35% dos paulistanos não vão gastar nada do 13º salário com presentes neste final de ano. Segundo estudo da Hibou, este número triplicou com relação a 2013

O natal está próximo e para entender o consumidor paulistano, a Hibou empresa de pesquisa e monitoramento de mercado, realizou uma pesquisa feita em campo, com 557 pessoas da classe média paulistana (BC), entre os dias 20 e 26 de novembro em toda a capital de São Paulo. “A idéia desta pesquisa era entender como o paulistano está vendo este final de 2014, o que fará com o 13º salário e como as comemorações afetam o seu bolso e comparar com os dados obtidos em 2013” Explica Lígia Mello, sócia da Hibou e Coordenadora da Pesquisa.

A primeira pergunta da pesquisa era sobre o 13º salário. 19% dos entrevistados responderam que irão quitar dividas em atraso. Já 16% irão viajar e curtir, seguido de 13% que preferem usar o dinheiro a mais para equilibrar as finanças e comprar presentes agora no final do ano (14%). Apenas 5% investirão em rendimentos bancários ou próprios.

Número de presenteados dentro da casa do paulistano

Com relação à quantidade de pessoas que serão presenteadas este ano, 30% dos entrevistados não pretendem presentear ninguém, e 33% vão presentear até cinco pessoas. Temos ainda 15% que irão presentear até três pessoas, 19% irão até 10 pessoas e 3% para até 15 pessoas. Apenas 22% dos entrevistados já haviam comprado ao menos um presente de Natal, lembrando que 30% não irão comprar nenhum.

Sobre os gastos de final de ano tivemos 46% dos entrevistados disseram que querem gastar menos do que gastaram no final de 2013. Já 27% pretendem gastar a mesma coisa, 14% gastarão mais que ano passado e 13% não pararam para pensar ainda. Os motivos do maiores gastos são: 49% as coisas estão mais caras, seguido de 45% que têm mais presentes pra comprar e apenas 25% terão mais dinheiro neste natal para compras.

Hora das compras

Neste natal as “lembrancinhas” de menos de R$ 30,00 perderam também a força de consumo assim como em 2013. Apenas 7% dos entrevistados gastarão entre 10 e 30 reais. Por outro lado, 56% comprarão presentes entre 30 e 100 reais. Na hora de comprar, 75% dos paulistanos entrevistados costumam comprar o presente individualmente, 32% participam de algum amigo secreto e 11% costumam ‘rachar’ o presente com outras pessoas.

Com relação ao vale presente, os paulistanos são categóricos: 35% acham totalmente impessoal para se presentear, o que diminuiu com relação ao ano passado (43%). Já 29% acham práticos e 11% consideram rude. “Notamos que o vale presente aos poucos está ganhando o hábito de compras do paulistano” comenta Lígia.

Forma de pagamento

A forma de pagamento dos presentes é vista claramente com uma preocupação de não gerar uma nova dívida. 60% dos paulistanos vão pagar à vista (debito/dinheiro), 9% à vista no cartão de crédito, e apenas 20% vão parcelar no cartão de crédito. “O que nos chamou atenção este ano foram 9% dos entrevistados que disseram que eles mesmos farão os presentes neste natal” completa Lígia.

E o presente mais caro vai para....

A pesquisa observou que a pessoa do relacionamento direto é a preferência do paulistano, porém a porcentagem de pessoas que não dará presentes este ano redesenhou às prioridades e os pais superaram os filhos neste ano: 22% vão dar o presente mais caro para o marido/esposa/namorado/namorada, 20% para o pai ou mãe, 16% para filhos ou netos. Apenas 7% disseram que todos os presentes serão na mesma faixa de preço.

Preferência

Escolher presentes pode ser uma tarefa fácil ou uma grande cilada. A Hibou questionou o que as pessoas MAIS gostariam e MENOS gostariam de ganhar. “observamos que surgiram itens que não apareceram ano passado, como por exemplo, a intenção de ganhar dinheiro ou vale anual para restaurante/bar” comenta Lígia.

