[ListLayout]
×

7 fintechs brasileiras para ficar de olho em 2020

As empresas estão transformando o mercado oferecendo soluções financeiras digitais muito mais simples e baratas para a população

O termo fintech parece complexo, mas na verdade, é a junção de duas palavras em inglês: financial (financeiro) e technology (tecnologia), na prática, o significado de fintech vai muito além de “tecnologia financeira”. As fintechs são startups ou empresas que desenvolvem produtos financeiros voltados para o mundo digital, de forma mais transparentes e menos burocrática, criando saídas para gerir as finanças de forma eficaz e desafiando o mercado dominado pelas grandes instituições bancárias.



Atualmente, existem aproximadamente 550 fintechs no Brasil, isso se deve ao fato dos brasileiros possuírem acesso à convergência digital, que possibilitam o uso de recursos digitais, como compra, transferências de pagamento e outros. “As fintechs crescem devido às carências dos bancos tradicionais, precariedade no atendimento, falta de flexibilidade, dificuldade de acesso a crédito. Dessa forma, existem várias pessoas que buscam um serviço fora do sistema bancário comum. Agora elas são amparadas por esses recursos tecnológicos. Afinal, onde há oportunidade, há negócio”, explica o professor do ISAE Escola de Negócios, Rafael de Tarso Schroeder, especialista em Sustentabilidade, Empreendedorismo e Inovação.

Em alta no país, as fintechs mudam o mercado oferecendo soluções e atendendo nichos que eram ignorados pelos bancos tradicionais. Conheça 7 fintechs brasileiras que estão transformando o segmento financeiro e prometem se destacar, ainda mais, em 2020:

PicPay: O PicPay (www.picpay.com) é um aplicativo de pagamentos online lançado em 2012. O sistema nasceu com a proposta de descomplicar transferências de valores entre usuários, tanto para fazer pagamentos a lojas virtuais quanto para serviços online.

Juno: Depois de abandonar o nome BoletoBancário.com e apostar em diversas outras soluções para facilitar pagamentos, reduzir a burocracia e democratizar serviços financeiros, a fintech curitibana Juno (www.juno.com.br) prepara o lançamento de seu cartão pré-pago exclusivo. A empresa é uma solução completa para a emissão de cobranças e recebimento de pagamentos para MEIs, e-commerces, marketplaces, empresas de qualquer tamanho e, também, para pessoas físicas.

Nubank: Fundado em 2013, o Nubank (www.nubank.com.br) nasceu com a missão de desenvolver o controle financeiro na vida das pessoas. Conhecido por seus produtos sem burocracia, onde o usuário pode acompanhar as transações pelo aplicativo. Atualmente já são mais de 10 milhões de clientes. Em 2019, a fintech já ultrapassou a marca de mais de 1,5 bilhão de transações feitas. Além disso, não é apenas um cartão, hoje a fintech oferece outros 6 produtos.

Quinto Andar: O QuintoAndar (www.quintoandar.com.br) começou a operar em 2015, com o objetivo de simplificar o processo de locação de casas e apartamentos residenciais, atuando como fiador para usuários com histórico de crédito sólido. Eliminando burocracias e custos na hora de alugar um imóvel, como por exemplo, o seguro-fiança.

GuiaBolso: Com o propósito de melhorar a vida dos brasileiros e transformar o sistema financeiro, a fintech paulista GuiaBolso (www.guiadebolso.com.br) está no mercado nacional desde 2014. Seu aplicativo é uma referência no segmento. Nele, é possível fazer um planejamento financeiro e controle de gastos pessoais. Atualmente conta com cerca de 4,5 milhões de usuários.

Ebanx: Primeiro unicórnio (startup avaliada em um bilhão de dólares), o Ebanx (www.ebanx.com) surgiu em 2012 processando cross-border (transfronteiriços) para negócios como Airbnb, AliExpress, Pipedrive, Spotify, Uber e Wish. Atualmente, a fintech conecta mais de 50 milhões de pessoas com mais de mil sites internacionais por meio de métodos de pagamento. Para 2020, o Ebanx dará uma atenção especial para a expansão do processamento de pagamentos locais.

Creditas: A Creditas (www.creditas.com.br) é uma fintech que disponibiliza empréstimos com taxas abaixo do mercado para seus clientes, isso acontece porque eles pegam carro ou imóvel como garantia de pagamento. Além de juros menores, também é possível conseguir um maior prazo para pagar e um maior valor de empréstimo.

Comentários