quinta-feira, 31 de agosto de 2017

De quem é a responsabilidade de treinar e desenvolver a equipe?

Sua equipe está com dificuldades? As metas da empresa não estão sendo alcançadas? Você sente que sua equipe está desmotivada e não sabe como atingir resultados diferentes?
Se as coisas não estão indo como deveriam chegou a hora do líder assumir a responsabilidade.

Então como líder, o que você não deve fazer?
Jogar a culpa na empresa (proprietário, supervisor ou mesmo no RH). Assuma a responsabilidade pelo desempenho da sua equipe.


E o que o líder deve fazer?
Compreender que você é o principal responsável pelo treinamento e desenvolvimento de seus liderados. Como líder, é você quem deve treinar (tanto em operações, quanto em conhecimento de produtos e procedimentos de vendas), acompanhar continuamente e corrigir possíveis pontos de melhoria através do feedback.
Não seja um simples cobrador de tarefas, mas sim um ORIENTADOR sincero que deseja desenvolver cada membro da equipe.
  
Todo gerente possui alguns diamantes brutos em suas mãos. 


Então é responsabilidade do líder lapidar estes diamantes brutos e revelar valores que podem tornar-se futuros campeões de vendas, gerentes, supervisores e até diretores da empresa.

Boas gestão!

Edson Moura


Edson Moura Tem mais de uma década de experiência no varejo nacional e carreira desenvolvida em grandes empresas do país. Foi vendedor, gerente e supervisor de loja. Hoje atua como palestrante ajudando as empresas a terem mais vendas e lucros. Isso com uma equipe comprometida, motivada e acima de tudo, feliz. Também possui formação Practitioner em PNL e nível Master em Coaching. É Coordenador e coautor do livro LIBERTE SEU PODER e coautor do livro PRÁTICAS DE LIDERANÇA.

domingo, 27 de agosto de 2017

ABVTEX destaca a sustentabilidade no varejo de moda durante o Latam Retail Show

O mais completo evento do varejo, food service, e-commerce, franquias e shopping centers da América Latina, o Latam Retail Show 2017, que acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, entre os dias 29 e 31 de agosto, conta com o apoio e a participação da ABVTEX - Associação Brasileira do Varejo Têxtil.

Seguindo o propósito de promover o desenvolvimento sustentável da cadeia de valor da moda, a ABVTEX reunirá cases de sustentabilidade de três varejistas associadas. Sob o tema “Varejo de moda: iniciativas que transformam e inspiram”, o painel do dia 29 de agosto, às 18h, será mediado por Edmundo Lima, diretor executivo da ABVTEX, durante a Arena Mercado & Consumo, realizada durante a feira.

Edmundo Lima, diretor executivo da ABVTEX  
A programação que compartilha as iniciativas de sustentabilidade promovidas por varejistas de moda associadas à ABVTEX prevê a exposição dos cases:

C&A - “Camiseta desenhada para ser reciclada”
Por Rozalia Del Gaudio, Gerente de Comunicação e Sustentabilidade da C&A

Cia.Hering, por meio da Fundação Hermann Hering – “Trama Afetiva”
Por Amélia Malheiros, Gestora da Fundação Hermann Hering

Lojas Renner – “Transição para Economia Circular”
Por Vinicios Malfatti, Gerente de Sustentabilidade da Lojas Renner

A ABVTEX é reconhecida por suas iniciativas em prol do compliance, fornecimento responsável e uso do trabalho digno, por meio do Programa ABVTEX.

“Esta oportunidade reforça o papel da ABVTEX como uma associação catalisadora de agentes de transformação, promotora do diálogo entre toda a cadeia de valor da moda. Acreditamos que as melhores práticas devem ser divulgadas e multiplicadas. Por isso, queremos destacar as iniciativas inovadoras e, principalmente, revelar os avanços do varejo de moda na promoção da sustentabilidade”, afirma Lima.

A Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), fundada em 1999, é a entidade que congrega as mais representativas redes nacionais e internacionais de varejo de moda, que comercializam itens de vestuário, calçados, bolsas, acessórios, além de artigos têxteis para o lar. É a principal interlocutora do setor junto a entidades ligadas à indústria, comércio e serviços; autoridades dos governos federal, estaduais e municipais; ONGs e associações; imprensa; e a sociedade em geral.

Daiso Japan inaugura loja em Osasco

A 27ª unidade da rede Daiso Japan será no Super Shopping Osasco. A unidade recebeu um investimento de R$ 1,5 milhão e terá 140 mil produtos com preços de R$ 7,99 a R$ 49,90. Os 100 primeiros clientes receberão brindes da marca

Neste mês, a Daiso Japan, maior rede de variedades japonesas no Brasil, irá inaugurar mais uma loja no Brasil. Agora, no dia 26/08 no Super Shopping Osasco, na Grande São Paulo. Localizado na Av. dos Autonomistas, 1828 no bairro Industrial Autonomistas, de Osasco, a nova unidade terá 360m² no 3° pavimento (Food Hall) com mais de 140mil produtos. Destaque para as almofadas de gato que serão lançadas por lá. “Um design tipicamente japonês, com qualidade e conforto. Assumimos o compromisso de estarmos mais próximos aos nossos clientes, com o melhor preço, conforto e qualidade e estamos chegando lá”. A loja recebeu um investimento de R$ 1,5 milhão e terá cerca de 140mil produtos.


Com lâmpadas de LED, em um ambiente claro e amadeirado, a Daiso Japan aposta em uma experiência de compra que aproxime seus clientes, cada vez mais, da cultura japonesa. “Osasco é importante para nós porque, além de ser estratégica na Grande São Paulo para nossa expansão, a nova unidade nos dará oportunidade de estarmos mais próximos dos clientes e, consequentemente, transmitir a cultura japonesa que nós vivemos todos os dias. Essa é uma premissa da rede e, desde 2012, é o que estamos fazendo”, conta Reginaldo Paulista, gerente-geral da rede no Brasil.

Os valores dos produtos da Daiso variam entre R$ 7,99 a R$ 49,90. “Os nossos produtos são artigos inovadores, divertidos, interessantes e criativos que facilitam o dia a dia de nossos clientes e trazem um pouco da cultura japonesa para os brasileiros”, conta Reginaldo.

A Daiso está presente em 26 países, com mais de 4.500 lojas no mundo. No Brasil, além das lojas físicas, é possível fazer as compras online pelo site www.daisojapanbrasil.com.br, com entregas em todo o Estado de São Paulo.

Sobre a Daiso Japan (www.daisojapan.com.br)

A Daiso Japan é a maior rede de variedades do Japão desde 1972. Com unidades no Japão, Tailândia, China, Estados Unidos, entre outros países, a companhia japonesa tem um faturamento global de US$ 8bilhões e 4,5 mil lojas. No Brasil, a empresa atua desde 2012. Atualmente, são quase 30 lojas próprias em São Paulo, Grande São Paulo, Campinas e também nos Supermercados Hirota. A Daiso investe em parcerias com empresas e produtos próprios para o mercado brasileiro.

Livraria Nobel do Mais Shopping promove Feira do Livro

Evento oferece títulos de grandes editoras, organização de saraus e oficinas para todas as idades, além de atrações e atividades diversificadas para as crianças


Para incentivar cada vez mais o hábito de leitura, a Livraria Nobel do Mais Shopping – localizado na Zona Sul de São Paulo – promove a Feira do Livro. O evento fica disponível ao público até o dia 31 de janeiro de 2018 com atividades especiais e preços reduzidos. Para a ação, a Livraria Nobel firmou parceria com editoras importantes, como Editora Leya, Martin Claret e Novo Século, para oferecer grandes franquias a valores acessíveis. Títulos dos mais diversos gêneros já estão à venda com os descontos.

Neste período, a Livraria desenvolve também um trabalho com as escolas de toda a região próxima ao Shopping, em Santo Amaro, em que os alunos são convidados a participar de diversas atividades na feira, com a presença de professores e autores. As atividades abordam temas diversos a partir do livro em questão, sempre utilizando a literatura como base para o desenvolvimento da ação.

Além das atividades com as escolas da região, a Feira do Livro oferece eventos esporádicos, onde são contadas histórias, além de organização de saraus e oficinas para todas as idades. Acompanhe a programação da Feira do Livro na página do Facebook:
https://pt-br.facebook.com/LivrariaNobelMaisShoppingLargo13.

A Feira do Livro fica localizada no Piso Térreo, ao lado da Praça de Eventos. Atualmente, mais de 1.300.000 de pessoas circulam pelo Mais Shopping, mensalmente. O Mais Shopping fica na Rua Amador Bueno, 229 - Santo Amaro, zona sul, São Paulo.

Sobre o Mais Shopping

O Mais Shopping localiza-se no maior polo comercial da cidade de São Paulo e está interligado ao metrô Largo Treze, ao terminal de ônibus Santo Amaro e próximo à estação Santo Amaro da linha 9-Esmeralda da CPTM. O estacionamento, dividido em dois andares, possui 750 vagas cobertas.

O empreendimento possui 200 operações e uma praça de alimentação com 25 marcas e cerca de 1,2 mil lugares. O Mais Shopping é uma excelente alternativa para famílias, estudantes e trabalhadores, que compõem um fluxo diário de 1,3 milhão de pessoas por dia na região.

O Mais Shopping e a Cinépolis, maior rede de cinemas da América Latina, oferecem aos clientes mais de 1,1 mil lugares em oito salas de cinema de última geração no formato stadium.

Webinar debate os novos paradigmas do varejo

Interessados poderão acompanhar a transmissão do evento no YouTube do Sebrae e ao vivo, do Latam Retail Show 2017, no Expo Center Norte, em São Paulo

Entender como pensa o consumidor moderno e suas expectativas pode ser um desafio para os donos de pequenos negócios. O empresário que deseja buscar mais informações sobre o momento atual do varejo brasileiro pode acompanhar o webinar Inovações, Conexões e Soluções: os novos paradigmas do varejo, no dia 30 de agosto. Nesta edição, uma novidade: além da transmissão, ao vivo, no canal do Sebrae no YouTube (https://www.youtube.com/user/tvsebrae), o evento vai ser realizado dentro do Latam Retail Show 2017, no Expo Center Norte, em São Paulo e a organizadora do evento está atuando como parceira deste Papo.

Com mediação do analista do Sebrae Flávio Petry, especialista em gestão de varejo, marketing e gerenciamento de projetos, dois convidados participarão do bate-papo, com duração de uma hora, e cada um deles terá 15 minutos para tratar de assuntos relacionados ao tema do webinar. Também serão reservados 15 minutos para interação com o público.

Favio Petry do Sebrae comandará o painel com Caio Camargo e Fabiano Zortéa
O coordenador de projetos de qualificação de empresas para o setor de Comércio e Serviços do Sebrae no Rio Grande do Sul, Fabiano Zortéa, abordará ferramentas e aplicações para a mudança. Ele esteve presente nas últimas cinco edições da NRF, maior evento de varejo do mundo, em Nova York, nos Estados Unidos. Caio Camargo criou um dos principais sites do segmento brasileiro, o Falando de Varejo, que conta com mais de 7 milhões de leitores. Ele vai falar sobre como o pequeno lojista pode quebrar paradigmas.

Serviço:

Webinar Inovações, Conexões e Soluções: os novos paradigmas do varejo
Data: 30 de agosto de 2017
Horário: 12h30 às 13h30
Transmissão on-line:
https://www.youtube.com/user/tvsebrae

Presencial:

LATAM RETAIL SHOW 2017
Arena PagSeguro UOL Mercado&Consumo
Expo Center Norte
Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme
São Paulo – SP

SEBRAE 45 ANOS

O Sebrae comemora este ano quatro décadas e meia de atuação em defesa dos pequenos negócios. As micro e pequenas empresas representam 98,5% do total de empreendedores no Brasil, respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) e geram mais da metade dos empregos no país. Formalização, inovação, redução da burocracia, ampliação do acesso ao crédito e melhoria do ambiente legal fazem parte do compromisso do Sebrae com os pequenos negócios. Conheça no portal Sebrae os números e a história do empreendedorismo no Brasil: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae.

Abrafarma realiza quarta edição do Future Trends

Maior congresso farmacêutico abordará consumo e nova era digital do varejo

O Abrafarma Future Trends, maior congresso do setor farmacêutico nacional, chega em sua quarta edição trazendo uma agenda de palestras com os maiores especialistas na área de consumo e inovação digital no varejo. O evento, organizado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), acontecerá entre 30 de agosto e 1º de setembro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. São esperados mais de 2.500 executivos da indústria e das 26 maiores redes de farmácias que, juntas, representam mais de 42% do mercado brasileiro de medicamentos

A programação deste ano contempla em média 45 horas de atividades e conta com um número maior de palestrantes internacionais, com destaque para Stephen Thompson, Global Director Digital Commercial da The Coca-Cola Company (EUA). Ele abordará a transformação digital do varejo. Outro convidado de peso é Jonathan Carney, principal gestor dos serviços aos fornecedores do IMS Quintilles no Reino Unido e um estudioso das novas tendências do setor. Destaca-se ainda a presença de Joe Jackman, CEO da Jackman Reinventions, empresa que criou o projeto de reinvenção da Duane Reade, Hexall, Walgreens, Vitamin Shoppe.

Também são presenças confirmadas Jarbas Barbosa, diretor presidente da Anvisa; Walter Jorge, presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF); e Márcia Cavallari, CEO do Ibope. Os dirigentes abordarão questões relacionadas à regulamentação dos novos serviços clínicos e a executiva falará sobre a farmácia do futuro. “O evento já é referência no calendário mundial e, nesta edição, trará temas importantes ligados à tecnologia na indústria e varejo, além de destacar a pesquisa inédita sobre vacinação”, ressalta Sergio Mena Barreto, presidente executivo da Abrafarma.


O evento encerra-se com um debate sobre os próximos rumos do país e traz como convidados de honra Zeina Latif, economista-chefe da XP Investimentos; e Fernando Abrucio, professor e doutor em Ciências Políticas. Acesse a programação completa aqui.

Road Show em São Paulo

No dia 1º de setembro, marcando o encerramento do evento e no mesmo local da Future Trends, acontece o Road Show Care Center – um projeto da entidade com objetivo de capacitar farmacêuticos por meio de workshops, reforçando o novo papel destes profissionais na atuação como agentes de saúde. São esperados mais de 1.500 participantes. Até o final de 2017, aproximadamente 11 mil dos 21 mil farmacêuticos que trabalham nas redes associadas terão participado do programa de atualização.

Sobre a Abrafarma

Fundada em 1991, a Abrafarma reúne as 26 maiores redes de farmácias do País, que contam com cerca de 7,1 mil lojas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. As redes associadas representam 42,3% das vendas de medicamentos no país, tendo realizado mais de 830 milhões de atendimentos em 2016, com vendas totais de R$ 39,4 bilhões. A associação tem como objetivo o aprimoramento das empresas filiadas, a preservação da imagem institucional, o relacionamento com entidades públicas, governo e fornecedores, além de apoio jurídico e pesquisa de mercado para o aperfeiçoamento das atividades.

Marcas próprias têm destaque durante o Latam Retail Show

Evento voltado ao varejo destina espaço exclusivo para o segmento que tem crescimento 40% superior às marcas tradicionais

A Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização (ABMAPRO) estará presente na próxima edição do LATAM RETAIL SHOW, evento direcionado ao varejo, franchising, e-commerce e shopping centers da América Latina, que acontece entre os dias 29 e 31 de agosto no Expo Center Norte, em São Paulo, promovido pelo Grupo GS&MD.

Na ocasião, a ABMAPRO terá o Espaço Marcas Próprias em parceria com o Grupo GS&MD, desenvolvido para atender interessados em conhecer mais sobre esse universo ou ainda desenvolver um novo produto.

Já no último dia de evento, 31/08, a ABMAPRO estará à frente do 7º Congresso de Marcas Próprias, com a apresentação de importantes dados sobre o setor, números e tendências da Marca Própria a partir das 14h, no Espaço Arena Pag Seguro UOL Mercado e Consumo, na Sala 4. Entre os temas quer serão abordados estão: “O papel da inovação: Como as marcas próprias podem inovar no mercado”; “Retenção e Fidelização com Marca Própria” e “Como ganhar dinheiro com Marca Própria”.

A presidente da ABMAPRO, Neide Montesano explica que as Marcas Próprias seguem em ascensão e com atributos cada vez mais conhecidos e valorizados pelos consumidores. “Para os varejistas que as detêm, é preciso que invistam em um posicionamento de destaque no ponto de venda, de modo a agregar valor ao produto”, diz. “Já para o consumidor, é a possibilidade de adquirir um produto de qualidade por preços justos; ou seja, todos ganham”, conclui.

Loredana Andraus e Neide Montesanto da ABMAPRO
Durante o evento será divulgada uma pesquisa exclusiva realizada em parceria com a Nielsen Brasil e Kantar Worldpanel, com dados inéditos, atualizados, sobre o cenário, perspectivas e tendências das Marcas Próprias. Na pesquisa Kantar foi apontado que o número de residências brasileiras que consumiu algum produto desse segmento alcançou a marca de 32,8 milhões no ano móvel de 2017, o que representou crescimento de 68% desde 2010. Já na pesquisa a Nielsen teremos dados relevantes como a constatação de que o crescimento da Marca Própria é 40% superior as demais marcas, na comparação de 2015 com 2016. Esse movimento positivo foi puxado por categorias mais básicas, já bem "desenvolvidas" e também por inovação e saudabilidade em marcas que tem apostado no segmento premium. “Marcas próprias se destaca em vários segmentos da economia no país e ainda tem muito a expandir, sempre com foco na qualidade e um excelente custo x benefício”, diz Neide Montesano.

Sobre a ABMAPRO

A ABMAPRO - Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização- (www.abmapro.org.br) foi criada em 2006 com o objetivo de promover a marca própria no Brasil e no mundo. Os produtos de marca própria contam com preços, em média, 25% inferiores às tradicionais e trazem grande benefício ao consumidor e ao detentor da marca, pois não tem custo comercial, não possui investimento em publicidade. De acordo com dados recentes da Kantar Worldpanel, o número de residências brasileiras que consumiu algum produto desse segmento alcançou a marca de 32,6 milhões apenas até o primeiro semestre de 2016, o que representou crescimento de 45% em valor registrado nos últimos seis anos. (www.abmapro.org.br)

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Mude a mentalidade e Venda Muito Mais

Clique no botão de play localizado logo acima para ouvi o episódio

Apresentação do programete: Leandro Branquinho Palestrante de Vendas
Dia em que foi ao ar 08-08-17
Veiculado em:

-Rádio Educativa 105,9FM – Três Corações – MG
-ACETC – Portal da Associação Comercial e Empresarial Três Corações - MG
-ACAITP - Portal da Associação Comercial de Três Pontas – MG
-ACELEM – Portal da Associação Comercial de Luis Eduardo Magalhães - BA
-Rádio Cidade – Campos Gerais – MG
-Rádio 98 FM – Ribas do Rio Pardo – MS
-Rádio 95 FM – Currais Novos - RN
-Falando de Varejo

http://radiovendas.com.br
http://leandrobranquinho.com.br

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

5 coisas que um líder NÃO deve fazer


Veja neste artigo 5 dicas do que um verdadeiro líder NÃO deve fazer:

1)    NÃO dê feedback negativo (construtivo) em público. Busque um lugar reservado para conversar e aplique o feedback logo após o ocorrido. Não espere dias, semanas ou meses para falar.

2)  NÃO centralize. Um líder que não delega tarefas centraliza o poder e não desenvolve sua equipe. Nunca assuma as tarefas que delegou a alguém, delegue e confie no seu colaborador.

3)  NÃO perca o equilíbrio emocional. Gerentes desequilibrados destroem o clima da empresa. O resultado será uma alta rotatividade, pois sempre terá colaboradores pensando em pedir demissão e fugir desse gerente temperamental.

4)  NÃO estipule metas inalcançáveis. Metas muito altas podem motivar sua equipe a superar resultados. No entanto se as metas forem muito altas e inatingíveis, podem ter o efeito inverso. Seus colaboradores podem ficar desmotivados se a cada não atingem metas.

5)  NÃO menospreze a vida pessoal dos seus colaboradores. Mostre que você tem interesse no bem-estar da sua equipe. Converse com seu colaborador e procure saber como está sua família e quais são seus objetivos para o futuro.

Convido você a usar estas 5 dicas e perceber o aumento da motivação e do comprometimento da sua equipe.

Boa gestão!

Edson Moura

Edson Moura Tem mais de uma década de experiência no varejo nacional e carreira desenvolvida em grandes empresas do país. Foi vendedor, gerente e supervisor de loja. Hoje atua como palestrante ajudando as empresas a terem mais vendas e lucros. Isso com uma equipe comprometida, motivada e acima de tudo, feliz. Também possui formação Practitioner em PNL e nível Master em Coaching. É Coordenador e coautor do livro LIBERTE SEU PODER e coautor do livro PRÁTICAS DE LIDERANÇA.

Acesse: www.edsonmoura.com 



sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Ebit: Dia dos Pais movimenta R$1,94 bilhão no e-commerce

Crescimento foi de 8,7% na comparação ante ao mesmo período de 2016; smartphone foi o produto mais comprado no comércio eletrônico

O Dia dos Pais, celebrado no último domingo (13), movimentou R$1,94 bilhão no e-commerce, alta de 10,1% ante aos R$1,76 bilhão registrados no ano passado. O número de pedidos expandiu 5,1%, de 4 milhões para 4,2 milhões, enquanto o tíquete médio foi de R$462, alta de 4,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são da Ebit, empresa referência em informação sobre o comércio eletrônico brasileiro.


“Assim como nos principais eventos do primeiro semestre - Dia das Mães e Dia dos Namorados - o e-commerce registrou um desempenho muito positivo no Dia dos Pais. Por ser a primeira do segundo semestre, a data é um excelente termômetro para as vendas no restante do ano. Depois deste resultado, nossa expectativa é de Dia das Crianças, Natal e, principalmente, Black Friday também registrem um faturamento robusto”, afirma Pedro Guasti, CEO da Ebit.

O monitoramento da Ebit considerou as vendas realizadas no comércio eletrônico entre os dias 29 de julho e 12 de ag

Mundo Verde inaugura loja no Shopping Cidade Jardim

Iniciativa faz parte do plano de expansão da empresa que consiste em ampliar sua atuação nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil

O Mundo Verde, maior rede de lojas especializadas em produtos naturais e orgânicos da América Latina, acaba de inaugurar uma nova loja no Shopping Cidade Jardim, localizado na zona sul de São Paulo. A iniciativa faz parte da estratégia da empresa, que consiste em inaugurar franquias nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país.


Segundo Daniela Heldlt, COO do Mundo Verde, a região possui um grande potencial para os negócios da rede. “O estado de São Paulo é o segundo maior mercado em faturamento para o Mundo Verde, constituindo-se em um importante polo para investimento”, afirma.

A nova unidade tem à frente a administradora de empresas Carolina De Nigris, que pretende unir a formação de origem com a faculdade que cursa em Nutrição. “Pretendo agregar meus conhecimentos de ambas as áreas e oferecer produtos de qualidade aos clientes que buscam saúde e bem-estar. Noto que as pessoas que já conhecem o Mundo Verde, ou mesmo aqueles que entram pela primeira vez, se surpreendem e quebram o paradigma de dieta e de restrição alimentar. Acredito que é possível viver uma rotina prazerosa e saudável com nossos produtos”, explica.

Na loja do Shopping Cidade Jardim, os consumidores poderão conferir todos os produtos da marca Mundo Verde Seleção, voltados para uma alimentação mais saudável no dia a dia e a nova marca Elixir, criada para cuidar da saúde e beleza das mulheres acima dos 30 anos, com produtos encapsulados e solúveis, além de produtos comercializados pela rede.

Ao todo, a rede Mundo Verde possui mais de 400 lojas espalhadas pelo país.

Endereço

Mundo Verde Shopping Cidade Jardim
Endereço: Av. Magalhães de Castro, 12000 - Cidade Jardim, São Paulo
Localização: Loja 10 – 3º andar
Telefone: (11) 3198-9457

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Como se sair bem no seu primeiro emprego? - Doutores do Varejo


Doutores do Varejo estão aqui e no Youtube toda terça e quinta-feira ao meio dia. http://bit.ly/doutoresdovarejo

A pergunta de hoje é:
"Como se sair bem no seu primeiro emprego?"

