Buscar

IDV pleiteará junto ao Congresso Nacional aprovação da desoneração da folha de pagamento já na próxima terça-feira

Instituto quer que a MP 610 entre na pauta do Congresso em caráter de urgência para que a nova legislação já possa valer a partir de julho

Depois de apoiar a decisão do governo federal de prorrogar a desoneração do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para eletrodomésticos e móveis, o IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) lutará para que a medida provisória 610, que trata da desoneração da folha de pagamento, entre na pauta do Congresso Nacional na próxima terça-feira, para que a nova legislação já possa valer a partir de julho. “Precisamos lutar para que ela seja aprovada em caráter de urgência, pois o varejo foi o único setor que ainda não foi beneficiado pelas desonerações feitas pelo governo”, afirma Flávio Rocha, presidente do IDV.

Já o corte do IPI, que terminaria neste domingo (30/06), passará a valer até o final de setembro, porém, com redução do desconto. As novas alíquotas entrarão em vigor a partir de 1º de julho. “Este medida continuará a estimular a economia. Como contrapartida, os associados do IDV fizeram um pacto para não aumentar o preço dos produtos”, diz Luiza Helena Trajano, vice-presidente do IDV.\



Durante reunião realizada ontem, em São Paulo, os associados do instituto também mostraram apoio às recentes manifestações populares ocorridas em todo o país. De acordo com Rocha, aos olhos do IDV, o recado mais claro que vem das ruas é de que a população se deu conta da relação custo/benefício do Estado brasileiro, que hoje é desfavorável.

“Durante décadas, essa relação com o poder público foi de subserviência. Nos últimos anos, dezenas de milhões de brasileiros saíram da pobreza. Esse enorme contingente saiu dessa condição de súditos e passou a ser consumidor. No mundo do consumo, a relação custo/benefício de tudo é permanentemente questionada. Se estou pagando, tenho direito à reciprocidade. Do mundo do consumo para a relação com o Estado foi um pulo. Esse enorme contingente passou a ver esse Estado como um fornecedor de serviços como qualquer outro. Passou a esperar baixo custo e eficiência, como espera de qualquer outro produto ou serviço. O imenso custo desse fornecedor e a precariedade dos serviços que oferece ficaram evidentes. A recente lei ‘De olho no imposto’ teve um importante papel nesse processo ao despertar a cidadania tributária. A tomada de consciência da enormidade de impostos que estão sorrateiramente escondidos nos preços dos produtos foi o detonador da indignação expressa nas ruas”, analisa Rocha.

Sobre o IDV

O IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) representa 42 empresas varejistas de diferentes setores, como alimentos, eletrodomésticos, móveis, utilidades domésticas, produtos de higiene e limpeza, cosméticos, material de construção, medicamentos, vestuário e calçados. Atuante em todo o território nacional, o IDV tem como principal objetivo contribuir para o crescimento sustentável da economia brasileira, além do desenvolvimento do varejo ético e formal.