Buscar

Será que o 11/11 pode virar uma nova Black Friday?

Meio-dia do dia 11/11 e os números do Single’s Day (dia dos solteiros, em tradução livre), criado pelo Alibaba na China e seguido por todos os demais players em uma lucrativa carona, começam a se apresentar.

Em apenas um único dia, as vendas equivalentes ao período (apenas 24 horas), alcançaram o patamar histórico de US$ 38,3 Bilhões, algo equivalente a movimentação de 2,5 do previsto para 2019 para todo o e-commerce brasileiro, e mais do que 5 vezes o valor vendido em uma Black Friday americana.



Com números para espantar até mesmo os mais otimistas, parece que 2019 deve ser o primeiro ano que algumas empresas, ainda que mesmo de maneira tímida, começam a esboçar promoções também por aqui.

Nesse ano, além da Aliexpress, que naturalmente seria um dos players a tentar algo por aqui, a surpresa se deu à massiva campanha da Americanas para entrar na data, vendendo ela como “11/11”.

O canal TechTudo reuniu também alguns players do segmento, mostrando as
Alguns movimentos também foram observados em players como Magalu, que não citou o tema de forma direta, mas citou “comprar no 11/11”, destacando sua entrega e frete.

Players como Mercado Livre ou mesmo Amazon, nada constavam em suas páginas nessa manhã.

Ainda é cedo para dizer se de fato, um 11/11 também funcionaria por aqui, mas a sensação de oportunidade única, de um dia único com bons descontos (se assim realmente forem), no mínimo, aguça a curiosidade dos consumidores.

O que vai ditar se o 11/11 poderá vingar ou não em terras brazucas será o resultado desses players que estão iniciando esse caminho.

Se pegar, da mesma maneira que a Black Friday tumultuou um pouco as vendas do Natal, será que um 11/11 poderá no futuro embolar mais ainda o jogo das vendas no final de ano?

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo | falandodevarejo.com

Postar um comentário

0 Comentários