Buscar

Franquias oferecem novas formas para empreender em horários alternativos

Conheça a história de dois empreendedores que para complementar a renda familiar buscaram por franquias que não exigiam dedicação exclusiva do negócio

Quem nunca precisou de uma renda extra para ajudar a completar as contas no final do mês? É no momento de crise que muitas pessoas buscam alternativas seguras para aumentar seu rendimento. E o franchising acaba se tornando uma boa opção devido a segurança do suporte e know-how da franqueadora, diminuindo e muito a chances do empreendimento não dar certo, além ainda, de ser financeiramente bem atrativa.

Visando atender esse público, algumas franquias não exigem dedicação exclusiva do negócio, possibilitando que o franqueado conduza a operação nas horas vagas. Esse negócio é ideal para quem quer trabalhar home office e ter uma franquia barata.

Confira a seguir franquias que possibilitam empreender em horas vagas:

Tradição de família

Docente há mais de 20 anos nos cursos de Administração, Arquitetura e em Hotelaria, foi em uma disciplina que Daniela Longato, de 45 anos, se encantou pelo universo de empreendedorismo e resolveu abrir o primeiro negócio próprio na maior metrópole do país, São Paulo.

Casada e mãe de uma filha, Daniela vem de uma família apaixonada pela área da hospitalidade. Seu pai atuou por mais de 40 anos no turismo, sua filha formou no final de 2018 em hotelaria, então nada melhor que investir em um dos segmentos que mais crescem no franchising: o turismo.

“Escolhi a franquia de turismo por me proporcionar investimento baixo e conduzir o negócio da minha própria casa ou em qualquer lugar do mundo, inclusive isso é algo que planejo para daqui cinco anos, poder viajar e trabalhar em qualquer parte do planeta”, explica a empreendedora que se tornou franqueada da rede Encontre Sua Viagem (franquia com foco em serviços de turismo) há sete meses.

A flexibilidade do horário foi outro motivo decisivo na escolha desse empreendimento, principalmente para Daniela que divide o tempo com as aulas em faculdades e escolas técnicas. “Acho que tudo o que estou fazendo no momento se cruza em alguns pontos. As experiências no meu negócio me dão subsídios para algumas aulas. A vivência na educação me dá munição para pensar nas viagens ligadas a educação e experiência”, diz.

Sua inquietação e sede por conhecimento destacam a personalidade da professora que fez ao mesmo tempo três faculdades de graduação, e desde então vem se realizando pessoalmente e profissionalmente fazendo várias atividades que sempre em algum momento se conectam.

Com o negócio ainda engatinhando e tomando forma, o trabalho extra à frente da franquia possibilita lucro líquido médio de R$3 mil ao mês, a maior parte de sua clientela é o corpo docente dos lugares que leciona e os alunos que se identificam com a professora e a forma com que trabalha, principalmente sua simpatia, outra característica favorável no empreendedorismo na hora de vender seus serviços.

Durante o dia, inclusive nos finais de semana e feriados, ela conduz a franquia, tira dúvidas de clientes ao telefone e e-mail. Já à noite fica à frente de uma sala de aula. Entre as desvantagens de conduzir dois negócios paralelos, Daniela cita que algumas vezes ocorre a falta de flexibilidade com as aulas da faculdade, o que acaba atrasando um contato com o cliente, por exemplo. Porém, as vantagens são tão enriquecedoras, que possibilita que ela vivencie na educação a possibilidade de pensar em viagens ligadas na educação e experiência, criando energias mais focadas.

Para se diferenciar entre os concorrentes, Daniela começou a criar roteiros personalizados aos clientes proporcionando uma experiência agradável e com menos surpresas durante os passeios, inclusive em destinos que possui parceria com outras pessoas que podem auxiliar no suporte para recepção do turista, principalmente em lugares estrangeiros devido à dificuldade com o idioma. A empreendedora quer se especializar nas vendas de destinos poucos explorados, porém que possuem riqueza cultural extraordinária, como é o caso de Tocantins, Chapada dos Guimarães, e Equador.

