quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Lojas terão aumento de até 30% no fluxo de clientes até o Natal

Estudo realizado pela Virtual Gate aponta crescimento em relação a 2011, quando o índice médio foi de 14%

Varejistas de todo o País já comemoram a chegada das festas natalinas, época em que o volume de clientes e de vendas nas lojas impulsiona o faturamento considerado, por muitos, o melhor do ano.

A Virtual Gate, que fornece soluções para o varejista aumentar suas vendas por meio da gestão do fluxo de consumidor e da taxa de conversão, aponta que em 2012, a exemplo do ano anterior, o varejista continua com bons motivos para comemorar.

Segundo análise realizada pela empresa, o fluxo de clientes segue a onda de crescimento dos anos anteriores e deve representar em 2012 um incremento em torno de 30% em relação a 2010 e 2011. “Se considerarmos os segmentos isoladamente, teriam destaque o de Calçados e Vestuário (35%), seguido por Eletrônicos e Escritório (10%)”, explica a diretora geral da Virtual Gate, Heloísa Cranchi.

Números

A Virtual Gate baseia-se na comparação do fluxo de clientes de Dezembro de 2010 versus Dezembro de 2011, e a evolução de 01 a 09 Dezembro de 2012, onde foram analisados dados de 743 pontos de vendas, dos segmentos de Tecidos, vestuário e calçados, Equipamentos e materiais para escritório, Informática e de comunicação e Material de construção.

O fluxo de clientes no período entre 01 a 24 de Dezembro de 2010 versos 2011, registrou crescimento médio de 14%. No entanto, o maior crescimento registrado ocorreu no comparativo entre a 3ª semana do mês (de 13 a 19/12/2010 e de 12 a 18/12/2011) e a semana Natalina, com acréscimo de 22,5% no fluxo de clientes nesse período ente as duas semanas.

O gráfico abaixo demonstra que fluxo de clientes nos entre 1 e 9 de Dezembro de 2012 acompanha curva de crescimento dos anos anteriores, o que significa crescimento estimado de fluxo clientes de pelo menos 25% até a véspera de Natal.




No segmento de Equipamentos e materiais para escritório, Informática e de comunicação houve leve queda de 1,1% no comparativo do período de 01 a 24 de Dezembro de 2010 versos 2011. O comparativo com o inicio de Dezembro de 2012 demonstra que essa redução poderá se repetir na análise de 2011 x 2012. A estimativa de crescimento de fluxo clientes para esse segmento é de 18% até o Natal, com maior quantidade para os dias úteis.



Já no segmento de Tecidos, vestuário e calçados houve alta de 14% no comparativo do período de 01 a 24 de Dezembro de 2010 versos 2011, o inicio de Dezembro de 2012 demonstra similaridade na curva de crescimento de fluxo de clientes.


Como menor destaque em 2011, o segmento Material de construção registrou pequeno crescimento de 0,5% comprando o fluxo de cliente do ano anterior. Contudo, o início de dezembro de 2012 apresenta um cenário pouco diferente, onde o segundo sábado do mês apresentou crescimento de 6,2% ao anterior.


Apresentando assim um resumo de evolução conforme gráfico abaixo:




Gestão de processos

Há quem atribua, principalmente no caso de shoppings, o aumento do fluxo à presença do “bom velhinho”, ação que atrai um número maior de crianças em busca da foto com o Papai Noel e de toda a beleza das decorações natalinas, além dos sorteios e concursos. No entanto, vale lembrar que o aumento de fluxo não quer dizer, necessariamente, um volume de vendas maior. Cabe ao varejista aproveitar a “mágica do Papai Noel” para que o potencial de resultados de venda não seja desperdiçado. “Todo o ambiente criado pelos shoppings tem o objetivo de atrair os shoppers, mas conseguir a conversão depende da ação de cada varejista” diz a diretora.

“É preciso muito mais para aumentar o faturamento das lojas. Comparar o número de clientes versus taxa de conversão em vendas é o primeiro passo”, explica. Por meio do controle de fluxo de clientes é possível garantir, ainda, uma melhor gestão de todos os processos que envolvem a venda: desde a escala de funcionários, horários de pico, definição de vitrines, ociosidade de equipe e demais estratégias de marketing e administrativas a partir da análise dos dados obtidos pela solução da Virtual Gate.

Se no passado era possível apenas saber a quantidade de clientes atendidos em um determinado dia (analisando os tickets emitidos), hoje a questão vai mais além: qual é o potencial de vendas diário da loja? Afinal, uma performance medida apenas pela receita traz resultados tendenciosos, já que um faturamento alto não é, necessariamente, um indicador de eficiência.

Sobre a Virtual Gate

A Virtual Gate fornece aos varejistas soluções que impactam diretamente no aumento do faturamento de suas lojas. Por meio da gestão do fluxo de consumidor e da taxa de conversão, há 10 anos a empresa utiliza a tecnologia (câmeras vídeo-analytics) para a contagem de clientes de forma confiável e precisa. Graças à análise especializada das informações apuradas pelos sistemas e da taxa de conversão, novas estratégias de marketing e administrativas podem ser adotadas de forma a garantir o sucesso das vendas e margem de lucro para o varejista. A Virtual Gate é uma empresa do Grupo Plastrom (www.plastrom.com.br), presente há mais de 20 anos no mercado varejista, atuando como provedor de soluções tecnológicas para gerenciamento de fluxos de materiais e pessoas no varejo. Além da Virtual Gate, fazem parte do grupo as empresas Sensormatic, ImediaData e Rayton. Entre alguns de seus clientes estão: C&A, Pernambucanas, Vivo, Livraria Cultura, Cybelar, Via Uno, Shoestock, Cantão, Reebok, Adidas, L'Occitane. Mais informações: www.virtualgate.com.br.
Post Anterior
Próximo Post