quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

5 lições para o próximo ano


2020 foi um ano em ritmo “K”: Ao passo que algumas empresas frustraram suas expectativas de negócios, viram suas vendas caírem à níveis críticos ou até mesmo tiveram que encerrar suas atividades, outras tiveram um crescimento espantosos e souberam como poucas transformarem as adversidades em oportunidades de negócio.

Costumo dizer que é muito fácil encontrar justificativas para os fracassos ou nos espelharmos em pessoas e empresas que falharam da mesma maneira. É comum nessas horas termos respostas como: “mas o mercado todo está ruim”, “estão todos dessa maneira”, e outras que busquem justificar os erros encontrando cúmplices.

Um dos maiores erros do varejista é se apegar à maneira que sempre fez tudo à sua maneira. Novos tempos podem exigir novas formas de se encarar o negócio e a como o seu cliente consome ou compra de você. Basta uma simples análise das empresas que estão conseguindo conquistar mais mercado ou expandir seus negócios em meio à mesma tempestade que você está enfrentando, e perceberá que a resiliência e a coragem para tentar o novo foram fundamentais para a construção de resultados diferentes.

Separei nesse artigo 5 questões importante que vão continuar a balizar o mercado em 2021, mesmo como a iminência de uma vacinação. Em minha opinião, ainda teremos um mercado que pode crescer, mas que passará ao menos o primeiro semestre com contínuos riscos e fragilidades.

1) Olho na gestão e nos estoques

Pior do que enfrentar uma crise de consumo, é enfrentar uma crise de consumo aliada à uma crise de estoques, sobretudo de insumos que acabam afetando toda a cadeia de distribuição. Nunca ter à mão um controle inteligente da gestão do negócio e de seu estoque foi tão imprescindível para buscar operar de forma enxuta e eficiente, e com certeza, é algo que fará a diferença para as empresas que investiram nessas questões, entendendo melhor o que vende mais e o que poderia ser considerado supérfluo para a empresa e seus consumidores. Da mesma maneira, o controle da gestão permite que empresas operem medindo e buscando alta produtividade de vendas e operações. Em tempos de vendas em baixa, maximizar resultados é o novo mantra do negócio.

2) O digital é uma proteção ao negócio

Em tempos de pandemia, os meios digitais foram os grandes protagonistas na hora de se buscar resultados em meio as restrições e as operações físicas dos negócios. De redes sociais a marketplaces e plataformas de e-commerce, estar presente no digital foi vital para a manutenção e continuidade de receitas. Para quem não fez a lição de casa até o momento ou começou a buscar novos caminhos, ainda é tempo, e será cada vez mais essencial entrar nesse jogo, que se mostra uma proteção ao negócio. Muita gente descobriu na crise que ao invés de ponto de venda, tinha apenas “um” ponto de venda com o consumidor. Ter outros pontos de venda, ou contato, faz-se necessário em momentos como o que vivemos hoje.

3) A flexibilização veio para ficar

Home Office. A flexibilização dos escritórios, embora tenham um impacto direto em pouco mais de 10% da população economicamente ativa, afeta indiretamente uma série de outros negócios. Principalmente, aqueles que dependem de estarem próximos a regiões de escritórios ou comerciais, como negócios baseados em serviços e conveniência. Será um ano onde a flexibilização ainda será algo presente no dia a dia, e essas regiões ainda irão levar tempo até encontrar tráfego ou fluxos similares aos tempos pré-pandemia. Buscar outros canais ou maneiras de se vender ainda será importante em 2021. Em casos mais drásticos, pode até mesmo ser necessária uma completa reinvenção de seu negócio.

4.) Conveniência é a bola da vez

Mais do que estar no digital, tenho dito que a questão mais importante é estar “disponível” ao seu consumidor. Delivery, Dark Kitchens , Dark Stores, Lockers, entre outros vão estar cada vez mais presentes no nosso dia de maneira que a gente possa cada vez mais comprar quando e como queremos comprar. Se a logística é a mãe da conveniência, o meio de pagamento é o pai. Quando se falam de meios de pagamento, incluem-se novos e mais simplificados meios de pagamento, talvez abolindo num futuro cada vez mais próximo o total desuso de cartões ou dinheiro em espécie, movimentados por transformações como o QR Code e o reconhecimento facial, apoiados por iniciativas como o Pix e o open banking.

5) Treinar e principalmente reter talentos é fundamental

Em meio à flexibilização de atividades, escritórios virtuais e a uma tímida e frágil retomada do cotidiano, é mais do que importante buscar reter o capital intelectual da empresa, centrado em seus colaboradores. No início da pandemia, empresas que tinham uma sólida cultura empresarial, ao colocar seus colaboradores trabalhando de forma remota, viram em um primeiro momento pouca dificuldade em manter esses valores de forma virtual. Com poucos ajustes, a cultura pode ser colocada nos trilhos. Porém, com a continuidade da pandemia e seus efeitos, e em consequência, desligamentos ou novas contratações, tem sido uma das grandes dificuldades para empresas de todos os portes e segmentos fazer com que novos colaboradores entendam, vivenciem e absorvam os valores e cultura das empresas. Na prática, para muitos, a troca de empresa tem sido a troca das pessoas com que se comunica e o conteúdo recebido na tela do computador, uma vez que o ambiente de trabalho continua a ser a própria casa do colaborador. Dessa forma, além de treinar, buscar reter os melhores talentos, ou os melhores defensores da cultura da empresa é importante para que ela não se perca de alguma forma.

Mesmo com muitas das perspectivas “em aberto”, 2021 pode ser um ano de grandes resultados para todos que souberem aproveitar os aprendizados de 2020, transformando estes em oportunidades.

Grande abraço e boas vendas

Caio Camargo | @caiocmgo | falandodevarejo.com

Nova diretoria da ABF inicia trabalhos em janeiro

Associação Brasileira de Franchising elegeu conselhos Diretor e Fiscal para o biênio 2021-2022. Novidades: entidade cria Diretoria de Estratégia Digital e Comissão de Impacto Social

A ABF - Associação Brasileira de Franchising elegeu em Assembleia Geral Ordinária (AGO) seu Conselho Diretor e Conselho Fiscal para o biênio 2021-2022. A chapa única foi eleita por aclamação no último dia 19 de novembro. André Friedheim, presidente, e Fernando Tardioli, diretor jurídico da entidade, conduziram os trabalhos.


"Nossa primeira gestão foi marcada por iniciativas para tornar a ABF mais ágil, moderna e digital. Criamos, por exemplo, o Programa de Mentoria, lançado em 2019 para promover a troca estruturada de conhecimento entre associados de redes mais experientes e players mais jovens do mercado, e que já beneficiou mais de 150 empresas. Já para aprofundar a análise estratégica sobre temas de interesse mais específicos, criamos novas comissões: de Fornecedores, Shopping Centers e Pontos Comerciais, e de Transformação Digital. A ABF sempre foi muito inclusiva e preocupada com a diversidade. No biênio 2021-2022, agiremos para torná-la ainda mais diversificada. Nesse sentido, criaremos a Comissão de Impacto Social, a 12ª da entidade, e levaremos o tema para debate nos diversos eventos que realizamos ao longo do ano. Também daremos continuidade ao processo de transformação digital e aperfeiçoaremos tudo o que já estamos fazendo", afirma Friedheim.

Boa parte da diretoria foi mantida, apenas com algumas mudanças de cargos (confira no quadro abaixo) e algumas novidades. Os novos diretores que integram a chapa eleita são: Rodrigo Abreu (AlphaGraphics), diretor de Marketing e Comunicação, e Natan Baril (Baril & Advogados Associados), diretor internacional. A Comissão de Ética também conta com um novo presidente: Bruno Arena (Casa do Construtor). O executivo substitui Carlos Zilli (Café Cultura), que será diretor adjunto da mais nova área da entidade: Estratégia Digital. Já a ABF Seccional Rio de Janeiro (ABF Rio), que não passou por eleição nesse momento, permanece sob a presidência de Beto Filho (Grupo Astral).


Além da eleição, a ABF Nacional teve a indicação dos diretores das cinco regionais da entidade distribuídas pelo País. No Sul, André Belz (Rockfeller Language Center) assume o comando no lugar de Antonio Carlos Diel (Lojas Calci) e na Regional Nordeste, Cândido Espinheira (Yes! Cosmetics) substituirá Leonardo Lamartine (Grupo Bonaparte). A ABF Regional Centro-Oeste permanece sob a direção de Claudia Vobeto (Majô Beauty Club), assim como a Regional Minas Gerais, dirigida por Danyelle Van Straten (Depyl Action), e a Regional Interior de São Paulo, conduzida por Rogério Gabriel (MoveEdu).

Nos termos do Estatuto Social da ABF, a chapa inscrita e eleita para os conselhos Diretor e Fiscal que inicia os trabalhos em janeiro de 2021 é a seguinte:

DIRETORIA ABF 2021-2022

André Friedheim - Diretor-presidente

Marca: Café do Ponto

Minicurrículo: Graduado em Administração de Empresas pela Escola de Administração de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EASP-FGV), é pós-graduado em Marketing e Finanças pela mesma instituição. Foi Diretor Internacional da ABF de 2013 a 2017. Antes, entre 2000 e 2008, foi Diretor de Marketing. O executivo é Máster Franqueado das redes Café do Ponto e Casa Pilão e é Sócio-Diretor da consultoria Francap.


Antonio Bento Moreira Leite - Diretor Vice-Presidente


Marca: Grupo Trigo (Spoleto, Koni, Gurumê e LeBonton)


Minicurrículo: Graduado em Economia (UFRJ), com MBA em Marketing (PUC-RJ) e especialização em Gestão Avançada pelo IE Business School de Madri, é Presidente do Grupo Trigo, responsável pela gestão de um sistema de franquias multimarcas ( Spoleto, Koni, Gurumê e LeBonton), com mais de 7.000 pessoas trabalhando diretamente nas redes, fábrica e matriz. Possui mais de 15 anos de experiência em empresas de varejo - além do Grupo Trigo, também atuou nas Lojas Renner e no Banco de Investimento Brascan.


Jae Ho Lee: Diretor Administrativo-Financeiro


Marca: Grupo Ornatus (Morana, Balonè, Little Tokyo e Lovebrands)


Minicurrículo: CEO do Grupo Ornatus, formado em Administração de Empresas pela USP, fez MBA em Marketing na ESPM. Atua há mais de 27 anos no Franchising. Fundador das marcas do Grupo Ornatus: Morana, Balonè, Little Tokyo e Lovebrands, é Sócio e Fundador da Holding Halipar, detentora das marcas: Montana Grill, Griletto, Jin Jin Wok e Croasonho.


