Buscar

IMC investe R$ 35 milhões em tecnologia para produção de alimentos

Automação da cozinha central reduzira desperdício e otimizará a operação nos restaurantes

A IMC – International Meal Company Alimentação S.A., uma das maiores companhias multimarcas no setor de varejo de alimentação da América Latina, inaugurou na última semana sua cozinha central, que fornecerá produtos para os restaurantes da empresa, como Frango Assado e Viena. O projeto contribuirá para a otimização da operação da empresa, com a redução de desperdício e melhor aproveitamento da mão-de obra do time, além de melhorar a qualidade dos produtos, consumiu aproximadamente R$ 35 milhões em investimentos.

Newton Maia, da IMC
A nova cozinha permitirá uma maior padronização e também uma redução no tempo de preparo nas lojas. Isso será viável por meio da implementação do sistema Cook & Chill, onde as receitas, após serem preparadas, passam por um processo de ultracongelamento, modelo já utilizado em restaurantes estrelados pelo mundo, e que posteriormente são regenerados nos restaurantes através de fornos combinados.

Newton Maia, CEO da IMC, destaca que o projeto entregará produtos com ainda mais qualidade para os clientes, além de contribuir para ganhos de eficiência na operação. “Com a centralização da produção, vamos garantir que as receitas serão fielmente reproduzidas e, com a nova capacidade, passaremos a produzir produtos que hoje estão com terceiros. O sistema Cook & Chill simplifica processos e otimiza a operação de nossos restaurantes, que receberão grande parte dos produtos já preparados.”

Maia destaca, ainda, que a nova cozinha acelera o processo de expansão da IMC, tanto com novos restaurantes, quanto em novos canais como franquias e o varejo de alimentos. “Antes havia uma dificuldade na gestão de unidades mais distantes e na garantia que os produtos estavam dentro do padrão de qualidade IMC. Soma-se a isso a necessidade de lojas grandes, pela questão da cozinha e da padaria. Com a nova cozinha e a produção de alimentos centralizada, garantimos aos nossos clientes a mesma qualidade e sabor, em qualquer restaurante que ele esteja, além de reduzimos a complexidade das operações”.

Essa redução de complexidade foi o gatilho para a questão das franquias. “Anteriormente, o modelo demandava um alto investimento e um potencial risco na gestão de qualidade, pois quem garantiria que o parceiro seguiria os padrões de vários de nossos produtos. Com a cozinha central e os produtos pré-preparados, avançaremos com o projeto Frango Assado Container, de lojas pequenas com os principais produtos e atributos da marca que, com um baixo investimento, possibilitam atrair parceiros franqueados, que ajudarão a permear o Frango Assado em regiões que anteriormente não conseguíamos atingir. Adicionalmente, já estamos analisando quais produtos das marcas Pizza Hut e KFC poderão ser produzido centralmente”.

A adição de capacidade de produção com mais automatização e tecnologia também trouxe uma oportunidade para as marcas IMC. “Recentemente, iniciamos um projeto com os biscoitos de polvilho Frango Assado, em lojas do Pão de Açúcar e do Big em São Paulo. O resultado foi impressionante, porém havia uma limitação na capacidade, e também, na tecnologia de produção, que fez com que chegássemos ao limite muito rápido. Agora temos capacidade, não somente para o biscoito de polvilho, como também já começamos a pensar na distribuição do pão de semolina, que irá semipronto para as lojas e assado localmente”.

Localizada na rodovia Anhanguera (Km 72), em Louveira (interior de São Paulo), a nova cozinha central substitui duas antigas cozinhas centrais da empresa, que eram legados das marcas Frango Assado e Viena. Ocupando agora uma área de 5 mil m², a nova cozinha aumentara a capacidade de produção da IMC em mais de 300%.

A IMC conta hoje com mais de 400 restaurantes em sua rede e se prepara para expandir esse número com as marcas Frango Assado, Pizza Hut e KFC no Brasil e Margaritaville nos EUA.

Postar um comentário

0 Comentários