-------------------------------------------------

Siga a gente: http://bit.ly/doutoresdovarejo

Caio Camargo e Leandro Branquinho prescreverem receitas para eliminar as doenças e enfermidades no varejo.

Tem uma dúvida?
Envie para consulta@doutoresdovarejo.com.br

-------------------------------------------------





Mais sobre os doutores:

Site oficial e contato para palestras dos doutores:
http://www.doutoresdovarejo.com.br

Dr.Branquinho - vendologista e atendimentólogo
http://www.leandrobranquinho.com.br

Dr. Caio- varejologista e vendologista
http://www.falandodevarejo.com


Doutores do Varejo
A Cura do seu negócio está aqui

Como realizar vendas complementares? - Doutores do Varejo


Doutores do Varejo estão aqui e no Youtube toda terça e quinta-feira ao meio dia. http://bit.ly/doutoresdovarejo

A pergunta de hoje é:
"Como realizar vendas complementares?"

-------------------------------------------------

Siga a gente: http://bit.ly/doutoresdovarejo

Caio Camargo e Leandro Branquinho prescreverem receitas para eliminar as doenças e enfermidades no varejo.

Tem uma dúvida?
Envie para consulta@doutoresdovarejo.com.br





Mais sobre os doutores:

Site oficial e contato para palestras dos doutores:
http://www.doutoresdovarejo.com.br

Dr.Branquinho - vendologista e atendimentólogo
http://www.leandrobranquinho.com.br

Dr. Caio- varejologista e vendologista
http://www.falandodevarejo.com


Doutores do Varejo
A Cura para o seu negócio está aqui

O varejista tem perdido vendas para si mesmo todos os dias.

Eu não vou citar nenhum caso específico por aqui, mas uma verdade que venho constatando e reforçando minha visão a cada dia mais é que o varejista não está perdendo seus consumidores (e suas vendas) para a crise ou para o e-commerce, como sempre acreditou.


Na maioria dos casos, ele ainda está perdendo para ele mesmo, oferecendo uma experiência muito abaixo da expectativa, ou ainda não tendo seu mix de maneira adequada ao seu consumidor.

Segundo os estudos que elaboramos na Virtual Gate, monitorando o tráfego e a conversão em quase 4.000 pontos no Brasil, a conversão média no varejo brasileiro oscila por volta dos 20% (obviamente oscilando de acordo com o mercado e o posicionamento da marca neste).

Isso significa que o varejo ainda perde 4 em cada 5 clientes que decidem inicialmente por sua marca na hora da compra. Eu venho há alguns anos apostando pesadamente na produtividade como ferramenta de transformação do varejo brasileiro. Quem teve a oportunidade de assistir uma de minhas palestras sobre o tema pode perceber o quão longe estamos de ser produtivos. Ainda operamos no modelo de abre-loja-fecha-loja-e-ve-quanto-vendeu.

Não se trata somente de criar métricas ou ter mais indicadores, entupindo as marcas de informação sem sentido que mais parecem um bando de dados do que um banco de dados, como se diz no ditado popular. Falta gente analítica no varejo, falta treinamento, falta visão, mas sobretudo falta ação sobre os dados!

A questão dos dados hoje é saber usá-los. Transformar os ingredientes em receita, sem errar no tempero, ou exagerar na porção. Ou melhor ainda, aqueles que com poucos dados, conseguem revolucionar o negócio!

Procuram-se chefs.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor | Falando de Varejo | (dá uma olhadinha em nosso canal no YouTube: falandodevarejo)

Obs:
Quer bater um papo sobre produtividade em sua equipe de vendas?
Mande um email para a Virtual Gate: contato@virtualgate.com.br



terça-feira, 15 de agosto de 2017

Diadema recebe loja do Spani Atacadista

Inauguração será no dia 15 de agosto

A rede Spani Atacadista inaugura no dia 15 de agosto sua loja no bairro Serraria, em Diadema. Essa é a 18ª loja da bandeira que já atua nas cidades do Vale do Paraíba, Litoral Norte, Sul Fluminense, região do Alto Tietê, região de Campinas e capital paulista.


Com um investimento de 12 milhões, a nova loja está localizada na avenida Doná Ruyce Ferraz Alvin, n° 2635. A unidade já gerou 160 empregos diretos e ocupa uma área total de 3.676,39 m2, sendo que a área de vendas ocupa 2.010 m2, com 18 checkouts e 87 vagas de estacionamento para os clientes.

A nova loja irá oferecer mais de 10 mil produtos dos setores de açougue, bebidas, frios, laticínios, hortifrútis, importados, mercearia, higiene e limpeza. Dentre as vantagens que fazem do Spani Atacadista a melhor opção para os negócios estão o estoque garantido, ofertas exclusivas para os mais variados públicos, variedade de produtos, atendimento por televendas para tirar dúvidas e o desenvolvimento de campanhas sociais nas regiões em que atua.

Expansão

Atualmente o Spani Atacadista conta com 17 unidades distribuídas entre o Estado de São Paulo e região fluminense. Para atender toda a demanda, a rede conta com um Centro de Distribuição que está localizado estrategicamente na cidade de Taubaté, no Vale do Paraíba.

O Diretor Presidente do Grupo Zaragoza, Cléber Gomez, falou sobre o crescimento da empresa no Estado de São Paulo. “A bandeira Spani está crescendo em todo o Estado e prezamos, sempre, por oferecer a melhor qualidade no serviço, atendimento e o preço baixo, que é nossa marca no mercado. Estamos felizes em inaugurar uma unidade aqui em Diadema”, considera o Diretor Presidente.

Sobre o Grupo Zaragoza

O Grupo Zaragoza surgiu em 2003, é detentor da bandeira Spani Atacadista. Atualmente conta com 15 lojas e possui mais de 3700 funcionários, beneficiados com políticas internas de Recursos Humanos, que refletem na capacitação e especialização de cada profissional.

Sabendo da responsabilidade com a comunidade onde estão inseridas, as lojas do Spani Atacadista desenvolvem ações de responsabilidade social e de sustentabilidade durante todo o ano, para beneficiar as entidades assistenciais dos municípios.

Em 2016, o Grupo Zaragoza teve um crescimento de 19,5% e está entre as 20 maiores redes de varejo do país.

Como ter uma loja virtual de sucesso.

por Cynthia Akao*

Que a economia não está nada bem das pernas, isso não é segredo para ninguém. Todo mundo está à procura de um pé de meia para vestir no duro e longo inverno que está por vir, mas o que fazer em tempos de crise, uma crise que envolve além dos nossos esforços, nosso entendimento? Como ganhar dinheiro e ter uma rendinha extra?

Cynthia Akao

Com centenas de aplicativos para montar lojas virtuais que ficam à disposição, muitas pessoas apostam na “nova onda”, se assim podemos chamar, para suprir essa necessidade. Mas será que é tão simples assim?

Tenho escutado muitas pessoas desabafando e perdendo as esperanças por não terem tido o sucesso esperado. Pessoas que já tiveram no passado algum tipo de experiência com uma loja física, revenda e até fabricação própria, mas sem nenhum ou pouquíssimo retorno no mundo virtual. Mas como isso é possível se, conforme dados, seis entre 10 pessoas compram na internet e uma a cada três faz pesquisa no meio virtual antes de comprar? Para explicar um pouco sobre o tema, decidi separar dicas para entender como funciona o processo de venda online e fazer com que lojistas virtuais consigam prosperar, em poucas palavras como ter uma loja virtual de sucesso. Vamos lá?

Seja dono do seu tempo

No mundo virtual o tempo é a moeda de troca mais valiosa. Isso se deve ao imenso número de conteúdos que precisamos digerir em nosso dia a dia, o número de e-mails para ler e responder, artigos e publicações que temos a fazer, novos aplicativos que mais encantam do que ajudam, as redes sociais e por aí vai. Com tanta distração que recebemos em nossos perfis e canais de comunicação digital, o tempo parece fluir mais rápido, ou seja, não temos tempo para nada e sempre deixamos ações em haver. Por este motivo deixo o tempo como sendo um dos itens mais importantes para criar, ter, manter e vender em uma loja virtual. Quanto tempo a pessoa deverá derivar para sua loja? Depende da sua proposta e das ações, mas no geral, reserve duas horas do seu dia como mínimo. Planeje esse tempo de maneira que nada o perturbe, se possível. Faça disso uma prioridade. As ações e seus resultados dependem dele.

Visão não é somente o “quem somos”.

A visão de negócios é sem dúvida um dos fatores mais importantes para a sobrevivência do projeto. O comerciante precisa entender que não importa o meio onde a sua empresa vai criar raízes, ele vai ter que entender o mínimo para que a curva se mantenha no ápice e não morra, antes mesmo de nascer. Conceitos como fluxo de caixa e lucro devem ser bem entendidos, em especial quando se trata de um negócio online, onde parece haver uma linha muito tênue entre ambos. Retorno do Investimento é outro tema que precisa ser bem compreendido para não gerar expectativas inesperadas. Por isso, cuidado, informação e conhecimento valem ouro.

Pesquisa, a palavra-chave que abre muitas portas

Outro fator muito importante é saber tudo sobre o seu negócio, começando pelo conhecimento técnico do seu produto ou serviço; sua concorrência e o mercado (atual conjuntura da procura e oferta desse produto). Se você é daqueles que precisa montar uma loja, mas não faz ideia do quê, pesquisar é a ordem. A Pesquisa é fundamental para qualquer tomada de decisão, corra atrás de site de tendências, veja comentários nas redes sociais, vídeos, artigos, entrevistas, e se for possível, saia a campo para entender melhor sobre o objeto escolhido. Neste caso o excesso não é um pecado, é uma necessidade.

Trace metas e Objetivos

Outro ítem tão importante quanto é o objetivo, além de conhecer o modelo de negócios e os que vai ser comercializado, é muito importante traçar objetivos em cada um deles, por exemplo qual seria seu grande foco para o semestre ou para o ano, gerar receita de 10, 20, 50, 100 mil no período? Expandir seus negócios atuais e vender franquias? Fazer uma loja virtual referência em tal nicho ou ampliar outros? Enfim, trace um objetivo, que por via de regra deve ser grande, e logo o desfragmente em pequenas etapas de realização, que chamamos a grosso modo de metas. Estas metas devem ser específicas, devem ser mensuráveis, ter um tempo de validade, realistas e atingíveis, ou seja, uma meta é uma tarefa em tempo que seja “de verdade”. Se quiser saber mais sobre isso leia o artigo que escrevi recentemente sobre metas e objetivos.

Tecnologia, saber o mínimo já é muito

A tecnologia é uma constante que não para de crescer, aplicativos, redes sociais, internet das coisas, entre outros; que requerem um pouquinho de aprendizado para que o lojista digital saiba se comunicar e encontrar novas oportunidades para o seu cliente. Sem dúvidas, é muita informação, mas que com os avanços se tornam obsoletas rapidamente, porém, em novas versões ficam mais acessíveis e fáceis de manipular, ajudando a quem delas precisa. Assim sendo, o mínimo pode fazer a diferença que o seu negócio precisa, por isso, fique antenado!

Olha ele! O planejamento

Se tem um item que é praxe em qualquer artigo ou palestra ou menção para negócios e oportunidades, é o planejamento, este é o ator principal que leva todos os Oscars. O bendito do planejamento, odiado, temido ou amado pelos empreendedores é sempre uma bela dor de cabeça. Mas nada disso, nós contamos com outros elementos que podem nos ajudar como o canvas, que é um método para você dar forma ao seu plano de negócios. Tente montar seu negócio começando por ele, é menos complexo e garanto que, a priori, vai ajudar e muito. Veja aqui um artigo bem útil. Mas o planejamento não se limita apenas no modelo, ele serve para tudo, desde seu conteúdo nas redes sociais até a sua campanha de Natal.Comece traçando seus objetivos, metas e vai agregando tudo o que você pode fazer para realizá-los, dentro é claro, da sua proposta. Por exemplo se você quiser fazer uma campanha de divulgação do novo produto, veja onde o seu público se concentra e monte a estratégia de acordo com o canal, verba para divulgação, verifique as peças a serem expostas, seu estoque, etc. Planeje-se!

Como funciona o meio digital?

Pergunta bem ampla, mas de extrema importância. Uma das coisas a que devemos dar atenção é o propósito do canal, por exemplo, um buscador serve para buscar alguma coisa, portanto a visão do público é mais objetiva e com certeza a palavra associada é o diferencial. Por exemplo, se o cliente procura sapatos de casamento, a palavra-chave é fundamental, pois por meio dela é que vão aparecer os resultados e fazer outros resultados; então o buscador possui certas características que definem o público alvo. Para tirar mais proveito busque ajuda de ferramentas como o GA, Google Trends, Planejador de palavras-chave, Semrush, Webmaster Tools, entre outros. Já se o público vai para as redes sociais, ele busca por relacionamento, baseado em recomendações. Lembre-se disso sempre! Portanto você vende pelo que é, pelo que faz e pelo que dizem de você. Se tem uma frase que explica bem uma rede social é “Você é responsável por aquilo que cativa”. Portanto, fique atento às tendência e ferramentas que possam te ajudar na divulgação e no conhecimento do habitat digital.

O conteúdo é, foi, e sempre será o rei.

Se você aposta no meio digital piamente e acha que é de fato o futuro do mundo, então seu combustível é o “conteúdo digital”. Está mais do que claro que a medida que as novas tecnologias aparecem, o conteúdo é o fator decisivo para todo e qualquer tipo de retorno de resultados, que ver? Se você procura alguma coisa no Google, com certeza vai dar prioridade aos primeiros nomes da busca orgânica, ou ainda, vai confiar em uma empresa já consolidada, “ de nome” no meio, aquela que quando você entra no site, tem rios e rios de artigos, dicas e informações. Se você está em uma rede social, com certeza você vai analisar uma página cheia de publicações interessantes, novidades, dicas e tudo muito atualizado, em outras palavras você busca uma referência chamada “conteúdo digital”. Bom, dispensa comentários. Quer ser bem visto e definido no mundo digital? Então, pesquise, redija, publique, divulgue, enfim trabalhe com conteúdo, a longo prazo o conteúdo fará de você um rei.

Publicidade e propaganda, retorno garantido!

Você DEVE fazer propaganda online sim! Vários fatores, a concorrência é grande, se você estiver no começo seu SEO é pequeno, as redes sociais, como Facebook, faz disso uma regra para divulgação de conteúdo, inclusive os orgânicos, você precisa consolidar sua marca e vender, vender e vender! Portanto, separe uma verba, comece com 200 reais para o Facebook e outras 200 reais para algum buscador. Priorize palavras-chave longas e específicas. Teste horários, dias, tipos de conteúdo, abra o leque para os tipos de clientes, observe a localização, enfim experimente, na dúvida, procure nossa consultoria. Se preferir, também faça publicações pagas em sites do ramo, insira banners pagos, faça parcerias, ou seja, divulgue e pague por isso. Se bem definido e planejado, o retorno é garantido!

Pós venda, fala que eu te escuto.

Imprescindível! Monitorar suas ações, dar atenção a dicas e comentários, escutar o cliente é a melhor coisa que uma empresa pode fazer para sobreviver em todas as épocas. Afinal quem compra é o cliente, vender o que você gosta não significa que é o que o cliente gosta. Busque um relacionamento, pergunte, faça ações para que o cliente fale, discuta, enfim te ajude nas próximas campanhas, no próximo mês. Se for muito necessário sempre dê um pulinho no seu cliente, seja na redes sociais, via e-mail ou fisicamente. Entenda o que ele precisa e ganhe com esta informação. Afinal, você tem contas para pagar e seu negócio depende dele!

Em resumo, se organize, planeje, estude, escute e corra atrás. Não fique esperando que ferramentas vão fazer milagres. Busque a informação necessária e a coloque em prática, só assim você vai fazer com que a sua loja virtual ou qualquer outro negócio na internet seja um sucesso. Se precisar de nós, estaremos por perto, seja para qualquer solução em ferramenta de vendas na internet, com a Plataforma Facíleme, seja para sanar qualquer dúvida.

Cynthia Akao, sócia fundadora, da WV_Todoz

Inscrições para o Prêmio ABF+RDI Design 2017 vão até 23 de agosto

Entre sete categorias, Inovação é a mais nova que será premiada. Marcas interessadas podem se inscrever até 23 de agosto

Estão abertas até 23 de agosto as inscrições para o 7º Prêmio ABF+RDI Design. Promovida pela Associação Brasileira de Franchising em conjunto com o Retail Design Institute, a premiação é um reconhecimento a marcas e profissionais, franqueadores e franqueados, que utilizam o design como um elemento estratégico de gestão, valorização e distinção da marca e da rede de franquia, seja em pequenos ou grandes projetos, estabelecendo uma relação com o cliente final. Único do gênero para o setor de franchising no Brasil, o prêmio tem por objetivo valorizar, endossar, comunicar e registra r a excelência do sistema de franquias por meio das ferramentas do design.


Nesta edição 2017, o prêmio ganhou uma nova divisão, sendo composto agora por sete categorias: Inovação (a novidade), Projeto Arquitetônico, Visual Merchandising, Produto, Embalagem, Brand Design e Design Consciente.

Para o presidente da ABF Altino Cristofoletti Junior, “o franchising brasileiro evoluiu e o design acompanhou essa evolução, agregando valor às marcas, aos seus produtos e serviços. Nada mais justo do que reconhecermos as redes e os profissionais envolvidos nesse trabalho”, afirma.

“O fato de chegarmos à sétima edição desse prêmio, agora destacando também os projetos inovadores, demonstra a importância crescente do design para o franchising, estabelecendo novos padrões estéticos, arquitetônicos, visuais, entre outros, para as marcas e que refletem em sua relação com os consumidores”, declara George Homer, presidente do RDI.
Os vencedores serão conhecidos e receberão um troféu na cerimônia de entrega do prêmio, durante a 17ª Convenção ABF do Franchising – Atitudes que Fazem a Diferença – Inovação, Ética e Eficiência. O evento será realizado de 25 a 29 de outubro, na Ilha de Comandatuba (BA). Mais informações e inscrições no site: http://premiodesign.abf.com.br/.

Fujioka inaugura loja com tecnologia de ponta no Shopping Uberaba

A confiança no potencial de Uberaba leva empresa com mais de 50 anos no mercado a ampliar espaço de loja para oferecer aos clientes um mix maior de produtos de alta tecnologia. O diretor comercial do Fujioka, Yuki Yoshida, revela que a resposta positiva do faturamento da unidade no Shopping Uberaba é outro fator que justifica a ampliação para permitir que os clientes tenham acesso ao portfólio de TVs, desde as de 32'' até as TVs com definição 4k, assim como a linha de ar-condicionado que contempla a tecnologia inverter. Além disso, um estúdio fotográfico que receberá os clientes para a produção fotográfica de book, fotolivro e foto produtos. Yuki observa que além de trazer o que há de mais moderno em tecnologia, também gera empregos e oportunidades de negócios em Uberaba. “Estamos investindo mais por acreditar que este é um mercado importante”, frisa.


A gerente de Marketing Roberta Tibery observa que a receptividade dos uberabenses surpreendeu a rede positivamente e a proximidade com a marca foi ratificada pelo aumento do faturamento da loja. “Com esta nova loja, nos aproximaremos mais ainda dos nossos clientes através de uma experiência de compra mais completa”, enfatiza. Segundo ela, toda a tecnologia de ponta estará à disposição para possibilitar ao cliente a experiência e degustação de todos os produtos Fujioka.

A nova loja no Shopping Uberaba será inaugurada nesta quinta-feira (17), às 10h, com a presença do diretor de Planejamento e Expansão do Fujioka, Katsume Fujioka, o que reforça a importância de Uberaba para a rede que tem o compromisso de levar mais tecnologia à vida das pessoas por meio de um mix completo de telefonia, áudio & vídeo, informática, cuidados pessoais e serviços fotográficos. O Fujioka tem 64 lojas espalhadas por Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal e está entre os cinco maiores atacadistas de tecnologia do Brasil, sendo o maior do Centro-Oeste. A inauguração contará com atrações especiais.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Empatia é muito mais importante do que simpatia

Clique no botão de play para ouvir o episódio.

Apresentação do programete: Leandro Branquinho 
Dia em que foi ao ar 14-08-17
Veiculado em:
-Rádio Educativa 105,9FM – Três Corações – MG
-ACETC – Portal da Associação Comercial e Empresarial Três Corações - MG
-ACAITP - Portal da Associação Comercial de Três Pontas – MG
-ACELEM – Portal da Associação Comercial de Luis Eduardo Magalhães - BA
-Rádio Cidade – Campos Gerais – MG
-Rádio 98 FM – Ribas do Rio Pardo – MS
-Rádio 95 FM – Currais Novos - RN
-Falando de Varejo

http://radiovendas.com.br
http://leandrobranquinho.com.br

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Quem será o Uber do varejo alimentar?

Quem tinha ouvido falar do Uber cinco anos atrás? Hoje a história é outra. Em um ambiente em que novas empresas, como o Uber, conseguem levantar um capital de US$ 10 bilhões, devemos nos indagar: Quando surgirá o “Uber do Varejo Alimentar”?

Empresas que surgiram no mundo digital, como Google, Facebook, Amazon e Alibaba impactam direta ou indiretamente toda a cadeia do varejo. Nem mesmo o Walmart, com seu faturamento estelar, sairá ileso. Todos serão chamuscados por este novo varejo que, neste momento, está aí fora sendo gestado em algum lugar do mundo.

O varejista precisa ter uma cabeça digital

“Temos de abraçar o mundo digital”, com esta frase Brian Cornell, CEO da Target, deixou claro que temas como plataformas digitais, co-criação, segurança cibernética já estão sobre a mesa dos CEOs dos principais varejistas do mundo.

Ele complementa dizendo “nossos clientes gostam muito da facilidade e da conveniência proporcionadas pelo canal digital, mas gostam muito também de tocar, sentir e interagir com o produto”. Óbvio que sim, mas esta ambivalência não pode paralisar o varejista, se isto acontecer será mortal!

Para ter sucesso, o varejo do futuro precisa ter a mentalidade correta para poder partir, sem culpa, para um novo modelo de negócio onde o varejo será totalmente reinventado.

A primeira coisa a saber é se suas crenças, suas experiências, e o modelo mental da sua empresa permitirão esta mudança radical. E ainda, se temos as lideranças adequadas para esta travessia.

O Walmart, ao adquirir a Jet.com, deixou claro que não dispunha do pessoal, da mentalidade e dos processos para triunfar no mundo digital, e mais, mostrou que não tinha tempo a perder. Para evitar o mesmo triste fim de tantos varejistas, ele abriu o cofre e investiu bilhões de dólares no seu projeto de transformação digital chamado Pangaea. Em 2015, como referência desta urgência, só 3% das vendas do Walmart vieram do comércio eletrônico (US$ 14 bilhões em US$ 482 bilhões).

Hoje liderado por Marc Lore, criador da Jet.com e legítimo representante da Geração X, foram compradas: Bonobos, Shoebuy, ModCloth e Moosejaw. A coisa anda tão rápido por lá que Andy Dunn, um millennial, que era o CEO da Bonobos será o braço direito de Lore. Esta dupla tem a árdua tarefa de enfrentar e bater outra dupla de peso (dois Baby Bommers da melhor estirpe), Jeff Bezos da Amazon e John Mackey da Whole Foods.

Marc Lore em ação

90% dos americanos estão a até 12 km de uma loja Walmart, assim Marc Lore criou um programa para que seus empregados entreguem encomendas em seu caminho para casa, recebendo um dinheiro extra pelo trabalho adicional. Esta decisão, que parece óbvia, só aconteceu porque uma cabeça totalmente diferente está à frente do negócio. O melhor de tudo, esta é uma vantagem competitiva que a Amazon não conseguirá copiar.

Então o varejo tradicional morreu?

Há muitos anos que eu escuto esta ladainha, e posso garantir que ele não morreu nem vai morrer, vai se transformar!