Sidnei Amendoeira Junior - Diretor Jurídico


Marca: MMA Advogados


Minicurrículo: Mestre e Doutor em Direito Processual Civil pela Faculdade de Direito da USP. Advogado, sócio do escritório MMA Advogados, é Professor de Direito Processual Civil dos cursos de graduação da Direito GV e de pós-graduação em Direito Processo Civil do GVLAW. Associado ao Instituto Brasileiro de Direito Processual é também membro da Comissão de Franchising da OAB/SP. Árbitro cadastrado pelo Conselho Arbitral do Estado de São Paulo, Amendoeira é, ainda, Diretor do Centro de Estudos Avançados em Processo e autor de artigos e obras (pelas Editoras Atlas e Saraiva).


Rodrigo Nogueira de Abreu - Diretor de Marketing e Comunicação


Marca: AlphaGraphics


Minicurrículo: Empreendedor e investidor nas áreas Gráfica, Alimentação, Educação e Tecnologia. É Máster Franqueado e Franqueado da AlphaGraphics Brasil, rede de franquias líder no país. Liderou durante quatro anos a área Global de Marketing, Inovação e Novos Projetos da rede, que atualmente faz parte de um Grupo com 3 franquias (AlphaGraphics, PostNet e MBE), e que juntas estão presentes em 50 países com 3.000 unidades franqueadas. Tem mais de 25 anos de experiência em varejo e franchising, e antes de atuar na AlphaGraphics e em outras franqueadoras, foi consultor da Francap e do Grupo Cherto, trabalhando diretamente em projetos de consultoria para diversas empresas de pequeno, médio e grande porte. Faz parte do Conselho da ONG Adus (de apoio a refugiados), da Cooperativa YouGreen (gestão de resíduos) e das startups Mettzer, Trakto e FrameFy, entre outras, além de se envolver diretamente em diversos projetos sociais de grande impacto na sociedade.


Marcelo Maia Tavares de Araújo - Diretor Institucional


Marca: Dia


Minicurrículo: Formado em Engenharia Civil pela UFMG. Tem especialização em Direito Econômico pela FGV, MBA em Finanças pelo IBMEC, Certificado em Finanças e Administração pela University of California at Berkeley, nos Estados Unidos, além de Mestrado em Liderança e Estratégia pela London Business School, no Reino Unido. Empresário do Varejo ao longo de 15 anos, exerceu posteriormente o cargo de Secretário de Comércio e Serviços do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços entre os anos de 2015 e 2017, auxiliando na formulação, coordenação, implementação e avaliação de políticas públicas, bem como no estabelecimento de ações para o desenvolvimento do sistema produtivo nas áreas de comércio e de serviços. Foi Diretor Executivo da Associação Brasileira de Franchising e é desde fevereiro de 2020 Presidente Executivo da subsidiária da rede Dia no Brasil.


Fabiana Estrela - Diretora de Capacitação


Marca: Estrela Franquias (Caverna do Dino e Barriga Verde)


Minicurrículo: Formada em Fonoaudiologia, possui Mestrado em Neurociências e MBA em Gestão Comercial. É Diretora da Estrela Franquias, Conselheira do Instituto CNA e do Grupo Incense, e foi Diretora da Regional Sul da ABF de 2015 a 2017.


Natan Baril - Diretor Internacional


Marca: Baril & Advogados Associados


Minicurrículo: Sócio do escritório Baril Advogados Associados, escritório altamente especializado em Franchising e Propriedade Intelectual, e considerado um dos escritórios de advocacia mais admirados do Brasil pela Revista Análise Advocacia - 500. Advogado especializado em questões de Propriedade Intelectual e Franchising, indicado em 2010, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018 como um dos "Advogados Mais Admirados do País" na área de Propriedade Intelectual e do Setor de Hotelaria e Turismo pela Revista Análise Advocacia - 500. Indicado em 2016, 2017 e 2018 pelo anuário internacional Who´s Who Legal, como referência brasileira na especialidade Franchising. Foi Diretor Institucional da Associação Brasileira de Franchising (ABF) de 2009 a 2012. Palestrante da Georgetown University (Washington, DC, USA); professor do MBA de Franquias da FIA; professor da PUC/PR e FGV-RJ em direito empresarial; membro da Comissão de Franchising da OAB/SP, do sub-grupo de Propriedade Intelectual da Câmara Americana de São Paulo (AMCHAM-SP), ABPI (Associação Brasileira de Propriedade Industrial) e da INTA (International Trademark Association).


Alberto Tadassi Oyama - Diretor de Franqueados


Marcas: L’Occitane au Brésil, Açaí Concept e Estetic 360


Minicurrículo: O empresário atua na área de franquias há 19 anos e é Multifranqueado ou Franqueado multiunidades da L’Occitane au Brésil. É também Máster Franqueado do Açaí Concept e Estetic360. Foi, ainda, membro da Comissão de Ética da ABF e membro do Comitê de Franqueados da entidade.


Adriana Auriemo Miglorancia - Diretora de Relacionamento, Microfranquias e Novos Formatos


Marca: Nutty Bavarian


Minicurrículo: Sócia-Diretora da Nutty Bavarian do Brasil. Formada em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie, é também Mentora Endeavor.


Carlos Alberto Zilli - Diretor Adjunto de Estratégia Digital


Marca: Café Cultura


Minicurrículo: Tem 35 anos de experiência em empresas como Makro, Shell, Hering, Imaginarium e Love Brands. Desde 2002 atua como Executivo Sênior/Sócio na gestão de mudanças, administração de crises, identificação e controle de riscos, processos de M&A, áreas Comercial, Marketing e Planejamento Estratégico. Durante 20 anos foi Superintendente de Marketing e Franquias da Hering. Foi CEO e Sócio da Imaginarium por 10 anos. Criou com as marcas Puket e Balonê a rede de franquias Love Brands (2012). Participa dos conselhos da Haco Etiquetas, Brognoli Imóveis, Grupo Lunelli, Cottonbaby, Monte Carlo Jóias, Grupo Linhares e Fuel Eyewear. Foi Presidente da Comissão de Ética da ABF (Associação Brasileira de Franchising). Foi também sócio da Able Creation Development Limited, empresa de sourcing e searching na cidade de Shenzhen (China). Graduado em Administração de Empresas (PUC- SP), é MBA em Marketing (INPG), Comércio Internacional (FGV) e Gestão (USP), com extensão em Planejamento Estratégico (IMD). Certificado pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), é também Mentor Endeavor. Sócio investidor da Startup Disruptiva Retail Inteligence, é, ainda, desde 2017, Sócio da rede de cafeteria Café Cultura.



O Conselho Fiscal eleito tem a seguinte composição:


• Bruno Lins Gorodicht - Espetto Carioca


• Sylvio Korytowski - Kick Off


• Keuson Nilo da Silva - KNS - Consultoria em Franchising


ABF Seccional Rio de Janeiro - ABF Rio - (Presidente eleito em 2019):


Presidente ABF Seccional RJ - Beto Filho >> Grupo Astral



Foram nomeados diretores regionais os seguintes membros associados:


Diretor Regional Sul - André Belz >> Rockfeller Language Center


Diretora Regional Centro-Oeste - Claudia Vobeto >> Majô Beauty Club


Diretora Regional Minas Gerais - Danyelle Van Straten >> Depyl Action


Diretor Regional Nordeste - Cândido Espinheira >> Yes! Cosmetics


Diretor Regional Interior de São Paulo - Rogério Gabriel >> MoveEdu


Comissão de Ética:


Presidente - Bruno Eloel Arena >> Casa do Construtor


Sobre a ABF


A ABF - Associação Brasileira de Franchising é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1987, que representa oficialmente o sistema de franquias brasileiro. O setor registra um faturamento anual superior a R﹩ 186 bilhões, mais de 160 mil unidades e cerca de 2.800 marcas de franquias espalhadas por todo o Brasil. Além disso, o franchising brasileiro responde por aproximadamente 2,7% do PIB e emprega diretamente mais de 1,3 milhão de trabalhadores. Atualmente com mais de 1.200 associados e cobrindo todo o território nacional por meio da seccional Rio de Janeiro e de regionais (Sul, Minas Gerais, Centro-Oeste, Nordeste e Interior de São Paulo), a entidade reúne franqueadores, franqueados, advogados, consultores e demais fornecedores e stakeholders do setor. O propósito da ABF é fomentar o franchising brasileiro, nacional e internacionalmente, para que ele se mantenha próspero, sustentável, inovador, inclusivo e ético. A Associação dedica-se a aperfeiçoar o sistema de franquias brasileiro por meio da capacitação de pessoas em diversos cursos presenciais e on-line, do estímulo à inovação, da disseminação das melhores práticas, da representação junto às diversas instâncias públicas e divulgação dos resultados do setor.


Por que usar o balanço contábil de sua empresa para tomada de decisão?

O balanço contábil, ou balanço patrimonial, é um dos principais relatórios de gestão de uma empresa. Ele é gerado pela contabilidade após o registro de todas as movimentações financeiras em determinado período, apresentando os bens e direitos, investimentos e fontes de recursos da organização, além de suas obrigações com o fisco, mercado e os sócios. Por isso, a sua análise é crucial para tomada de qualquer decisão, uma vez que serve como um raio x da saúde financeira do negócio, detectando se é o momento de investir ou cortar gastos.



As demonstrações contábeis tem como objetivo contar a história da empresa através dos números. E, com ele em mãos, o empresário pode traçar um planejamento estratégico e também um planejamento tributário mais assertivo. Com os relatórios contábeis é possível identificar os indicadores de rentabilidade, liquidez e endividamento de uma empresa. Ao fazer esse cálculo, o empresário pode conhecer e analisar efetivamente o seu negócio para, junto ao seu contador, que deve ter um papel consultivo, e sua equipe de vendas e/ou estratégia, tomar as decisões certas para atingir os resultados esperados, mirando o crescimento da empresa.

Algumas das principais informações que podem ser extraidas com base no balanço, são a capacidade de assumir novas dívidas, a necessidade de recorrer ao crédito para capital de giro, o quanto significa a participação de capital de terceiro e até se há impostos a recuperar por meio de incentivos fiscais. Com o balanço contábil, o gestor poderá visualizar se a rentabilidade atual é bastante para cobrir as suas despesas planejadas e se vale a pena continuar direcionando recursos para investir no negócio. Observem que todas elas ajudarão o empresário a entender as situações ocorridas no caixa da empresa e em todo o seu cotidiano operacional, podendo também identificar se algo passou despercebido, como uma conta que deveria ter sido paga e não foi.

Além de o balanço contábil ser importantíssimo para a tomada de decisão, por facilitar o trabalho de projeção financeira e a realização do orçamento empresarial, esse registro ainda permite que os lucros distribuídos aos sócios sejam isentos de imposto de renda. Quando necessário, o balanço viabiliza até o requerimento de recuperação judicial da empresa e serve também como uma importante prova judicial, servindo como defesa em processos tributários, por exemplo.

Vale lembrar que o registro contábil é obrigatório segundo as normas do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e aplicado sobre qualquer tipo de empresa. O Código Civil, em seu artigo 1.179, também obriga as empresas a terem seus fatos registrados, e isso inclui as empresas do Simples Nacional, de acordo com a Resolução 10/2007 do Comitê Gestor em seu art 3º, tendo com exceção o MEI, mesmo que recomendável. Sendo assim, é importante enviar os documentos e registros de fatos ao seu contador regularmente para que esse documento represente fielmente o status da empresa.

Embora o balanço seja compilado no fim do ano fiscal de cada empresa, é imprescindível manter os registros dos fatos contábeis, envolvendo todas as alterações e movimentações de bens, direitos e obrigações da empresa no livro diário. Só fazendo as anotações corretamente no dia a dia é possível garantir que o balanço compreenda todas as informações relevantes da movimentação financeira e patrimonial.

Como dizia William Deming, “o que não pode ser medido, não pode ser gerenciado”. Então, para que você tenha uma boa gestão da sua empresa, precisa de um balanço contábil bem feito, com boas métricas para avaliação. Com ele, conseguimos entender o que já se passou, bem como inferir sobre a capacidade da empresa de gerar lucros no futuro. Ele é a peça chave para qualquer tomada de decisão empresarial e precisa ser elaborado com muito cuidado e atenção.

Artigo escrito por Regina Fernandes é perita contábil, trainer em gestão, mentora e responsável técnica da Capital Social, escritório de contabilidade com 10 anos de atuação que tem como objetivo facilitar o dia a dia do empreendedor.

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Disensa inaugura dez lojas com bandeira MAX até janeiro

Rede de franquias, do Grupo LafargeHolcim, planeja abrir 3000 novas lojas, sendo 100 unidades nesse modelo até 2024

A Disensa, maior rede de franquias no varejo de material de construção da América Latina, vai inaugurar, até janeiro de 2021, dez novas lojas com a bandeira MAX (a partir de 300 m²). São cinco em dezembro e cinco em janeiro, no Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Pernambuco. Com as cinco novas unidades abertas este ano - São João de Meriti, Duque de Caxias e Pedra de Guaratiba (RJ), Casa Nova (BA) e Vitória de Santo Antão (PE) -, a Disensa fecha 2020 com o total de 160 lojas no Brasil. O resultado representa expansão de 30% no número de unidades no país. Pertencente ao grupo franco-suíço LafargeHolcim, líder mundial em materiais de construção, a rede de franquias registrou crescimento médio do faturamento das lojas da ordem de 63,5% este ano.


"Neste primeiro momento, a estratégia foi fazer upgrade de alguns franqueados que já tinham o perfil de loja e maturidade de negócio para ser uma Disensa MAX. Nossa expectativa é aumentar a participação dessas unidades na região e a exposição da marca", explica o gerente geral da Disensa no Brasil, Henrique Gutterres. Segundo ele, até 2024, o grupo pretende abrir 100 novas lojas com a bandeira MAX no Brasil, fazendo com que a rede de franquias chegue a três mil lojas no total, incluindo os formatos Express, Standard e Casas Disensa. "Em um curto período, as lojas que passaram a operar como Disensa MAX elevaram, em média, o market share de 7% para 10% dentro do raio de atuação", completou Gutterres.

A Disensa avalia seus franqueados com perfil empreendedor, maturidade de negócio e capital financeiro para que fortaleçam ainda mais suas operações comerciais. As franquias Disensa MAX em geral possuem mais de 300 m² de loja e faturamento acima dos R$ 400 mil por mês.

Para Beatriz Castro Travassos, franqueada Disensa MAX Puma, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, a mudança vai agregar ainda mais valor aos produtos oferecidos. "Tive uma franquia da Disensa por três anos e, em 2020, nosso faturamento cresceu em torno de 40%. Agora, com a bandeira MAX, tenho acesso a outros produtos e promoções e espero alcançar uma fatia maior do mercado. No pouco tempo que fizemos o upgrade, já tivemos retorno positivo dos clientes que perceberam as mudanças, desde o layout da loja até as mercadorias", comemora a franqueada.

Apoio a franqueados na pandemia

Na pandemia, a Disensa estabeleceu uma série de ações para apoiar os franqueados e garantir resultados positivos no período. A primeira foi assegurar comunicação online efetiva com os lojistas para orienta-los sobre questões jurídicas referentes a decretos municipais e treinamento focados em divulgação das lojas e vendas online.

Já na primeira semana de distanciamento social, a Disensa inaugurou uma nova página de ofertas no site, conectando diretamente os clientes com o WhatsApp das lojas mais próximas. A rede realizou também uma campanha de marketing focada em exaltar os benefícios de contar com o varejo de bairro: entrega rápida e atendimento especializado dos vendedores.

"O desempenho se deve à profissionalização da gestão da loja que oferecemos aos franqueados e também ao aumento do consumo de materiais de construção durante a quarentena, quando muitas pessoas, por passarem mais tempo em casa, realizaram pequenas reformas em suas casas", explica Gutterres.

Farmarcas inaugura 1.200ª farmácia e deve fechar o ano com 1.230

A administradora de redes de farmácias Farmarcas vem mostrando uma força muito grande no ano de 2020. Mesmo com todas as dificuldades a empresa repetirá o êxito dos anos anteriores, sendo que no último sábado 12 de dezembro inaugurou sua unidade de número 1.200 em todo Brasil, com a abertura de uma farmácia em localizada em Bariri - interior de São Paulo.

Essa inauguração também comprova a fórmula de sucesso da Farmarcas, sendo que o associado que abriu a loja - Marco Antonio Cinegaglia - já possuía um Ultra Popular na mesma cidade.

Ao abrir essa loja a administradora dá mais um importante passo para atingir um objetivo de finalizar esse ano com 1.230 lojas, se posicionando definitivamente entre os maiores grupos farmacêuticos do país, mesmo diante um cenário de pandemia e de dificuldade de encontrar matéria prima para montagem dessas lojas. Para ter ideia do rápido crescimento, só neste ano a projeção é de ter 190 lojas abertas.

"A Farmarcas utiliza dois caminhos para seu crescimento: um é a abertura de lojas novas, o outro é a adesão ao modelo de lojas já existentes. Porém, nos dois casos somos muito rígidos na adequação das lojas aos nossos padrões, que vão desde a layoutização até a obrigatoriedade da utilização de ferramentas de gestão e fornecimento de informações", explica o presidente da Farmarcas, Edison Tamascia.

Ele se refere ao fato de que não é qualquer loja que pode aderir ao modelo associativista praticado pela Farmarcas. "Muitas farmácias procuram a Farmarcas para começar a utilizar o modelo, mas poucas realmente se enquadram às exigências", complementa. Neste ano foram 842 projetos analisados e apenas 238 aprovados, com 220 contratos assinados para a montagem.

Para Ângelo Vieira, diretor de comunicação e operações, "por mais que a procura seja grande, não podemos abrir simplesmente nossa marca para adesão. Temos que ter certeza do comprometimento dos interessados, para que isso não prejudique nossa padronização de trabalho. As bandeiras das redes são nossos patrimônios, por isso devem ser tratadas de forma adequada para o crescimento do modelo de negócio que criamos", ressalta.

A Farmarcas é uma associação criada para administrar agrupamentos farmacêuticos e redes associativistas. O principal foco é a capacitação dos empresários e a excelência na gestão das lojas. Hoje, a empresa administra onze redes (AC Farma, Bigfort, Drogarias Maestra, Entrefarma, Farma100, Farmavale, Maisfarma, Maxi Popular, Mega Pharma, Super Popular e Ultra Popular.).

"A Farmarcas é uma empresa que oferece orientação, apoio e prestação de serviços aos associados, para que cada farmácia atue com alta eficiência operacional e lucratividade no negócio de varejo farmacêutico. Isso faz com que nossos associados tenham grande satisfação e seja um dos fatores de nosso crescimento, abrindo constantemente novas unidades em todo país", finaliza Paulo Costa, diretor geral da empresa.

Sobre a loja

O grande destaque dessa loja da Rede Ultra Popular é que ela será uma das primeiras com conceito "esquina", mais aberta e receptiva. A loja terá 230 metros quadrados e o ponto principal é que a loja terá placas de geração de energia solar responsáveis por abastecer grande parte da energia utilizada.

O evento de inauguração contou com a presença do Edison Tamascia, Presidente da Farmarcas e o Ângelo Vieira, Diretor de Operações e Marketing, reforçando a importância dessa inauguração.

Neide Montesano é reeleita presidente da ABMAPRO

Na última semana, Neide Montesano foi reeleita presidente da Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização (ABMAPRO). A votação aconteceu na sede da Associação, em São Paulo. Neide teve o seu mandato renovado por mais quatro anos. Com isso, a executiva ficará até 2024 na presidência da instituição.


"Para mim é uma honra continuar presidindo a ABMAPRO, defendendo a marca própria pelo Brasil afora, para que as pessoas consumam cada vez mais produtos locais, beneficiando pequenos produtores e aquecendo ainda mais o nosso mercado interno”, comenta Neide. 

Somente no primeiro semestre de 2020, as MPs cresceram substancialmente, atraindo 2,2 milhões de novos consumidores. A expectativa é que o setor cresça ao menos 21% até o final deste ano.

Sobre a ABMAPRO

Fundada em novembro de 2006, a ABMAPRO é a única associação que representa as marcas próprias no Brasil e na América Latina. A principal missão da entidade é unir os três pontos principais do setor: fornecedores, donos de marcas e o consumidor final. Com esse tripé, é possível levar à família brasileira produtos de qualidade e que garantem uma economia de até 25%. A marca própria é a principal maneira de democratizar o consumo e permitir que as pessoas tenham acesso a diferentes produtos.

OZ inaugura primeiras lojas OZ HOME e OZ & GO no Paraná

Empresa ingressa no segmento de franchising com dois formatos de loja concebidos para levar experiência da marca e despertar emoções do consumidor

No dia 19 de dezembro a OZ deu início a uma nova fase com seu ingresso no segmento de franchising através da inauguração da primeira OZ HOME no Shopping Avenida Center, em Maringá (PR). Com cerca de 65 m² a loja foi concebida a partir de um conceito arquitetônico inovador com diversos elementos que caracterizam a personalidade criativa e irreverente da marca, reunindo o que há de mais gostoso para quem quer mergulhar no universo mágico que a experiência OZ proporciona.


Ambientada com vários nichos para exposição de produtos e luzes coloridas para tornar o ambiente mais estimulante, a OZ HOME tem um extenso balcão onde o cliente pode saborear cafés, chás, drinks, salgados, doces s, além dos bombons, barras e deliciosos snacks da marca.

Com decoração minimalista e mesas colaborativas para integrar as pessoas, a primeira unidade foi decorada com um painel pintado pelo paranaense Matheus Rosa e conta com um mix com mais de 150 skus e colaboradores que vão conduzir a degustação dos produtos para que o cliente possa sentir a essência de cada um.

