Maior interesse por crédito pode ser considerado um ajuste após forte queda no início do ano e não indica perspectiva de melhora efetiva, avalia FecomercioSP

Em setembro, o Índice de Intenção de Financiamento atingiu 24,8 pontos, um aumento de 0,7% ante agosto, a menor elevação em quatro meses após ter crescido 11% em junho; 5% em julho; e 6% em agosto. Os dados integram a Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE) divulgada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A trajetória de crescimento do indicador, observada nos últimos quatro meses, é resultado da busca do consumidor por crédito para complementar o orçamento familiar. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice caiu 6,4%.

O Índice de Segurança do Crédito, que mede a capacidade de o consumidor pagar as dívidas - a partir da posse de reservas financeiras - em casos de aperto do orçamento, caiu de 92,7 para 82,9 pontos (-10,6%), revertendo a alta de 10,7% registrada entre julho e agosto. A volatilidade do indicador indica, segundo economistas da Entidade, manutenção do clima de incertezas sem direcionamento em relação ao desempenho da economia no curto prazo.

A pesquisa também mostra que 41,4% dos entrevistados declararam possuir algum tipo de aplicação financeira, queda de 4,8 pontos porcentuais em relação a agosto. Entre os endividados, essa proporção caiu 5 pontos porcentuais, de 37,3% em agosto para 32,3% em setembro. Não ter um tipo de aplicação pode reduzir sua capacidade de quitar dívidas em casos de perda de renda.

A parcela de paulistanos com investimentos que utilizaram a poupança como tipo de aplicação subiu de 73,2% em agosto para 75,7% em setembro. O uso de renda fixa também aumentou, de 13,4% para 15,8%. Por outro lado, os poupadores em previdência privada caíram de 5,4% para 3,4%; e em ações, de 2,7% para 1,5%. Aplicadores em outras modalidades de investimento ficaram em 3,6% no mês.

De acordo com economistas da FecomercioSP, a melhora no interesse por financiamento é um ajuste após forte queda no início do ano. Após meses de deterioração de quase todas as variáveis de humor e da economia, o cenário do mercado de crédito, ao menos, pode ser considerado estável com viés de recuperação.

Sobre a PRIE
A Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), apurada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), tem o objetivo de acompanhar o interesse dos paulistanos em contrair crédito e a evolução da proporção de famílias endividadas na capital paulista que possuam aplicações financeiras, gerando um índice de risco inerente a essas operações. Os dados que compõem a PRIE são coletados em 2,2 mil entrevistas mensais realizadas na cidade de São Paulo.

Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 155 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por 11% do PIB paulista - aproximadamente 4% do PIB brasileiro - e gera cerca de cinco milhões de empregos.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: