• Últimas postagens

    Primeiro franqueado torna-se sócio na Rede Bem

    Drogaria mira a capital paulista para crescer por meio de franquias e conversões de bandeiras

    Conquistar um franqueado que se identifica com a marca em todos os aspectos é o sonho de todo franqueador, ainda mais quando ele passa a atuar como sócio da rede por acreditar no sucesso do negócio. Foi o que aconteceu com a Rede Bem Drogarias. Adriano Garbelini é um empreendedor nato e com apenas 30 anos sabe muito bem aonde investir o seu capital.

    A princípio ele estava interessado em uma franquia de sapatos para atender a um pedido da sua esposa. Mas quando teve a oportunidade de analisar o investimento inicial desse setor e compará-lo ao da farmácia já percebeu que poderia injetar três vezes menos e faturar três vezes mais e não pensou duas vezes.

    “Imediatamente fechei o negócio. O que a maioria das pessoas pensa é que para ter uma farmácia é muito caro, mas na verdade se tiverem a curiosidade de observar os números vai perceber que o investimento é menor que muitos outros setores e o retorno além de rápido é seguro”, explica.

    Prova que o negócio é um investimento diferenciado, em menos de seis meses, a Rede Bem já possui dez unidades com a perspectiva de chegar ao final de 2014 com 50. Até o final de 2016 a meta é atingir 300 franquias. Para alcançar esses números, a empresa mira inicialmente o Estado de São Paulo, com posterior expansão nos demais Estados.

    O foco inicial da Rede Bem é a conversão de bandeira, ou seja, fazer com que os donos depequenas drogarias entrem para a rede e passem a usufruir dos benefícios oferecidos. Porém, quem não está no mercado, mas possuí identificação com o setor, também pode se candidatar e ser franqueado.

    O varejo farmacêutico brasileirovive um paradigma. De um lado, redes estruturadas e cada vez mais fortes, fruto de fusões e aquisições, muitas vezes com a participação de capital estrangeiro. De outro, as farmácias independentes, em maior número, porém, perdendo espaço a cada ano. De acordo coma consultoriaIMS, até 2017 as grandes redes serão responsáveis por 61% do faturamento do mercado nacional, estimado em R$ 49,6 bilhões. Os grandes já respondem por pelo menos 50% desta receita, mas do total de 65 mil farmácias do Brasil, pelo menos 58,5 mil são independentes.

    “O pequeno varejista farmacêutico está fadado a fechar as portas caso não se profissionalize. Um dos focos da Rede Bem é exatamente o de qualificar esses empresários a enfrentarem em condições de igualdade esse mercado altamente competitivo.A concorrência é brutal e somente as empresas estruturadas vão sobreviver,” afirma o diretor superintendente da Rede Bem, Cesar Vieira.

    Nome da franquia: Rede Bem

    Ano de fundação: 2013
    Segmento:Varejo farmacêutico
    Número de unidades próprias:01
    Número de unidades franqueadas:09
    Investimento inicial estimado:De R$ 120.000,00 a R$ 250.000,00
    Capital de giro estimado:R$ 30.000,00
    Taxa de franquia:Novas R$ 20.000,00 – Conversões R$ 12.000,00

    Taxa de royalties:De 1,5 a 3,5 salários mínimos
    Taxa de publicidade: Não há cobrança.

    Faturamento médio mensal bruto estimado: R$ 150.000,00
    Lucro médio mensal (% do faturamento):15%
    Prazo de retorno:18 meses
    Número de funcionários: 7

    Área da unidade: a partir de 50m²

    Prazo de contrato:5 Anos
    Contato expansão: Cesar Vieira

    Telefone:(17) 3033-6322 – 3033-4180

    Site: http://www.redebemdrogarias.com.br/
    E-mail: superintendente@redebemdrogarias.com.br