sexta-feira, 31 de julho de 2009

Dia dos Pais: comércio baiano prevê crescimento de 5% nas vendas

O comércio baiano prevê um crescimento de 5% em relação ao ano passado com as vendas para o Dia dos Pais, segundo estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindicato dos Lojistas da Bahia (Sindilojas). Além do bom momento do varejo local, a data comemorativa é a quinta ocasião em que o comércio mais atrai os consumidores do Estado, atrás do Natal, da Liquida Salvador, dos Dia das Mães e do mês de junho, com o Dia dos Namorados e o São João.

Faltando menos de duas semanas para o Dia dos Pais, o comércio antecipa promoções na tentativa de atrair os clientes para a compra antecipada dos presentes. Principalmente nas lojas de confecção masculina, muitos lojistas já estampam nas vitrines 70%, 50% e 30% de descontos e facilitação de pagamentos em até “10 vezes sem juros em todos os cartões de crédito”.

Foi por causa destes descontos que os consumidores Girlene e Luiz Carlos Barbosa decidiram antecipar a compra dos presentes. “A promoção foi boa, conseguimos 30% de desconto e dividimos sem juros”, comenta Luiz Carlos, que ganhou peças de vestuário de presente. Além desta vantagem, sua esposa acrescenta que sabe que os preços podem subir com a proximidade da data e que prefere os shoppings ainda sem tanto movimento.

Tradicionalmente o movimento no comércio cresce quando está mais próximo da data. Segundo Antonie Tawil, presidente da CDL, o movimento deve ser maior a partir da sexta-feira que antecede o domingo do Dia dos Pais. “Os setores de venda que terão maior movimentação são as lojas de vinhos, vestuário, calçadistas e as lojas de aparelhos celulares. Não agendamos um crescimento de dois dígitos, como aconteceu em outros anos, mas prevemos um crescimento da ordem de 5%”, diz Tawil.

Tawil informa que, como atrativo, os lojistas conseguiram esticar o prazo de pagamento para os consumidores, e muitos comerciantes estão repassando a condição de 10 vezes sem juros nos cartões de crédito. “O que oriento é que as pessoas façam sempre uma pesquisa antes de fechar as compras”, diz.

Foi este o conselho que seguiram os consumidores Rafael dos Santos e Janaína Neves de Almeida. Eles disseram que irão manter a mesma média de gasto do ano passado, mas que vão dar preferência a parcelar a compra. “Vamos evitar os juros e aproveitar as condições favoráveis. Por isso, já estamos pesquisando”, revela Santos.

Paulo Motta, presidente do Sindilojas, diz que o comércio está com uma estratégia “muito agressiva de ofertas”, por causa da briga pelo cliente. Motta também salienta outra intenção dos lojistas, que é conseguir o “efeito cascata”, com o cliente que vai para comprar o presente do Dia dos Pais e termina também comprando outro produto em decorrência dos descontos.Já sobre o mercado de trabalho no setor, Motta diz que o volume de vendas neste período não é suficiente para abrir vagas temporárias. “Mesmo assim, o cenário é positivo. Porque no ano passado, quando ainda não estávamos na crise financeira, o crescimento foi de apenas 3%”, revela o representante dos lojistas.

Saindo do espírito de comemorações e presentes, especialistas em finanças sempre alertam sobre o risco de endividamento com estas datas. Ângelo Costa, consultor financeiro, diz que, “no mundo ideal”, estes gastos já deveriam estar previstos desde o início do ano nos orçamentos familiares.“Como isso não acontece, o que recomendo é que as pessoas saiam de casa com o que irão comprar em mente e sabendo quanto deverão gastar”, salienta o consultor financeiro. O consultor também lembra às pessoas que tentem comprar à vista e reflitam sobre os impactos da compra no orçamento.

Fonte: A Tarde OnLine
Post Anterior
Próximo Post

0 comentários:


Não deixe de participar!
Qual sua opinião sobre o conteúdo acima?