O que mais gostariam de ganhar: 34% disseram um carro, 32% viagem, 30% dinheiro, 29% roupa, 24% acessórios, 20% sapatos, 19% imóvel, 18% eletrônicos, 14% um iphone, 11% eletrodomésticos, 4% vale brinde anual e 58% ainda não sabiam durante a entrevista o que mais gostariam de ganhar.

O que menos gostariam de ganhar: 39% disseram par de meias, 36% utilidades domésticas, 26% roupas íntimas, 22% roupas, 16% higiene pessoal, 15% panetone, 11% pijama, 8% chinelo, 5% perfume, 3% chocolates.

Sobre o tipo de produtos a serem adquiridos, brinquedos e roupas aparecem com 40 % e 39% de intenção de compra, liderando o ranking. DVD’s, Livros e eletrônicos aparecem logo em seguida com 31% ( DVDs), 26% (livros) e 23% (eletrônicos).

Compra pela internet

As facilidades da internet ganham cada dia mais adeptos, mas ainda têm muito paulistano que não confia principalmente da entrega e por isso prefere a compra na loja física. Este ano 13% pretendem comprar ao menos um presente pela internet (queda de 20% em relação a 2013). Já 52% garantem que não comprarão nenhum via web e 34% ainda estão indecisos se vão ou não arriscar a compra pela internet. “Os principais motivos da desistência da compra pela internet são pouco poder de negociação e medo do produto não chegar a tempo” explica Lígia.

Promoções: A paixão do Brasileiro

As promoções de Natal que informam as reduções de preços parecem não estar convencendo mais. 58% não acreditam que há de fato uma redução, este número aumentou com relação à 2013 (49%). Já 24% não prestam atenção nas porcentagens, mas acreditam que pode ter algum desconto sim.

Nesta época do ano também, a maioria dos shoppings realiza promoções com brindes e sorteios, e observou-se que apenas 26% dos entrevistados se deslocam até o local caso seja de interesse o brinde oferecido. A maioria com 49% garantem que este formato de estímulo não os motiva a visitar um shopping. “Um dado que achamos interessante é que 63% das pessoas preferem brindes ao invés de concorrem a um sorteio, por exemplo, de carro ou viagem ao final da promoção do Shopping. Em 2013 eram 57% que pensavam assim. Isso mostra que cada vez mais eles preferem a certeza real do benefício adquirido” diz Lígia.

A Comemoração e o Paulistano

A noite de 24/12 é uma data especial no calendário da grande maioria dos paulistanos e brasileiros em geral. Na pesquisa, 80% dos entrevistados pretendem passar a data com os parentes. 23% pretendem passar com companheiro/a, 10% com os filhos apenas, 9% com os pais, 5% com os amigos, e apenas 1% pretende passar sozinho.

Além da celebração em si, foi perguntado qual é o significado do natal para o paulistano. 59% disseram ser uma festa para reunir a família. Já para 19% significa uma celebração religiosa, seguido de 13% que acreditam que é apenas uma data comercial. “Perguntamos também se o paulistano vê o próximo mais feliz e solidário nesta época do ano e notamos que Houve um aumento de 11% na percepção da “maioria sim” em relação a 2013, o que mostra as pessoas olhando mais pro lado humano” Explica Lígia.

O que não pode faltar na mesa de natal do Paulistano

33% responderam que não pode faltar peru, 33% disseram pernil, 25% lombo/chester, 25% árvore de natal, 17% cerveja, 14% panetone, 13% disseram presentes, 12% rabanada, 9% champagne e apenas 4% disseram que não comemoram natal.

Ao final da pesquisa foi questionado a todos, se hipoteticamente, o paulistano pudesse pedir ao Papai Noel que solucionasse um problema do país, qual seria. A maioria com 50% pediria para que resolvesse a corrupção, seguido de educação (12%), desemprego (12%), segurança (10%), saúde (8%) e moradia (7%).
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: