Segundo o Centro de Integração Empresa-Escola - CIEE, 95% das contratações beneficiam jovens entre 14 e 24 anos - faixa etária mais atingida pelo desemprego



Em levantamento inédito, o Centro de Integração Empresa-Escola – CIEE apontou que o setor varejista foi responsável pela contratação de aproximadamente 30 mil aprendizes e estagiários em 2019. De acordo com os números, ao menos 95% desses jovens tem entre 14 e 24 anos, grupo que representa 63%* da taxa de desempregados segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE.

A entidade filantrópica ainda apontou que, desse total, 19.155 eram aprendizes e 10.571 estagiários. As mulheres representam 52,5% dos jovens contratados pelo setor e ao menos 14% dos estagiários atuam na gestão administrativa ou contabilidade. Já 90% dos aprendizes são responsáveis pelo reposicionamento de mercadoria, atendimento ao público e operação dos caixas.

“O setor varejista representa uma importante parcela da economia brasileira e a oportunidade para os jovens, sejam aprendizes ou estagiários, significa formação de mão de obra qualificada. Trata-se de investimento em longo prazo do setor” conta Luiz Gustavo Coppola, superintendente Nacional de Atendimento do CIEE.

Perfil

O programa Jovem Aprendiz é baseado na Lei da Aprendizagem (10.097/2000) e se trata da única medida pública que combate a evasão escolar e o trabalho infantil. Podem participar jovens de 14 a 24 anos incompletos. Já o programa de Estágio é voltado para estudantes a partir de 16 anos, que devem estar regularmente matriculados em uma Instituição de ensino. Em caso de pessoa com deficiência (PcD) não há limite máximo de idade.

“O grande objetivo do CIEE é que assim como o estágio, o programa Jovem Aprendiz seja encarado como um celeiro de jovens talentos para a empresa. Desenvolvê-los é uma responsabilidade social, mas também econômica”, diz Humberto Casagrande, superintendente Geral do CIEE.

*levantamento do IBGE referente ao 4° trimestre de 2019.