“Tanto as lojas OZ HOME quanto as OZ & GO trazem o conceito choco.bar.coffee.tea, onde o cliente é atendido por uma equipe treinada para ativar seus cinco sentidos e levá-lo a uma outra dimensão, onde sabores e texturas se harmonizam para trazer uma nova experiência”, explica Rafael Nunes, fundador e presidente da OZ.

Além da abertura da OZ HOME, o empresário também comemora a inauguração da primeira OZ & GO na cidade de Colombo. “Com de 15 m², a primeira OZ & GO é uma loja menor, com foco na rua. Ela tem formato take away, layout clean e mix com 70 itens, onde o cliente pode fazer seu pedido em um painel, pelo site ou aplicativo e retirar os produtos para levar ou consumir no local”, acrescenta.

Após a abertura das lojas no Paraná, Nunes antecipa que já estão programadas mais inaugurações para janeiro e projeta encerrar 2021 com 100 unidades. “Queremos abrir lojas de 15, 40 e até de mil metros m² em shoppings centers, na rua, em estações de Metrô e Aeroportos com parceiros que acreditam na nossa proposta. Apesar de ser uma franquia, nosso modelo de negócio é feito sob medida para cada parceiro tornar  cada loja única, preservando as características da região e estilo do franqueado, tanto que cada uma terá um painel e produtos assinados por um artista da região”, explica.

Segundo o empresário, as lojas OZ também comercializarão marcas paranaenses, itens da Confeitaria Colombo, do Rio de Janeiro, e produtos regionais. Nunes acrescenta que a marca também fará lançamentos mensais para oferecer sempre novidades, inclusive chocolates veganos e isentos de açúcar, glúten e lactose, atendendo também pessoas com restrições alimentares.

Para fazer a gestão da rede, a OZ conta com a expertise da Nova Franchising que vai assessorar o franqueado em todos os processos. A empresa irá orientar sobre a implantação da loja, fornecer treinamento e suporte para a operação, além de apoio de marketing e gestão. As lojas OZ & GO demandam investimentos entre R$ 80 mil e R$ 100 mil e as unidades OZ HOME cerca de R$ 200 mi, com percentual de retorno de 15 a 20%.

Para dar sustentação ao projeto, o executivo está investindo na construção de uma nova fábrica em Curitiba onde, além de aumentar a capacidade produtiva para abastecer as franquias, irá desenvolver novas marcas e produtos dentro do conceito OZ.

SOBRE A OZ CANDY CO.

A OZ. iniciou suas atividades em 2016 em Curitiba, no Paraná, com a produção de pipoca caramelizada colorida.

No ano seguinte, em 2017, após realizar várias pesquisas, Rafael Nunes, fundador da empresa, decidiu lançar uma marca de chocolates, a Choco OZ. e investir na ampliação da linha de sweets com a criação de drageados e biscoitos, sempre com foco em produtos inovadores, com novos formatos e grande variedade de sabores para proporcionar novas experiências ao cliente.

Como conseguir emprego em 2021

Jéssica Bertucci, diretora da Moderna Emprego, apresenta cinco dicas para recolocação no mercado de trabalho

O ano de 2020 foi desafiador para a economia do mundo, e no Brasil não foi diferente. Recessão e crise econômica afetaram em cheio o mercado de trabalho que termina 2020 com a taxa de desocupação em 14,4%, e atinge 14 milhões de pessoas que estão em busca de uma  nova oportunidade. Mesmo diante desse cenário, o início de um novo ano pode trazer boas oportunidades, pois muitas empresas já fecharam projetos e orçamentos no ano anterior e abrem novas vagas nos primeiros meses do ano.

Jessica Bertucci

Para Jéssica Bertucci, diretora da Moderna Emprego, quem estiver buscando uma nova oportunidade não pode desanimar e estar atento a algumas dicas importantes para conseguir a tão sonhada oportunidade. Confira:

  • Invista em cursos onlines – Os cursos onlines já eram uma forte tendência que se intensificou ainda mais durante a pandemia. Além de cursos específicos para cada área de atuação, diversas universidades oferecem graduação, pós-graduação ou especialização, muitos deles gratuitos.

  • Fique atento as vagas temporárias – De acordo com a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (ASSERTEM) a previsão é fechar 2020 com 1,9 milhões de contratações temporárias. Com a previsão de lenta recuperação da economia, e por ser a modalidade de contratação de menor custo para o empresário, que não paga a multa de 40% do FGTS em caso de demissão, essa tendência deve permanecer em 2021. Por isso, o trabalhador precisa estar atento às vagas oferecidas, pois em muitas delas existe a chance de efetivação.

  • Se prepare para uma entrevista online – Entrevistas onlines se tornaram comuns com a necessidade de isolamento social, mas é preciso ficar atento para se destacar. Busque instalar e testar a plataforma onde será realizada a entrevista; siga um roteiro de como pretende apresentar seu currículo para facilitar e otimizar o tempo; garanta uma boa conexão com a internet; escolha um local adequado e verifique o melhor enquadramento; pense no visual para causar uma boa impressão; cuidado com o delay, e para evitar o desencontro do áudio, procure falar pausadamente, com calma e segurança.

  • Mantenha relacionamento, mesmo que online, com profissionais do mesmo ramo de atuação – A ideia de cultivar um círculo de contatos com outros profissionais da mesma área de atuação, beneficia quem está buscando trabalho. Assim é possível saber de novas oportunidades de emprego e ser indicado por alguém que esteja trabalhando, além de acompanhar as tendências do setor e trocar conhecimentos e experiências.

  • Elabore currículos atrativos – com um currículo profissional e representativo, o candidato pode aumentar a chance de conseguir uma entrevista.

Sobre a Moderna Emprego

A Moderna Emprego é uma agência que presta os serviços de recrutamento e seleção, avaliação psicológica, mão de obra temporária, mão de obra terceirizada e administração de estágio. Tem como diferencial o atendimento humanizado aos candidatos, pois enxerga o momento de fragilidade pelo qual muitos estão passando. 

A empresa foi fundada em 2014 pela psicóloga Jéssica Bertucci, que possui mais de 15 anos de atuação no setor de Recursos Humanos. A equipe interna é treinada pela coach Ana Paula Puga, psicóloga e especialista em gestão estratégica de pessoas, que busca fortalecer o conceito e a prática de humanização nos processos da agência. 

A Moderna Emprego atua em todo o Brasil. Bombril, Polimetri, Veloz Transportes, Grupo Angar, Polar Fix e Tectol são alguns dos 200 clientes da empresa. 

Mercado Até Você é uma iniciativa da Nestlé para apoiar o pequeno varejista

Consumidor também pode ajudar os mercados do bairro e ganhar até 100 reais em compra por loja apoiada

A Nestlé criou o aplicativo Mercado Até Você para ajudar os pequenos comerciantes de todo o país, que podem montar um e-commerce sem custo de entrada e mensalidade. A iniciativa foi desenvolvida pelo time de Transformação Digital da companhia após a identificação de uma série de dificuldades enfrentadas por estes lojistas. Uma pesquisa divulgada em outubro deste ano pelo Sebrae aponta que entre os pequenos negócios no país, mais de 70% tiveram queda de faturamento. A companhia acredita que a digitalização pode ajudar estes comerciantes a manterem os negócios.


"Aplicamos o conhecimento que temos acumulado em transformação digital para desenvolver esta iniciativa com o objetivo de apoiar os pequenos varejistas, que fazem parte de uma rede de parceiros muito importantes para a Nestlé. Queremos dar todo suporte para uma operação que é nova para eles, ajudando nesta jornada de reconstrução que tem se revelado estratégica para a manutenção dos negócios. Estamos juntos neste processo e nos conectando cada vez mais com nossos parceiros", explica Carolina Sevciuc, diretora de Transformação Digital da Nestlé.

Com o serviço, o lojista oferece uma espécie de mercado de bairro online para os consumidores da região, que ganham, com ele, comodidade, praticidade e segurança. E os clientes, por sua vez, prestigiam os lojistas que conhecem e sentem confiança. Assim, eles valorizam o comércio local, promovendo geração de renda e negócios onde moram.

Para o varejista:

• A loja é simples de ser criada

• Comerciante define o preço, horário e a forma de entrega para clientes que ficam de 1 a 8 km da loja física

• O dinheiro das vendas cai na conta do comerciante

• Comerciante paga só 3,9% sobre o que vender e nada mais

• Lojista escolhe quais produtos vender, independentemente de serem Nestlé

• A Nestlé investe em mídia para ajudar o varejista a vender ainda mais

• Ajuda de profissionais para desenvolver o negócio online


Para o consumidor:

• Poderá pagar com cartão de crédito no ato da compra, o que também lhe trará mais segurança.

• Comodidade de receber em casa

• Apoiar comércio local


Ajuda e Ganhe

A Nestlé criou uma dinâmica que pode beneficiar o consumidor ainda mais. Com a promoção Ajude e Ganhe, ele pode indicar comerciantes do bairro para o Mercado Até Você. E quando eles aceitarem, recebe até 100 reais em compra para cada nova loja que fez cadastro a partir de seu convite.

O passo a passo é bem simples para quem deseja ajudar um varejista de seu bairro:

• Baixar o APP Mercado Até Você

• Clicar no banner da promoção Ajude e Ganhe no APP para indicar um varejista

• O lojista indicado deve preencher o formulário no site e colocar o código de quem indicou

• A loja virtual indicada será montada em poucos dias

• Na primeira venda, a loja lucra e o consumidor também lucra com a indicação (50% da 1a venda da loja, limitado a R$100 de crédito para o consumidor)

Serviço

Mercado Até Você

https://www.mercadoatevc.com.br

Ajude e Ganhe -

https://www.mercadoatevc.com.br/ajudeeganhe

Sobre a Nestlé

É a maior empresa de alimentos e bebidas do mundo. Está presente em 190 países e seus 308 mil colaboradores estão comprometidos com o propósito da Nestlé de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável. A Nestlé oferece um amplo portfólio de produtos e serviços para cada etapa de vida das pessoas e de seus animais de estimação. Suas mais de 2000 marcas variam dos ícones globais, como Nescafé ou Nespresso aos favoritos locais como Ninho. O desempenho da empresa é impulsionado por sua estratégia de Nutrição, Saúde e Bem-Estar. Sua Sede fica na cidade suíça de Vevey, onde foi fundada há mais de 150 anos. No Brasil, instalou a primeira fábrica em 1921, na cidade paulista de Araras, para a produção do leite condensado Milkmaid, que mais tarde seria conhecido como Leite Moça. A empresa tem unidades industriais localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Goiás, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Espírito Santo. Emprega 32 mil colaboradores diretos e gera outros 200 mil empregos indiretos. A Nestlé Brasil está presente em 99% dos lares brasileiros, segundo pesquisa realizada pela Kantar Worldpanel.

