Coronavírus: Saiba como proteger os dados da empresa com colaboradores em home office

Coronavírus: Saiba como proteger os dados da empresa com colaboradores em home office

Sem uma infraestrutura adequada e com acesso às informações sigilosas, os computadores pessoais podem ser alvos de hackers


Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a rotina de muitos brasileiros mudou completamente, influenciando diretamente a forma de trabalhar.

O esquema de home office foi a solução adotada por muitas empresas para seguir em atividade sem expor os colaboradores ao risco de contágio. O isolamento social é considerado, pelos órgãos de saúde, a melhor forma de evitar a propagação do vírus. A tendência é que as pessoas trabalhem de casa até que a situação se normalize.

Essa é uma medida essencial para evitar a transmissão do vírus. Porém, as empresas precisam ficar atentas ao liberar o acesso de informações sigilosas aos colaboradores em home office. Geralmente, esses funcionários utilizam o computador de casa ou um notebook pessoal, tornando o sistema vulnerável para o roubo de informações.

Para evitar esses transtornos, as empresas precisam dar orientações e fornecer ferramentas para proteger esses dados. “Sem dúvida, ter um antivírus e mantê-lo atualizado é fundamental para o trabalho remoto. No entanto, não é a única forma de evitar que hackers obtenham informações sigilosas. Uma dica importante é limitar o acesso que cada colaborador possui, determinando, por exemplo, qual pessoa pode visualizar ou editar determinados dados. Quando há menos computadores com acesso às informações sigilosas, a exposição aos riscos também é menor”, afirma Rogério Soares, Diretor de Pré-vendas America Latina da Quest, empresa que fornece soluções de software para simplificar a complexidade dos ambientes de TI.

Independentemente de como será a situação do coronavírus daqui para frente, os companhias devem estar preparadas para proteger os dados. A partir de agosto, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) passa a valer no país e empresas que tiverem dados vazados irão pagar multas que podem variar entre R$ 50 milhões e 2% do faturamento total da empresa.

Para Soares, o trabalho no ambiente digital deve ser realizado utilizando dispositivos e ferramentas que garantam essa segurança e o colaborador precisa estar ciente que isto é fundamental para a empresa. Os funcionários devem ser orientados para nunca instalarem softwares piratas, clicar em links não confiáveis, como os que estão presentes em correntes enviadas por mensagens, ou ainda baixar arquivos desconhecidos e de fontes não confiáveis.

Sobre a Quest

A Quest fornece soluções de software para o mundo em constante mudança da TI corporativa, que ajudam a simplificar os desafios causados pela explosão de dados, expansão da nuvem, data centers híbridos, ameaças à segurança e requisitos regulatórios. A empresa é fornecedora global para 130.000 empresas em 100 países, incluindo 95% da Fortune 500 e 90% da Global 1000. Desde 1987, a Quest desenvolve um portfólio de soluções que agora inclui gerenciamento de banco de dados, proteção de dados, gestão de identidade e acessos, gerenciamento de plataforma Microsoft e gerenciamento unificado de dispositivos. Com a Quest, as organizações gastam menos tempo na administração de TI e mais tempo na inovação dos negócios. www.quest.com
Anterior
Próximo

post written by:

0 Comentários: