Buscar

Parada LGBT eleva em mais de 280% o lucro de estabelecimentos gay friendly da cidade

Pesquisa realizada pelo Observatório do Turismo faz um mapeamento de toda oferta GLS de São Paulo

A movimentação financeira gerada em estabelecimentos gay friendly é quase três vezes maior durante a semana da Parada do Orgulho LGBT em relação a outros períodos. É o que mostra o mais recente levantamento feito pelo Observatório do Turismo, núcleo de pesquisas da São Paulo Turismo (SPTuris, empresa municipal de turismo e eventos), que buscou mapear a cadeia LGBT da cidade. A comparação foi feita por meio de valores arrecadados com entradas e consumação mínima em locais do segmento, cujo montante alcança R$ 3,2 milhões na semana da Parada, enquanto em uma semana comum, o valor é de R$ 1,14 milhão, em média.


Ainda segundo a pesquisa, São Paulo possui atualmente 78 estabelecimentos voltados para o público GLS ou cujo segmento se destaca entre os freqüentadores. São casas noturnas, bares, restaurantes, festas e outros, com maior concentração da oferta nas regiões de Pinheiros, Paulista/Jardins e Centro. Há ainda presença de espaços na Barra Funda, Butantã, Vila Mariana, Brás, Ipiranga e São Mateus. Os espaços recebem juntos, em média, 44,9 mil pessoas por fim de semana. Na semana da Parada, esse número atinge uma média de público de 94,8 mil.

De acordo com a pesquisa realizada pelo Observatório na Parada LGBT de 2012, mais de 50% do público do evento é formado por pessoas de fora da cidade de São Paulo, sendo 39,5% da Grande São Paulo e outros 10,9% de outras cidades, estados e países. Entre os turistas, o gasto na cidade foi de R$ 1.272,45 durante os 3,6 dias de permanência, em média.

O levantamento mostrou ainda que 37,9% dos visitantes que estavam na Parada frequentaram espaços destinados ao público GLS e gastaram, em média, R$ 226,80 por noite com essas atrações. O mesmo estudo apontou ainda que 37,5% dos visitantes daquele dia vieram para a cidade influenciados não apenas pelo evento, mas também pelas outras atrações da cidade, com destaque para a programação noturna. A pesquisa ainda aponta o perfil do público da Parada e dos turistas. Veja o estudo na íntegra no site www.observatoriodoturismo.com.br.

Para o presidente da SPTuris, Marcelo Rehder, o fortalecimento da divulgação de São Paulo como polo de entretenimento e cultura do país tem sido muito favorável para a atração de visitantes. "O turista vem festejar o orgulho à diversidade e fica encantado com a vasta oferta que encontra. Uma cidade rica em cultural, diversão e entretenimento, com excelente estrutura turística e bom atendimento. Ele não só volta, como promove o destino para seus amigos", explica. "Além disso, a cidade possui uma imensa oferta de atrativos gay friendly. Não à toa, em 2012, a cidade de São Paulo foi eleita o quarto melhor destino gay do mundo pelos internautas do site internacional especializado GayCities.com", completa.

Centrais de Informação Turística também são gay friendly

A partir de 30 de maio, a capital paulista passa a contar com mais um serviço para bem receber o turista LGBT. Trata-se do Guia Gay São Paulo, on-line e impresso. Como forma de dar apoio a essa iniciativa, a SPTuris distribuirá gratuitamente a versão impressa do serviço nas suas Centrais de Informação Turística (CITs) Olido, República e Paulista.

A primeira edição tem 36 páginas com roteiro de compras, clubes, boates, programação cultura, points e muito mais. Destaque para os mapas das regiões da Consolação e da República/Vila Buarque com localização dos estabelecimentos arco-íris. O livreto é feito em tamanho de bolso e terá nova edição a cada trimestre.

O site (www.guiagaysaopaulo.com.br) terá atualização permanente, inclusive com agenda completa de festas para o público LGBT na cidade.

Segundo Rehder, é importante apoiar essa e outras iniciativas nesse sentido. "Em geral, estamos falando de pessoas exigentes, de padrão de conhecimento alto e com elevado poder aquisitivo. E que mostram que São Paulo é um destino diverso, pronto para receber a todos. Segundo a Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes, o turismo LGBT movimenta cerca de R$ 150 bilhões por ano no Brasil. É o turista que todo o destino quer receber e que São Paulo tem conseguido a cada ano mais", afirma.

Guia da Diversidade - Para receber melhor os milhares de visitantes que vêm a São Paulo curtir as atrações do Mês do Orgulho LGBT, a SPTuris - em parceria com a Abrat-GLS (Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes) e a Cads (Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo) - disponibiliza o Guia da Diversidade. O material pode ser acessado gratuitamente em www.cidadedesaopaulo.com/guia-lgbt.

Atendentes treinados - Todas as seis Centrais de Informações Turísticas possuem atualmente o selo gay friendly, que simboliza o movimento LGBT. O adesivo com as cores do arco-íris e com a palavra de boas vindas "Welcome" representa que as CITs, assim como todos os atendentes, passaram por um treinamento especializado para conhecer melhor esse público e suas necessidades e, desta forma, oferecer informações atualizadas e completas sobre os eventos que ocorrem na cidade, seus atrativos turísticos e outros locais de interesse.