Pós-pandemia: o varejo farmacêutico nunca mais será o mesmo

A pandemia do Covid-19 e o isolamento social promoveram uma intensa adaptação de setores do varejo que ainda não tinham grande penetração online e sustentavam suas operações nas tradicionais vendas presenciais. As farmácias foram uma das verticais que mais tiveram de correr contra o tempo.

A verdade é que, por mais que o varejo farmacêutico tenha sido um dos primeiros a fazer vendas por telefone, a transição para o online nunca se concretizou - talvez por uma série de paradigmas do setor e dos consumidores. Com a mudança obrigatória dos últimos meses, os lojistas precisaram se adequar à nova realidade e, assim, ter força para disputar clientes com grandes redes, essas sim já digitalizadas.

Com a necessidade de "trocar a roda com o carro em movimento" para não afundar na crise, os gestores de farmácia se viram um tanto perdidos, sem saber por onde começar. Com base em dados de um estudo do Google sobre projeção dos impactos da pandemia em diferentes esferas e setores, elenco seis insights valiosos para provocar reflexões ao varejista do setor farmacêutico para a digitalização do negócio.

1. Experiência e experimentação no meio online

A experimentação e experiências no ponto de venda físico são uma das principais formas de engajamento do consumidor, fator explorado em grande intensidade pelos clientes. No segmento de farmácias, grande parte da compra de produtos dermocosméticos era feita na drogaria, muitas vezes com ajuda dos consultores. No pós-pandemia, a experimentação e experiências no ponto de venda serão dificultadas, além de a primeira compra ser realizada pela internet. Os clientes, que antes tinham receio de realizar compras à distância, já começaram a quebrar o preconceito buscando diretamente o canal digital ou marketplaces. A presença nessas duas categorias parece ser indispensável daqui em diante.

2. Fidelização, a repetição da compra online

O consumidor passou, então, a gostar da jornada de compra online em farmácias e drogarias. Este é um comportamento que provavelmente vai se tornar parte da cultura de consumo pós-pandemia, mesmo quando as pessoas puderem voltar ao varejo físico. Nesse cenário, o lojista tem um enorme potencial de fidelização dos clientes nos canais digitais, ao apostar na oferta de boas experiências, além de qualidade e agilidade nas entregas. Para o lojista, essa mudança de hábito pode significar redução de custos na operação no longo prazo.

3. Oportunidade para as pequenas drogarias

O crescimento e a incorporação do home-office na rotina de negócios de todos os tamanhos foi uma oportunidade de manter a produtividade em meio à pandemia e reduzir custos com infraestrutura e transporte. Não à toa, muitas empresas já anunciaram que esse modelo deverá se manter após a Covid-19. Diante deste contexto, a quantidade de pessoas circulando nas ruas e shoppings deverá ser menor, o que impactará no fluxo de pessoas nas lojas físicas. No varejo farmacêutico, a mudança continua a ocorrer nas farmácias de bairro, que foram as escolhidas pelo cliente no momento de pandemia , e devem continuar com uma opção. É o momento de investir em bom atendimento, ofertas e segurança para as compras e, assim, gerar destaque.

4. Varejo digitalizado e a redução das interações nas lojas físicas

Estamos vivendo uma digitalização acelerada do varejo em geral. Cada vez mais, o varejista precisa lançar mão de recursos como e-commerce, WhatsApp e soluções mobile para venda, fatores que podem criar uma "cultura com mínimo contato". Nas lojas físicas, a experiência do consumidor deve evoluir e algumas tendências estão chegando para ficar. Totens de autoatendimento para os medicamentos isentos de prescrição médica (MIPs) e higiene, perfumaria e cosméticos (HPC), além do pagamento por aproximação e via QR Code, PIX, são pontos a serem analisados para oferecer uma experiência de compra física segura e confortável ao cliente.

5. Transformação digital: indústria de olho

A indústria tem se posicionado firmemente a favor da digitalização do varejo, pois entende que será um canal muito mais forte, eficaz e barato para chegar até o consumidor final. Grandes companhias já estão, inclusive, praticando condições comerciais diferenciadas para os varejistas com canais de venda online. Com todos os olhos direcionados para o seu mercado, o varejista farmacêutico precisará ter um ERP (sistema de gestão) robusto e escalável, que suporte sua venda física e digital simultaneamente e ainda o auxilie para que não perca oportunidades, gerenciando também todos os processos, desde a exposição do produto até o pós-venda.

6. Logística

Grande parte dos varejistas e seus parceiros não têm o costume de cuidados na gestão logística e de entregas. Com a complexidade do multicanal, as empresas de tecnologia podem ser um grande aliado ao criar estratégias e ações eficazes, escaláveis e com custo baixo. É fato que o varejo farmacêutico não será mais o mesmo após este período de intensas mudanças, transformando o negócio permanentemente. É de extrema importância que varejistas, distribuidores e indústria busquem parceiros que apoiem essa transição digital, colocando a tecnologia como grande aliada. O momento não permite mais "apostas": adequar-se, atualizar-se e aplicar as tendências de forma eficaz e correta ao negócio é necessário para não perder clientes e continuar crescendo mesmo durante a crise.



Artigo escrito por Leandro Ruggero, gerente de ofertas do segmento farmacêutico na Linx


segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

2020: o ano do horror sem fim

É comum ouvir os otimistas dizerem, que um momento de desventura é sempre uma chance para explorar novos caminhos. Esse pensamento parece um tanto exagerado quando nos defrontamos com o ambiente caótico criado pela pandemia do famoso vírus Covid-19. O tamanho do desastre parece fazer dessa colocação algo despropositado. É verdade que aqui e ali o vírus abriu oportunidades, mas de modo geral não foi isso que aconteceu.


Embora não se possa dizer que o dramático evento fosse inesperado, uma vez que os epidemiologistas há muito advertiam sobre essa possibilidade, a verdade é que o mundo foi surpreendido. Diga-se de passagem, muitos desastres são catástrofes anunciadas. Porém, os seres humanos aferrados a comodidade do presente, frequentemente se recusam a ver os sinais das futuras tragédias.

Diferente de outras crises econômicas, essa tem uma gênese distinta. Crises como a de 1929 ou de 2008 surgiram no âmbito exclusivo das relações econômicas. Essa crise, que amargamente somos forçados a viver, é, antes de tudo, sanitária com reflexos fortes e abrange sobre a economia. Talvez fosse mais adequado compará-la com um tsunami. Um fenômeno natural como esse é devastador, pois não só destrói estruturas, mas também desorganiza as sociedades.

A pandemia, como já esperado, tem sido muito ruim para o varejo. Contudo, os reflexos sobre as vendas foram amplificados pela própria desorganização da política interna. O Brasil perdeu por 7 a 1 da Alemanha na Copa de 2018. Essa derrota fragorosa não foi causada somente pelo "agente externo": competência da seleção alemã. Parte dessa derrota deve ser explicada pela própria desorganização da seleção brasileira. É bom registrar que desde meados de 2019 as vendas, embora crescendo, vinham desacelerando. E isso não está evidentemente relacionado ao vírus. A exemplo dos defensores do time verde e amarelo, os políticos podiam ser observados se movimentando batendo cabeça. É óbvio que quando o time adversário atacou tudo foi facilitado: 7 a 1.

Com tudo isso as estimativas são de um recuo das vendas de 5,89% em 2020 em relação a 2019. Redução do pessoal ocupado, queda da massa real de pagamentos e incerteza em relação ao futuro imediato explicam esse resultado. Há, entretanto, uma observação positiva. Até o final do terceiro trimestre projetava-se uma redução das vendas de 9%, agora 6%. Ou seja, em vez de cairmos do nono andar agora são apenas seis andares.

Artigo escrito por Claudio Felisoni de Angelo, economista e presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR)

4 habilidades essenciais para se recolocar no mercado de vendas em 2021

Pandemia traz necessidade de novos skills para profissionais de vendas, como empatia e alfabetização digital

A crise causada pelo coronavírus deixou os consumidores ainda mais exigentes e atentos às especificidades dos produtos. Essa mudança, evidenciou a necessidade de os vendedores saberem se comunicar de forma personalizada, sendo flexíveis e se adaptando às mudanças impostas pela digitalização acelerada.



Segundo Carol Manciola, CEO da Posiciona Educação e Desenvolvimento , empresa de educação empreendedora que capacita as equipes e melhora o desempenho nas áreas de vendas e atendimento, o cliente precisa ser muito bem atendido em sua jornada de compra e, por isso, a conexão com o consumidor sempre será o grande diferencial. A especialista destaca que as principais características para qualificação desses profissionais está na:

• Habilidade Comportamental

As habilidades comportamentais se tornaram muito evidentes à medida em que cresce a humanização das empresas e dos processos. Nos dias de hoje, é necessário que os vendedores saibam equilibrar diversos e diferentes comportamentos em meio a imprevistos e dificuldades dos contextos que possam vir a enfrentar. "Atuar com o pensamento crítico e criatividade ajuda no desenvolvimento das habilidades comportamentais para se comunicar com clareza e objetividade, amplia a capacidade de lidar e resolver problemas, além de oferecer ofertas bem empacotadas e conectadas ao perfil do consumidor", explica Manciola

• Empatia

Empatia também é uma característica fundamental para vendedores se recolocarem no mercado de trabalho. "Falar de empatia parece algo meio batido, mas é aí que mora a essência da venda", reforça Carol. Em vendas, não tem só a ver com se colocar no lugar do outro ou tratar o outro como gostaria de ser tratado. Empatia tem a ver com estar preparado para fazer jus a confiança que o cliente deposita na loja ao se deslocar até ela. Para a consultora de vendas, "As pessoas não compram produtos e serviços, elas compram melhorias para suas vidas e compreender isso permite uma grande virada de chave na maneira de atuar do vendedor. Conhecer o produto, as tendências de mercado e, principalmente, de aplicações, permitirá ao vendedor uma abordagem mais adequada, sentindo a "vibe" do cliente, aproximando-se com interesse genuíno e fortalecendo a confiança ao demonstrar que ao lado dele existe um especialista pronto para ajudá-lo", destaca Manciola.

• Alfabetização Digital

Independente do nível hierárquico ou da área de atuação, todo profissional deve ter um conhecimento atualizado e constante sobre soluções tecnológicas que auxiliam na personalização do atendimento e relacionamento.

• Autoconhecimento

Segundo a especialista, o autoconhecimento é a ferramenta chave para entender suas características e qualidades e identificar as necessidades que precisam ser desenvolvidas para obter o resultado necessário. Só podemos compreender os outros quando conhecemos a nós mesmos.

Sobre a Posiciona:

Fundada em 2017 por Carol Manciola e Ivan Correa, a Posiciona é uma empresa de Educação Corporativa com foco nas áreas de Vendas e Atendimento. A empresa oferece soluções educacionais que desafiam os colaboradores das áreas de negócio a melhorarem seu desempenho por meio de palestras, workshops, teambuildings e conteúdos digitais. Nos últimos três anos, a empresa já capacitou mais de 80 mil pessoas em todo o país e atendeu mais de 70 empresas em diferentes áreas como Bayer, Dasa, Alpargatas, Midway, Tribanco, Grupo Mafra, entre outros.

Sobre Carol Manciola

Administradora com especialização em Marketing e Gestão da Comunicação Organizacional Integrada. Trainner em Empreendedorismo, pelo SEBRAE, em conjunto com a ONU/PNUD e Programação Neurolinguística. Certificada pelo Disney Institute em excelência como estratégia de resultados. Professora da Pós Graduação na Sustentare Escola de Negócios. Autora do Best Seller "Bora Bater Meta - O desafio da venda presencial no mundo digital"(2019, DVS) e "Os Cês da Vida" (2017, Qualitymark)

5 dicas para um planejamento de negócios de Moda em 2021

A tendência é que o primeiro semestre do comércio de 2021 seja semelhante a este último ano, o que torna a organização estratégica indispensável para os varejistas

Desafiador é a palavra que mais representa o ano de 2020, principalmente na economia. Segundo informações divulgadas pelo Desempenho Econômico do Distrito Federal (Idecon-DF), o período foi responsável por uma variação negativa de 4,2% nos cofres públicos brasileiros. Neste contexto, os varejistas do setor de Moda tiveram que investir em atividades, como remanejamento de estoque, reposicionamento de marca e transformação do modelo de serviço, a fim de conquistar a sobrevivência dos negócios. 

De acordo com Andressa Rando Favorito, especialista em gestão de negócios de Moda, a tendência é que o primeiro semestre do comércio de 2021 seja semelhante a este último ano. No entanto, é possível vivenciá-lo com uma maior tranquilidade, por meio de um planejamento estratégico. Para isso, a executiva lista as cinco principais dicas para os empreendedores que desejam iniciar essa nova fase de maneira mais assertiva. Confira:

Defina as metas 

Qual é o ritmo de vendas atual? As vendas estão em crescimento ou estagnadas? Quanto você pretende faturar? O quanto é necessário vender para alcançar essa pretensão comercial? Estas são algumas reflexões imprescindíveis para iniciar o planejamento de negócios de 2021. 

“É fundamental analisar o recente desempenho da marca em termos de vendas e faturamento, para que se possa definir metas tangíveis para o próximo ano. É importante ressaltar que essas metas devem ser elaboradas mensalmente, visto que cada mês tem as suas particularidades, como Dia das Mães, em maio, e Dia dos Namorados, em junho. Desta forma, também simplifica o processo de gerenciamento de estoque, pois é possível saber quais e quantos produtos serão necessários para cada mês”, afirma Andressa. 

Filtre o estoque

Independentemente do planejamento estratégico, não há vendas sem estoque. Então, avalie os produtos que ficaram parados no último ano, para definir quais irão se manter no próximo. “A marca terá sobras que não farão sentido para o primeiro trimestre de 2021. Portanto, para garantir que as necessidades dos consumidores sejam atendidas e, consequentemente, ocorram as vendas, é fundamental realizar uma filtragem do que irá permanecer no portfólio e do que será remanejado. Aqui, já é possível também entender quantas novas peças deverão ser adquiridas para alcançar a meta de vendas inicial”, explica a especialista.

Analise o histórico 

Como foi o seu primeiro semestre de 2020? Essa análise é importante porque provavelmente o primeiro semestre de 2021 será similar, e servirá de base para entender os pontos de atenção e os acertos para o ano que está por vir. “A ideia é entender as boas práticas e identificar os pontos de melhoria", pontua Andressa. 

Encontre o seu caminho 

Em março de 2021, a pandemia terá alcançado um ano de duração, período suficiente para as pessoas adotarem um novo estilo de vida. Ou seja, os consumidores terão adquirido novos hábitos e, consequentemente, uma nova maneira de se vestir. “Agora é o momento de utilizar a trajetória do seu negócio no último ano para identificar o melhor caminho a ser seguido. Talvez sejam necessárias mudanças na comunicação da marca, no atendimento ao cliente ou até mesmo na linha de produtos”, explica a especialista. 

Posicione-se! 

Por fim, é preciso ir a campo com uma clareza dos hábitos e decisões de negócio que ficarão em 2020 e daqueles que valem a pena manter no próximo ano. “Todo desafio é uma oportunidade de melhoria. As aprendizagens precisam ser colocadas em prática”, conclui Andressa. 

Artigo escrito por Andressa Rando Favorito, especialista em gestão de negócios de Moda.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

Maricota Alimentos investe em nova fábrica

A Maricota Alimentos, maior fabricante 100% nacional de pães de queijo, acaba de anunciar investimentos na casa dos R$ 50 milhões para a construção da sua nova indústria em Luz, Minas Gerais, com previsão de inauguração em julho de 2022.


A nova sede industrial terá 15 mil metros quadrados de área construída e a região é estratégica para a empresa, já que fica próxima aos fornecedores de produtos lácticos, ovos, entre outros. Além disso, a previsão é de que o número de colaboradores salte de 400 para 700.

A nova fábrica terá capacidade produtiva de até 60 mil toneladas ao ano – atualmente, a capacidade é de 18 mil toneladas ao ano. Por esse motivo, a empresa apostará em novas linhas, como a de massas frescas, empanados, hamburgueres, entre outros. Além disso, as expectativas são altas em relação ao futuro já que, mesmo em um ano de pandemia, a empresa cresceu 35% e prevê, até 2025, dobrar o faturamento, chegando aos R$ 500 milhões.

Natal no E-commerce deve faturar R$ 21,7 bilhões em 2020

Estimativa da ABComm/Neotrust é de que até 24 de dezembro, serão feitos mais de 46 milhões de pedidos nas lojas virtuais brasileiras 


A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), em parceria com a Neotrust, que traz dados transacionais e reais sobre o e-commerce no Brasil, divulgou a projeção de vendas de Natal no e-commerce brasileiro. O número representa um crescimento nominal de 54%, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo os dados divulgados, o tíquete médio dos presentes de Natal comprados pela Internet será em torno de R$ 470, um aumento de 3% em relação ao valor médio gasto no Natal passado. 

O comércio eletrônico que já vinha crescendo fortemente nos últimos anos, foi acelerado pelo confinamento provocado pela pandemia. Entre abril e agosto, aproximadamente sete milhões de brasileiros pela primeira vez experimentaram comprar online, por conta da falta de opções em comprar em lojas físicas. Por outro lado, mais de 150 mil empresas abriram lojas virtuais, motivadas pelo fechamento repentino de suas portas. 

“Foi uma questão de sobrevivência. Ou vendiam online, ou não vendiam. Esses milhões de consumidores e milhares de empresas, continuarão comprando e vendendo pela Internet, mesmo passada a pandemia”, diz Mauricio Salvador, presidente da ABComm. 

Segundo André Dias, Fundador da Neotrust e Diretor de Inteligência na ABComm, esse ano haverá um grande aumento de consumidores que compram nas lojas virtuais e mandam entregar os presentes direto na casa de parentes e amigos. “Para atrair mais compradores, as lojas virtuais podem oferecer o serviço de embalagem para presentes, podendo até mesmo cobrar um adicional por isso”, diz Dias. 

Sobre ABComm 

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) surgiu para fomentar o e-commerce com conhecimentos relevantes e auxiliar na criação de políticas públicas para o setor. A associação reúne representantes de lojas virtuais e prestadores de serviços nas áreas de tecnologia, mídia e meios de pagamento, atuando frente às instituições governamentais, em prol da evolução do mercado. A entidade sem fins lucrativos presidida por Mauricio Salvador e conta com diretorias específicas criadas para aprofundar discussões, entre elas: Omnichannel; Relações Governamentais; Mídias Digitais; Relações Internacionais; Meios de Pagamento; Capacitação; Desenvolvimento Tecnológico; Empreendedorismo e Startups; Jurídica; Métricas e Inteligência de Mercado; Crimes Eletrônicos; e Marketing. Para mais informações, acesse: www.abcomm.org.  

Transações de e-commerce apresentam crescimento contínuo em 2020 durante a pandemia de COVID-19

Análise da Visa traz dados da América Latina e Caribe, incluindo Brasil

Análise realizada pela Visa Consulting & Analytics (VCA), consultoria estratégica da Visa, revela que, em outubro de 2020, as transações online na região da América Latina e Caribe* tiveram um crescimento cinco vezes superior ao de transações presenciais, quando comparadas à média de janeiro e fevereiro de 2020, o que mostra uma aceleração no uso de pagamentos digitais por parte dos portadores de cartão da região durante a pandemia de COVID-19.


"A análise mostra um crescimento continuado no uso de e-commerce pelos consumidores da América Latina e do Caribe, bem como uma migração para os pagamentos digitais durante a pandemia, na comparação com os tempos pré-COVID", comenta Javier Vazquez, head da Visa Consulting & Analytics na região América Latina e Caribe. "Combinando insights sobre as tendências em pagamento digital ao know-how da Visa, podemos ajudar instituições financeiras e empresas a entender as prioridades e a melhorar as experiências de pagamento dos consumidores, especialmente com essas mudanças provocadas pela pandemia de COVID-19".

Tendências nas categorias de consumo

As categorias de consumo mais impactadas na América Latina e no Caribe durante a pandemia, tendo em vista o número de transações realizadas entre março e outubro de 2020 vs. o mesmo período em 2019 foram:

  • Impacto positivo: produtos digitais (jogos, apps e livros/filmes/TV via streaming); pagamentos recorrentes (TV a cabo ou satélite; rádio; serviços de utilidade pública como luz e água; combustível e assinaturas); serviços profissionais (limpeza, construção, entrega/armazenamento/mudança, serviços financeiros, despesas legais)
  • Impacto negativo: companhias aéreas, despesas de viagem, hospedagem, locação de veículos e transporte.

A análise também permite identificar sinais de recuperação no varejo, incluindo segmentos como lojas de departamento, roupas e eletrônicos:

  • O número de transações de vendas no varejo (presenciais e online) aumentou desde o ponto mais baixo registrado em abril, até atingir o pico, em outubro de 2020.
  • O número de transações em categorias de consumo do varejo online quase dobrou em outubro de 2020 na comparação com as médias de janeiro e fevereiro de 2020.

A Visa está comprometida a continuar trabalhando e inovando em suas soluções de pagamento para oferecer experiências de pagamento cada vez mais convenientes, modernas e seguras aos seus portadores de cartão, seja por meio de canais virtuais, de pagamentos por aproximação ou pagamentos praticamente isentos de fricção no ponto de venda.

