De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que buscou crédito cresceu 10,8% em maio/15 na relação com o mês imediatamente anterior (abril/15). Já na comparação com o mesmo mês do ano passado (maio/14), a alta foi de 1,6%. No acumulado do ano, a procura do consumidor por crédito cresceu 3,7% (janeiro a maio de 2015 x janeiro a maior de 2014), desacelerando em relação ao crescimento acumulado observado de janeiro a abril deste ano (alta de 4,3% frente ao período acumulado de janeiro a abril do ano passado).

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a alta da demanda do consumidor por crédito em maio/15, na sua comparação mensal (frente a abril/15), reflete a sazonalidade favorável do mês, motivada pela data comemorativa do Dia das Mães. Contudo a alta de apenas 1,6% na comparação anual, bem como a desaceleração na variação acumulada do ano, refletem o atual momento de contenção de gastos do consumidor e sua relutância em assumir novos financiamentos perante um cenário econômico adverso.

Análise por classe de renda pessoal mensal

A demanda do consumidor por crédito cresceu em todas as faixas de rendas mensais dos consumidores, sendo que a maior delas ocorreu nos consumidores que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 mensais (alta de 11,9%), seguidos de perto pela alta de 11,7% para os consumidores que recebem entre R$ 2.000 e R$ 5.000 por mês e os que ganham mais de R$ 10.000 mensais. Para os consumidores com renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000 a alta foi de 11,5% em maio/15 e para os que recebem entre R$ 500 e R$ 1.000 por mês, o crescimento foi de 10,3%. Por fim, o menor avanço mensal em maio/15 ocorreu na camada de menor renda: 8,3% para os consumidores que ganham até R$ 500 mensais.



Na comparação o mesmo período acumulado do ano passado (janeiro a maio de 2014), houve retração na demanda por crédito apenas na faixa menor de renda mensal: queda de 5,1% para os consumidores que recebem até R$ 500 por mês. Para os que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais, o crescimento de janeiro a maio de 2015 foi de 4,2%; para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 foi de 6,0%; e para os que possuem renda mensal entre R$ 2.000 e R$ 5.000, a alta foi de 3,4%. Houve crescimento menos pronunciado da demanda por crédito nas camadas de rendas mais elevadas da população no acumulado de janeiro a maio de 2015: altas de 0,7% para os que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 e de 1,4% para aqueles que recebem mais de R$ 10.000 por mês.

Análise por região

Todas as regiões geográficas do país registraram avanços mensais nas demandas dos seus consumidores por crédito em maio/15. A maior delas ocorreu no Sudeste, com alta de 14,3% frente a abril/15. No Norte, a alta foi de 11,8% e no Sul de 10,7%. Na região Centro-Oeste, o crescimento mensal em maio/15 foi de 7,3% e, no Nordeste, de apenas 3,0%.



Na comparação com os primeiros cinco meses de 2014, todas as regiões registraram avanços nas demandas dos seus consumidores por crédito: 10,1% no Centro-Oeste; 9,9% no Norte; 2,7% no Nordeste; 3,8% no Sul e 2,3% no Sudeste.

A série histórica deste indicador está disponível em
http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/demanda_pf_credito.htm
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: