Buscar

Nielsen: Brasileiros pretendem gastar mais neste fim de ano

Brasil se destaca na pesquisa da Nielsen que mede intenção de gastos de fim de ano em diversas regiões do mundo

Comparado com o ano passado, 21% dos brasileiros pretendem gastar mais neste fim de ano. Essa afirmativa faz parte da pesquisa “Holiday Shopping” realizada pela Nielsen (www.br.nielsen.com), líder global no fornecimento de informações e análises sobre o que o consumidor assiste e compra, que verificou a intenção de gastos para o fim de ano de diversos consumidores ao redor do mundo.


Clique para ampliar

Com esse índice, os brasileiros se posicionam entre os mais otimistas do mundo, ficando acima da média da América Latina, que chegou à marca de 15%. O Peru é o segundo país da região com maior intenção de aumento das compras, com 16%. Na contramão, os mexicanos são os mais pessimistas, pois 45% disseram que vão gastar menos que em 2010. Nos Estados Unidos somente 6% planejam aumentar os gastos no fim de ano. Já na Europa, com a forte crise econômica, a média não superou 5%.

Dentre os que pretendem gastar mais, além do Brasil, aparecem Indonésia, Vietnã e India, com índices de 24%, 23% e 21%, respectivamente.

Entretanto, o que se pretende comprar é uma surpresa. Foi-se o tempo que a alegria dos brasileiros estava dentro de casa. O ranking de prioridades apresenta viagens em 29% das citações, seguida da compra de roupas (26%), eletrônicos (25%) e livros (24%).
Clique para ampliar

De acordo com Mário Ruggiero, diretor comercial da Nielsen, com a desaceleração do crescimento dos bens de consumo de massa, como a cerveja e o refrigerante, e um investimento maior em entretenimento, como as viagens, o consumidor brasileiro busca ‘experiência’ e as viagens de férias são um dos indicadores dessa tendência. "A viagem é um símbolo de ascensão social. As pessoas hoje já têm a possibilidade de pensar o que era inimaginável até pouco tempo atrás, como viajar para o exterior. É um símbolo de migração para outros tipos de consumo", afirma o executivo.

Apenas o Chile também elegeu as férias como primeira opção. Mexicanos, argentinos, colombianos, venezuelanos e peruanos são unânimes na compra de roupas. Com exceção da Argentina e Venezuela, os eletrônicos também estão entre os três principais desejos de consumo dos latino-americanos neste fim de ano.

Em comparação com os países do BRIC, a Índia desponta com 21% da população que pretende gastar mais, mesmo índice que o Brasil. A China e a Rússia apresentam certa estabilidade com, respectivamente, 66% e 64% da população que disseram que vão gastar os mesmos valores que em 2010.