terça-feira, 30 de outubro de 2012

Mulheres empreendedoras conferem sucesso à One Store Marisol

Mulheres delicadas e sensíveis sempre foram vistas de forma preconceituosa no universo empresarial, por possuírem características muitas vezes associadas à fragilidade. Antes vistas com preconceito, atualmente a feminilidade tem sido vista com bons olhos no mundo corporativo, fazendo das mulheres empreendedoras o grande diferencial no meio dos impulsos masculinos. As executivas de saias conferem sucesso à rede de valor One Store Marisol.


A rede de valor One Store Marisol é liderada pelas mulheres empreendedoras. Das 118 lojas, 80 são chefiadas por elas. Os homens lideram apenas 22, enquanto que 14 compartilham o gerenciamento entre o casal, e 2 são familiares. No Estado de São Paulo estão localizadas 19 lojas das mulheres empreendedoras, enquanto que o Paraná possui 14 lojas.

Cleide Araújo, que possui três lojas One Store Marisol em São José dos Campos e Caçapava, é exemplo de sucesso do empreendedorismo feminino. Após trabalhar por alguns anos como funcionária na área empresarial, Cleide montou sua primeira loja, há 14 anos. “Desde o início vendia Marisol e minha loja sempre foi referência da marca. Gostei muito quando lançaram o projeto One Store, tanto que fiz a conversão, abri mais uma em São José dos Campos e outra em Caçapava. Venho de uma família simples, então tudo o que construí foi com muita garra e força de vontade”, afirmou. As características firmes de uma empresária de sucesso são inerentes à Cleide, que administra as três lojas sozinha, estando presente todos os dias nos empreendimentos. “Vivo bastante o trabalho. As lojas são como filhos, exigem muito carinho e dedicação”, finalizou Cleide.

Os dados do empreendedorismo de saias da Marisol acompanham a participação das mulheres na População Economicamente Ativa (PEA) brasileira, realizada pelo Sebrae. A PEA é formada pelas pessoas que estão ocupadas ou procurando uma ocupação. Em 2000 a participação das mulheres na PEA era de 42% e a tendência é que atinja 49% para 2020, aproximando-se à participação masculina. Segundo a pesquisa do Sebrae, a mulher conta ainda com um crescimento considerável na participação da modalidade “conta própria” passando de 32% em 2000 para 47% em 2020.


Post Anterior
Próximo Post