Sindilojas Porto Alegre e CDL POA realizam para o Dia das Mães de 2016 um estudo inédito sobre o perfil do consumidor que circula e compra pelas ruas da capital gaúcha

Quem é e como se comporta o cliente que circula pelas ruas de Porto Alegre? A resposta é o fio condutor da pesquisa inédita realizada pelo Sindilojas Porto Alegre e CDL POA para o Dia das Mães deste ano. O estudo identificou o perfil dos consumidores em bairros como o Centro Histórico e o Moinhos de Vento, e as Avenidas Azenha e Assis Brasil. Além disso, percebeu que a renda familiar destes clientes é de até 10 salários mínimos, sendo que para quase 84% a renda não supera cinco salários mínimos.

O estudo aponta uma movimentação financeira de R$ 59 milhões para o Dia das Mães deste ano, enquanto que em 2015 a data injetou R$ 80 milhões no comércio da Capital. A pesquisa revelou um ticket médio de R$ 192,00 para 2016, com um crescimento nominal de 2,72% e real de -7,71%. Além disso, estima-se uma inflação de 10,43% em comparação com o mesmo período de do ano passado.

As lojas de rua representam hoje 70% do comércio de Porto Alegre e, por isso, o varejo de rua impulsiona o desenvolvimento da cidade e é um dos seus principais geradores de renda e fontes de trabalho. Afinal, as tradicionais lojas de bairro acompanham o crescimento populacional da Capital, o surgimento de novas regiões e as necessidades dos moradores da cidade.

Paulo Kruse, do Sindilojas de Porto Alegre
Para Paulo Kruse, presidente do Sindilojas Porto Alegre, o cliente de rua possui um perfil e o de shopping outro e, por isso, as lojas que estão no bairro ou no Centro precisam conhecê-lo em profundidade para diferenciar o atendimento e diversificar o mix de produtos. "Para o Dia das Mães, por exemplo, identificamos um ticket médio baixo entre a grande maioria dos clientes. Para 39,3% dos clientes o presente deve custar entre R$ 50,00 e R$ 100,00. No entanto, na rua o consumidor é mais cauteloso e pretende gastar à vista e em dinheiro, o que principalmente para as lojas de pequeno ou médio porte é uma vantagem, pois evita custos extras com as bandeiras de cartão de crédito", explica.

O presidente da CDL POA, Alcides Debus, observou que os itens de vestuário continuam na liderança entre os mais procurados para presentear no Dia das Mães, confirmando a tendência apontada nos anos anteriores. "Roupas são a preferência de 29,3% dos entrevistados. Na segunda posição aparecem os acessórios, citados por 14,7% dos clientes. Em seguida, artigos de perfumaria ou maquiagem, para 12,7%, eletrodomésticos e eletrônicos, ambos comentados por 12,3%, e calçados, com 11,7% da amostra", salientou Debus.

Para a maioria, o valor do presente deve ser de até R$ 100,00
Segundo a pesquisa, 39,3% dos entrevistados devem gastar entre R$ 51,00 e R$ 100,00. Destes, 46,3% estão enquadrados na faixa de renda entre um e três salários mínimos e outros 35,5%, entre 3 e 5 salários mínimos. Por sua vez, as compras acima de R$ 101,00 são mais observadas entre os participantes com rendas mais altas.

Além disso, 41,3% dos consultados afirmou que, em função do atual contexto brasileiro, o valor do presente aumentou em comparação com o mesmo período de 2015. O aumento dos preços (23,9%), a inflação (22,5%) e a crise econômica (16,9%) foram os motivos mais citados.

Outra curiosidade é que, quanto maior a faixa etária do consumidor, maior é o ticket médio previsto para o presente. Pessoas entre 18 e 24 anos disseram que devem gastar, em média, R$ 121,65. Já as com 60 anos ou mais, devem investir, em média, R$ 255,00.

Nas lojas de rua a compra é com antecedência

A intenção da maioria dos consumidores é comprar o presente de Dia das Mães com antecedência. Entre os consultados, 36,3% pretendiam comprar até um mês antes da comemoração e 25,7% entre duas semanas e um mês antes da data. Além disso, 78% dos clientes são mais cautelosos e preferem comprar à vista e em dinheiro.

Outro dado apurado é a alta preferência por lojas de rua em comparação com as de shopping. Segundo a pesquisa, 70% dos que circulam pelas ruas preferem as lojas de bairro e Centro do que as dos centros comerciais, enquanto que apenas 24,7% pretendem comprar o presente de Dia das Mães no shopping. A preferência foi sinalizada, principalmente, pela população com renda entre um e três salários mínimos (75,9% da amostra) e entre 3 e 5 salários mínimos (63,4%).

A maioria é porto-alegrense

Segundo o levantamento realizado, 71,7% dos entrevistados moram em Porto Alegre e os demais 28,3% são moradores da Grande Porto Alegre e Vale dos Sinos. Além disso, 98% referiram ter renda familiar de até 10 salários mínimos. Sendo que a maioria (83,9%) possui renda entre um e cinco salários mínimos. Já em relação a escolaridade, 48,7% dos consultados possuem Ensino Médio completo e outros 12% Superior Incompleto.

A pesquisa foi encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e pela CDL POA e foi realizada pelo instituto Zooma.

Sobre o Sindilojas Porto Alegre

Fundado em 1937, o Sindilojas Porto Alegre é o representante legal dos comerciantes de Porto Alegre e Alvorada e reúne aproximadamente 18 mil estabelecimentos nas duas cidades. Além de atuar na representação e defesa da categoria, desenvolve ações que promovem o fortalecimento das empresas. O Sindicato realiza pesquisas no setor, qualificação profissional e oferece uma série de serviços voltados aos lojistas.
Share To:
Magpress

Falando de Varejo

O Falando de Varejo é o maior blog sobre o varejo brasileiro, no ar desde julho de 2008. Navegue por nosso site e conheça nossas dicas e artigos especiais. Quase 6 milhões de pessoas já passaram por aqui. Clique nos links abaixo para nos seguir também nas principais redes sociais.

Post A Comment: