quarta-feira, 19 de março de 2014

Balanço da Associação Comercial: vendas sinalizam recuperação e crescem 3% em SP nos primeiros 75 dias de 2014

Em 2013, aumento no período foi de apenas 1,6%; balanço também mostra inadimplência em baixa, pois consumidores estão mais conscientes com uso do crédito



O Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) divulgado nesta segunda-feira (17/3) mostra que o comércio na cidade de São Paulo dá sinais de recuperação neste início de ano. Nos primeiros 75 dias de 2014, as vendas cresceram cerca de 3,1% ante o mesmo período de 2013. Já no ano passado, o aumento médio no período foi de apenas 1,6% em comparação com 2012.



"Os dados desses primeiros 75 dias são encorajadores para o comércio. Mas não podem ser projetados para todo o ano em função de alguns fatores de risco que podem ser enfrentados pelo setor", declara Rogério Amato, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Entre esses fatores está a falta de chuvas - o que pode levar a racionamento de água e energia e, consequentemente, a queda da produção industrial e aumento da inflação e dos juros. Outros fatores são a classificação do Brasil pelas agências de risco e possíveis manifestações populares.

A prazo e à vista

Segundo o IMC (Indicador de Movimento do Comércio a Prazo) do Balanço, as vendas a prazo avançaram 2,7% nos primeiros 75 dias deste ano em relação ao mesmo período de 2013. O crescimento foi impulsionado pelas liquidações de janeiro, pela grande procura por aparelhos de ar-condicionado e ventiladores e pelas vendas de tablets e smartphones.

Porém, o consumidor preferiu comprar à vista nessas primeiras semanas de 2014. O ICH (Indicador de Movimento de Cheques), que mede as vendas à vista, revela um aumento de 3,4%. Isso se deve ao reajuste do salário mínimo em janeiro e à possibilidade de os consumidores estarem usando o 13º salário para comprar à vista - já que grande parte deles poupou o dinheiro em dezembro, conforme revelaram pesquisas ACSP/Ipsos. O aumento da massa salarial também contribuiu para o bom desempenho das vendas à vista.

Inadimplência: propensão a baixa

De acordo com o Balanço de Vendas da ACSP, o IRI (Indicador de Registro de Inadimplentes, que mede o volume de carnês em atraso) aumentou 2,1% nos primeiros 75 dias do ano ante 2013. E o IRC (Indicador de Recuperação de Crédito, que mostra o total de registros quitados ou renegociados), registrou elevação de 2,4%.

Isso sinaliza que a inadimplência está em queda, já que o IRI (+2,1%) cresceu menos que as vendas a prazo (2,7%) e que o IRC (+2,4%).

"Os números sugerem que a inadimplência continua com propensão a baixa, que os consumidores estão mais conscientes em relação ao uso do crédito", afirma Rogério Amato.

Datas-móveis

Todos os indicadores (IMC, ICH, IRI e IRC) caíram na primeira quinzena de março em comparação com os primeiros quinze dias de fevereiro de 2014 e de março de 2013, conforme mostra a tabela abaixo.

O fenômeno é explicado pela ocorrência das chamadas datas-móveis. Neste caso, trata-se do Carnaval, que puxa para baixo as vendas do comércio em razão do esvaziamento da cidade de São Paulo. É por isso que o Balanço de Vendas divulgado hoje analisa os primeiros 75 dias ante o mesmo período de 2013 - para anularem-se os efeitos do Carnaval.

O levantamento da ACSP é baseado numa mostra de dados de clientes da Boa Vista Serviços, que administra o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC).
Post Anterior
Próximo Post

0 comentários:


Não deixe de participar!
Qual sua opinião sobre o conteúdo acima?