Segundo David Bell, professor de marketing da Wharton School, “o varejo offline não morreu de forma alguma. Ele vai apenas mudar de aspecto no futuro”. “Muita gente achava que o comércio eletrônico fosse matar o varejo tradicional. A ideia era que uma empresa que começasse a funcionar no plano digital jamais migraria para o plano físico”. A Amazon e o Alibaba estão aí desmentir esta tese. Este último, uma empresa chinesa de comércio eletrônico, investiu mais de US$ 9,3 bilhões em lojas offline desde 2015, segundo a agência Reuters.

A aquisição da Amazon é claramente outro movimento que desmente a tese. E atingirá em cheio o Walmart, pois 56% de todas suas vendas nos EUA são itens alimentícios.

A nova Amazon

O acordo é perfeito para as pretensões da Amazon e combina com a necessidade da Amazon Fresh de estar presente em áreas urbanas onde estão os clientes com maior poder aquisitivo. As lojas da Whole Foods poderão atuar como pontos de distribuição estrategicamente localizados. Além disso, a Whole Foods também vai aportar seu conhecimento em alimentos saudáveis, seu grande relacionamento desenvolvido com fornecedores do segmento e a sua capacidade ímpar de proporcionar uma experiência no interior da loja.

A Amazon, do seu lado, vai transferir para a Whole Foods todo o seu know-how em conhecimento do consumidor, em cadeia logística e em tecnologia (como Amazon Go, por exemplo). Parece realmente um casamento perfeito.

Finalmente, 80% dos consumidores do Whole Foods também compram na Amazon, isto gera um número infinito de oportunidades a serem exploradas em marketing, desenvolvimento de produto e serviços etc.

O ponto de atenção nesta integração é a Amazon fazer mudanças depressa demais sem dar a devida atenção às diferenças culturais, e assim entornar o caldo. Muito se questionam se a Amazon tem experiência para gerir uma operação do tamanho da Whole Foods. Também me questiono! Vamos todos aguardar mais um pouco.


Sandro Benelli é CEO da B Retail, consultoria de varejo e gestão

Venancio abre 1ª loja em Nova Iguaçu e 51ª da rede

Após 38 anos de existência, a Drogaria Venancio vai inaugurar, no dia 11 de agosto, sua primeira loja em Nova Iguaçu. Em 1979, ano em que tudo começou, o objetivo era proporcionar aos clientes um atendimento diferenciado no momento da venda de medicamentos e contribuir com a evolução da zona norte. Dezenove anos depois, a segunda loja foi aberta, e a partir daí teve início o processo de expansão da rede, que hoje conta com 51 lojas.


Desde 2010, a rede vem crescendo a uma média de seis lojas novas por ano e investindo em novos conceitos que reinventem a percepção do segmento farma. O modelo de negócios escolhido pela rede buscar oferecer saúde, beleza e bem estar, através de colaboradores que trabalham encantando as pessoas.

“Todos os nossos funcionários são treinados para proporcionar uma experiência de compra diferenciada aos clientes. Nossas lojas oferecem um ambiente aconchegante com um atendimento personalizado e um mix de produtos diversificado para irmos além da venda de medicamentos”, explica Armando Ahmed, presidente da Drogaria Venancio.

Hoje, a rede conta com cerca de 3 mil colaboradores, distribuídos pelas dezenas de drogarias, megastore, lojas-conceito, Venancio Medical, centro de distribuição, televendas, e-commerce e escritório.

Como criar um Delivery de roupas assertivo

por Bianca Scampini*

O Delivery de roupas é um novo canal de vendas que visa atender os clientes que não tem tempo para se deslocar a loja durante o horário de funcionamento e ou preferem experimentar as roupas no sossego do seu lar, além de gostar de um serviço diferenciado. Neste caso, a união de um personal stylist e a loja fazem deste serviço um atrativo para recuperar clientes antigos e adicionar novos na carteira de clientes da loja. Para desenvolver este novo canal de venda é preciso respeitar alguns pré requisitos: conheça seu público alvo e como ele se comporta; a parceria com um consultor de estilo é primordial. Este profissional esta habilitado para elaborar um questionário que será respondido pelo cliente. Em cima dele é possível conhecer o estilo do cliente, suas preferências e expectativas quanto aos produtos, que devem ser enviados de acordo com a necessidade e desejo do cliente com pontualidade e regras de troca e cobrança claras. Lembre-se este serviço é para facilitar a vida do cliente.

As roupas enviadas devem ser as mesmas que você tem disponível para compra física, não diferencie os produtos, por exemplo, enviar peças encalhadas. Este serviço tem que prestar um atendimento com a mesma qualidade que o prestado na loja física. Não cobre pelo serviço.

A organização é super importante para o bom funcionamento deste canal de vendas, relacione preços e peças que estão sendo enviados, fotografe e envie para o cliente. Sugira combinações das peças entre si, mais ou menos como um guarda roupa capsula (poucas peças que combinam entre si e estimulam o consumo consciente), informe as políticas de troca, manchas e pagamento.

Envie a mala com lacre descartável muitas vezes a encomenda ficará na portaria do prédio, por isso, é bom evitar que seja violada, esse serviço é uma relação de confiança entre o cliente e o lojista. Teste o melhor formato com os clientes já existentes em carteira e esteja aberto a suas avaliações e positivas e negativas.

Lembre-se a mala irá gerar grande expectativa no cliente, cuidado para não frustrá-lo. O delivery é uma boa alternativa a lojas físicas que não possuem e-commerce porque também oferece conforto e praticidade ao cliente. Uma boa produção de still (fotos de produto) é importante para atrair os clientes através da rede social, mantenha as redes atualizadas com as novidades da estação.


Este serviço tem baixo custo de implantação e tem taxa de retorno.

Bianca Scampini é estrategista de negócios em varejo e sócia fundadora da Mood Negócios – Imagem - Moda

Setor de franquias registra avanço de 6,8% no 2º Tri de 2017, aponta ABF

Considerando os períodos de 6 e 12 meses, crescimento chega a 8%. Segmentos que mais cresceram foram Hotelaria e Turismo; Saúde, Beleza e Bem-estar e Casa e Construção

O mercado de franquias brasileiro registrou um crescimento nominal de 6,8% no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento de abril a junho passou de R$ 35,180 bilhões para R$ 37,565 bilhões. É o que mostra a Pesquisa Trimestral de Desempenho do Franchising divulgada hoje pela ABF – Associação Brasileira de Franchising. Embora o índice registrado no segundo trimestre de 2016 (crescimento de 8,1%) seja maior do que o deste ano, considerando-se a inflação (o IPCA acumulado de 12 meses foi de apenas 3%), o resultado deste ano foi superior, apontando ganhos significativos frente um panorama macroeconômico ainda desafiador. Considerando-se períodos mais longos, de 6 e 12 meses, nota-s e que o setor mantém um ritmo de crescimento nominal moderado na casa dos 8%.

A ABF atribui este desempenho à melhora de alguns indicadores macroeconômicos, como a queda da inflação e expansão do crédito às famílias, à projeção de tímido crescimento do PIB em 2017, e fatores pontuais, como o saque das contas inativas do FGTS, associados à busca incessante do setor de franquias por mais eficiência, novos mercados e por reconquistar o consumidor. Para o presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior, “paulatinamente, o setor vem fortalecendo seu crescimento em termos reais. Isso é muito importante visto que no período enfrentamos um mês de deflação e severas incertezas políticas. Esse desempenho mostra a capacidade de reinvenção do setor e os benefícios da operação em rede”.

FATURAMENTO TRIMESTRAL DO SETOR DE FRANQUIAS (em milhões)


Analisando-se os dados de janeiro a junho de 2017 (Year to Date – YTD) em relação ao mesmo período anterior, o crescimento foi de 8%, passando de R$ 68,890 bilhões para R$ 74,428 bilhões.

FATURAMENTO SEMESTRAL DO SETOR DE FRANQUIAS (em milhões)




Quanto ao faturamento acumulado dos últimos 12 meses, o estudo revela que o sistema de franquias alcançou crescimento de 8,4%, com avanço da receita de R$144,615 bilhões para R$ 156,784 bilhões.

Outro dado positivo trazido pela pesquisa trimestral da ABF foi a ampliação do número de empregos formais gerados no setor. Houve uma retomada na oferta de novas vagas que totalizou 1.200.694 trabalhadores diretamente empregados no sistema, 1% a mais do que no primeiro trimestre de 2017. Comparativamente, segundo o IBGE, o desemprego no Brasil registrou queda de 0,7% em relação ao trimestre anterior.

“O desempenho positivo do setor e o relativo aumento no número de empregos demonstram que as empresas do franchising seguem uma trajetória de recuperação. Observamos que as redes continuam focadas em obter ganhos de eficiência na gestão, fazendo mais com menos, investindo na multicanalidade, em novas estratégias comerciais, enfim, atentas aos movimentos do mercado para responder rapidamente aos desafios desse período difícil vivido pelo País”, declara Cristofoletti. Ainda segundo o presidente da ABF, esse quadro associado às projeções do mercado para o ano de 2017, com crescimento do PIB em 0,34% e inflação abaixo do centro da meta, em 3,45%, reforçam a trajetória atual e a manutenção da projeção de crescimento do setor este ano que, de acordo com a ABF, deve ficar entre 7% e 9%.

Quanto ao movimento de abertura e fechamento de unidades, o levantamento sugere um ritmo moderado. No 2º trimestre deste ano, foram abertos 3,2% pontos de venda na comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando 144.074 unidades de franquia em operação no País, e fechadas 1,3%, resultando num saldo de 1,9%. Para Cristofoletti, “estamos passando por um período de maior conservadorismo na expansão, mas é ainda muito considerável o número de redes e empreendedores que continuam em movimento, tanto visando ganhos de curto prazo, como ocupando mercado para quando a economia se recuperar”. Nesse sentido, os multifranqueados (franqueados com duas ou mais unidades de uma mesma marca) e franqueados multimarcas (com unidades de redes diferentes), associados ou não ao repasse de unidades, têm sido cada vez mais importantes para a manutenção do dinamismo do setor.

Em termos de número de redes, houve uma queda de 2% em relação à dezembro de 2016. Atualmente, temos 2979 redes atuando no Brasil. Além da diminuição da atividade econômica, um fator que tem contribuído para este movimento é que redes de menor porte, ao promover adequações ao atual cenário, acabam focando suas operações próprias. No entanto, novas marcas continuam a chegar ao setor, brasileiras e estrangeiras.

Segmentos

Entre os segmentos, a maior variação de receita trimestral foi registrada em Hotelaria e Turismo, com 10,1% de crescimento. O desempenho foi favorecido pela recuperação do segmento em relação ao ano passado, bastante impactado pela crise. Em segundo lugar ficou Saúde, Beleza e Bem-Estar (9,4%), favorecido pelo aumento da procura por clínicas populares, pelo investimento de grandes redes na multicanalidade, entre outros fatores. Na terceira posição, está o segmento de Casa e Construção (8,6%), demonstrando uma leve recuperação frente ao mesmo período do ano passado, a exemplo do que ocorreu com o segmento de Hotelaria e Turismo. A seguir vem Entretenimento e Lazer (7%) e Comunicação, Informática e Eletrônicos (6,6%).

Desempenho regional reforça interiorização

Em termos de faturamento, a pesquisa indicou pequenas variações nas participações das Regiões e dos Estados. Confira:



Fonte: ABF

Porém em número de unidades, o estudo aponta que houve aumento da participação das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte no franchising brasileiro, reforçando a tendência de interiorização das redes de franquias pelo país:

PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS POR UNIDADES


Fonte: ABF

Para o presidente da ABF, “esses dados indicam mais uma vez que o franchising tem saído de sua zona de conforto e buscado mercado fora dos grandes centros, especialmente no interior. Isso é positivo para o setor, pois explora melhor o potencial da economia brasileira, dirimindo riscos e ajudando a compensar a dificuldade encontrada em alguns grandes centros”.

Metodologia

A Pesquisa de Desempenho do Franchising referente ao 2º trimestre de 2017 envolveu uma base amostral com redes respondentes que representam cerca de 41% das unidades e 54% do faturamento total do setor.

Envolvendo o mercado como um todo, inclusive não associados, os números do desempenho do setor de franchising são apurados em pesquisa por amostragem, cruzados com levantamentos feitos por entidades representantes de setores correlatos ao sistema de franquias, órgãos de governo, instituições parceiras e de ensino. Auditados por empresa independente, os dados divulgados pela ABF são referência para órgãos governamentais de diversas esferas, entidades internacionais do franchising, como World Franchise Council (WFC), Federação Ibero-americana de Franquias (FIAF) e instituições financeiras.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Em uma corrida de táxi aprendi na prática porque empresas estão morrendo frente à inovação.

Olá amigos do varejo

Em uma cidade do nordeste brasileiro onde estou passando alguns dias a trabalho, resolvi pegar um táxi no hotel que estava para uma reunião. Como era um trajeto pequeno, de pouco mais do que 15 minutos, e mesmo sabendo que haveria disponibilidade de serviços como o Uber, resolvi utilizar o método tradicional, pedindo um taxi no balcão do hotel.


Ligação feita pelo recepcionista do hotel, cinco minutos e meu carro chega. Um carro popular, algo que não me incomoda (uso muito o uber x), mas com ares de cansado e em fim de carreira, exatamente à imagem de seu motorista. Me sentei à frente pois precisava carregar um pouco o celular. Sem entradas, pedi para carregar no USB do rádio, como já disse, surrado, que precisou ser ligado para que o carregador funcionasse.

Pude acompanhar as novidades dos times locais em um ótimo programa de debate esportivo.

Estranhei as janelas abertas, mas resolvi não ser chato e pedir para ligar o ar-condicionado, e assim sendo, curtir um pouco do “inverno” nordestino, marcando seus quase trinta graus, que somados com o úmido ar litorâneo, para um gordinho como eu, se torna uma verdadeira sauna.

- Vamos para o Centro.

- Ok.

Nisso ele pega o rádio e pergunta a outros motoristas como está o caminho em uma determinada avenida. Lhe respondem que pelo caminho que iria estava tudo travado, mas que poderia tomar outra via que não teria problema.

No caminho vimos que realmente a via que normalmente uso para chegar ao escritório que eu iria estava com trânsito, segundo o motorista, por conta de uma obra. E puxei conversa:

- Mas me conta, como anda essa vida de taxista depois do Uber.

- Tá ruim demais moço. Caiu 70%. É um absurdo. Para o senhor ver, eu tenho até vergonha de falar, mas o ar-condicionado eu nem liguei pois está quebrado há quatro dias. Custa caro demais arrumar. Inclusive acho que vou é vender esse carro, já nem posso guiar ele pois taxi aqui só com menos de 5 anos de fabricação e o meu já foi pro sexto ano. Tá dando muito problema, mas ainda não o troquei.

- Mas o turista não reclama?

- Reclama, mas quem mais reclama é o brasileiro que não gosta de calor. Turista gosta do calorzinho.

- Mas se está ruim, sei lá mas, por que você não vira Uber também?

- Não compensa. Veja você: se eu entro em um engarrafamento, o preço já tá fechado e não ganho mais nada sobre isso. Não vale a pena.

Nisso, ao virar a curva, onde deveria ter uma via livre segundo os amigos do motorista, há um enorme engarrafamento. Passados mais de 30 minutos quase no mesmo lugar, já atrasado para minha reunião, de janelas abertas, sem ar-condicionado e suando, o motorista começa a ficar nervoso e soltar grandes nomes impróprios de nossa cultura brasileira. Até aprendi alguns novos.

Passa um rapaz ao nosso lado vendendo água. Ele compra uma, pede um gole e diz: aceita?

Mais 15 minutos, chego finalmente ao meu destino e digo:

- Muito obrigado, tome aqui o dinheiro (o dobro do que seria por conta do trânsito), fique com o troco, mas preciso da nota (para reembolso).

- Nota? Eita, acabou meu talão!

Eu não sei você, mas aprendi muito nessa corrida sobre porque uma empresa fecha frente à inovação, e você, quais pontos você identifica com as empresas que estão morrendo nos dias de hoje?


Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Siga também no | Facebook | Instagram | YouTube