[ListLayout]
×

Pelo 2° mês, setor supermercadista tem crescimento e contratação recorde

Com 6685 empregos criados, setor tem o melhor novembro dos últimos 10 anos

Em novembro, o varejo alimentar obteve o recorde dos últimos 10 anos registrando 6685 empregos. O número é 11% maior que o mesmo mês em 2018 e representa 21,8% da criação de vagas no varejo alimentar brasileiro (30.536 vagas – maior número desde 2014). A Associação Paulista de Supermercados (APAS) acredita que cerca de 10% desses novos contratados sejam efetivados após o fim de ano.

No cenário nacional de varejo, os supermercados foram responsáveis por 6,7% dos empregos criados do varejo brasileiro que somou 100,3 mil vagas, primeiro lugar entre os 25 subsetores da economia. No ranking por estados, São Paulo liderou seguido por Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Atualmente o setor alimentar emprega mais de 545,9 mil pessoas.

Em SP, acompanhando a alta, os supermercados e hipermercados foram os principais criadores de empregos e obtiveram melhor resultado desde 2010, com 5241 vagas. Em segundo lugar, ficaram os minimercados com 579, também com os maiores números para o mês desde 2010. Hortifrutis também tiveram uma boa performance alcançando os melhores números em oito anos.

“Os bons números vêm do resultado positivo da Black Friday e Natal, que levou as lojas a reforçarem o quadro de colaboradores para o fim de ano. A partir de agosto, o setor observa uma aceleração da atividade econômica mais intensa impulsionada pelos efeitos dos juros menores, a aprovação da reforma da previdência, liberação do FGTS e um PIB privado crescendo 2,6% no ano. Co m isso, o fluxo das lojas aumentou e as contratações também”, explica o economista da APAS, Thiago Berka.

Entre as cidades do Estado, a capital foi líder de contratações com 1887 novos postos seguido de Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, São José dos Campos e São Bernardo do Campo.

Na análise por cargos, repositores tiveram a maior geração líquida: 8610 no Brasil, sendo 2032 em São Paulo.

GRÁFICOS ESTADUAIS:


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.

NÚMEROS NACIONAIS:


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.


Fonte: CAGED / APAS – Considera Mini, Super, Hiper, Atacado/Atacarejo e Hortifrutis/Sacolão.

Nota Metodológica: A Pesquisa de Emprego dos Supermercados apura mensalmente o comportamento do emprego no setor supermercadista através de dados do CAGED (Cadastro Geral De Empregados E Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego. São coletados dados sobre a Admissão, Demissão, Saldo Mensal e Saldo Total de funcionários ligados a atividade supermercadista, e os indicadores apontam a evolução e o comportamento do setor ao longo do tempo.

Comentários

caiocmgo