A equipe Visa Consulting & Analytics (VCA) é composta por consultores e especialistas em métodos de pagamento que trabalham em parceria com clientes como credenciadores, emissores e estabelecimentos comerciais para identificar oportunidades para melhorar a performance e a lucratividade desses clientes. Ao combinar conhecimento da indústria de pagamentos com visão estratégica, VCA alavanca sua expertise em análise de dados para desenvolver soluções inovadoras que permitem que seus clientes expandam o próprio negócio, compreendam os consumidores e otimizem recursos.

*Metodologia

A análise foi realizada com base nos dados transacionais da VisaNet de janeiro a outubro de 2019 e 2020, comparando o número de transações e o volume nominal de pagamentos em dólares a cada semana durante o período acima especificado. A análise inclui os seguintes países e territórios na região América Latina e Caribe: Anguila, Antígua e Barbuda, Argentina, Aruba, Bahamas, Barbados, Belize, Bermuda, Bolívia, Brasil, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Cayman, Chile, Colômbia , Costa Rica, Curaçao, República Dominicana, Ilhas do Caribe Holandês, Equador, El Salvador, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Montserrat, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, St. Maarten, St. Kitts e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Trinidad e Tobago, Turcas e Caicos, Ilhas Virgens dos Estados Unidos e Uruguai.

Domino's Pizza cresce com franquias em todas as regiões do país

Rede inaugura uma loja por semana até o fim do ano

Com arrojado plano de expansão para dobrar de tamanho, a Domino's Pizza, maior rede de pizzarias do mundo, volta a crescer com franquias – até o final do serão sete novas unidades. A rede planeja ainda abrir 50 lojas no ano que vem, em estados como Pernambuco, São Paulo, Rio Grande do Sul, Amazonas, Rio de Janeiro, Maro Grosso, Distrito Federal e Goiás.



Além do formato tradicional, a Domino’s passa a disponibilizar franquias com novos modelos – totens de autoatendimento fora das lojas físicas e Drive-thru. Segundo Gean Mark, Diretor de Expansão da rede, há ainda outros modelos em teste. “Em função da solidez do negócio e do cenário de juros baixos, que acaba estimulando uma nova onda de empreendedorismo, temos recebido uma demanda alta por franquias e, a partir de um olhar atento ao mercado, entendemos que é importante diversificarmos o modelo de operação, sempre dentro do padrão de qualidade Domino’s”, explica.

A companhia tem percebido um interesse de seus franqueados em abrir novas unidades da rede – Manaus, São Paulo e Rio Grande do Sul, por exemplo, ganharam cerca de três lojas de um mesmo franqueado nos últimos três anos – e vem investindo em tecnologia, com projetos que visam otimizar as operações e melhorar a rentabilidade das lojas, contribuindo também para melhorar a experiência do consumidor. Este mês, a rede lança o Domlivery, um aplicativo para entregadores, trazendo soluções de gestão e produtividade, com tracking de pedidos e diminuição do tempo de entrega.

Entre as iniciativas, a companhia também está implementando um Call Center, que vai receber e coordenar os pedidos por região, otimizando o processo, que hoje acontece em cada uma das lojas. 

Sobre a Domino’s Pizza

Maior rede de pizzarias do mundo e líder no Brasil em número de lojas, a Domino’s Pizza investe em delivery e tecnologia para garantir a melhor experiência para o cliente. A marca desembarcou no Rio de Janeiro, em 1993, e atualmente possui mais de 300 lojas espalhadas pelo país. Especialista em entregas, a Domino’s trabalha com diversão para levar mais de 12 milhões pizzas por ano aos seus clientes. Sob gestão do fundo Vinci Partners, a companhia foi certificada pela consultoria Great Place to Work e pretende dobrar de tamanho até 2025, chegando a 650 lojas no Brasil.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Sorocaba recebe a terceira unidade da rede Raiz Supertacado, da Lopes Supermercado

Primeira unidade no interior do Estado foi inaugurada quarta-feira (16) na Avenida Ipanema e reforça o plano de expansão do Lopes Supermercados no segmento de atacado

A cidade de Sorocaba é o próximo passo da expansão da Rede Raiz Superatacado e ganha mais uma opção para as compras de atacado. A nova loja da rede, que marca a entrada do Lopes Supermercados neste segmento, e a primeira unidade da nova rede no interior do Estado, conta com cerca de 2,1 mil metros quadrados e está localizada na Avenida Ipanema, 3.120 - Bairro Terra Vermelha. A primeira unidade do Raiz foi inaugurada em outubro, no Itaim Paulista, zona leste de São Paulo; e a segunda em Guarulhos, no último dia 2.


“Esse é um importante passo da Família Lopes Supermercados em sua estratégia de negócios e de expansão, agora também no atacado. Sorocaba tem importância fundamental para consolidar nosso crescimento e reforçar nossa presença no segmento. A cidade é um grande polo econômico de São Paulo, sendo o décimo maior PIB do Estado”, explica José Osvaldo Leivas, diretor-presidente do Lopes Supermercados e do Raiz Superatacado.

Composta por 47 municípios, a Região Administrativa de Sorocaba possui economia altamente diversificada, além de ser a terceira maior região do Estado, concentrando 5,7% da população paulista. “Não só a questão de ser uma nova opção de compras para a região, mas o Raiz Superatacado também pode ser um importante gerador de postos de trabalho para essa população”, destaca Leivas.

O executivo acrescenta que a proposta do Raiz é ampliar os formatos e os canais para atender os clientes em toda a jornada de compras, pois a nova rede está alinhada com a proposta de estar sempre presente nas conquistas do consumidor, independentemente da região e de suas necessidades, possibilitando a geração de economia para as famílias e bons negócios para os comerciantes.

Além da variedade de produtos em todas as categorias, totalizando 7 mil itens o Raiz terá áreas dedicadas a hortifrúti, padaria e açougue para atender famílias e comerciantes de todos os segmentos de negócios da região.

Serviço

  • Endereço: Avenida Ipanema, 3.120 - Bairro Terra Vermelha - Sorocaba
  • Horários: Segunda-feira a sábado, das 7h às 22h. Domingo, das 7h às 20h
  • Inauguração oficial: 16 de dezembro, a partir das 9h

Sobre o Lopes Supermercados - A história da rede Lopes Supermercados começou em 1974 e conta hoje com 30 unidades no Estado de São Paulo – entre lojas Lopes Supermercados e Raiz Superatacado. Com mais de 400 produtos de marcas próprias, a rede varejista atende hoje mais de 20 milhões de consumidores por ano e emprega diretamente mais de 3,5 mil pessoas. 

St Marche lança campanha promocional de selos para troca por jogos de talheres e utensílios BUGATTI

Amantes de selos e descontos têm a chance de participar da nova promoção da rede

A febre mundial dos selos promocionais continua no St Marche. A rede, referência em produtos diversificados de alta qualidade, oferece aos clientes a chance de reverter compras feitas nas lojas físicas em selos para trocar por talheres BUGATTI. A cada R﹩20,00 em compras nas lojas participantes, os consumidores recebem no próprio Caixa um selo promocional e, com 30 selos, mais R﹩34,95, podem trocar por algum dos cinco conjuntos em aço inox disponíveis. A marca Bugatti é referência pela qualidade e luxo dos itens.


Devido ao sucesso da primeira campanha promocional, a rede retorna com a iniciativa de selos, oferecendo a chance de ter os produtos super premium em casa, pagando pouco. O objetivo da rede, é valorizar os clientes de seu programa de fidelidade Voce Marche , oferecendo mais um benefício para compras. Uma retribuição à fidelidade e à preferência do público. A rede ressalta que os selos que não foram trocados na primeira campanha, é acumulutivo e estará vigente para a campanha Você Marche, para a troca de talheres.

  • Jogo de mesa talher Bugatti - quatro peças: garfo, faca, colher de mesa e uma colher para café.
  • Jogo salada Bugatti - duas peças: um garfo e uma colher de servir.
  • Jogo sobremesa Bugatti- quatro peças: colher moka, garfo e faca para frutas, e uma faca de manteiga.
  • Concha Bugatti - uma concha.
  • Pegador de macarrão Bugatti - um pegador de macarrão.

Para compras no Rappi e no site, o participante deverá entrar em contato pelo E-mail ajuda@marche.com.br para fazer a troca de selos com o cupom fiscal da compra.. As lojas participantes estão disponíveis no site (www.marche.com.br/nossas-lojas) no período de 18 de dezembro a 18 de fevereiro de 2021 ou enquanto durar o estoque de produtos.

SOBRE ST MARCHE:

O St Marche é uma rede de supermercados de bairro com 20 lojas da Capital e Grande São Paulo. A marca nasceu com propósito de oferecer produtos de alta qualidade associados a um atendimento diferenciado, resultando numa nova experiência de compras para os consumidores. A primeira loja foi inaugurada há 18 anos no bairro do Morumbi e tinha a missão de reunir num só lugar uma padaria artesanal, frutas e legumes selecionados e um açougue com cortes frescos. Além disso, a loja conta com uma curadoria de produtos de diferentes partes do mundo. Com o sucesso deste formato e um público fiel, além da rede St Marche, o grupo adquiriu o Empório Santa Maria em 2008, e foi responsável pela vinda do primeiro Eataly da América Latina, em sociedade com a matriz Eataly, em 2015. Em 2018, o grupo ampliou e abriu duas lojas na capital, Brooklin e Portal do Morumbi, com um novo look and feel. Em 2019, iniciou sua operação de e-commerce. Em 2020 inaugurou o conceito de loja de estar, no Shopping Villa Lobos. Para 2021, o St. Marche seguirá seu consistente plano de expansão.

Ornare Lab chega a São Paulo e New York

Ornare, maior brand de luxo no segmento de móveis sob medida no Brasil e Estados Unidos, trouxe para o mercado nacional uma nova experiência no desenvolvimento e especificação de projetos residenciais, corporativos e hoteleiros. Lançado no Rio de Janeiro, no primeiro semestre deste ano, Ornare Lab já está disponível também nas unidades localizadas na Alameda Gabriel Monteiro da Silva e D&D Shopping, em São Paulo e na flagship de New York.


Na Ornare Lab, uma estrutura exclusiva da marca cria uma experiência única no atendimento ao cliente, onde o projeto é costurado e visualizado com base na percepção visual do cliente.

Toda essa exclusividade, somada aos óculos de realidade virtual, sensores e câmeras, que auxiliam na criação dos projetos, adicionam ainda mais qualidade ao atendimento. Com os óculos criam-se ambientes virtuais, nos quais é possível caminhar e interagir com as peças, oferecendo opções de personalização. Na fase de elaboração do projeto, a planta do espaço é reproduzida para tornar a experiência mais próxima do real, incluindo, por exemplo, paisagens que integram o ambiente externo.

Os equipamentos registram o deslocamento do cliente em ambientes que reproduzem as soluções Ornare para projetos de cozinhas, salas, escritórios, home theaters, closets, entre outros. Cores, acabamentos, acessórios e disposição de portas, gavetas e prateleiras podem ser trocados ao toque do cliente até que seja alcançado o modelo ideal. Durante o processo de criação, mostruários especiais também serão entregues no endereço do cliente.

Pioneirismo

Primeira empresa do segmento a implementar esta tecnologia em seu modelo de negócio, Ornare contou com uma equipe multidisciplinar de colaboradores que envolve especialistas em TI, design e arquitetura. Somado a isso, foi investido R﹩ 1 milhão de reais em equipamentos.

Outras unidades estão previstas para o início de 2021. A empresa está em negociação com empresários que atuam no segmento de decoração e construção civil e novos investidores que buscam um negócio próprio.

Com Ornare Lab, o foco é expandir nas cidades com até 1 milhão de habitantes para atendimento da marca em território nacional. A empresa prevê a abertura de 15 franquias nos próximos dois anos. Hoje, são 13 showrooms no Brasil e cinco nos Estados Unidos.

Sobre Ornare

Há 34 anos no segmento de arquitetura, design e decoração, ORNARE é referência em móveis sob medida de alto padrão. Assinadas por grandes nomes da arquitetura e design brasileiros, as coleções traduzem em cores, formatos e acabamentos o conceito de exclusividade, originalidade e sofisticação. Empresa nacional especializada em soluções para cozinhas, armários, home offices e salas de banho, Ornare é marca premium no segmento. Em expansão no mercado brasileiro e internacional, conta com showrooms nas principais capitais do Brasil e Miami, Dallas, New York, Los Angeles e Houston nos EUA.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Super Nosso expande com parceria de lojas de conveniência do futuro

Abastecer os lares, disponibilizando produtos de alta qualidade, como, onde e quando o cliente quiser.  Esse é o propósito da rede de supermercados Super Nosso, que acaba de dar mais um passo no cumprimento desse propósito, ao firmar uma parceria com a Be Honest, um modelo inovador de mercado de conveniência, já presente em diversos condomínios de Belo Horizonte.


Com o propósito de disseminar a honestidade, três jovens se uniram para criar um mercado de conveniência especial. Diferente de tudo o que já foi visto com relação às lojas do futuro, o honest market, ou “mercado da honestidade” - não tem funcionário, catraca, câmeras de reconhecimento facial ou qualquer outra forma de controle e, pasmem, funciona. Tamanha visão de mercado e força de propósito chamaram atenção do Grupo Super Nosso, que acaba de adquirir uma participação na Be Honest.

Aberta em junho deste ano, durante a pandemia do novo Coronavírus, a primeira Be Honest foi instalada em um condomínio em Belo Horizonte/MG. Hoje, já são mais de 50 unidades, sempre em condomínios residenciais e ofertando cerca de 300 itens de conveniência, como alimentos, higiene e limpeza. Marcelo Carneiro, um dos jovens empreendedores da Be Honest, conta que o sistema de controle de cada uma das lojas é acoplado a um totem de cartão de crédito/débito no qual os clientes podem escolher os produtos e realizar a compra sem nenhuma fiscalização, e sem ter que sair nem mesmo do próprio condomínio para resolver suas principais necessidades de abastecimento doméstico. 

“Esse mesmo sistema gera um inventário sobre o estoque mínimo de cada produto. E, por meio desse relatório, fazemos o chamado "cálculo de honestidade" para ver qual foi a diferença entre o inventário e o real estoque do local. Essa diferença é considerada um desvio”, explica. Segundo Carneiro, a maioria das pessoas paga corretamente, “mas, se alguém não pagar, a responsabilidade é inteiramente nossa, de atuar mais fortemente em alguma unidade que eventualmente tenha um índice maior de desonestidade”, garante.

 E por que o Grupo Super Nosso se encantou pelo projeto? 

“Sentimos que havia total sintonia e sinergia entre a proposta da Be Honest e a nossa. Queremos que nossa curadoria de produtos de alta qualidade possa chegar cada vez mais facilmente e da forma mais acessível para o máximo de clientes. A história do Super Nosso sempre foi marcada pela inovação e transformação, e é isso que nos permite a honra de abastecer os lares de milhares de famílias, disponibilizando produtos como, onde e quando o cliente quiser. Queremos ser solução, rápida, confiável e descomplicada. Sem dúvida, a Be Honest concretiza ainda mais nossa proposta”, afirma Rodolfo Nejm, vice-presidente do Grupo Super Nosso.

Multicanalidade

Nejm destaca ainda que a nova parceria trará, para os atuais clientes dos condomínios, toda a expertise do grupo. “Inovamos trazendo o primeiro e-commerce de supermercado para Belo Horizonte. Já temos o Clique e Retire, somos omnichannel e temos formatos e tamanhos diferentes de loja - não só as lojas Super Nosso, com mais de 12 mil variedades de produtos, como também o Momento Super Nosso, em torno de 5 mil itens”, diz.

“Portanto, já é da nossa expertise oferecer a seleção de uma variedade de produtos mais adequada para cada canal e cada momento de compra, conforme as necessidades do consumidor. E é isso que pretendemos agregar com nossos novos parceiros: saber escolher os melhores e mais adequados produtos para solucionar as necessidades dos nossos clientes nas lojas de conveniência Be Honest”.

Segundo o vice-presidente, não serão economizados esforços para se fazer uma curadoria única, “pois acreditamos que isso é o segredo da experiência de compra”, finaliza.

2021

O Super Nosso começará a atuar de forma colaborativa com os fundadores da Be Honest a partir de janeiro de 2021, agregando know how de curadoria de produtos, gestão, logística de abastecimento, planograma das restritas gôndolas dos mercados, entre diversos outros aspectos. “Acreditamos que marcas fortes são aquelas que inspiram algo maior - e como parceiros, ficamos empolgados não só em agregar solução de abastecimento e levar qualidade para as famílias, mas também estimular a população a exercer um valor tão nobre quanto o de autorresponsabilidade, através do conceito de compras e pagamento autosserviço oferecido pela Be Honest. Realmente, algo muito forte e inspirador, uma verdadeira evolução para o varejo”, destaca Rafaela Nejm, sócia do Grupo Super Nosso.

Já Marcelo Carneiro ressalta: “Temos como cultura que o mais importante para nós é o aprendizado. Costumamos dizer que nosso negócio é uma escola sem professores, na qual nós mesmos precisamos abrir o livro e resolver os desafios que vierem pela frente. Agora, pela primeira vez em muitos meses, teremos um professor para nos dar uma aula sobre gestão, varejo e simplicidade.”

Sobre o Grupo Super Nosso

O Grupo Super Nosso possui 51 lojas físicas em Belo Horizonte e na região metropolitana. São 21 unidades Super Nosso, que é a rede de supermercados gourmet; 11 lojas de proximidade, lojas menores com foco em conveniência, com a bandeira Momento Super Nosso e 19 atacarejos com a marca Apoio Mineiro. Além do Super Nosso em Casa, canal de vendas online do Super Nosso e o Apoio Entrega, canal de vendas online do Apoio Mineiro.

Também integram o Grupo uma indústria, a Raro Alimentos, que manipula carnes e frios com SIF para atender às lojas do Grupo, e uma infraestrutura completa de panificação, que produz pães artesanais e alimentos prontos de marca própria para venda nas lojas. E a distribuidora especializada Decminas, que atende mais de 800 municípios mineiros. Ao todo, são mais de 8 mil funcionários trabalhando para atender com excelência e oferecer uma ótima experiência de compra. A empresa é uma das maiores do setor varejista em Minas Gerais e ocupa a 15ª posição no ranking nacional da Abras de maiores empresas supermercadistas no Brasil.

Papo reto com o Papai Noel

Saudades dos tempos normais né, amigos? Esse ano nada, nada está sendo fácil. Nunca percorri caminhos tão óbvios com tantas dificuldades e incertezas. Eu, sinceramente, ando com uma nostalgia imensa.


Quando poderíamos prever um fim de ano que teríamos que substituir o Papai Noel "físico" pelo virtual? As vendas online já estavam chegando e todos nós já estávamos nos preparando para grandes mudanças no varejo. Mas, e o Papai Noel?

Pensei muito, e como essa época é de reflexão e avaliação, decidi ter uma conversa sincera com ele, ter um papo reto mesmo, olho no olho, assim como as crianças fazem quando querem pedir seus presentes tão desejados.

Abri meu coração. Quando decidi que teríamos o Papai Noel "de verdade" no shopping, falei para ele de todos os protocolos e dos cuidados que precisamos ter com todos nesse momento tão difícil. Minha intenção era escutar também um pouquinho a opinião dele, que é tão sensato com todos, afinal, se nós esperamos ansiosamente essa data, imaginei que ele também esperaria.

Sabemos que os protocolos são rígidos e respeitá-los é fundamental. Em nossa conversa, ele entendeu e concordou, mas em seguida ele me contou que os empregos estavam em baixa esse ano. E olha que ele, que só trabalha mesmo nessa época, esperou o ano inteiro para poder escutar os pedidos de presente, dar bons conselhos e desejar um Feliz Natal. Deixou bem claro que a decisão era minha (esperto ele viu), mas que desejava mesmo só isso: estar presente.

Então, com todo cuidado, lembrei de conselhos tão antigos que sugerem que nos coloquemos no lugar do outro, que a gente decida com a razão, mas que uma pitada de emoção pode sim ser fundamental.

E lá está ele! Muito bem protegido em uma redoma de vidro! Feliz, conversando e alegrando crianças e adultos.

Quando sentei para fazer meu pedido, ele fez um breve agradecimento dizendo que poucos amigos estão trabalhando neste ano. Que, na idade dele, esperar mais um ano não é fácil e que é bem diferente de 365 dias para os jovens. Disfarcei a emoção. Eu queria mesmo era dar um abraço nele. Mas quem sabe a gente consiga no ano que vem, né?!

Para finalizar, curiosa, perguntei sobre os pedidos que ele tem recebido e ele me contou: “Sabe, as crianças continuam pedindo mesmo os brinquedos, e aguardando suas balinhas. Aqueles que não gostam muito de estudar, chegam mais seguros, pois sabem que não vou falar em notas, nem se passaram de ano. Mas todas as crianças falam das saudades que sentem dos colegas da escola”, ele me disse.

“E os adultos?”, eu perguntei. A resposta foi: “Bem, neste ano as viagens para Europa ou Disney com a família praticamente desapareceram. Poucos pedem algo material, mas todos, todos mesmo, pedem saúde e que mantenha sua família mais próxima”.

Eu não pedi nada. Só agradeci pela oportunidade que tenho em conseguir proporcionar momentos inesquecíveis para tantas pessoas. Continuo com saudades dos meus dias normais, mas confesso que aprendi muito com tantos desafios.

Feliz Natal.

Artigo escrito por Cida Oliveira, diretora de marketing do Grupo Tacla Shopping