Busca do paulistano por crédito desacelera em setembro

Busca do paulistano por crédito desacelera em setembro

Maior interesse por crédito pode ser considerado um ajuste após forte queda no início do ano e não indica perspectiva de melhora efetiva, avalia FecomercioSP

Em setembro, o Índice de Intenção de Financiamento atingiu 24,8 pontos, um aumento de 0,7% ante agosto, a menor elevação em quatro meses após ter crescido 11% em junho; 5% em julho; e 6% em agosto. Os dados integram a Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE) divulgada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A trajetória de crescimento do indicador, observada nos últimos quatro meses, é resultado da busca do consumidor por crédito para complementar o orçamento familiar. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice caiu 6,4%.

O Índice de Segurança do Crédito, que mede a capacidade de o consumidor pagar as dívidas - a partir da posse de reservas financeiras - em casos de aperto do orçamento, caiu de 92,7 para 82,9 pontos (-10,6%), revertendo a alta de 10,7% registrada entre julho e agosto. A volatilidade do indicador indica, segundo economistas da Entidade, manutenção do clima de incertezas sem direcionamento em relação ao desempenho da economia no curto prazo.

A pesquisa também mostra que 41,4% dos entrevistados declararam possuir algum tipo de aplicação financeira, queda de 4,8 pontos porcentuais em relação a agosto. Entre os endividados, essa proporção caiu 5 pontos porcentuais, de 37,3% em agosto para 32,3% em setembro. Não ter um tipo de aplicação pode reduzir sua capacidade de quitar dívidas em casos de perda de renda.

A parcela de paulistanos com investimentos que utilizaram a poupança como tipo de aplicação subiu de 73,2% em agosto para 75,7% em setembro. O uso de renda fixa também aumentou, de 13,4% para 15,8%. Por outro lado, os poupadores em previdência privada caíram de 5,4% para 3,4%; e em ações, de 2,7% para 1,5%. Aplicadores em outras modalidades de investimento ficaram em 3,6% no mês.

De acordo com economistas da FecomercioSP, a melhora no interesse por financiamento é um ajuste após forte queda no início do ano. Após meses de deterioração de quase todas as variáveis de humor e da economia, o cenário do mercado de crédito, ao menos, pode ser considerado estável com viés de recuperação.

Sobre a PRIE
A Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), apurada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), tem o objetivo de acompanhar o interesse dos paulistanos em contrair crédito e a evolução da proporção de famílias endividadas na capital paulista que possuam aplicações financeiras, gerando um índice de risco inerente a essas operações. Os dados que compõem a PRIE são coletados em 2,2 mil entrevistas mensais realizadas na cidade de São Paulo.

Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 155 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por 11% do PIB paulista - aproximadamente 4% do PIB brasileiro - e gera cerca de cinco milhões de empregos.
Anterior
Próximo

post written by:

0 Comentários: