ULTIMOS POSTS

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas

Por Lucas Saad*

Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marcas brigam tanto por um pequeno espaço na vida das pessoas. Com tantos pontos de contato, sejam eles digitais ou físicos, e com tantas experiências proporcionadas diariamente por elas, acabamos sempre estabelecendo relações com aquelas que mais conseguimos nos identificar.

Hoje, tudo acontece muito rápido e está sempre em constante mudança, o ser humano precisa ser mutável, flexível e dinâmico. E as marcas precisam acompanhar isso. A partir daí começou uma evolução que trouxe a dinâmica da contemporaneidade às marcas, deixando de utilizar apenas sua forma básica, simétrica e regular, e passando a considerar variações dentro de seus sistemas de identidade, criando marcas dinâmicas ou flexíveis. Tais mudanças tornaram as marcas mais humanizadas, mais parecidas com as pessoas e menos com as corporações.

Se o consumidor muda e se transforma para se adaptar à rapidez da vida contemporânea, assim também devem ser com as marcas, se adaptando à vida de seus diferentes públicos, plataformas, veículos e pontos de contato. As variações no design são o ponto de partida para as identidades dinâmicas, porém não são as únicas, uma vez que uma marca dinâmica também pode ser mutável em outros aspectos de sua identidade, como, por exemplo, a identidade verbal. São logotipos, slogans e até nomes que aceitam variações de cor, forma, tamanho, mensagens, etc.

Nas identidades dinâmicas, a falta de padronagem é “regra”, mas devemos ficar atentos, já que nesses casos, a regra é estrategicamente manipulada para proporcionar o reconhecimento das marcas em suas diversas versões. Quase paradoxais, as identidades dinâmicas favorecem o reconhecimento e pregnância das marcas pelos seus consumidores, que não dependem de um único elemento para identificar suas lovemarks, mas contam com uma rede de manifestações que as representam de forma plural e coesa.

Existem grandes exemplos de identidades dinâmicas de marcas como a MTV, a AOL e, inclusive, a marca dos Jogos Olímpicos de Londres. Desta forma, as marcas dinâmicas estabelecem um diálogo mais direto e personalizado com seus consumidores, criando relacionamentos genuínos e duradouros. Elas são como costumamos dizer, as verdadeiras “marcas que dialogam”.

*Lucas Saad, fundador e diretor da consultoria saad branding+design (www.saad-studio.com), de Curitiba (PR), é consultor e especialista em branding

Compartilhe nas redes sociais:
 
Copyright © 2008-2017 Falando de Varejo.