificar a qualidade do varejo gaúcho, busca conscientizar sobre essa necessidade.

- Sabemos e tratamos da situação. Muitas vezes pela necessidade e urgência, não se exige uma preparação antecipada do profissional. O empregador precisa estar atento e sensibilizado para qualificar as pessoas para então contratá-las. Entidades em todo o Rio Grande do Sul devem disponibilizar cursos para facilitar o alcance deste objetivo - alerta o presidente.

Outra intenção da FCDL-RS, por meio do QComércio, é buscar a maior atratividade pelas ofertas de emprego do comércio, através da remuneração monetária condizente com a carga horária extensa que o varejo existe. A necessidade de trabalhar nos fins de semana, por exemplo, é um fator que causa resistência em aceitar a oportunidade de emprego.

- O varejo trabalha aos sábados em praticamente todos os municípios do Estado, sendo que em diversas cidades gaúchas também as lojas abrem aos domingos. Temos que incentivar para que o funcionário que trabalha no final de semana tenha um ganho maior para que consiga atingir a referencia que estabelece na sua vida - resume Koch.

A necessidade de absorção de novos profissionais no mercado de trabalho é ainda mais urgente com a proximidade das festas de natal e ano novo. Além disso, o período de férias motiva a locomoção massiva de pessoas até o litoral, o que faz com que os lojistas da região contratem em índices elevados.


Nota do Caio:
Eis um problema que está sendo encontrado não somente no Sul, mas em praticamente todo o país, em todos os mercados e em todos os níveis....um problema que está afetando seriamente o crescimento do varejo...