Uma das maiores redes de supermercado de Minas Gerais começa a tirar da gaveta um projeto de investimento num modelo de lojas pequenas dedicadas a alimentação e que deve se multiplicar nos próximos dois anos em Belo Horizonte e região. Euler Nejm, dono das marcas Super Nosso (supermercado) e Apoio ("atacarejo"), afirma que a meta é fechar 2017 com 30 lojas que terão o nome de Momento Super Nosso. A ideia é que elas ocupem um nicho ainda não explorado na capital mineira: um minimercado com ênfase em produtos de padaria, hortifruti e perecíveis de modo geral. O público que o empresário pretende atingir é o das faixas de renda A e B.

O grupo de Nejm ­ cujo nome de registro é Multiformato Distribuidora ­ tem 74 anos e continua como um negócio familiar. No ano passado, a empresa faturou R$ 1,75 bilhão. Em 2015, ele fala em atingir a marca dos R$ 2 bilhões. No ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) deste ano (com base no faturamento de 201), o Multiformato aparece como a terceira maior rede de Minas, atrás Rede de Supermercados BH e do Grupo DMA, dono da rede Epa.

Nacionalmente, o Multiformato está no 18ª posição. "Vamos abrir dez lojas Momento Super Nosso este ano e até 2017 serão 30", disse ele ao Valor. Em 60 dias, a primeira unidade será inaugurada. O empresário diz que uma pré­condição para o modelo de lojas dar certo foi a construção de um centro de produção e preparo de pães, frios, massas e carnes. É daí que a empresa abastecerá as unidades Momento. A nova marca do Super Nosso vai vender itens de padaria e hortifruti, junto com sanduíches, saladas, sucos naturais, quiches, pizzas e culinária japonesa, além de importados, temperos, cervejas especiais, além de adega, segundo anuncia a empresa.

O formato tem um pouco a ver com uma linha de lojas menores do Pão de Açúcar e do Carrefour. "A gente quer ocupar esse espaço antes que eles venham para cá", diz ele referindo­se à praça de Belo Horizonte e região metropolitana. "Estamos antecipando essa tendência aqui." O faturamento do setor supermercadista de Minas em 2014 foi de R$ 33,3 bilhões. Nejm diz cada uma de suas lojas Momento receberá um investimento de cerca de R$ 5 milhões. Serão recursos vindos do caixa próprio da empresa. O empresário diz que o custo de financiamentos está alto demais. Se o plano de negócios sair como espera Nejm, cada unidade

Momento produzirá um faturamento mensal de aproximadamente R$ 1,5 milhão.

Um acréscimo de cerca meio bilhão de reais no seu faturamento anual, considerando as 30 lojas em 2017. Lojas menores têm sido mesmo uma tendência de algumas grandes marcas, mas um ponto que chama a atenção da iniciativa de uma rede regional como o Super Nosso é que se dá num período em que a economia do país está parada. "A gente faz um planejamento de mais longo prazo. Daqui a dois anos, a economia deverá estar crescendo a um ritmo interessante e o mercado como um todo vai crescer junto. Se esse cenário não se concretizar, a gente estará em condições de ampliar nosso market share, tirando uma fatia da concorrência", prevê ele. No desenho que ele faz para suas novas pequenas lojas (entre 500 metros quadrados e 600 metros quadrados), Nejm inclui aquisições de padarias e supermercados menores, algo que já começou. Até 2017, além das 30 unidades planejadas do Momento Super Nosso, o Super Nosso vai ganhar duas lojas por ano e o Apoio mais duas por ano.

Fonte: Valor

Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: