terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Índice CEAGESP sobe 0,92% em novembro

Em razão do maior consumo ocasionado no final de ano, é esperado o aumento de preços das frutas

O índice de preços CEAGESP registrou leve alta de 0,92% em novembro. “No ano, o indicador acumula elevação de 13,19% e, nos últimos 12 meses, aumento de 12,59%. A previsão é que durante o mês de dezembro o índice continue a registrar alta”, esclarece Flávio Godas, economista da CEAGESP.

A alta mais expressiva foi a das Verduras, cujo setor subiu 8,81%. Entre os produtos que sofreram elevação destacam-se a escarola (61,8%), o coentro (29,5%) e a alface americana (22,9%). As principais quedas foram as do milho verde (-29,7%), da rúcula (-9,6%) e do repolho (-7,4%).

Na sequência, o setor de Frutas registrou elevação de 4,45% em novembro. Entre as principais altas estão a do abacate margarida (64,6%), do maracujá azedo (28,8%) e do mamão formosa (26,2%). As baixas mais expressivas no setor foram do figo (-30,5%), do morango (-27,9%) e da manga Tommy (-5.2%).

Mesmo com a elevação do volume ofertado dos produtos nacionais (como ameixas, pêssegos, uvas, nectarinas, lichias, entre outros), e estrangeiros (como cerejas, uvas, damascos, nozes e castanhas), o setor de frutas pode apresentar ligeiras majorações de preços. Em razão do maior consumo ocasionado pelas ceias de Natal e Ano Novo, é esperado o aumento de preços nesses produtos que compõem a cesta de final de ano.

O setor de Diversos apresentou alta de 2,57%. Destacam-se as elevações da cebola nacional (21,4%), da canjica (13,2%) e do alho (3,9%). Já as quedas mais relevantes são as da batata lisa (11,3%) e da batata comum (-4,1%).

O setor de Legumes foi o que mais retraiu, com baixa de 10,69%. Em destaque, caiu a berinjela (-39%), o quiabo (-23,7%) e a cenoura (-21,4%). As principais altas foram do inhame (51,5%), do maxixe (23,2%) e do pepino japonês (22,1%).

Já o setor de Pescados recuou 6,05%. Suas principais baixas foram as do bagre (-35%), da pescada tortinha (-32,9%) e da cavalinha (-23,8%). As altas mais relevantes foram as do cação (3,8%) e do polvo (3,7%).

Tendência

Produtos convencionais como laranja, banana, mamão, limão, maracujá, maçã, pera, entre outros, não deverão apresentar oscilações positivas dos preços praticados e podem ajudar no equilíbrio de preços do setor.

Os setores de legumes, verduras e diversos, de um modo geral, não sofrem alterações de demanda significativas neste período. Porém, são mais suscetíveis às alterações climáticas. Podem, portanto, sofrer perda de qualidade e diminuição do volume ofertado caso ocorram chuvas frequentes e elevação da temperatura em demasia nas regiões produtoras. Assim, os preços podem apresentar elevações em dezembro.

O setor de pescados, que registrou queda de pouco mais de 6% nos preços praticados em novembro, deve apresentar recuperação dos preços em razão da previsão de demanda aquecida em dezembro.

Índice CEAGESP

Com o objetivo de traduzir melhor a situação do mercado, neste ano, o Índice CEAGESP passou por uma revisão e foram acrescentados mais produtos à cesta, que agora contabiliza 150 itens.

Pêra, atemóia, abóboras, inhame, cará, maxixe, cogumelo, berinjela japonesa, hortelã, moyashi, orégano, ovos vermelhos, além das verduras hidropônicas como alfaces, agrião, rúcula, são os novos produtos acompanhados pelo Índice, pois tiveram entradas regulares durante todos os meses de 2011.

Primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, o Índice CEAGESP é um indicador de variação de preços no atacado de Frutas, Legumes, Verduras, Pescado e Diversos. Divulgado mensalmente, os itens da cesta foram escolhidos pela importância dentro de cada setor e ponderados de acordo com a sua representatividade. O Índice foi lançado em 2009 pela CEAGESP, que é referência nacional em abastecimento.

Post Anterior
Próximo Post