“Busco sempre nos meus horários livres estudar os destinos que podem ser interessantes ao turismo, e consequentemente, isso aumenta ainda mais o poder argumentativo na hora de vender um pacote ao cliente”, conclui.

Disciplina e foco

Allan Furtado também faz parte da parcela de trabalhadores brasileiros que dividem o seu tempo com mais de um tipo de negócio. Mas no caso do empreendedor de 36 anos a intenção já é garantir a sua aposentadoria. Para isso, foi em busca de novas oportunidades e vem crescendo profissionalmente. A vontade de prosperar o levou a procurar novas alternativas em caminhos jamais trilhados por ele.

Durante o dia, Allan é consultor de negócios e também trabalha com marketing, no qual já desenvolveu projetos para grandes marcas atuantes no mercado. Foi então que pensou em ser dono do seu próprio negócio. “Ser empreendedor, confesso, nunca esteve nos meus planos, foi um presente que a vida me deu. Vejo hoje meu negócio paralelo mais como uma garantia para a “aposentadoria”. Tenho um compromisso pessoal de não fazer retiradas do empreendimento em curto ou médio prazo. Todo o lucro que vier será reinvestido em melhorias, benefícios para os funcionários e crescimento da mesma”, relata o empreendedor que inaugurou recentemente uma unidade da Acquazero (rede especializada em lavagem ecológica automotiva), no estacionamento de um shopping, na cidade de Itaquaquecetuba (SP).

Com visão empreendedora, Allan enxerga um futuro próspero, porém para conciliar os dois trabalhos, já que a unidade está aberta das 10h às 22h, ele conta com o apoio de um gerente, que é os seus “olhos” e braço direito dentro da empresa. Essa foi a tarefa mais difícil para ele. “Disto dependia o sucesso do negócio. O Ivan (gerente) foi um dos melhores colaboradores que tive o prazer de liderar em uma das empresas das quais prestei consultoria. Um jovem rapaz dedicado, focado, esforçado, detalhista, gentil e ao mesmo tempo forte em suas convicções. Não tinha experiência com gestão pela tenra idade, mas acreditou que experiência só temos vivenciando no dia a dia, confiança não se treina, mas especialidades sim”.

O gerente fica à frente do negócio em horário comercial, por volta das 18h30 Allan chega à empresa e passa a comandar de perto a operação. O mesmo ocorre todos os finais de semana, inclusive aos feriados, na qual quando necessário ele também coloca a mão na massa para ajudar seus colaboradores na limpeza dos veículos.

Apaixonada pela área que se formou: publicidade, Allan não quer deixar o emprego fixo de lado, não por agora. Mas já cria estratégias de crescer com a franquia de lavagem automotiva, mas para isso ainda está fazendo alguns estudos e busca não divulgar no momento, típico de um bom marqueteiro.

Com a loja em operação a pouco mais de cinco meses, o franqueado não esconde que essa dupla jornada tem sido extremamente imersiva e também cansativa. E que a maior dificuldade mesmo é manter o foco e não deixar que um trabalho influencie no outro. “Se misturar não consegue fazer nenhum dos dois direito. É onde entra a disciplina e ajuda de outras pessoas. Você precisa se cercar de gente de confiança, com capacidade produtiva, bem treinadas e com garra pra fazer acontecer. Afinal o negócio tem que andar mesmo eu não estando presente integralmente na unidade”, afirma.

A família, principalmente sua esposa Kate, para qual não poupa elogios sempre o está ajudando. Todos são apaixonados pelo setor automotivo, o que fez despertar ainda mais o interesse do paulista em uma franquia como a Acquazero, que segundo ele, fará de tudo para que sua unidade cresça, bem como ele que está começando a trilhar o caminho do empreendedorismo.

Postar um comentário

0 Comentários