Consumidores atentos, conectados, exigentes e informados estão cada vez mais preocupados com as práticas das empresas com as quais eles se relacionam. Quer seja, desejam conhecer de fato os reais impactos econômicos, ambientais e sociais decorrentes de suas atividades.

Os consumidores de orgânicos já sabem dos benefícios de consumir este tipo de produto, mas muitos não sabem que os orgânicos contribuem também para a melhoria das condições socioambientais. É isso que o novo site da Native, www.nativealimentos.com.br, com versões em quatro idiomas, ressalta. O modelo de produção desenvolvido pela empresa, denominado agricultura orgânica regenerativa de ecossistemas, utiliza técnicas de cultivo que preservam ou reconstituem a fertilidade natural do solo - um de seus pilares fundamentais, favorecem a conservação da água e tornam o ambiente propício para a recuperação e estabilidade da fauna. Por essas razões, as áreas de cultivo de cana-de-açúcar da Native se tornaram, nas duas últimas décadas, verdadeiros refúgios para a biodiversidade.

E diversidade de vida é o que não falta: de insetos a grandes mamíferos, passando por aves e anfíbios. Os levantamentos de fauna nas fazendas certificadas da Native, realizados desde 2002 pela Embrapa Monitoramento por Satélite, mostraram a existência de mais de 340 espécies de animais vertebrados superiores, sendo 49 ameaçadas de extinção, representadas por fotos, vídeos e sons no site. Em comparação aos canaviais da região cultivados com agricultura convencional, a biodiversidade nas áreas da Native é muitas vezes maior.

Além de ter uma área dedicada aos estudos referentes à geração de biodiversidade, com todos os animais já catalogados nas áreas, o novo site também contempla espaços destinados a contar a história da empresa e do Grupo Econômico Balbo, ao qual a Native pertence.

No site também podem ser encontradas as certificações orgânicas, industriais e socioambientais já conquistadas pela companhia. É neste local que são explicados não somente os selos referentes às certificações brasileiras, mas também de outros importantes países e continentes onde os produtos da Native são comercializados, como Estados Unidos, Europa, Canadá, China, Coreia do Sul, Japão, entre outros. A Usina São Francisco foi a primeira no Brasil a receber uma certificação internacional em 1997, por produzir produtos que seguem os padrões de manejo e qualidade mundialmente exigidos para os orgânicos e que promovem o equilíbrio ecológico nos campos de cultivo.

Dentre as certificações, encontram-se as voltadas para as Normas de Comércio Justo, reconhecidas internacionalmente como Fair Trade, conquistadas pela Native desde 2014. Hoje atendemos os padrões de certificação Fair for Life, Fair Trade USA e EcoSocial All Fair, que reconhecem a empresa por favorecer o desenvolvimento social das comunidades onde está instalada. Este reconhecimento vem do consumidor que entende o papel desta certificação para financiar ações e projetos a fim de melhorar estas comunidades nos quesitos social e ambiental. Assim, todas as vendas destes produtos certificados retornam partes dos valores para o Fundo Fair Trade, gerido por um comitê eleito de funcionários. Esse fundo é inteiramente voltado à projetos sociais executados nas comunidades próximas à empresa.

No site estão catalogadas páginas exclusivas de todos os produtos orgânicos da marca, que contém mais de 15 linhas em seu portfólio, dentre eles açúcares, bebidas de frutas, cafés e cereais matinais. Para fechar com chave de ouro, o endereço eletrônico conta com um blog, sempre atualizado com notícias e informações sobre marca.

Além do açúcar orgânico, que tem a cadeia de produção 100% controlada e rastreada pela Native, os demais produtos da marca, como café e sucos de frutas, também carregam diversas qualidades, pois passam pela validação criteriosa as entidades responsáveis por conferir a certificação de orgânicos.

Sobre a Native

Subsidiária do Grupo Econômico Balbo, proprietário da Usina São Francisco, a Native foi criada em 1997. Localizada na cidade de Sertãozinho, no interior paulista, a companhia responde por entre 18% e 20% da produção mundial de açúcar orgânico, exportando seus produtos para 70 países nos cinco continentes. O açúcar orgânico da Native está presente hoje em cerca de 150 diferentes tipos de alimentos orgânicos produzidos por importantes marcas no exterior.