sexta-feira, 27 de março de 2009

Dúvidas de leitores: Como otimizar os processos em uma franquia, sem fugir dos padrões?

Pergunta enviada por Paulo Conegero.

Caio,

Primeiramente gostaria de lhe parabenizar pelo blog.

Eu "apenas' o conheci há dois dias atrás e já devorei boa parte do seu conteúdo.

Além de objetividade (o que o profissional do varejo precisa sempre), as dicas de literatura são muito pertinentes, bem como os temas tratados e as dúvidas dos leitores que englobam de uma forma dúvidas gerais.

Bom, estou começando um novo desafio profissional como consultor de uma rede de calçados, atuarei no DF, GO e RO. Não tenho experiência nesta função, mas tenho bons conhecimentos de varejo dado a experiência que tive anteriormente em alguns varejos.

As minhas dúvidas são as seguintes:

1.) Quais as dicas para ser consultor de uma rede de franquias, onde não se detem TOTAL poder sobre o franquiado mas mesmo assim a UNIDADE da empresa e seus padrões devem ser respeitados?


2.) Nas vitrines de calçados (excluindo-se um pouco as lojas de alto padrão) vê-se uma grande quantidade de cores e modelos, gerando uma poluição visual muito grande. Quais seriam as dicas de expor esses produtos de uam forma mais clean e agradável para o cliente?

Gostaria de agradecer desde já a atenção e mais uma vez parabéns pelo seu trabalho.

Att.: Paulo Conegero.


Olá Paulo.

Bemvindo ao blog e fico grato pelos elogios.

Bom, a começar pela questão da consultoria, além de buscar corrigir, adaptar e melhorar os processos, acredito que sua principal função seja realmente esta, a de ser um protetor dos valores e conceitos da marca para quem você presta serviços. Eu acredito que em seu caso, sua função é a de procurar otimizar ao máximo as vendas e processos, buscando sempre manter a orientação e padronização dos conceitos. De uma mesma maneira, voce pode aproveitar as boas idéias utilizadas em uma unidade e torná-las padrão para todas as outras unidades. Muitas vezes, mais do que um consultor, você se torna um agregador.

De uma maneira geral, acredito que caso algum problema que você tenha detectado confronte com alguma aplicação ou identidade previstas para a rede, o aconselhável é reportar nao so o erro, mas sua provável solução aos departamentos e encarregados da franquia. Desde que nao fuja dos valores ou identidade buscada pela empresa (porque nem sempre vender mais significa vender bem, ou vender adequadamente...), você pode criar ou até mesmo direcionar a empresa para um novo conceito ou oportunidade de mercado.

Quanto às vitrines, concordo com você certos pontos, porém acredito que mesmo a poluição visual tenha sua utilidade.
Num primeiro conceito, a poluição visual é negativa e pouco atrativa. Conforme eu costumo a dizer, muita oferta, torna-se oferta nenhuma. Para uma marca, estar nesse verdadeiro "mar" de calçados e modelos expostos em uma vitrina chega a ser uma verdadeira guerra. Todos querendo espaços maiores e melhores vistos, contando com todo o arsenal bélico a disposição, como displays, splashes e até mesmo cartazes e banners.

Para um consumidor, eu acredito que essa maximização de exposição, traz o conceito de fartura e variedade, o que remete imediatamente á uma loja de varejo popular. A maximização em contrapartida tira a valia de qualquer marca e a guerra da vitrine começa a ser travada entre os produtos e marcas principalmente em função de preço. Confinadas atrás de um vidro, o consumidor nao tem outra referencia de escolha, que nao seja o preço (isso somente varia o consumidor quando chega com uma marca específica em mente, ou tem preferencia por determinadas marcas).

No seu caso, acredito que o melhor conceito seja o de buscar algum destaque de produtos, principalmente no caso de produtos da estação (primavera-verão/outono-inverno), ou ofertas em ocasiões especiais. O destaque irá agregar valor à marca e esse pode ser feito até mesmo da maneira mais simples, com iluminação de destaque direcionada e uma menor exposição de produtos na vitrina. Vitrina são iscas, nao precisam expor todos os produtos à venda na loja. Exponha o que você acredita que irá atrair seu consumidor.

Criar fundos, com imagens e ilustrações pode agregar valor. Imagens humanizadas, com modelos que refletem o espírito da marca ajudam a vender bem. Caso seja possível, procure agregar acessórios e produtos que possam ser vendidos correlatamente aos produtos da vitrine, como bolsas e cintos que combinam com os sapatos, carteiras, etc...

Na hora de montar a comunicação, tome cuidado com splashes ou valores grandes. Eles denotam um conceito popular, e acabam por desvalorizar a marca em si. Dê destaque, em caso de liquidação, para a porcentagem de desconto (SALE 50% OFF) Termos em inglês acabam muitas vezes por valorizar, mas cabe ver se este recurso é adequado à sua marca (nao caberia bem para uma marca que bate no jargão de ser 100% nacional, por exemplo).

Espero ter lhe ajudado.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://www.falandodevarejo.blogspot.com/
Post Anterior
Próximo Post

0 comentários:


Não deixe de participar!
Qual sua opinião sobre o conteúdo acima?