Uma plataforma e-commerce gratuita para o pequeno empresário comercializar seus produtos será lançada nesta quarta-feira, 15/4, com o apoio do Sebrae
Quase 90% dos pequenos empresários não têm presença digital, segundo dados de pesquisa do IEMI


Com o objetivo de fortalecer o pequeno varejista, que mais se prejudica com a suspensão das atividades do comércio, a Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo - ABIESV e a Confederação Nacional de Jovens Empresários - CONAJE, lançam o programa ‘Apoie o Pequeno’, que consiste na criação da plataforma e-commerce www.apoieopequeno.com.br, pela qual os pequenos empresários poderão comercializar os seus produtos e serviços gratuitamente. O programa tem a parceria da Vtex, maior plataforma e-commerce da América Latina, por meio de sua Loja Integrada (https://www.lojaintegrada.com.br/). A estreia da plataforma será nesta quarta-feira (15/04).

A iniciativa tem o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae;  Associação Brasileira da Industria Têxtil - ABIT; SINDITEXTIL; SBVC; Comitê de Varejo Couromoda; Conselho de Inovação da Associação Comercial de São Paulo (ACSP/CONIN), Associação Brasileira dos Lojista Satélites – ABLOS entre outras entidades relevantes ligadas ao varejo. O falandodevarejo.com também apoia a iniciativa!

Pesquisas demonstram que o pequeno varejo está muito distante do ambiente online, particularmente o varejo de vestuário, quase 90% dos pequenos empreendimentos não têm presença digital, segundo dados recentes levantados pelo IEMI – Inteligência de Mercado. “O fechamento das lojas apenas antecipa radicalmente a necessidade destes varejistas em atualizar-se. A ABIESV, neste 18 anos de atuação, vem trabalhando com várias entidades, destacadamente as Associações Comerciais e de empreendedores para profissionalizar este setor, que muitas vezes inicia informalmente e não tem ferramentas de gestão para manter-se competitivo com redes de franquias e cadeias maiores”, afirma Marcos Andrade, presidente da Abiesv, e também CEO da Expor Manequins. 

Segundo Andrade, a iniciativa de lançar o www.apoieopequeno.com.br é dar a oportunidade de sobrevivência ao pequeno varejista ausente do e-commerce.  “E nossa urgência para implementá-lo é em função do fluxo de caixa que será determinante para a vida deste pequeno empresário que não conta com capital de giro, nem alternativas de financiamento rápido. Os negócios menores, em média, só tem 12 dias de caixa pra fazer frente aos compromissos”.

Marcelo Quelho, presidente da CONAJE, acha a iniciativa fantástica em qualquer período, ‘porém neste momento de pandemia o fato de digitalizar produtos e serviços rapidamente se torna vital para os micros e pequenos empresários”. Para Quelho, geralmente existe um processo pelo qual este pequeno empresário passa antes do e-commerce que é de aculturamento, depois de conhecimento e, por fim, começar a colocar em prática a digitalização. “Uma iniciativa como essa ‘Apoie o Pequeno’ tem entrega pronta, queimando etapas do processo, eliminando barreiras e agilizando o trabalho”.             

O executivo completa ressaltando a importância, também, das associações estarem alinhadas neste momento e terem as mesmas iniciativas, se apoiando e, assim, conseguindo focar no mais importante e efetivamente ajudar o setor.

De acordo com o Sebrae, o varejo brasileiro é dominado pelos pequenos estabelecimentos: empresas de pequeno porte somam um total de 13 milhões, que empregam 21,5 milhões de pessoas e um total de salário de mais de R$ 611 bilhões anuais. “Em função do menor capital, esses negócios estão muito vulneráveis neste momento,”, acrescenta Andrade.

Segundo o presidente da Abiesv, de modo geral, toda a economia sofre com a situação atual. “É necessário flexibilidade neste momento. Em webinar semanais com nossos associados já temos dito ser preciso negociação de prazos e valores com fornecedores, mudança de modelo de negócio para e-commerce e serviços a distância, busca por crédito e qualificação. Essas são algumas ações que podem ser adotadas até que a situação volte ao normal, o que esperamos seja breve”.