[ListLayout]
×

Pegaki seleciona comércios no interior de São Paulo

Startup que substitui os Correios busca parceiros em Ribeirão Preto, Franca, Bauru, São José do Rio Preto e cidades do oeste paulista. Além da remuneração mensal, que pode chegar a até R$500, em média, 30% das pessoas que vão retirar uma encomenda compram algum produto

A Pegaki, startup de logística que conecta e-commerces ao varejo físico para entrega de mercadorias, está selecionando estabelecimentos comerciais para serem parceiros da empresa nas cidades de Ribeirão Preto, Franca, Bauru, São José do Rio Preto e outros municípios do oeste paulista. Os futuros parceiros nessas cidades vão funcionar como pontos de coleta de e-commerces.

Na prática, funciona assim: o vendedor do e-commerce leva os produtos até o ponto de coleta (uma dessas lojas credenciadas) mais próximo de seu local e uma transportadora coleta para entregar ao cliente final, reduzindo assim custos de frete. Atualmente, a empresa já conta com 1000 pontos de coleta nas cidades. O objetivo é chegar a 2000 até o final de 2020.

Para o comércio credenciado os benefícios são diversos. Um deles é a atração de novos consumidores e otimização de conversões: em média, 30% das pessoas que vão retirar sua encomenda acabam levando algum produto. Além disso, há uma remuneração atrelada ao volume de coleta, que parte de um mínimo garantido de R$200, podendo chegar a até R$500 mensais. Esse retorno se dá pela quantidade de entregas armazenadas. Logo, quanto maior a capacidade de armazenamento e demanda do ponto de coleta, maior sua remuneração.

O único requisito para se tornar um parceiro da Pegaki é ter um espaço ocioso mínimo de 2m² disponível para receber e armazenar as encomendas. A partir daí, basta acessar o site da Pegaki e realizar o pré cadastro que a startup entra em contato. Uma vez ingresso à rede, toda operação é feita por um aplicativo. Basicamente, quando a mercadoria chega, o comerciante registra. Quando o cliente vem retirar, ele registar a saída novamente. Tudo muito fácil e simples.

Vale ressaltar também que todos os produtos que vão para a loja estão assegurados pela Pegaki. Portanto, em caso de roubo, o valor será ressarcido ao e-commerce onde o cliente realizou a compra. Será enviado um novo produto ao cliente. Não há nenhum risco para o estabelecimento.

Segundo João Cristofolini, sócio fundador da Pegaki, as cidades do interior de São Paulo são parte fundamental da expansão da empresa, que atualmente já conta com mais de mil pontos credenciados em todo o País. “Tanto o consumidor final como os empresários, de todos os portes, estão buscando alternativas aos Correios. E no interior de São Paulo não é diferente. Nosso modelo é uma solução mais barata e mais eficiente para todos. Neste contexto, o ponto, que é o comércio, sai ganhando muito, já que ele transforma um espaço ocioso em uma fonte de renda, além de ganhar divulgação e otimizar suas vendas, sem custos”, avalia.

Com mais de 1000 pontos de retirada cadastrados e 60 mil produtos entregues, o que equivalente à R$ 6 milhões em mercadorias, a Pegaki conta com grandes clientes na ponta do varejo como Carrefour, Mundo Verde, 5aSec e Shopping Metrô Tucuruvi, além de outras centenas de pequenos e médios comércios. Na ponta dos e-commerces, a Pegaki atende empresas como Dafiti, Wine e Gráfica Print, entre muitos outros.

Sobre a Pegaki

A rede de pontos de retirada da Pegaki disponibiliza a solução para o problema das entregas não realizadas, sem investimento em infraestruturas caras, como lojas próprias ou lockers. O negócio funciona da seguinte forma: o consumidor compra online em e-commerces e retira seu produto no ponto Pegaki mais conveniente, que são estabelecimentos parceiros que funcionam como pontos de retirada. Dessa forma, a Pegaki traz benefícios para todos as partes envolvidas – os consumidores, os e-commerces, as transportadoras e os estabelecimentos que operam como pontos de retirada.

A Pegaki foi fundada por João Cristofolini (CEO), Ismael Costa (CTO) e Daniel Frantz (COO). Os três executivos possuem vasta experiência no mercado corporativo e de startups. João destaca-se pela construção de uma rede de franquias com mais de 30 unidades pelo Brasil, pela autoria de 6 livros de negócios, além da fundação do ResumoCast, podcast de negócios mais acessado do iTunes no Brasil.

Já Ismael Costa também é CTO e Co-fundador da ConnectMoves e profissional com experiência de dez anos em desenvolvimento de softwares e aplicativos. Por fim, Daniel Frantz foi COO e Sócio da Amplio/Metta Trading por 7 anos e é fundador da Solesto, e-commerce com faturamento de mais de R$ 3,5 milhões por ano.

O perfil dos empreendedores e o potencial disruptivo do negócio da Pegaki vem despertando interesse dos investidores. A empresa foi acelerada pela Cotidiano Aceleradora, em uma primeira rodada de investimento de R$100 mil. Em 2017, a Pegaki recebeu um segundo aporte, de R$360 mil, via EqSeed, plataforma que conecta startups a investidores. O valor foi levantado em apenas 9 dias. Já em 2018, a empresa captou R$ 1,2 milhão pela mesma plataforma. Mais informações: http://pegaki.com.br/

Comentários

caiocmgo